A criação deste Blogue, ideia de António Melo, tem como objectivo divulgar, defender o Sport Lisboa e Benfica e a sua Gloriosa história. Qualquer opinião aqui expressa vinculará apenas o seu autor, Alberto Miguéns.

SEMANADA: ÚLTIMOS 7 ARTIGOS

12/06/2014

A Maior Mentira do Futebol Português

12/06/2014 + 12 Comentários API
Em termos factuais relacionados com o Benfica!

QUANDO SE MENTE SABENDO QUE SE ESTÁ A ENGANAR

Com as conquistas do "Glorioso" surgem logo inúmeros jornais, revistas e livros a cativar os Benfiquistas a gastar uns euros em prol de recordações e análises das conquistas e da época. Era útil é que prestassem um bom serviço, com rigor, já que pretendem ganhar dinheiro - o que é legítimo - com a História do Benfica.


Vítor Gonçalves

O Livro Oficial de "A Bola"
Há chorrilhos de disparates. Vou focar-me em apenas um, se não passaria o resto do ano, aqui no EDB, a fazer a errata dessa publicação.
Mais um campeonato, mais uma vez a aldrabice acerca de quem conquistou o primeiro campeonato nacional, na II edição da competição, para o Benfica. Para "A Bola" e restantes publicações, como o jornal "Record" e demais (que A Bola não tem a exclusividade da aldrabice) foi Lipo Herczka, mas não foi. Foi Vítor Gonçalves. E por isso não foram apenas quatro os treinadores portugueses - mesmo sendo um pormenor histórico sem interesse - campeões nacionais pelo Benfica. Foram cinco, pois falta o primeiro deles Vítor Gonçalves. Dois erros assim de uma penada num cantinho de página.


Livro oficial O Ano de Ouro da Águia Época 2013.14; A Bola; página 206 NOTA: Conquistar dois títulos não consecutivos não é ser bicampeão é conquistar... dois títulos. Então Eusébio que conquistou... onze é o quê!? Mais e melhor jornalismo e menos propaganda! Para não lhe chamar outra "coisa"! Mais feia mas até mais verdadeira!

Dar uma de ensinar jornalismo a quem é jornalista por um não-jornalista
Perdoem-me esta forma presunçosa de indicar como se deve procurar a verdade com rigor, mas não consigo encontrar outra. Um jornal que notícia factos, se confiar nas noticias que escreve, quando quer falar de factos do passado vai ao seu arquivo e consulta o que foi escrito nas páginas do jornal. E se os factos ocorreram antes do jornal existir. No caso de ocorrências relacionadas com o futebol consulta as entidades que organizam as competições ou jogos, os clubes que as/os jogaram ou pesquisa em jornais que se publicavam à data das ocorrências. Sabendo-se que o primeiro número do jornal "A Bola" data de 29 de Janeiro de 1945 o que está "para trás" tem de ser pesquisado noutras publicações.

Época 1935/36
Se o "trabalho" for bem feito - a pesquisa feita com método e rigor - sabe-se que o treinador do Benfica no campeonato da I Liga foi Vítor Gonçalves. Apesar das publicações não serem esquematizadas e organizadas como na actualidade, nem os treinadores terem o protagonismo que têm no futebol "moderno", está referido nas duas publicações desportivas da época - jornal bissemanário "Os Sports" e revista semanal "Stadium", tal como no Relatório da Direcção do SLB de 1935/36 está escrito o agradecimento do Clube a Vítor Gonçalves pelo triunfo no campeonato.

Até se sabe a data de chegada de Lipo Herczka a Lisboa
O treinador Lipo Herczka deu uma entrevista à revista "Stadium" publicada na página 4, em 6 de Julho de 1938, onde é explicito:




Se foi há dois anos. Foi em Outubro de 1936...
E foi como se documenta (a digitalização é do Almanaque para facilitar a justificação da data) mas não certifico - também não interessa - que as restantes informações estejam correctas. A data está e é isso que, agora, interessa.




Então se chegou na temporada de 1936/37 como poderia ter sido campeão em 1935/36!
Nem agora que há videoconferências, telemóveis e internet seria possível estar em Espanha e treinar, em Portugal, o Benfica quanto mais em meados dos anos 30. Só com poderes telepáticos e paranormais. E ao que consta ele não tinha, porque era "até" Vítor Gonçalves que orientou o Benfica nas 14 jornadas do campeonato nacional em 1935/36. A última jornada foi em 3 de Maio de 1936, cinco meses antes de Lipo Herczka chegar a Portugal! Fica-se a pensar. Como é possível ser aldrabão num assunto que é, aparentemente, tão simples para ser-se rigoroso, verdadeiro e honesto! E não enganar os leitores e compradores!


Evidentemente o Almanaque acerta na data erra no resto. a data também era o mais fácil, não é!

