O Marquês e os Porquês | Em Defesa do Benfica -->
A criação deste Blogue, ideia de António Melo, tem como objectivo divulgar, defender o SL Benfica e a sua Gloriosa História. Qualquer opinião aqui expressa vinculará apenas o seu autor, Alberto Miguéns.

SEMANADA: ÚLTIMOS 7 ARTIGOS

14/05/2021

O Marquês e os Porquês

14/05/2021 + 4 Comentários

NUNCA ME AGRADOU COMEMORAR TÍTULOS NO MARQUÊS DE POMBAL.   



Até tenho um "carinho especial" pela obra de arquitectura pois está ligada ao Clube, como se escreverá a seguir, mas não me parece que tenha o enquadramento urbano adequado para comemorar o que quer que seja quanto mais festas de clubes. A Praça do Comércio/Terreiro do Paço ou a Praça Dom Pedro IV/Rossio parecem muito mais indicadas para permitir ajuntamentos minimizando os problemas. 

 

Estas "festas programadas" só degradam o património

Agravando-se numa praça com as características do Marquês de Pombal com espaços ajardinados e estatutária lateral com muitos e belos pormenores. Desde que há festas de madrugada em que depois coincide com ter que passar pelo local de manhã é desolador predação que o local sofreu. Se a minha Mátria é Montalvão, a minha Pátria é Lisboa (onde vivo desde 26 de Maio de 1967) custando ver um dos mais belos e ajardinados locais cheio de garrafas partidas e tudo pisado. Mesmo com funcionários da limpeza e jardinagem ainda a tentarem esconder o que se passou. Só presidentes da CML com falta de classe e capacidade de dizer "não!" permitem tamanha vergonha lisbonense. Além disso as características dos festejos permitem que uma parte dos festeiros estejam lá mais para ajustar contas com a polícia do que para esperar pelos "Heróis da Bola". Então em 2020/2021 raiou o absurdo pois se há uma parte dos adeptos sportinguistas que não mereciam comemorar eram os elementos das claques. Se não têm sido impedidos de verem os jogos, devido à pandemia, tinham "aniquilado" os passos titubeantes (eliminação da Liga Europa) e melhores resultados que exibições nas jornadas iniciais do campeonato nacional. O SCP acabou por ter "sorte" com o facto da Covid ter afastado as claques de interferirem com o trabalho de dirigentes, treinadores e futebolistas. Foi um dos factores que permitiu a conquista deste 19.º título de campeão nacional pelo Sporting CP. Festas fora do Marquês de Pombal, para "ontem"!

 


Quanto ao Marquês (Monumento)

É de autoria tripartida - Adães Bermudes, António Couto e Francisco Santos - o mentor, por ser o principal arquitecto da época (em 12 de Abril de 1914 quando foi decidido o vencedor do concurso para escolher o projecto a construir) é Arnaldo Redondo Adães Bermudes (Porto; 1 de Outubro de 1864/18 de Fevereiro de 1948; Sintra) irmão mais velho (quase dez anos) de Félix Redondo Adães Bermudes (Porto; 4 de Julho de 1874/5 de Janeiro de 1960; Lisboa). Segundo a sua sobrinha Cesina Borges Adães Bermudes (Lisboa; 20 de Maio de 1908/9 de Dezembro de 2001) o seu tio não "ligava muito ao Futebol" mas tinha simpatia pela actividade do irmão e ia vê-lo a jogar pelo Benfica. Não lhe conhecendo uma actividade frenética pelo Clube era simpatizante do «Glorioso» desde a origem. Félix Bermudes é uma das maiores Glórias Eternas do Benfica, desde futebolista a dirigente (presidente da Direcção, em 1916 e 1945) além de uma espécie de ideólogo do Benfiquismo. A filha Cesina contou que foi dela a ideia do Lema do Clube, contribuindo também para a graciosa composição do emblema, como depois "explicou". Autor da letra do Hino, bem como foi ele que pediu a dois dos seus colaboradores para fazerem a música (maestro Alves Coelho, pai) e a Stuart de Carvalhais para redesenhar o emblema. Tudo isto aquando das comemorações dos 25 anos (Bodas de Prata) do Clube, em 1929.


Jornal "O Benfica" n.º 79; 27 de Maio de 1944; Primeira página


António José do Couto d'Abreu 

O notável arquitecto António Couto (Lisboa; 8 de Março de 1874/4 de Julho de 1946; Lisboa) foi o primeiro capitão do Clube jogando até ao Verão de 1907. Foi o braço direito de Arnaldo Adães Bermudes na idealização da estátua bem como do seu enquadramento. 

