A criação deste Blogue, ideia de António Melo, tem como objectivo divulgar, defender o Sport Lisboa e Benfica e a sua Gloriosa história. Qualquer opinião aqui expressa vinculará apenas o seu autor, Alberto Miguéns.

SEMANADA: ÚLTIMOS 7 ARTIGOS

27/10/2011

Uma Por Semana: Futsal

27/10/2011 + 3 Comentários API
OPINIÃO

Foto Isabel Cutileiro Um Plantel Glorioso para 2011/12
             

Aviso Prévio: Texto longo



Mote

A acompanhar TODAS as modalidades, nas nossas instalações, desde 1979 e a estudar a história desde os primórdios da sua existência, gostaria de comentar as CINCO modalidades de pavilhão – Uma Por Semana - neste início de temporada, com: Pequeno Historial, Últimos Tempos e Perspectivas.



Vamos a isso…

O eclectismo é um dos pilares do Benfica como Grande Clube. É assim, na actualidade, tal como desde sempre. Por isso é um pilar!



Uma das características do “Glorioso” enquanto agremiação desportiva foi proporcionar aos seus associados praticarem a sua(s) modalidade(s) favoritas no seu clube. Para isso foi necessário criar Secções Desportivas para as modalidades que iam surgindo por vontade dos sócios.



PASSADO …



O Futsal completou, no mês passado, o 10.º aniversário

O Futsal foi a 36.ª Modalidade Benfiquista, cuja estreia em competição ocorreu em 13 de Setembro de 2001. O Futsal é uma modalidade recente, e que se integrou de uma forma completamente diferente das restantes – começou “autónoma” para acabar “profissional”.



Uma história de sucesso, numa década de Futsal Português “À Benfica”

O “Glorioso” chegou “tarde” à modalidade, mas chegou para a dominar. Em dez temporadas, conquistou cinco Campeonatos Nacionais {Sporting CP (4) e AR Freixieiro (1)}, quatro Taças de Portugal {Sporting CP (3), GD Fundação Jorge Antunes (1), SL Olivais (1) e CF “Os Belenenses” (1)} e quatro Supertaças {Sporting CP (4), AR Freixieiro (1) e Boavista FC (1)}. Mas… em 2009/10 a inédita, em Portugal, conquista da Taça UEFA Futsal, qual Liga dos Campeões de Futsal. Grande Benfica!



LISTAGEM DOS TÍTULOS NACIONAIS (SENIORES)

Comp
01/02
02/03
03/04
04/05
05/06
06/07
07/08
08/09
09/10
10/11
CN
ARF
SLB
SCP
SLB
SCP
SLB
SLB
SLB
SCP
SCP
TP
FJA
SLB
SLO
SLB
SCP
SLB
SCP
SLB
”Bel”
SCP
ST
SCP
ARF
SLB
SCP
BFC
SLB
SLB
SCP
SLB
SCP



LISTAGEM DAS CLASSIFICAÇÕES (SENIORES)

Comp
01/02
02/03
03/04
04/05
05/06
06/07
07/08
08/09
09/10
10/11
CN
2.º
T
2.º
T
2.º
T
T
T
2.º
2.º
TP
1/4
T
1/16
T
F
T
1/32
T
F
F
ST
--
--
T
--
F
T
T
F
T
--



… PRESENTE …



Benfica a investir, Sporting CP atrás, Autarquias a desinvestir

O Benfica tem o maior orçamento do futsal, desde que “construiu” o primeiro plantel para a temporada inicial de 2001/02. E em 2009/10, diz-se – porque eu nunca vi as contas – que foi o maior em relação aos restantes (mais que os outros todos juntos!), incluindo o 2.º (Sporting CP) e 3.º maior (CF “Os Belenenses”). Entretanto, o Sporting CP na temporada passada aumentou, significativamente, o seu orçamento para poder formar um plantel que desse garantias a Orlando Duarte que o Bicampeonato era possível. Entretanto “blindou” os contratos dos seus futsalistas para não ser desfalcado, pelo Benfica. Em 2011/12 – diz-se – que os orçamentos de Benfica (maior) e Sporting CP triplicam todos os outros… juntos! Haja saúde e dinheiro! É que, com a crise da dívida soberana de Portugal as autarquias foram obrigadas a cortar verbas que alimentavam muitos clubes – alguns quase a 100 por cento – obrigando-os a desistir do 1.º escalão do futsal ou reduzir drasticamente os orçamentos.



