A criação deste Blogue, ideia de António Melo, tem como objectivo divulgar, defender o Sport Lisboa e Benfica e a sua Gloriosa história. Qualquer opinião aqui expressa vinculará apenas o seu autor, Alberto Miguéns.

SEMANADA: ÚLTIMOS 7 ARTIGOS

03/06/2014

Nené Jogou no FC Porto?

03/06/2014 + 3 Comentários API
AFINAL DE QUEM ERA A CAMISOLA DO FC PORTO QUE NENÉ USOU PARA RECEBER A TAÇA DE PORTUGAL? Um dia com Romeu! VIAJAR AO INTERIOR E MEMÓRIA DO GLORIOSO


Quis o destino que no domingo - 1.º de Junho de 2014 - fizesse duas viagens de hora-e-meia, uma de manhã e outra pela tarde, de Lisboa a Vila Nova da Barquinha/Atalaia e desta para Lisboa. E tive como companheiro de jornada, Romeu, Bicampeão Nacional (verdadeiro pois conquistou dois títulos consecutivos - e não "apenas dois" - de campeão) nas temporadas de 1975/76 e 1976/77 este a "fechar" o último - até agora - tricampeonato na história do Futebol Benfiquista. O motivo foi a comemoração do 13.º aniversário (2001 - 2014) do Museu Particular "Cosme Damião", de Mário Ferreira, localizado na Atalaia (Barquinha) e acerca do qual já escrevi no EDB em 1 de Junho de 2013.

O "tradicional" bolo de aniversário do Museu, dedicado ao futebolista do "Glorioso" que nesse ano está presente na comemoração da data. Em 2014 (13.º aniversário) foi o Romeu

Para mim Romeu foi mais adversário que dos "nossos"
Associei sempre Romeu a nome de adversário, mais do que a futebolista do "Glorioso" pois a memória visual - a que conta mais - que tenho dele, pequeno em tamanho mas grande em vontade e genica, é a de um futebolista com a camisola do Vitória SC Guimarães, depois com a do FC Porto e finalmente com a do Sporting CP na ala esquerda a tentar enganar e ultrapassar os nossos defesas-direitos e centrais. É que quando comecei a ver jogos de futebol, a partir de Janeiro de 1979, na "Saudosa Luz", Romeu há época e meia que deixara o Benfica e rumara a Guimarães, num regresso às origens.

Do Minho para Lourenço Marques e da Beira para o Minho
Romeu Fernando Fernandes Silva nasceu no Minho, em Vila Praia de Âncora, a 4 de Março de 1954, mas ainda criança rumou para África, onde na antiga colónia portuguesa de Moçambique passou a viver com os seus pais e duas irmãs mais novas. Foi em Moçambique que praticou intensamente desporto com destaque para as "peladinhas" nos imensos e inúmeros logradouros existentes em Lourenço Marques (actual Maputo) naqueles históricos desafios entre bairros que tantos futebolistas deram à História do Futebol Mundial. Na capital moçambicana começou a jogar no GD 1.º de Maio, que equipava "À Benfica", o clube de infância de Romeu. Na adolescência a família deslocou-se para o centro, passando a viver na cidade da Beira, onde começou a jogar no SC da Beira (filial do SCP) por "empréstimo" do GD 1.º de Maio. Numas férias no Minho acabou por agradar a outro moçambicano, Mário Wilson então a treinar o Vitória SC Guimarães. E com a família de regresso a África, Romeu ficou em Guimarães onde jogou, entre 1972/73 e 1974/75. Aos 21 anos ingressou no Benfica, que nessa temporada de 1975/76 contava com Mário Wilson em gloriosa estreia como treinador. Uma união vantajosa: o treinador que é o seu "pai desportivo" e jogar no seu "clube do coração", no Benfica!

O Mundo dá muitas voltas. Romeu no Vitória SC Guimarães em terreno adversário (Saudosa Luz) frente ao melhor futebolista português de todos os tempos: Eusébio. Três épocas depois inverteram-se os "papéis": em 1976/77 foi Romeu com o "Manto Sagrado" a defrontar o beiramarense Eusébio, equipando de amarelo e preto, em Aveiro, num empate a dois golos!

Duas épocas no Benfica: 1975/76 e 1976/77
Resenha que ficará para o final deste texto.

Seguiu-se Vitória SC Guimarães (regresso) e FC Porto (uma camisola para Nené)
Depois do "Glorioso" regressou a Guimarães (duas épocas: 1977/78 e 1978/79) e FC Porto - o clube do qual o pai é simpatizante (quatro épocas: 1979/80 a 1982/83, rescindindo antes da época terminar). Foi neste clube que na final da Taça de Portugal de 1980/81 (V 3-1 com três golos de Nené após três assistências de Shéu) trocou de camisola com Nené com o Glorioso Capitão a receber o troféu com uma camisola do FCP que afinal não era uma camisola qualquer, era a camisola de Romeu!

