A criação deste Blogue, ideia de António Melo, tem como objectivo divulgar, defender o Sport Lisboa e Benfica e a sua Gloriosa história. Qualquer opinião aqui expressa vinculará apenas o seu autor, Alberto Miguéns.

SEMANADA: ÚLTIMOS 7 ARTIGOS

05/03/2016

Títulos, 34; Vitórias, 31

05/03/2016 + 3 Comentários
HÁ MUITO TEMPO QUE ESTE JOGO ENTRE SPORTING CP E SL BENFICA NÃO DAVA PARA CONSTRUIR TANTAS TEORIAS ANTES DELE SE INICIAR.
  
                      
Nos “Dérbies” pouco há a dizer antes deles ocorrerem. O melhor é esperar pelo final do jogo de hoje. Mas este tem muito que se lhe diga.


Podemos olhar para ele com perspectivas distintas: históricas (longa e curta), actualidade e pressão mediática. Começo por esta. Mediatismo. Os sportinguistas há muitos anos que vivem num limbo que tende a aumentar, Benfiquistas! Em 81 edições do campeonato nacional o SCP conquistou 18. O “Glorioso” obteve o 18.º título em 1970/71! Já passaram 44 edições. O Sporting CP em 1970/71 tinha 13 triunfos (estava a cinco). Quarenta e quatro edições depois tem 18 (mais cinco). O Benfica nessas 44 temporadas passou para 34 (mais 16). Quase tantas – faltam duas – como o total de títulos, em 2014/15, do Sporting CP. Isto deixa-os “doentes”. Desvairados, a proferir disparates, em vez de tentarem perceber o porquê!
Actualidade (2015/16). Aqui levam vantagem. Em campo neutro (Algarve) venceram-nos a Supertaça, por 1-0. Na primeira volta, voltaram a vencer, na “Catedral”, por 3-0. Nada a dizer. Foram melhores. Parabéns. Mas…no último encontro, no local do jogo de hoje, se fosse um jogo de campeonato, das competições europeias ou da Taça da Liga tinha terminado empatado! O Benfica acabou derrotado no prolongamento, algo que o jogo de hoje não vai ter. Ou seja, como termos de comparação empatámos, se isso servir de consolo.

Perspectiva história, a longo ou curto prazo. O Benfica é muito superior como visitado com 45 vitórias (mais 30 vitórias que as 15 derrotas) e tem mais 61 golos marcados (164 para 103). Como se viu, na primeira volta, serviu de pouco. Como visitante equilibra com igual número de vitórias (31) e apenas mais dois de desvantagem (118/120). Na última década os números mantêm-se como se de uma amostragem se tratasse. No estádio do Sporting CP: três vitórias, três derrotas e quatro empates, com mais três golos marcados (13/10). Equilíbrio, que foi o que ocorreu no último Dérbi de Lisboa, o tal que provocou a lesão grave do capitão Luisão, em 21 de Novembro de 2015.   


A diferença de qualidade é maior para o Benfica. Melhor defesa, meio-campo semelhante se jogar Adrien e não jogar Fejsa e melhor ataque. E então se olharmos para o banco de suplentes: soluções QB

Entre os anos 10 ao início dos campeonatos nacionais
O Benfica já era o clube mais popular de Portugal quando tiveram início os campeonatos nacionais a pontuar, designados nas quatro edições iniciais por I Liga. É bom saber que o Benfica até 1919/20, ou seja, nas 14 edições desde a estreia em 1906/07 conquistou oito títulos ( 1 + 3 + 3 + 1), os ingleses do Carcavellos Club (os três iniciais), o Sporting CP (dois) e o Internacional/CIF (um). O “Glorioso” conquistaria o 9.º título de campeão regional em 1932/33. O Sporting CP apesar de se ter tornado um clube poderoso a partir do início dos anos 20, apenas em 1934/35, igualou com nove triunfos o número de títulos do Benfica.