Ignorância ou desleixo?
Mesmo que fosse ignorância era grave, porque devem indicar o que está correcto. É mais desleixo "agravado"! Sabem que está errado - eu sei que sabem - mas preferem fazer passar o erro, pois há quem conheça o assunto e a mudarem o treinador era admitir que andaram a enganar os leitores durante muito tempo. Quase sempre! Um absurdo para nós, mas para eles - talvez por não sentirem a história do Benfica como ter orgulho e honrar o passado - é aceitável! Aceitável!? Aceitável é estar certo e "entregar a Vítor o que é de Vítor"! Lipo não precisa de ganhar o que não ganhou para ser um dos treinadores mais importantes que trabalharam em Portugal. E que não sendo português, em Portugal repousará para sempre, pois está sepultado em Montemor-o-Novo.

Mentira cómoda
O facto é que esta mentira dá jeito pois permite construir outras mentiras das quais destaco duas que são recorrentes.

Que o primeiro treinador português campeão nacional, foi Augusto Silva, pelo CF "Os Belenenses", em 1945/46;

Que o primeiro treinador português contratado desde o início da temporada, campeão nacional pelo Benfica foi Mário Wilson, em 1975/76.

O futebol pode jogar-se com os pés, mas a História do Futebol, e principalmente a do BENFICA deve ser feita com a cabeça...

Alberto Miguéns


NOTA: As edições da AlmanaCáda sucedem-se. Já vai na 3.ª edição (Maio de 2014). Quem se ri dos Benfiquistas - sacando-lhes euros - e do Benfica - viciando-lhe a história - são dois sportinguistas: Rui Tovar e o seu filho Rui Miguel Tovar. Entre cerca de 20 mil erros, imprecisões, ignorâncias e ausências cá vai mais um porque dá para gracejar. Ângelo pode ter participado na conquista da Taça dos Clubes Campeões Europeus em 1960/61 e depois na seguinte (1961/62) jogando "até" as duas finais. Mesmo 52 anos depois e três edições depois continua a não ser sequer Campeão Europeu!



12 comentários
comentários
  1. Caro Alberto Miguéns

    Creia que nenhum benfiquista que se preze fica indiferente ao caudal de preciosa informação/história que quase diáriamente nos brinda e trás à estampa na blogsfera.

    Informo-o que o presente "post", a que eu pessoalmente intitulo de «Sublime Denúncia», está já alinhado e será o próximo, com a devida vénia, a ser editado no meu modesto (A Bronkosfera & Cia) www.bimbolagartada.blogspot.com

    Não é a primeira nem será a última vêz que aqui venho "gamar" algo de sua lavra para poder levar ao conhecimento dos utentes do meu cantinho e faço-o sempre com o maior prazer, porque, (o meu livre arbítrio) EM DEFESA DO BENFICA, tudo é permitido.

    Abraço

    VIVA O BENFICA!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Caro Joseph Lemos

      É um prazer ser roubado por si.

      Use e abuse!

      VIVA O BENFICA!

      Gloriosas Saudações Benfiquistas

      Alberto Miguéns

      Eliminar
  2. TheGhostWriter12/6/14 10:42

    «E por isso não foram apenas quatro os treinadores portugueses - mesmo sendo um pormenor histórico sem interesse - campeões nacionais pelo Benfica. Foram quatro.»

    Haverá aí um erro. Mais um belo artigo, obrigado!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Caro TheGhostWriter

      Foram quatro + um que ignoram. Logo o primeiro. Em 1935/36.

      Obrigado

      Gloriosas Saudações Benfiquistas

      Alberto Miguéns

      Eliminar
  3. Toma e embrulha ó junta-letras!?

    Com o Miguéns por perto, os Benfiquistas nunca se perdem...

    ResponderEliminar
  4. boas tardes sera possivel me dizer quantos golos marcou o paulo almeida e o vitor fortunado em hoquei pantis?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Caro Vítor Catita

      Conto em breve fazer um texto no EDB acerca dessa equipa: José Carlos; Paulo Almeida e Vítor Fortunato; Rui Lopes e Luís Ferreira.

      Com fotografias e estatística: Épocas, Competições, adversários, jogos e golos.

      Gloriosas Saudações Benfiquistas

      Alberto Miguéns

      Eliminar
  5. O Alberto Miguéns é um disciplo do saudoso Macarrão - o homem que mais sabia da história do Benfica - felizmente, a nossa história está muito bem entregue ao Alberto Miguéns o (raçudo)

    ResponderEliminar
  6. Lemos, jornalista na USA, é um raçudo pelo Benfica, homem que não "torce" a qualquer evento menos favorável -. ele e o Carlos Beato. merece toda a estima dos Benfiquistas.pelo menos a minha

    Tico_Tico

    ResponderEliminar
  7. Caro Alberto Miguéns,

    Conheci o seu blog há pouco tempo e admiro bastante o seu trabalho a desconstruir vários mitos e mentiras que foram contados e recontados ao longo dos anos sobre o Benfica. Eu próprio também me interesso, de certa forma, por dados estatísticos da história do Benfica. Confesso, no entanto, que antes de ter lido este artigo, nunca imaginara que tivesse havido um treinador português campeão pelo Benfica (época completa) antes de Mário Wilson em 1975/76.