A última temporada em 2010/11

A inacreditável fase final na Taça UEFA Futsal

O Benfica como titular da Taça UEFA Futsal, brilhantemente conquistada em 2009/10, tinha de aproveitar a presença na final a quatro, cruzando-se nas meias-finais com o campeão italiano (ou seja evitando a equipa do clube da casa) para conseguir um bom resultado. Perder… por 0-3… como campeão europeu em título não lembraria a… ninguém. E depois… um empate – com o clube organizador - que deu derrota nos pontapés de desempate. Este, um resultado “normal” só “estranho” em função do… 0-3. Entrar como Campeão Europeu e sair como 4.º classificado… sem vitórias.



A Inabilidade na Taça de Portugal

Quando se pensava que o ex-Campeão Europeu reagiria – uma semana depois de ficar (ex-) - com um resultado positivo na final da Taça de Portugal, novo insucesso… frente ao Sporting CP.



A Inabilidade (outra vez…) no Campeonato

E depois de um esforço gigantesco na fase a pontuar do Campeonato Nacional, ter várias vezes o “pássaro na mão” na ronda final do “bota-fora” e deixá-lo voar sempre. Consequência… perder logo ao 3.º jogo, uma final a cinco, tendo vantagem de jogar os encontros decisivos “em casa”: o 1.º, 2.º e 5.º jogo.



… FUTURO






Os Primeiros Jogos em 2011/12

Esta época foi possível acompanhar, logo no início - nas bancadas - os quatro primeiros jogos oficiais, com a 2.ª, 4.ª, 6.ª e 7.ªs jornadas nos nossos pavilhões n.º 1 e n.º 2. E só “ao vivo” é possível entender e perceber o valor, rotinas, comportamentos, correlações entre atletas e treinadores, bem como a inter-relação e carisma entre plantel e apoiantes.



Um Plantel Para Ganhar Tudo

Há condições para fazer o pleno, pois ao conquistarmos a Supertaça, podemos – tal como em 2006/07 - conseguir a “dobradinha” (que significará o 6.º Nacional e a 5.ª Taça de Portugal). Mas… parece-me que é necessário “libertar-nos”…



Ainda… o peso (excessivo) de uma época medonha

A equipa apresenta-se excessivamente “pesada”, parecendo (ainda) condicionada pela época anterior. Lideramos a classificação (a par) mas iniciamos os jogos em dificuldade, conseguindo margens escassas, em golos e tranquilidade. Há que “libertar-nos” do que já lá vai… não volta… nem tem remédio. A temporada de 2010/11 é passado. É útil reflectir – para perceber o porquê dos insucessos – para os reverter em sucessos futuros. Mas, depois, há que esquecer. Para que não pesem… e dificultem, nem sejam escolhos, nas caminhadas que se querem categóricas e decisivas. A equipa precisa de ter mais leveza, mais alegria, mais confiança.


Dirigentes
O Futsal Benfiquista mudou muito, apesar de só ter dez anos. E parece ter-se descaracterizado, perdendo a força aglutinadora que conseguia ultrapassar as dificuldades extremas que nos colocavam, por que o futsal português é como a tropa – “A antiguidade é um posto”! É que os orçamentos ajudam… e muito a vencer jogos… mas não ganham competições! Dirigentes com sensibilidade, na modalidade e valores do Clube são imprescindíveis. Até para passar a Cultura Benfiquista ao plantel: jogadores e treinadores.