Coexistência de campeonatos regionais e nacionais
Durante as treze edições iniciais do campeonato nacional (até 1937/38, campeonato da I Liga, depois de 1938/39, campeonato nacional da I Divisão) os apuramentos para participar na competição faziam-se após disputar os campeonatos regionais. O de Lisboa apurava quatro clubes. A curiosidade – que era tema na época – é que o Sporting CP dominava o Regional (ou seja o apuramento) mas depois fraquejava no campeonato nacional. Nesses treze anos, enquanto o Benfica apenas conquistou um Regional (1939/40) obteve seis campeonatos nacionais. Ao invés, o Sporting CP conquistou dez Regionais, mas apenas três campeonatos nacionais. Muitas vezes quando se fala acerca da grandeza relativa dos clubes sobrevaloriza-se o Sporting CP com valores que os registos nas competições nacionais não mostram.

CAMPEONATOS REGIONAIS E NACIONAIS
ÉPOCA
REGIONAL
NACIONAL
Melhor
Pior
Melhor
Pior
1934/35
9
2.º
1
2.º
3.º
1935/36
10
2.º
1
3.º
1936/37
11
2.º
2
3.º
1937/38
12
2.º
3
3.º
1938/39
13
3.º
2
2.º
3.º
1939/40
10
2.º
3
2.º
4.º
1940/41
14
2.º
1
4.º
1941/42
15
2.º
4
2.º
1942/43
16
2.º
5
2.º
1943/44
5
2.º
3.º
2
2.º
1944/45
17
2.º
6
2.º
1945/46
6
2.º
4.º
1
2.º
3.º
1946/47
18
2.º
3
2.º
NOTA: Campeonato regional: 1943/44 e 1945/46: CF “Os Belenenses”; Campeonato nacional: 1934/35, 1938/39 e 1939/40: FC Porto

Antes e depois dos anos 50
Ao contrário daquilo que é senso comum o Sporting CP não teve nenhum ciclo – períodos que se repetem de tempos-a-tempos - de domínio, mas sim um período, entre 1946/47 e 1953/54, em que conquistou sete títulos em oito temporadas, ou seja, regista neste período 39 por cento do total de campeonatos nacionais conquistados (18). Juntando tudo numa “caldeirada” o SCP conseguiu 39 por cento dos seus triunfos em dez por cento das edições (sete títulos em oito temporadas das 81 entretanto realizadas)! Outra nota que nunca é salientada nos media portugueses é a queda abrupta. Se em 1953/54 o Sporting CP somava nove triunfos em vinte edições, com mais sete segundos lugares e quatro terceiros, nos anos 50 consegue duas proezas: começar a década com um tetra (o único e algo que o Benfica nunca obteve) mas também encerrou os anos 50 obtendo três quatros lugares, algo que era inédito. Depois nos anos 60 seguiram-se 5.ºs lugares e mais recentemente um 7.º lugar. Os anos 50 ilustram, na perfeição, a inconstância do adversário desta noite. Passar do Paraíso ao Inferno em pouco tempo. Tetracampeão em 1953/54 para um inédito 4.º lugar em 1955/56, duas temporadas depois. Do maior feito à pior classificação de sempre, até essa data!

