A criação deste Blogue, ideia de António Melo, tem como objectivo divulgar, defender o Sport Lisboa e Benfica e a sua Gloriosa história. Qualquer opinião aqui expressa vinculará apenas o seu autor, Alberto Miguéns.

SEMANADA: ÚLTIMOS 7 ARTIGOS

14/09/2015

Parece Que Foi Ontem, Luisão!

14/09/2015 + 2 Comentários
HÁ 12 ANOS O BENFICA DEFRONTOU O CF “OS BELENENSES” NA ESTREIA DE LUISÃO COM O “MANTO SAGRADO”! EM 2003!


Em 2015 foi o CF “Os Beleneses” o último clube adversário do Benfica com Luisão. O menino fez-se homem. O debutante tornou-se decano. O estreante tornou-se capitão. Obrigado Luisão!



NOTA: Texto longo, talvez demasiado aborrecido para quem não gosta de valores estatísticos. Amanhã prometo mudar a "agulha"!

Eu que geralmente não tenho pachorra para aturar birras de futebolistas, não sei porquê, sempre entendi as duas birras de Luisão. No início das temporadas estava sempre a tentar escapar-se do Benfica. Eu pensava. Compreendo. É um futebolista com tanta categoria e conquista tão pouco no Benfica face ao valor que tem. Compreendo. Depois durante a temporada, em jogos complicados, respondia às provocações dos adeptos, por vezes grosseiramente. E eu? Compreendia. Custava-me mas compreendia. Talvez fosse importante para blindar o grupo e torná-lo imune a pressões. Ele, afinal, era o capitão. O capitão do plantel. Passados estes anos dou comigo a pensar cá “para os meus botões”. Fizeste bem em compreender. Luisão mereceu. Luisão merece. Tiveste o privilégio de ver jogar uma Gloriosa Lenda! Mesmo ali à tua frente da cadeira M1!



Primeira: 2003/2004
Vindo do Cruzeiro EC de Belo Horizonte, Luisão estreou-se ao 11.º jogo de 2003/04, em 14 de Setembro de 2003, completam-se hoje uma dúzia de anos, depois da eliminação do “Glorioso” na 3.ª pré-eliminatória da Liga dos Campeões pela equipa do SS Lázio (D 1-3; D 0-1 no estádio do Bessa).E na 4.ª jornada, depois de um empate cedido na 1.ª jornada e do adiamento da 3.ª. Na equipa de estreia, frente ao CF “Os Belenenses” (E 3-3) jogou-se no Estádio Nacional, pois a “Catedral” encontrava-se em fase de acabamentos, para ser inaugurada pouco mais de um mês depois, em 25 de Outubro, sob a presidência de Manuel Vilarinho. 


Na estreia frente ao CF “Os Belenenses” marcou um golo (fez o 2-1 aos 86 minutos! E ficou 3-3!), continuou a titular no jogo seguinte (D 0-2; FC Porto; fora) vendo o primeiro cartão amarelo. E continuou titular, fazendo par com Argel ao terceiro jogo consecutivo, na Bélgica, frente ao RAA La Louviére (E 1-1) na 1.ª mão da 1.ª eliminatória da Taça UEFA. Depois o jogo fatídico, no Estádio Nacional, frente ao CD Nacional (V 1-0) fazendo dupla de centrais com Hélder, mas lesionando-se aos 39 minutos (entrou Argel) embora o Benfica já vencesse desde os 25 minutos (golo de Tiago). Esta lesão impediu Luisão de fazer parte da equipa que inaugurou a “Catedral”, regressou no final do ano civil de 2003 mas por pouco tempo. Uma recaída limitou-lhe muito a sua temporada de estreia com o “Manto Sagrado”:
1 913 minutos; 22 jogos e quatro golos; 20 a titular com dois incompletos (ambos por lesão); com onze vitórias, seis empates e cinco derrotas. Foi admoestado com três cartões amarelos (um na final da Taça de Portugal brilhantemente conquistada perante o FC Porto). Foi convocado mais cinco vezes (além dos 22 jogos): quatro como suplente não utilizado e um em que foi preterido (ou como se diz em futebolês – foi para a bancada)!