Treinador
Com um ano de Clube, depois de tantos anos como adversário quezilento, o percurso do actual treinador não é fácil. Porque muitos Benfiquistas estão, sempre estiveram atentos. Nós vemos, ouvimos e lemos. Só ignoramos porque acima (por cima) de nós está o “Glorioso”.

Paulo Fernandes {1 época (2010/11); 88 jogos; 1 troféu oficial regional: Torneio Centenário da AFL}

Guarda-Redes
Posição única e “solitária” o guarda-redes de futsal tem características únicas, num misto entre o futebol e o andebol. É de todos os elementos que integram uma equipa de futsal o que tem menos parecenças com o futebol.
O Benfica tem um conjunto de três dos cinco melhores guarda-redes do Futsal português. Em época com número reduzido de jogos – não vamos competir na Taça UEFA Futsal – parece excessivo, e um desperdício. Espera-se que não haja lesões de qualquer um deles. Espera-se que “três dos melhores para uma posição de apenas… um” não seja nocivo. Que os três compreendam o equívoco. Para bem do Benfica!

Euclides Vaz/ Bebé (1) {28 anos; 5 épocas (2006/07 a 2010/11) 204 jogos; 2 golos marcados; 9 troféus oficiais: 1 internacional Taça UEFA; 7 nacionais (3 CN, 2 TP, 2 ST) e 1 regional (TCL)}

Vítor Hugo (14) {28 anos; 1 época (2010/11) 58 jogos}

Marcos Affini/ Marcão (12) {27 anos; ex- Al-Rayyan, Qatar}

Era preferível que um dos três guarda-redes competisse regularmente, por empréstimo, durante esta temporada, num clube do 1.º escalão com possibilidades de acertar a prorrogação (nesse clube) ou reintegração (no Benfica) no “período de transferências intermédio”. O ideal é ter dois bons guarda-redes – um mais veterano e outro mais jovem – de qualidade, para além de um “3.º guarda-redes”, proveniente dos Juniores (do Benfica ou um jovem de qualidade de outro emblema).

Fixos
São os futsalistas com características mais defensivas, tendo que impor a sua presença, preferencialmente por antecipação (ou seja “lendo” e interpretando as jogadas contrárias) para desarmarem ou bloquearem as progressões dos adversários recorrendo ao mínimo de acções faltosas, numa modalidade onde não fazer faltas (ou evitar que os árbitros as marquem) vale “ouro”.
Temos dois excelentes fixos e um, mais jovem, que pode ser brilhante. Infelizmente vai estar algum tempo afastado por ter sofrido recente intervenção cirúrgica. 

Gonçalo Alves (9) {34 anos; 5 épocas (2006/07 a 2010/11) 290 jogos; 161 golos marcados; 10 troféus oficiais: 1 internacional Taça UEFA; 8 nacionais (3 CN, 2 TP, 3 ST) e 1 regional (TCL)}

Davi (11) {32 anos; 2 épocas (2009/10 a 2010/11) 146 jogos; 106 golos marcados; 3 troféus oficiais: 1 internacional Taça UEFA; 1 nacional (ST) e 1 regional (TCL)}

Diego Sol (15) {27 anos; 1 época (2010/11) 86 jogos; 56 golos marcados; 1 troféu oficial regional: Torneio Centenário da AFL}

Neste momento, apesar de apenas contarmos com dois, dá para fazer a rotação, porque numa equipa de controlo de bola e de posse em ataque, jogando sobre a equipa contrária, permite fazer a rotação, permitindo gerir metade do tempo para cada um, em 10 mais 10 minutos.

Alas
Os futsalistas que estabelecem a harmonia e a cadência de jogo – defesa, ataque, contra-ataque. Temos seis “alas” valorosos, os melhores em Portugal de cada geração, entre certezas confirmadas e esperanças expectáveis.