81 CAMPEONATOS NACIONAIS
ÉPOCA
Melhor
Pior
CASA
FORA
1934/35
2.º
3.º
1-1
1-3
1935/36
1
3.º
3-1
4-2
1936/37
2
3.º
5-1
4-1
1937/38
3
3.º
3-2
2-2
1938/39
2.º
3.º
1-4
1-0
1939/40
2.º
4.º
1-3
1-3
1940/41
1
4.º
2-4
2-1
1941/42
4
2.º
4-3
4-1
1942/43
5
2.º
2-1
2-3
1943/44
2
2.º
5-4
0-1
1944/45
6
2.º
4-1
2-0
1945/46
2.º
3.º
7-2
3-4
1946/47
3
2.º
3-1
1-6
1947/48
4
2.º
1-4
3-1
1948/49
5
2.º
3-3
1-5
1949/50
7
2.º
2-3
2-1
1950/51
6
3.º
1-3
2-2
1951/52
7
2.º
2-3
3-2
1952/53
8
2.º
2-3
1-3
1953/54
9
3.º
0-2
2-3
1954/55
8
3.º
1-1
1-0
1955/56
2.º
4.º
3-0
3-1
1956/57
9
4.º
1-1
0-1
1957/58
10
3.º
2-0
0-2
1958/59
2.º
4.º
4-0
1-2
1959/60
10
2.º
4-3
1-1
1960/61
11
2.º
1-0
1-1
1961/62
11
3.º
3-3
1-3
1962/63
12
3.º
4-3
3-1
1963/64
13
3.º
2-2
1-3
1964/65
14
5.º
3-0
2-2
1965/66
12
2.º
2-4
2-0
1966/67
15
4.º
3-0
1-1
1967/68
16
2.º
1-0
1-3
1968/69
17
5.º
0-0
0-0
1969/70
13
2.º
1-1
0-1
1970/71
18
2.º
5-1
1-1
1971/72
19
3.º
2-1
3-0
1972/73
20
5.º
4-1
2-1
1973/74
14
2.º
2-0
5-3
1974/75
21
3.º
1-1
1-1
1975/76
22
5.º
0-0
3-0
1976/77
23
2.º
2-1
0-3
1977/78
2.º
3.º
1-0
1-1
1978/79
2.º
3.º
5-0
1-0
1979/80
15
3.º
3-2
1-3
1980/81
24
3.º
1-1
1-1
1981/82
16
2.º
1-1
1-3
1982/83
25
3.º
1-0
0-1
1983/84
26
3.º
1-1
1-0
1984/85
2.º
3.º
3-1
0-1
1985/86
2.º
3.º
1-2
0-0
1986/87
27
4.º
2-1
1-7
1987/88
2.º
4.º
4-1
1-1
1988/89
28
4.º
2-0
2-0
1989/90
2.º
3.º
2-1
1-0
1990/91
29
3.º
1-1
2-0
1991/92
2.º
4.º
 2-0
0-0
1992/93
2.º
3.º
1-0
0-2
1993/94
30
3.º
2-1
6-3
1994/95
2.º
3.º
2-0
0-1
1995/96
2.º
3.º
0-0
0-2
1996/97
2.º
3.º
1-0
0-1
1997/98
2.º
4.º
0-0
4-1
1998/99
3.º
4.º
3-3
2-1
1999/00
17
3.º
0-0
1-0
2000/01
3.º
6.º
3-0
0-3
2001/02
18
4.º
2-2
1-1
2002/03
2.º
3.º
1-2
2-0
2003/04
2.º
3.º
1-3
1-0
2004/05
31
3.º
1-0
1-2
2005/06
2.º
3.º
1-3
1-2
2006/07
2.º
3.º
1-1
2-0
2007/08
2.º
4.º
0-0
1-1
2008/09
2.º
3.º
2-0
2-3
2009/10
32
4.º
2-0
0-0
2010/11
2.º
3.º
2-0
2-0
2011/12
2.º
4.º
1-0
0-1
2012/13
2.º
7.º
2-0
3-1
2013/14
33
2.º
2-0
1-1
2014/15
34
3.º
1-1
1-1
2015/16


0-3


Fora:  081 J – 31 V19 E – 31 D     118/120
Casa:  082 J – 45 V 22 E15 D     164/103
Total:  163 J – 76 V41 E46 D    282/223
                                                        (+ 30 V)    (+ 59 GM)
NOTAS (explicadas numa nota final):
1. Considero o resultado "fora", em 1951/52, como vitória por 3-2 (e não derrota por 2-3);
2. Considero o resultado "em casa", da época de 1994/95, como vitória por 2-0 (e não derrota por 1-2).

Se jogar Fejsa até no meio-campo ficamos em vantagem. Com Carcela a poder vir do banco "abanar" o Sporting CP de "alto a baixo"!

Em jeito de conclusão
Chegar primeiro, pensar primeiro, ajudar primeiro, desmarcar-se primeiro, defender primeiro, atacar primeiro e marcar primeiro eis a receita "fácil" para se vencerem os "Derbies"!