Segunda: 2004/2005
A primeira época de afirmação. Apesar de ter regressado da “Copa América 2004” lesionado (falhou a 1.ª mão na eliminação da Liga dos Campeões pelo RSC Anderlecht) apenas não foi convocado para 17 dos 60 jogos do “Glorioso” em 2004/05: oito por lesão, cinco pela participação na selecção do Brasil, dois por estar suspenso por cartões amarelos e outros dois por opção técnica.



3 739 minutos; 42 jogos e dois golos; 42 a titular com um incompleto (saiu aos 19 minutos por lesão); com 25 vitórias, dez empates e sete derrotas. Foi admoestado com dez cartões amarelos. Foi convocado mais uma vez (além dos 42 jogos) mas não saiu do banco de suplentes.


Terceira: 2005/2006
A terceira temporada foi de maturidade. “Perdeu” os três jogos iniciais da pré-temporada, foi convocado (e preterido) ao quarto e estreou-se ao quinto a capitanear o “Glorioso” no Barreiro, frente ao FC Barreirense, numa vitória, por 1-0, com um grande golo de Petit (talvez o melhor dele no Benfica, semelhante àquele que marcou a Vítor Baía e não Olegário-contou!). No Barreiro contou. Eu estava lá, junto a José Augusto, e vi! Vi Luisão entrar em campo como capitão. Vi o golão de Petit! Abençoado Benfica! Dos 59 jogos do Benfica em 2005/06 não participou em dez: cinco devido a férias (três no início e dois no final da época), dois preterido depois de convocado, um por não ser utilizado apesar de suplente, outro por lesão e mais um por estar suspenso.
4 366 minutos; 49 jogos e dois golos; 49 a titular com dois incompletos; num total de 26 vitórias, onze empates e doze derrotas. Foi admoestado com dez cartões amarelos. Foi convocado mais uma vez (além dos 49 jogos) mas não saiu do banco de suplentes.


Quarta: 2006/2007
À entrada para a quarta temporada com o “Manto Sagrado” era o quarto capitão na hierarquia com a Gloriosa Braçadeira (Simão, Nuno Gomes, Petit, Luisão, Ricardo Rocha e Rui Costa). Uma época que começou bem mas terminou com uma lesão grave que afastou o nosso Luisão dos derradeiros 15 jogos da temporada. Até arrepiou, em 8 de Março de 2007, no Parque dos Príncipes, frente ao FC PSG, na 1.ª mão dos oitavos-de-final da Taça UEFA, quando aos 32 minutos cedeu o seu lugar a David Luiz. Na estreia com o “Manto Sagrado” depois de seis jogos como suplente não utilizado de David Luiz que, como até os ceblontianos sabem, em 2015/16 joga – e joga muito e bem - no FC Paris Saint Germain! Além desses 15 encontros não participou em mais onze, entre férias, selecção do Brasil e suspensão por cartões amarelos.
2 867 minutos; 34 jogos e dois golos; 33 a titular, um como suplente utilizado (o primeiro com o “Manto Sagrado”) com 30 completos e três incompletos (incluindo o jogo fatídico, em 8 de Março de 2007); num total de 17 vitórias, sete empates e dez derrotas. Foi admoestado com oito cartões amarelos. Foi convocado mais uma vez (além dos 34 jogos) mas não saiu do banco de suplentes.


Quinta: 2007/2008
Como terceiro capitão (Nuno Gomes, Petit, Luisão, Rui Costa e Quim) fez uma época esplendorosa. Dos 57 jogos do “Glorioso” não participa em 18: doze por lesão, dois – particulares no final da temporada - devido à selecção do Brasil, um por estar suspenso por acumulação de cartões amarelos, mais um por ser preterido na convocatória e dois por ser suplente não utilizado.
3 299 minutos; 39 jogos e quatro golos; 39 encontros a titular, com 34 completos e cinco incompletos; num total de 17 vitórias, 12 empates e dez derrotas. Foi admoestado com oito cartões amarelos. Foi convocado mais duas vezes (além dos 39 jogos) mas não saiu do banco de suplentes.