Arnaldo (6) {32 anos; 6 épocas (2002/03 a 2003/04 e 2007/08 a 2010/11) Capitão desde o início desta época de 2011/12; 348 jogos; 241 golos marcados; 9 troféus oficiais: 1 internacional Taça UEFA; e 8 nacionais (3 CN, 2 TP, 3 ST)}

Anilton (10) {22 anos; 5 épocas (2006/07 a 2010/11) 124 jogos; 65 golos marcados; 5 troféus oficiais: 1 internacional Taça UEFA; 3 nacionais (1 CN, 1 TP, 1 ST); e 1 regional (TCL)}

Marinho (7) {26 anos; 2 épocas (2009/10 a 2010/11) 129 jogos; 71 golos marcados; 3 troféus oficiais: 1 internacional Taça UEFA; 1 nacional (ST); e 1 regional (TCL)}

Diece (5) {25 anos; 1 época (2010/11) 73 jogos; 67 golos marcados; 1 troféu oficial regional: Torneio Centenário da AFL}

César Dias/ Teka (8) {20 anos; 1 época (2010/11) 35 jogos; 17 golos marcados}

Bruno Coelho (3) {24 anos; ex- CF “Os Belenenses”}

Estes futsalistas permitem uma gama de recursos fantásticos e um leque de possibilidades quase indetermináveis. Arnaldo/ Marinho; Diece/Bruno Coelho; e Anilton/ Teka, para duos por idades, entre os menos jovens e mais experientes até aos mais jovens e menos experientes, numa mescla de categoria “nacional” (de internacionais por Portugal e Brasil) sem paralelo.

Pivôs
Os futsalistas que dão expressão ao jogo colectivo, por vezes com acções individuais, mas sempre dependentes das movimentações dos restantes três colegas de campo, com e sem bola. São internacionais, por Portugal e Brasil. São grandes goleadores. São o melhor que há em Portugal. Simples… Precisam de “estar bem” para fazer golos. César Paulo tem o problema do peso que acaba por limitar-lhe a capacidade física sujeitando-o a contrair, mais facilmente, lesões. Joel é um futsalista de classe rara e pura intuição. Dentinho uma expectativa que parece tornar-se certeza.

César Paulo (13) {32 anos; 4 épocas (2007/08 a 2010/11) 181 jogos; 159 golos marcados; 6 troféus oficiais nacionais:1 internacional Taça UEFA; 4 nacionais (2 CN, 1 TP, 1 ST) e 1 regional (TCL)}

Joel Queirós (2) {32 anos; 2 épocas (2009/10 a 2010/11) 123 jogos; 164 golos marcados; 3 troféus oficiais: 1 internacional Taça UEFA; 1 nacional (ST); e 1 regional (TCL)}

Dentinho (4) {28 anos; ex- Era-Pack Chrudim, República Checa}

Jogadores de grande valia, num plantel que é menos – em teoria – perfeito em relação a outros que já tivemos numa década. Há futsalistas que precisam de se “libertar” até por que enquanto nossos adversários – quando o foram - não primaram pelo desportivismo.

Um plantel sem paralelo (apenas com aproximação dos sapóides) neste início de temporada. Mas… é o tempo que vai ser o melhor juiz. Vamos ver como se desenvolve esta equipa. Que merece, inequivocamente, o apoio – Quota Suplementar (em dia) e incentivo na bancada dos pavilhões n.º 1 ou n.º 2 – de TODOS OS BENFIQUISTAS.

Um lugar comum: Equipa “velha”
Os media portugueses são “useiros e vezeiros” em fazerem insinuações, umas por idiotice e mediocridade, outras por serem mal intencionados, que permitem que alguns adeptos “emprenhem pelos ouvidos”. Passa e trespassa a ideia que o plantel do “Glorioso” é velho e que o Benfica não está a fazer a renovação da equipa com a devida atenção. Não me parece, pois temos no plantel potencialmente os melhores valores de futsalistas portugueses em cada idade. Mas há que estar atento. Aqui ficam as média de idades de SLB e sapóides na última jornada, entre o cinco titular e os 12 futsalistas convocados para a derradeira jornada.