Carrega Benfica!


Alberto Miguéns

NOTAS FINAIS


1. Em relação ao resultado de 1951/52 (9.ª jornada) o jogo foi "fora" como ficou estabelecido no sorteio e foi publicado em vários jornais na época (deixo exemplo do "Mundo Desportivo" e do jornal "Sporting". Aliás já por diversas deves falei deste assunto neste blogue, em 10 de Fevereiro de 2015, por exemplo, contra factos não há argumentos. As publicações actuais seguem o que está estabelecido no Almanaque (Produto Oficial) mas não passa de um erro que roca a ordem das jornadas dos dois jogos frente ao Sporting CP.


"Mundo Desportivo"; 21 de Setembro de 1951; páginas 1 e 5
Jornal "Sporting"; 29 de Setembro de 1951; Página 2

Almanaque do SLB; página 208; Maio de 2015; Rui Tovar; 2015; Lisboa

2. Em relação ao resultado de 1994/95 (30.ª jornada) a História transformada em estorieta é mais complexa. Ainda há pouco tempo o maior protagonista falou no "caso" (clicar). Pensei que a FPF aproveitasse o Centenário (2014) para publicar todos os resultados homologados (I, II e III Divisões) mas não o fez. Um dia haverá um texto acerca do assunto referente a esta NOTA 2, mas com dados cronológicos. O que eu sei é que logo quando na Imprensa se escreveu que a FIFA não aceitava a repetição do jogo, que estava homologado como 2-0, como todos os do campeonato de 1994/95, para permitir o sorteio (há muito que estava feito) do campeonato seguinte (1995/96) procurei informar-me , junto de António Sequeira, secretário-geral da FPF qual a data em que o Conselho de Justiça da FPF tinha reunido para deliberar «desomolgar» o 2-0 e homologar o 1-2. Foi-me dito para contactar o vogal do Conselho de Justiça, José Sampaio e Nora, que por entre um sorriso comunicou: "Isso é o que estamos pata ver". Percebi que ia haver uma solução à portuguesa. Para evitar aborrecimentos a Direcção da FPF dava a entender que a FIFA obrigava a alterar a decisão, mas o CJ nunca iria aceitar ser desautorizado por um "faxe" (havia ainda faxes) da FIFA! Ou seja, homologar o resultado que anularam, «desomulgando» o resultado de um jogo que obrigaram a que fosse realizado. Como até hoje nunca consegui - apesar de muito ter tentado até há cerca de dez anos (depois desisti) - esclarecer o assunto (ver uma cópia dessa de reunião com a homologação da D 1-2) e considerando que Portugal não é uma República das Bananas em que é com um faxe que se homologam resultados para mim, até prova em contrário, o resultado que foi homologado no final da temporada de 1994/95 é a vitória por 2-0. Se fosse ao contrário, vitória do Sporting CP tinha exactamente o mesmo comportamento, pois este nada tem a ver com o clubismo. É tudo uma questão do que entendo ser a legalidade. Mostrem-me o acórdão que eu troco de imediato na minha base de dados: A V 2-0 passa de jogo homologado a jogo anulado e a D 1-2 passa de jogo anulado a jogo homologado. Eu não sei, a 100 por cento, qual está correcto. Mas tudo indica que o que está homologado é a V 2-0! Só isso!  



3 comentários
comentários
  1. Caro Dr Alberto,

    Na minha modesta opinião, sempre podemos compartimentar os 81 Campeonatos disputados, por períodos políticos distintos, e quase de forma equitativa :

    40 Campeonatos disputados durante o Estado Novo:
    O Benfica venceu 20 Campeonatos!
    O Sporting venceu 14 Campeonatos!
    O FC Porto venceu 5 Campeonatos!
    O Belenenses como ousider, com 1 Campeonato!