Sexta: 2008/2009
Na hierarquia dos capitães Nuno Gomes era o primeiro, mas Luisão foi quem capitaneou mais vezes a equipa, por Nuno Gomes apenas em 21 jogos ter sido titular. Luisão foi capitão titular em 27 jogos, mais seis a receber a braçadeira quando Nuno Gomes foi substituído. Dos 52 encontros realizados pelo “Glorioso” em 2008/09, Luisão “falhou” doze: sete por lesão, três por suspensão e dois por ser suplente não utilizado.
3 449 minutos; 39 jogos e quatro golos; 39 encontros a titular, com 34 completos e cinco incompletos; num total de 19 vitórias, 13 empates e sete derrotas. Foi admoestado com sete cartões amarelos. Foi convocado mais duas vezes (além dos 39 jogos) mas não saiu do banco de suplentes.


Sétima: 2009/2010
Com mais jogos a capitão que Nuno Gomes, Luisão participou em 50 dos 65 realizados pelo Benfica. Os 15 “falhados” resultaram de: férias/selecção Brasil (oito), lesão (quatro), opção técnica (um), suspenso por acumulação de cartões amarelos (um) e suplente não utilizado (um).
4 458 minutos; 50 jogos e seis golos; 50 encontros a titular, com 48 completos e dois em que foi substituído; num total de 38 vitórias, sete empates e cinco derrotas. Foi admoestado com onze cartões amarelos. Foi convocado mais uma vez (além dos 50 jogos) mas não saiu do banco de suplentes.


Oitava: 2010/2011
Mais um regresso tardio de férias depois de jogar pelo Brasil. Em 67 jogos realizados pelo Benfica em 2010/11 participou em 50. As 17 “faltas estão justificadas”: férias/selecção brasileira (sete), lesão (três), suspensão por um cartão vermelho e “amarelos” (dois) e opção técnica (cinco).
4 183 minutos; 50 jogos e seis golos; 50 encontros a titular, com 40 completos, seis em que foi substituído, dois em que foi expulso e mais dois como suplente utilizado; num total de 34 vitórias, três empates e 13 derrotas. Foi admoestado com doze cartões amarelos e dois vermelhos (um por acumulação de “amarelos”).


Nona: 2011/2012
Na primeira temporada como capitão de época Luisão já capitaneara a equipa em 155 jogos. Mais uma vez a “Copa América” obrigou-o a perder os jogos da pré-época. Estreou-se na 3.ª pré-eliminatória de apuramento para a Liga dos Campeões frente ao Trabzonspor BK. Numa temporada com 60 Gloriosos Jogos apenas não participou em 18: férias/selecção do Brasil (sete), lesões (quatro), suspenso por cartões amarelos e vermelhos (três), convocado preterido (dois), suplente não utilizado (um) e outro por opção técnica.
3 746 minutos; 42 jogos e dois golos; 42 encontros a titular, com 39 completos, substituído em dois e expulso noutro; num total de 28 vitórias, nove empates e cinco derrotas. Foi admoestado com 13 cartões amarelos e um vermelho por acumulação de “amarelos”.


Décima: 2012/2013
Uma época terrível por por culpa daquela corrida inadvertida que fez tombar o árbitro alemão num jogo da pré-época. Em 67 jogos realizados pelo Benfica durante a temporada, Luisão foi suspenso em 12 (os quatro meses do castigo). Faltou ainda a mais 13 jogos: lesões (nove), três convocatórias em que foi preterido e por opção técnica (um).
3 684 minutos; 42 jogos e dois golos; 42 encontros, com 41 a titular, expulso num, aos 40 minutos, que “acabou com o jogo em Dusseldorf!” e suplente utilizado noutro; num total de 27 vitórias, onze empates e quatro derrotas. Foi admoestado com 13 cartões amarelos e um vermelho directo (que nem foi exibido em campo, pois o árbitro ficou tombado no relvado)!


Décima primeira: 2013/2014
Que grande temporada do capitão. Em 68 Gloriosos Jogos “falha” 12: nove por opção técnica (rotação do plantel), um por lesão, outro por preterido na convocatória e mais um em que foi suplente não utilizado. Quem de 68 tira 12 restam 56.
4 996 minutos; 56 jogos e sete golos; 56 encontros sempre a titular com 51 completos e cinco em que foi substituído, mas apenas num para uma competição oficial (16.ª jornada do campeonato nacional em que marcou dois golos); num total de 39 vitórias, onze empates e seis derrotas. Foi admoestado com seis cartões amarelos sem direito a qualquer suspensão por acumulação.