ÚLTIMOS JOGOS SLB e SCP

Futsalista SLB
Eqv. SCP
Nome
Idade
Idade
 Bebé
28
32
 Gonçalo Alves
34
24
 Diece
25
27
 Arnaldo
32
28
 Joel Queirós
29
28
TOTAIS
29.6
27.8
Vítor Hugo
28
31
Davi
32
27
Marinho
26
30
Teka
20
30
Bruno Coelho
24
26
Dentinho
28
31
César Paulo
32
25
TOTAIS
28.17
28.25



O próximo adversário, em Aveiras, é o COD

No próximo 30 de Outubro, o “Glorioso” recebe, em Aveiras, no 681.º encontro da equipa “principal” de futsal a equipa açoriana de Lagoa, na ilha de São Miguel, Clube Operário Desportivo, pela 2.ª vez, primeira oficial, com este clube a representar na nossa história o 178.º adversário. O primeiro jogo, foi um particular, na época passada (2010/11), em 3 de Novembro de 2010, quando no nosso Pavilhão n.º 2, vencemos por 4-1, com Carlos Paulo; Costinha (cap.); Diece e Arnaldo; Joel Queirós; depois: Bebé (GR), Diego Sol, Gonçalo, Anilton, Teka e César Paulo. Os nossos 4 golos foram marcados por Joel, César Paulo, Diece e Arnaldo.



        SLBENFICA vs Clube Operário Desportivo

Jogo N.º
Época
Comp
Sit
V
E
D
01
10/11
Par
C
4-1


02
11/12
CN
C


03
CN
F


TOTAIS
1 J - 1 - 0 - 0 (4/1)



Carrega BENFICA! O Futuro é (será) TEU!



Alberto Miguéns



NOTA (Plano de “Uma Modalidade Por Semana):



Publicada:

(I)                          VOLEIBOL - 21 de Outubro de 2011



Próximas:

(III)       ANDEBOL

(IV)       BASQUETEBOL

 (V)        HÓQUEI EM PATINS


3 comentários
comentários
  1. O Benfica tem tudo para ser hegemónico no Futsal a nível interno e para «dar cartas» na Europa, repetindo o êxito de há duas épocas.De facto, nada falta: infra-estruturas desportivas e equipamentos ´sem par em Portugal e do melhor que há a nível europeu. Orçamentos muito acima da média em relação mesmo ao Sporting. Um plantel que, considerado no plano individual é sem dúvida o melhor. Impõe-se, pois, a pergunta: como explikcar a progressiva decedência desta modalidade do clube? Atenção, entenda-se: quando falo de «decedência» refiro-me à «décalage» entre queles itens (equipamentos, infra-estruturas, orçamentos, plantel...) os resultados e também as exibições. A este propósito, quero sublinhar aqui que o Benfica perdeu a hegemonia no Futsal a nível interno: o Sporting - principal rival - venceu os dois últimos campeonatos e a Taça de Portugal do ano passado e, se vencer as competições internas desta época, reforça essa hegemonia. E qual a análise que foi feita para explicar a absoluta derrota da época transacta? Que eu saiba - e eu acompanho há anos presencialmente o Futsal do Gloriso - nenhuma análise foi feita. Apenas ouvi o Paulo Fernandes dizer publicamente que houve jogadores nucleares lesionados, etc. Ora, isto é apenas factual, mas deixa de fora o essencial: o Benfica tinha e tem as melhores individualidades, mas não tem uma «equipa». E se é bom ter individualidades de excelência, estas devem ser submetidas a um colectivo forte e capaz de vencer mesmo quando as individualidades falham. Reside aqui, a meu ver, a diferença entre, por exemplo, Orlando Duarte e paulo Fernandes: aquele, conforme se viu na época passada, formou paulatinamenteb uma equipa fortíssima que, mesmo quando falhou o Cardinali e até, em alguns jogos, o Divanei, sobube encontrar forças e coesaõ para vencer...
    Depois, observando atentamente o dia a dia da modalidade e por algumas conversas que vou ouvindo nos meios ligados ou próximos, tudo aponta para um certo adormecimento da estrutura, que se acentuou sobretudo desde a vitória na UEFA CUP - somos os únicos com esta vitória, mas na última o nosso desempenho foi desastroso, o que remete, de certo modo, para a cultura «instalada»...Falta mais profissionalismo a nível dos responsáveis. Não aponto pessoas porque o que está em causa é a «filosofia» estruturante, pelo menos em primeiro lugar. Por exemplo, no que se refere aos vários escalões de formação quase tudo funciona mal: comparando os dois principais, SLB e sapos, estes funcionam muito melhor, como se tem visto. A nível da formação, falta acima de tudo: uma verdadeira prospecção de talentos e uma outra articulação com a equipa principal. Existe muuito amadorismo, se calhar criado por relações que privilegiam as amizades e não as competências.
    Por outro lado, gostaria que me dissessem se existe na modalidade de Futsal e já agora nas outras modalidades de pavilhão aquilo que nos dias que correm se denomina Secção ou departamento de «scouting». Se não existe, deveria existir, com as funções específicas que actualmente lhe são atribuídas: - detecção e caracterização de talentos logo a partir dos escalões mais baixos; - apoio técnico ao treino da equipa principal - hoje, as teses que vão sendo elaboradas defendem que este trabalho de apoio ao treino e ao treinador é já considerado como «treino mental» da equipa. A este propósito, veja-se que o que no Futebol do Benfica já se faz a este respeito.
    Vencer não é fácil, é muito difícil. Conquistar uma UEFA CUP é LINDO e enche-nos de orgulho. Chegar ao topo é difícil, mas muito mais fácil é cair de lá. O FUTSAL DO SLB CARECE, NÃO DE UMA REVOLUÇÃO, MAS DE PROFUNDAS MUDANÇAS.

    ResponderEliminar
  2. Olá Sr. Alberto Miguéns!


    Como e glorioso é grande, o nosso S.L.Benfica .

    Não perca o fervor clubista, nunca, e seja, sempre Benfica!...

    Doa a quem doer, chore quem chorar, Benfica sempre

    Força Benficaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaa


    karlos

    ResponderEliminar
  3. Jonny8Forever28/10/11 13:57

    Gostava de reforçar o primeiro comentário com a teoria de que o único responsável pela época horrivel foi realmente o sportinguista que está como treinador. Não admito outra coisa que não seja o seu profissionalismo e espero que este ano ele queira calar as más línguas (calar-me a mim também), mas nunca lhe reconheci méritos acima do mediano. Sempre o considerei o típico LOOSER lagarto e infelizmente isso confirmou-se nas alturas decisivas da época passada. Como é fácil de verificar, ocorreram 3 situações inéditas nas competições internas, beneficiando o clube do treinador à custa do nosso glorioso. Nunca o vencedor da fase regular tinha perdido o campeonato, nunca a final do playoff tinha sido ganha por 3-0 e nunca os viscondes tinham ganho todos os troféus nacionais na mesma época. É muita coincidência tudo isto ter ocorrido com este treinador. Já nem vou falar no facto de termos falhado a final da Uefa Cup quando já se sabia que o adversário seria o rival português.
    Só peço que nesta época tudo seja diferente e que Paulo Fernandes me faça feliz com esta modalidade espectacular.
    Saudações gloriosas

    ResponderEliminar

Em Defesa do Benfica no seu E-mail