    (A hegemonia do Benfica, é traduzida nesse período com a conquista de 2 Taças dos Campeões, e o Sporting precede o eterno rival com 1 Taça das Taças, foram 3 T Europeias conquistadas para Portugal na década de 60)

    Campeonatos Democráticos (tal como a Geografia do Futebol de primeira, tambem se alterou, foi às Ilhas e com predominância a Norte):
    FC Porto venceu 22 Campeonatos!
    Benfica venceu 14 Campeonatos!
    Sporting 4 Campeonatos!
    O Boavista foi o outsider do seculo XXI, venceu 1 Campeonato!


    (A hegemonia do FC Porto em Portugal, é traduzida também em termos Europeus, com a conquista de 4 T Europeias, 3 delas conquistadas neste século).


    Relativamente ao Sporting, é curioso observar os registos dos Campeonatos conquistados, de 1958 até hoje, apenas conquistou Campeonatos "avulso", não foram sustentados, ou suportados num ciclo de continuidade vitoriosa, aliás, o Sporting nas ultimas 6 décadas, após se sagrar Campeão Nacional, na temporada imediatamente seguinte, resvala tendencialmente para o 3º ou 4º lugar, a excepção 1970/71 (após ter vencido o Campeonato em 1970, na temportada seguinte foi Vice Campeão), e estes registos acabam por revelar que o Sporting é um Clube permanentemente amotinado, e que vive em constante instabilidade, tal a ausencia de resultados desportivos (Futebol) constantes e consistentes!

    Relativamente à partida de amanhá, "Nos “Dérbies” pouco há a dizer antes deles ocorrerem. O melhor é esperar pelo final do jogo de hoje. Mas este tem muito que se lhe diga", subscrevo este paragrafo, tem muito que se lhe diga, e pode decidir o Campeão, o Vice ou 3º classificado desta Edição, depois, há o outro lado do jogo, ou o outro jogo: Jesus - Vieira, esse é outro Campeonato, e para o qual o eloquente Prof Rui nem entra...

    Como já referi, o Sporting é o maior favorito, joga melhor (fortissimo em derbys e classico, o Benfica revela uma tendencia inversa), joga em casa, tem o melhor Treinador, e terá 5 "adeptos" no relvado (Patricio, William, ADrien, Mario e Gelson, todos formados no Sporting), esse é também um importante "pormaior", e em Guimaraes na semana passada, o William deixou um sério aviso à navegação, naturalmente o Benfica pode empatar ou ganhar, mas esses resultados serão de alguma forma surpreendentes (abordo apenas a componente do jogo), aliás, pessoalmente, o empate era simpático, mas não acredito!

    No post de ontem, deixou-me uma "bicada" sobre o jogo do Axa: Braga FC Porto, referia o Dr Alberto que seria uma partida para disputar o 3º/4º lugar. Bom, recordo-lhe que o Braga dista 11 pontos do FC Porto, e tem neste momento o 4º lugar consolidado, todavia, recordo-lhe que na 11ª Jornada, no Braga Benfica, o Braga à entrada dessa Jornada estava então no 3º lugar, e o Benfica era 4º classificado, se o Benfica não vence essa partida, ficaria então a 4 pontos do 3º classificado Braga e entraria numa depressão profunda. O Benfica entrou bem nesse jogo, marcou 2 golos na fase inicial, sofreu muito, mas venceu bem.

    Dito isto, o Futebol são momentos, o Benfica ganhou em Braga, recuperou a confiança, e posteriormente venceu 11 Jornadas sucessivas, isto quando esteve muito perto do abismo. Isto é, o derby de amanhã, poderá provocar no vencedor/perdedor momentos animicos contrastantes no futuro proximo em termos classificativos, e de igual forma, uma vitória do FC Porto em Braga, recolocará os Dragões como muito sério candidato ao título, porque afinal, ainda há 30 pontos por disputar!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Caro Paulo Teixeira,

      Não vá por aí. Os campeonatos nacionais apenas começaram em 1934/35 logo para o FC Porto conquistar o primeiro. O Estado Novo resultou da revolta em 28 de Maio de 1926, data que o FCP decidiu homenagear em 1952 inaugurando o Estádio das Antas.