Sporting CP, SC Salgueiros e Amora FC
Depois do FCP regressou a Lisboa, para jogar no Sporting CP (três temporadas: 1983/84 a 1985/86), de volta ao Porto para integrar o SC Salgueiros (1986/87) e terminar como futebolista, aos 34 anos, no Amora FC (1987/88) a disputar a zona sul da II Divisão, onde jogou muito pouco.

Depois treinador
Seguiu-se uma carreira de treinador, entre equipas da formação, adjunto, observador na prospecção de jovens futebolistas (no SLB no final dos anos 90) e treinador principal, com final em 2006, há quase um decénio. Tinha 51 anos, agora 60!

Romeu com o "Manto Sagrado" (a mais bela camisola do Mundo) no estádio do Restelo, do CF "Os Belenenses" numa fotografia que deve ter sido obtida em 31 de Outubro de 1976, na 7.ª jornada do campeonato nacional, numa vitória por 3-2, com 3-0 aos 11 minutos...

A Primeira: Uma época de muitos azares e outras tantas histórias
Quando Romeu chegou ao Benfica encontrou uma equipa de futebol fantástica, campeã nacional em título, depois do treinador Pavic ter recuperado o troféu em 1974/75, o 21.º em 41 campeonatos, ou seja, apenas vinte não conquistados. Com o presidente Borges Coutinho ao comando, pois Romeu disse-me que teve na sua carreira grandes presidentes e excelentes personalidades a todos os níveis (António Henriques no Vitória SC, Américo de Sá no FC Porto e João Rocha no Sporting CP) mas Borges Coutinho não tinha comparação: sabia estar no futebol e sabia de futebol, como poucos. Em relação aos médios e avançados, Mário Wilson fez contratações para colmatar as saídas de Simões, Jaime Graça e Artur Jorge. Romeu não iria ter facilidades para entrar numa equipa ofensiva que jogava no 4x3x3 (mas o verdadeiro, não o "actual" que é mais um 4x5x1). Nesse 4x3x3 o último "3" eram mesmo três avançados: Nené (na direita), Vítor Batista (ao centro) e Jordão (na esquerda), mas qualquer deles podia jogar ao centro. E ainda havia, para o lugar de Romeu (na esquerda) Diamantino Costa e Moinhos. Uma táctica criada em meados dos anos 60 na segunda passagem de Riera pelo Benfica e depois aprimorada por Jimmy Hagan no início dos anos 70 quando treinava e exigia que os defesas-laterais fizessem toda a ala, nesse tempo, corredor direito e esquerdo. Para dificultar a "conquista da titularidade" Romeu lesionou-se no início da preparação e depois foi mesmo operado perdendo toda a segunda volta e segunda metade da temporada. A agravar a sua situação, a estreia - 7 de Março de 1976 - de um futebolista júnior que jogava exactamente na mesma posição, mas era cinco anos mais novo e tinha um talento do tamanho do Mundo: Fernando Chalana!

1975/76
Competição
Fase
Res
Adversário
S.
Posição
Min
Taça Honra Lisboa
1.ª J
D 0-1
CF "Os Belenenses"
N
Extr.-direito
90
"
2.ª J
E 1-1
GD Estoril Praia
N
Extr.-esqu.
90
"
3.ª J
V 4-2
Sporting CP
N
Extr.-esqu.
77
Camp.º Nacional
14.ª
E 0-0
Sporting CP
C
Suplente
21
"
15.ª
V 3-2
FC Porto
F
Suplente
18

A Segunda: Tentativas de adaptação e falta de "espaço"
A vinda de um novo treinador John Mortimore, com outra ideia táctica (4x4x2) pareceu dar uma oportunidade a Romeu. Mas a maturidade (ainda que muito jovem), vigor físico, capacidade técnica e recursos esplêndidos de Chalana tiraram qualquer possibilidade de Romeu ser titular, a não ser na ausência ou "baixa de forma" do genial futebolista. Ainda jogou a defesa-esquerdo por necessidades da equipa, devido a impedimentos dos habituais titulares: Pietra e Alberto. Restava-lhe ser suplente, por vezes utilizado, outras nem isso. Mas com dois anos de Benfica, no mais valioso futebol de Portugal e mítico a nível mundial, ficaram muitas estórias para contar de momentos únicos vividos com futebolistas ímpares, em capacidade futebolística, mas não só: Barros, Nélinho, Malta da Silva, e esse portento, Vítor Baptista!