Décima segunda: 2014/2015
Outra grande temporada do capitão. Em 68 Gloriosos Jogos “falha” 17 mas apenas nove por incapacidade, pois o não fazer a pré-época ainda não se percebeu porquê pois não consta ter chegado de férias lesionado, surgindo “em pleno” na Supertaça frente ao Rio Ave FC. Quanto aos nove: cinco por lesão (entre Dezembro e Janeiro), dois por suspensão disciplinar (expulsões), um por ser prescindido da convocatória e outro por opção técnica.
3 420 minutos; 39 jogos e quatro golos; 39 jogos sempre a titular, com 36 completos e três incompletos: uma substituição aos 76 minutos e duas expulsões, aos 89 minutos (Liga dos Campeões) e 85 minutos (Campeonato nacional); num total de 27 vitórias, seis empates e seis derrotas. Foi admoestado com quatro cartões amarelos (uma expulsão por duplo cartão amarelo) e um vermelho directo.


Décima terceira: 2015/2016
Está a começar. Em dez jogos, apenas falhou o da Supertaça (por lesão) apesar de convocado. Já há cifras interessantes:
704 minutos; nove jogos sempre a titular com quatro completos (as quatro jornadas da Liga NOS), quatro substituído e um em que foi expulso, aos 66 minutos.  Três cartões amarelos, mas dois deles (acumulados) deram origem ao cartão vermelho frente à ACF Fiorentina, num jogo nos EUA. Nos nove jogos, um registo de três vitórias, dois empates e quatro derrotas.
















Carrega Luisão!

Alberto Miguéns

PLANO PARA AS EDIÇÕES DURANTE  SETEMBRO/OUTUBRO
(provisório como é evidente)
De 15 de Setembro a 2 de Outubro de 2015 (Sempre pela meia-noite)
Terça-feira (de 14 para 15): O Benfica e o FC Astana;
Quarta-feira (de 15 para 16): Que estreia na Liga dos Campeões 2015/16?;
Quinta-feira (de 16 para 17): Uma modalidade por semana: Pólo Aquático;
Sexta-feira (de 17 para 18): E o "Glorioso" na 5.ª jornada?;
Sábado (de 18 para 19): O Benfica e o FC Porto;
Domingo (de 19 para 20): O “Clássico de Portugal”;
Segunda-feira (de 20 para 21): E depois de Contumil?;
Terça-feira (de 21 para 22): Mentiras Oficiais Made in SLB;
Quarta-feira (de 22 para 23): Os treinos com Otto Glória;
Quinta-feira (de 23 para 24): Cuidado com eles;
Sexta-feira (de 24 para 25): E o "Glorioso" na 6.ª jornada?;
Sábado (de 25 para 26): O Benfica e o FC Paços de Ferreira;
Domingo (de 26 para 27): E depois da Quinta?;
Segunda-feira (de 27 para 28): José Augusto dixit;
Terça-feira (de 28 para 29): O Benfica esmiúça Madrid;
Quarta-feira (de 29 para 30): O “Glorioso” e o CAM;
Quinta-feira (de 30 para 1): E depois de Madrid?;
Sexta-feira (de 1 para 2): Benfica tão brilhante que se vê no escuro
2 comentários
comentários
  1. certas atitudes custam mas olhando aos jogadores que convivi, desde o inicio da decada de oitenta, muito poucos não tem pecados a apresentar e sobre isso tudo que o tento analisar os seus defeitos, como todos nós os temos.

    ResponderEliminar
  2. Muito bom.

    Mais uma publicação para sinalizar Alberto.

    De facto, durante algum tempo, Luisão era mal visto por causa de querer sair no final de cada época. Depois do episódio de Trappatoni (vou ficar - vou sair para descansar - vou treinar para a Alemanha), deixei de dar importância a esse tipo de episódios. Quem é que queria jogar em Portugal, um campeonato que se sabia inquinado à nascença?

    Luisão é um central como poucos: Quem quer que jogue com ele acaba por se tornar melhor central e sair para outros lados - Ricardo Rocha, David Luís e Garay!

    Saudações Gloriosas!

    ResponderEliminar

Em Defesa do Benfica no seu E-mail