    Não quero parecer desdenhar das suas afirmações neste artigo ou parecer de alguma forma ingénuo, mas dado este campeonato de 1935/36 ter ocorrido há tanto tempo e as informações sobre aquelas épocas serem algo escassas, não haverá a possibilidade de Record, A Bola, entre outros jornais, terem consultado fontes da época que incluíssem uma eventual gralha acerca deste campeonato, terem considerado a fonte fidedigna, e repetido o erro ao longo dos anos fazendo copy paste sem voltarem a consultar fontes da época, sem que ninguém conhecedor dos factos se pronunciasse? Ou será que Record e A Bola já receberam anteriormente queixas acerca deste erro e ignorado por razões pouco dignas? Mais uma vez, não quero ser ingénuo, mas custa a crer que estes jornais possam ter algum motivo clubístico ou de outra natureza para inventar factos que aconteceram antes de estes jornais sequer existirem.

    Se for o caso de eu estar precisamente a ser ingénuo, não hesite em dizer-mo. Obrigado pela atenção.
    David M.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Caro David M.

      Não há dúvida nenhuma. Em 1935/36 o treinador foi Vítor Gonçalves. É o relatório do Clube que a afirma. É a entrevista. São os jornais e revistas da época, que o descrevem. Não há qualquer dúvida. O próprio relatório do Benfica publicado em Outubro de 1936 escreve que Vítor Gonçalves deixará de ser treinador pois um clube como o Benfica não pode continuar a ter treinadores em regime obsequioso. E no seguinte indicam que o Benfica contratou um treinador remunerado. Se quiser consegue consultar esses relatórios (denominados Boletim Oficial) no CDI com acesso pela porta 18 do "Catedral".

      É ingénuo em acreditar nos jornais. Porque razão é que devemos acreditar, sem questionar, os jornais? São Bíblias. Acredite em mim que os conheço. Há tantos incompetentes nos jornais como em qualquer outra profissão! Na sua actividade nunca encontrou gente incompetente. Pois nos jornais também há!

      Pode ter a certeza. Aliás é o que está no Museu do Benfica - Cosme Damião. Cem por cento de certeza. Quem disser o contrário tem 100 por cento de erro.E zero por cento de verdade!

      Neste assunto não acredite nos jornais A Bola ou Record. Se tem interesse em dados estatísticos decerto que frequenta Bibliotecas e Hemerotecas. No momento que tenha livre consulte a Revista Stadium e o jornal "Os Sports" de Outubro de 1936. Relatam a chegada do treinador Lipo Herczka ao Benfica. Quer dizer: enganaram-se na época. Já o Record e A Bola alguns anos, décadas depois acertaram. Nem investigaram. Alguém criou a mentira e depois vão copiando essa aldrabice por repetição.

      Não é por motivo clubístico. É por negligência, desleixo e pouca preocupação em ser rigoroso. E não quere dar o"braço a torcer". Por exemplo eu em "A Bola" cheguei a mostrar cópias da Stadium, Os Sports e dos Relatórios do Benfica. Que são inequívocos. Sendo tão evidente que não podiam negar, sabe o que me disseram? "O que é que isso interessa. Só você é que sabe." A rir evidentemente, à portuguesa, nacional-porreirismo. E nunca alteraram! Essa é que é essa.Fiavam-se nesse tempo - anos 80 - em que uma pessoa estava isolada (uma formiga) e um Jornal era um elefante (demolidor) que esmagava fazendo passar o que escreviam enquanto a formiga ficava a pregar no deserto. O "azar" deles é que surgiu a internet, os blogues e nós podemos informar e formar. Já necessitamos muito menos da informação deles e podemos denunciar como fiz aqui no blogue.

      Caro David M. só tem três caminhos:

      a melhor é consultar as fontes da época (1936: de Janeiro a Maio para ler e ver fotografias de Vítor Gonçalves com os futebolistas do Glorioso; de Outubro a Dezembro para ler e ver os primeiros dias de Lipo Herczka como treinador do Benfica);

      outra, acreditar em A Bola e no Record;

      outra, acreditar em mim.

      Pedido: Se escolher a primeira gostaria de ter depois a sua opinião e comentários aqui neste blogue!

      Gloriosas Saudações Benfiquistas

      Alberto Miguéns

      NOTA: Acabo de saber de um assunto que mostra a "competência" de jornais e portais, neste caso do Record e do zerozero. Vou publicar na segunda-feira (a 26) e depois desenvolver (a 28). Gostaria de saber a sua opinião acerca deste assunto na próxima semana. Até lá fica a surpresa. Mas digo-lhe que é um erro grave no passado (anos 80) que tem implicações na actualidade!

      Eliminar
    2. Caro Alberto Miguéns,

      Antes de mais, obrigado pela sinceridade. Apesar de, como já referi, ter um certo interesse pelas estatísticas do nosso Benfica, as minhas possibilidades de investigar as fontes de outros tempos não são muitas, portanto penso que, por agora, irei acreditar em si, até eu ter uma oportunidade. De facto o seu trabalho neste blog é notável, e neste momento, limitar-me-ei a seguir os seus posts para aprender mais sobre a história do Glorioso.

      Saudações Benfiquistas

      David M.

      Eliminar

Em Defesa do Benfica no seu E-mail