A criação deste Blogue, ideia de António Melo, tem como objectivo divulgar, defender o Sport Lisboa e Benfica e a sua Gloriosa história. Qualquer opinião aqui expressa vinculará apenas o seu autor, Alberto Miguéns.

SEMANADA: ÚLTIMOS 7 ARTIGOS

23/05/2012

Os 5 pontos nunca chegariam…

23/05/2012 + 1 Comentários
OPINIÃO

A imagem de marca do 78.º Campeonato Nacional. Mesmo que chegássemos com cinco de vantagem sairíamos com dois, na prática um! Não chegaria

Em várias (muitas…) das análises ao último campeonato nacional indica-se a perda dos cinco pontos de vantagem para os andróides como justificativo para o Benfica ficar em 2.º lugar. Campeonato perdido é campeonato esquecido (para os adeptos), mas deve ser motivo de reflexão para dirigentes, técnicos e futebolistas. Não tenho a opinião que os cinco pontos chegassem. Se bem que diminuíssem as probabilidades do FCP ser campeão ou de o ser mais cedo.

E se o Benfica vencesse em Guimarães e Coimbra?
Se vencêssemos o Vitória SC (19.ª jornada) e a equipa da Associação Académica (20.ª jornada) mantinha-se a vantagem de cinco pontos. A recepção ao FC Porto seria “explosiva” tendo o Benfica cinco pontos de avanço e tendo empatado, a dois golos, no reduto portista (ver Quadro). Tudo isto são cenários virtuais, mas a realidade já nós conhecemos.

E se o Benfica vencesse o FC Porto no Estádio?
Na entrada para a 21.ª jornada, com cinco pontos de vantagem, o jogo com o FC Porto seria decisivo para os andróides. Seria este o grande problema (ser decisivo para o FCP), que “obrigou” Xistra a estar em Guimarães (para o que desse e viesse, e chegou-lhe roubar pouco, ou seja, o desse) e Hugo Miguel em Coimbra (também para o que desse e viesse, e teve que roubar muito, ou seja, o viesse). É que se o Benfica vencesse o FCP o campeonato dificilmente não seria nosso!

Às vezes nem uma Proençada consegue mudar o sentido de um jogo!
O problema dos “cinco de avanço” não era o FC Porto perder o campeonato, era tornar mais difícil, quase impossível, o FCP conquistar o título, se mesmo a viciar o FCP perdesse. Porque sendo o futebol um jogo, há jogos que nem o mais habilidoso batoteiro consegue viciar. Bastava o FCP chegar à “Catedral” com 49 pontos e o “Glorioso” ter 54 (em vez dos 49) e haver um jogo daqueles que tudo corre bem a uma equipa e tudo corre mal a outra – autogolos, aselhice, frangalhada, expulsão inequívoca, sofrer o 2.º golo de contra-ataque sem hipóteses de ser anulado, etc. - sendo a do azar (o FCP) e a da sorte (o Benfica). Nem havia qualquer Pedro Proença que lhes valesse, como ocorreu em 26 de Fevereiro de 2006, com João Ferreira, a fazer de Proençazito, a inclinar o campo, Laurent Robert a marcar, o Vítor Baía a frangar e os outros FCP’s a falhar…
Se…se… o Benfica saísse (após Pedro Proença não conseguir Proençar) vencedor, com oito pontos de vantagem (na prática nove), faltando nove jornadas, dificilmente o Benfica (mesmo a ser roubado nesses nove jogos) não conseguiria ser campeão, nem que fosse em igualdade pontual com os andróides. Havia que assegurar, antecipadamente, que o Benfica saísse da “Catedral” com a menor vantagem possível ou em desvantagem. Não se podia correr riscos, podendo aproximar os dois clubes, antes da 21.ª jornada.

E se o FC Porto vencesse o “Glorioso”?
Se chegássemos à 21.ª jornada, recepção ao FCP, com uma vantagem de cinco pontos, dificilmente sairíamos dela, após empate, com esses cinco pontos (e oito – vitória - ainda seria mais improvável). Pedro Proença se encarregaria de reduzir a diferença para dois, na prática um, pois o FCP ficaria em vantagem no confronto directo.

Acabava tudo na mesma!
Depois, a ocorrer o que ocorreu, o FC Porto seria campeão na última jornada. Tudo isto são cenários virtuais, mas a realidade já nós conhecemos.

JORNADAS (a 19.ª e 20.ª virtuais) ENTRE FEVEREIRO E MAIO DE 2012 (com FC Porto)
Dia
Jorn
SL Benfica
Dif
FC Porto
01/02

05/02

08/02

12/02
18.ª CN
CD Nacional
C
V 4-1
+ 5
UD Leiria
C
V 4-0
15/02

19/02
19.ª CN
Vitória SC Guimarães
F
V
+ 5
Vitória FC Setúbal
F
V 3-1
22/02

26/02
20.ª CN
A. Académica Coimbra
F
V
+ 5
CD Feirense
C
V 2-0
29/02

04/03
21.ª CN
FC Porto
C
D 2-3
+ 2
SL BENFICA
F
V 3-2
07/03

11/03
22.ª CN
FC Paços Ferreira
F
V 2-1
+ 4
A. Académica Coimbra
C
E 1-1
14/03

18/03
23.ª CN
SC Beira-Mar
C
V 3-1
+ 4
CD Nacional
F
V 2-0
21/03

25/03
24.ª CN
SC Olhanense
F
E 0-0
+ 4
FC Paços Ferreira
F
E 1-1
28/03

01/04
25.ª CN
SC Braga
C
V 2-1
+ 4
SC Olhanense
C
V 2-0
04/04

09/04
26.ª CN
Sporting CP
F
D 0-1
+ 1
SC Braga
F
V 1-0
11/04

14/04
TL (FIN)
Gil Vicente FC
N
V
--
Sem jogos
18/04

22/04
27.ª CN
CS Marítimo
C
V 4-1
+ 1
SC Beira-Mar
C
V 3-0
25/04

29/04
28.ª CN
Rio Ave FC
F
E 2-2
- 1
CS Marítimo
F
V 2-0
02/05

06/05
29.ª CN
UD Leiria
C
V 1-0
- 1
Sporting CP
C
V 2-0
09/05

13/05
30.ª CN
Vitória FC Setúbal
F
V 3-1
- 1
Rio Ave FC
F
V 5-2

Quando se viciam competições ganha-se sempre. A menos que…

Alberto Miguéns

NOTA: A nossa sina, pelo menos a minha, é passados tantos dias após perdermos o título... ainda andamos nisto. 
"Eles" já andam a tramar o próximo...
1 comentários
comentários
  1. Concordo em grande parte com a tua análise mas tenho opinião diferente em dois jogos, alvalade e vila do conde, no primeiro perdemo-lo porque só a vitoria nos interessava o empate ou derrota dizíamos adeus no teu cenário chegaríamos a esse jogo com mais um ponto, ou seja qualquer que fosse o resultado ficaríamos sempre na frente, e pese embora as condicionante que aconteceram no jogo não perdíamos podíamos não ganhar mas não perdíamos, e uma coisa e a equipa lutar para não se atrasar outra é lutar para ficar na frente. Em vila do conde duas coisas se colocam primeiro é que tivemos a vencer nesse jogo e pelos teus cálculos a vitoria daria a liderança e uma coisa é mantermos a vitoria para sermos lideres outros e mantermos a vitoria para adiarmos o inevitável, segundo duvido muito que o treinador a vencer com a vitoria a dar a liderança tivesse feito aquela substituição ruinosa que valeu o empate.

    ResponderEliminar

Em Defesa do Benfica no seu E-mail