      Em todos os países da Europa Comunista os Clubes desses Regimes, assim que houve Revoluções acabaram (Dínamo Berlim na RDA e Dukla de Praga, na Checoslováquia) ou enfraqueceram (FC Steaua de Bucareste na Roménia, por exemplo. Os "clubes" mais desprotegidos recrudescederam em popularidade e conquistas.

      Pois em Portugal o clube que mais beneficiou da Democracia foi o Benfica. Um Tri logo a seguir. Sem constrangimentos. Entre 1974/75 e 1993/94, ou seja, nos primeiros 20 anos de Democracia o Benfica foi o clube mais conquistador em campeonatos e Taças de Portugal.

      O que se passou a seguir todos sabemos. Portugal mais que um Regime Democrático tornou-se um Regime de corruptos sem medo. A corrupção generalizou-se. Não me admirei quando o FC Porto começou a vencer sabendo das ligações desse clube aos políticos. Dragões de Ouro com fartura para muitos.

      Não sei se disse que o jogo na "Pedreira" era para disputar o 3.º/4.º lugar. Se disse (podia ir ver mas também não interessa) não era isso que pretendia. Queria apenas salientar que é um jogo entre o 3.º e o 4.º classificado. Seja qual for o resultado do "Dérbi de Lisboa" no domingo o FCP é 3.º e o SC Braga é 4.º. Nas jornadas seguintes logo se verá, mas já escrevi algures no blogue que neste momento o SC Braga será sempre 4.º classificado no final da competição: a dez jornadas do final está a onze pontos do 3.º lugar e com mais oito que o 5.º classificado. Não vai sair dali.

      O futebol é de todos os desportos o mais imprevisível apesar de se estabelecerem probabilidades. No Voleibol uma equipa que seja claramente superior a outra vence 99 em 100 jogos. No Futebol vence 7 em 10, empata 2 e perde 1. Há equipas em futebol que fazem um remate à baliza e ganham por 1-0. Outras que fazem uma dúzia e não marcam qualquer golo empatando 0-0. Já vi ambas as situações com o Benfica.

      Vamos esperar. Em termos de probabilidades mesmo que o valor seja igual, o Benfica está - até estatisticamente - mais perto de vencer. Não vai perder eternamente com o Sporting CP. Depois de três derrotas mais duas com o FCP estará mais perto de quebrar esta série.

      Os futebolistas sabem da importância do jogo. Quer em relação ao SCP (uma derrota passa para seis pontos "líquidos" a diferença) e coloca o FCP com possibilidades, vencendo em Braga, de colocar o Benfica em 3.º lugar, já não dependendo de si para ser 1.º e 2.º, embora FCP e SCP tenham confronto agendado.

      Vamos esperar pelas 22:30! Que o jogo começa empatado todos sabemos. É a única certeza no futebol. Começa com zero-a-zero. E até já houve um golo aos quatro segundos (tempo mínimo possível para inaugurar o marcador).

      Saudações

      Alberto Miguéns

      Eliminar
  2. Anónimo5/3/16 12:42

    ...SR DR ALBERTO....GENIAL na resposta ao Sr Paulo Teixeira....com sabe SR DR, sou um HOMEM DO DOURO e, cá na nossa REGIÃO estamos habituados a ver à distancia os CHICO ESPERTOS....SABE SR DR....ESTAMOS HABITUADOS À VELHA LENGA-LENGA DA DEFESA DO NORTE,PARA PEDIREM BENESSES PARA A PORTO CIDADE(e não só)....O MESMO ACONTECE COM A VELHA LENGA-LENGA DOS ESTADO NOVO.....FICO-ME POR AQUI,SEM CONTUDO LEMBRAR QUE FOI O ESTADO NOVO QUE FEZ O "ARRANJINHO"PARA QUE OS CORRUPTOS DO PÓS DEMOCRACIA SE TENHAM MANTIDO NA 1º DIVISÃO HÁ EPOCA....abraço

    ResponderEliminar

Em Defesa do Benfica no seu E-mail