1976/77
Competição
Fase
Res
Adversário
S.
Posição
Min
Camp.º Nacional
2.ª
E 2-2
SC Braga
C
Suplente
14
Taça C.C. Europeus
1/16
D 0-2
FK Dínamo Dresden
F
Méd.-esqu.
90
Camp.º Nacional
3.ª
E 1-1
GD Estoril Praia
F
Suplente
39
"
4.ª
V 1-0
As. Académica Coi.
C
Suplente
19
Taça C.C. Europeus
1/16
E 0-0
FK Dínamo Dresden
C
Defes.-esqu.
90
Camp.º Nacional
5.ª
D 1-2
Vitória FC Setúbal
F
Defes.-esqu.
90
"
6.ª
V 2-1
Boavista FC
C
Méd.-esqu.
81
"
7.ª
V 3-2
CF "Os Belenenses"
F
Defes.-esqu.
90
"
8.ª
V 2-0
Varzim SC
C
Defes.-esqu.
90
Taça de Portugal
1/64
V 3-0
CD Riopele
C
Méd.-esqu.
68
Camp.º Nacional
12.ª
E 2-2
SC Beira-Mar
F
Suplente
33
"
18.ª
V 6-1
GD Estoril Praia
C
Suplente
8
"
29.ª
V 3-1
FC Porto
C
Suplente
2
Particular
(1)
V 3-2
CS Marítimo
F
Suplente
7
Camp.º Nacional
30.ª
V 2-0
Atlético CP
F
Suplente
5
Particular
(2)
E 1-1
Misto I Divisão
C
Suplente
29
Taça da F.P.F. (3)
3.ª
E 2-2
GD Estoril Praia
C
Méd.-esqu.
90
"
4.ª
V 2-1
CF "Os Belenenses"
F
Suplente
45
Torn. Int. Badajoz
MF
E 1-1
Ferencvarós TC
N
Suplente
5
" (4)
3.º
V 2-1
Badajóz CF
F
Suplente
36
Taça da F.P.F.
5.ª
V 3-0
Sporting CP
C
Suplente
5
"
6.ª
D 2-3
GD Estoril Praia
F
Suplente
47
NOTAS: (1) - A convite do CS Marítimo para celebrar a conquista do Título na II Divisão e promoção à I Divisão do emblema madeirense;
(2) - Festa de homenagem a José Henrique (V 5-4 no desempate na marcação de pontapés da marca da grande penalidade);
(3) - Torneio oficial da FPF para prolongar a temporada durante o mês de Junho. Este resultado seria alterado, na "secretaria" para D 0-3;
(4) - Jogo para o 3.º lugar após empate na meia-final (D 4-5 no desempate na marcação de pontapés da marca da grande penalidade);

Sabes tudo do Benfica!
Ouço por vezes esta expressão. Que está muito longe da realidade e de ser verdade. A prova foi do domingo. Fiquei a saber muito mais do que sabia, principalmente das temporadas do futebol em 1975/76 e 1976/77.

Estamos sempre a aprender. Ainda bem...

Alberto Miguéns

Plano para Junho
(Previsão sempre à meia-noite)
De 03 para 04: Centenário da FPF desperdiçado?! (Parte I);
De 04 para 05: Tanta e Tanta Glória (O golo onze mil);
De 05 para 06: Centenário da FPF desperdiçado?! (Parte II);
De 06 para 07: Centenário da Gloriosa Natação;
De 07 para 08: Hóquei em Patins: SLB vs FC Porto
De 08 para 09: Álvaro Gaspar (1913/14 - A Glória Final);
De 09 para 10: Atenção ao "Futeluso - versão 2015";
De 10 para 11: Eu Benfiquista no Museu do FCP by BMG (parte II);
De 11 para 12: Gostava Tanto Que..;
3 comentários
comentários
  1. São imagens desconcertantes quando vemos Néné "à FCP", Eusébio "à SCP" (ambos em finais de Taças de Portugal) e Cosme Damião também "à SCP" (naquele jogo de Huelva). Enfim, são oportunidades raras para aqueles que não são do Glorioso verem como ficariam esses jogadores excelente com essas cores. Não é muito importante mas ainda assim não deixa de ser estranho ver Néné a levantar uma taça com essas listas. Uma curiosidade histórica. Hoje cairia o "carmo e a trindade".
    O meu pai dizia-me que Romeu era um jogador raçudo mas claro com tanto craque a inudar as nossas equipas nesses anos seria muito difícil vingar. Mas naquele anos estranhas coisas aconteceram. Situações distintas mas perdemos outros jogadores muito talentosos tais como Jordão e Eurico. Particularmente Jordão... Outros ainda regressariam tais como Alves e Humberto Coelho. Mas deve haver mais tanta era a abundância.
    Saudações Benfiquistas
    VJ

    ResponderEliminar
  2. O Néné, descuidado, com a camisola do adversário na altura de levantar a Taça. Está errado, apenas pelo vencedor, que deveria de estar representado com a sua camisola, mas demonstra que não existia a fobia que "eles" agora têm contra nós!

    ResponderEliminar
  3. Redangel3/6/14 11:52

    Eh Pa! Até me assustei quando vi Museu Cosme Damiao e 13 Aniversario juntos... pensei que estavamos a fazer contas tipo Corruptos... ;o)
    Saudaçoes

    ResponderEliminar

Em Defesa do Benfica no seu E-mail