A indicação de que foi o primeiro capitão:



Uma fotografia de uma equipa da temporada de 1904/05. Da esquerda para a direita. De cima para baixo. Componentes da defesa e meia-defesa (actual meio-campo): José Cruz Viegas (defesa à direita), Manuel Mora (guarda-redes), Fortunato Levy (meio-defesa à direita), Albano dos Santos (meio-defesa ao centro) , António Couto (meio-defesa à esquerda) e Emílio de Carvalho (defesa à esquerda); na frente, como da praxe, a linha de cinco avançados, do ponta-direito ao ponta-esquerdo: António Rosa Rodrigues, Silvestre da Silva (o capitão transporta a bola do jogo), Cândido Rosa RodriguesJosé Rosa Rodrigues e Carlos França

Francisco dos Santos

O notável escultor Francisco dos Santos (Sintra/Rio de Mouro (Paiões); 22 de Outubro de 1878/27 de Junho de 1930; Sintra/Rio de Mouro) fez parte dos primeiros tempos do Clube como ex-aluno da Casa Pia de Lisboa. Jogou na equipa principal embora actuasse mais na segunda categoria. Ainda não há uma foto em que ele esteja presente mas há várias referências como esta: 

História do Sport Lisboa e Benfica 1904/1954; Mário de Oliveira e Rebelo da Silva; página 9; primeiro fascículo; primeiro volume; Janeiro de 1954; Lisboa; edição dos autores


Este notável projecto cujo mentor foi Arnaldo Adães Bermudes com António Couto e Francisco Santos

Foi o escolhido entre 14 projectos com quatro finalistas, elaborados pelos melhores arquitectos/escultores do início do século XX português. Ei-los:


Arnaldo Adães Bermudes (arquitecto) com António do Couto (arquitecto) e Francisco dos Santos (escultor) 

José Marques da Silva (arquitecto) e António Alves de Souza (escultor)

José Cristiano de Paula Ferreira da Costa (arquitecto) e Emílio de Paula Campos (escultor)

Menção honrosa: Edmundo Tavares (arquitecto)Maximiano Alves (escultor)

Outro assunto que é um não assunto, uma tal "guarda de honra"

Para o Sporting CP o marquês é mais o do Sérgio Godinho. Tal como o do presidente do Conselho de Administração da PROMOVALOR.



Mas desde quando é que em Portugal a equipa do Clube Campeão Nacional tem direito a "guarda de honra"?

O Futebol português não tem que copiar o que se faz noutros países! Já chega de jornalistas pacóvias com remontadas e manitas! Ridículo!

 

Para que é que haveria de haver "Guarda de Honra"?

 

Alberto Miguéns


NOTA: Ainda não desta vez que escrevi acerca da inacreditável audiência na Assembleia da República no âmbito da «Comissão Eventual de Inquérito Parlamentar às Perdas Registadas Pelo Novo Banco e Imputadas ao Fundo de Resolução» do presidente do Conselho de Administração da PROMOVALOR, senhor Luís Filipe Ferreira Vieira (que só merecerá que acerca dele escreva no âmbito desta audiência, em 10 de Maio, por ele ter envolvido o Benfica quando não o devia ter feito pois o Clube nada tem a ver com os caloteiros do ex-BES). Mas ficará para uma próxima ocasião. 




  1. Um belo e oportuno artigo, carregado de História e grandeza Benfiquista.

    O Alberto toca num ponto importante que é o lema do Sport Lisboa e Benfica.
    Se pensarmos, o lema é tão poderoso para a identificação do Clube tal como é a imagem da Águia e das cores vermelho e branco.
    O nome de Félix Bermudes devia ser mais lembrado e homenageado. Corrija-me se estou errado:

    Um dos primeiros futebolistas do Clube
    Não fundador do Clube apenas por acaso
    Responsável pelo lema E Pluribus Unum
    Contribuinte para a definição do Emblema do Clube
    Capitão de equipa na temporada crítica da sobrevivência (1907-1908)
    Presidente do Clube
    Um dos negociadores da junção Sport Lisboa e Grupo Sport Benfica
    Primeiro homem a competir pelo Clube em atletismo
    Um dos negociadores da junção Sport Lisboa e Benfica Desportos de Benfica
    Responsável pela contratação de Stuart Carvalhais na modernização do Emblema.
    autor da letra do Hino Oficial do Clube.
    Um dos promotores do primeiro projecto de construção de um Estádio pós-Campo Grande.
    E muito mais...

    Félix Bermudes é um gigante do Benfiquismo. Ao nível de Cosme Damião e de Manuel Gourlade.

    ResponderEliminar
  2. Vamos lá ser sérios ! in Publico, 13/05
    "A presença de um enorme leão ao lado da estátua de bronze do antigo ministro de D. José I, inaugurada em 1934, reforçou o simbolismo do local para os adeptos sportinguistas. Uma obra iniciada pelo escultor e pintor Francisco dos Santos e continuada, após a sua morte prematura, em 1930, pelo seu sobrinho José Simões de Almeida e por Leopoldo Neves de Almeida.

    A presença do leão poderá estar relacionada com a preferência clubística do seu criador. Nascido a 22 de Outubro de 1878, Francisco dos Santos jogava futebol e esteve na origem do aparecimento, em 1904, do Grupo Sport Lisboa, um dos dois clubes que estão na génese do Benfica, fundado a 26 de Julho de 1906.

    Por esta altura, o estudante de Belas-Artes ganha uma bolsa de estudo que o leva a prosseguir a formação em Paris e Roma, acabando por representar na capital italiana a Lazio, equipa que chegou a capitanear. Foi o primeiro futebolista português a alinhar no estrangeiro.

    De regresso a Portugal, em 1909, >>>ingressa no Sporting<<<, clube de que se tornara sócio no final do ano anterior. Joga futebol num clube essencialmente aristocrata, mas será a República a dar um grande impulso à vida artística de Francisco dos Santos. "

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sérios? Ou ignorantes?

      José Simões de Almeida não era sobrinho de Francisco dos Santos. Como existiam dois escultores com o mesmo nome, esses sim com grau de parentesco, o mais velho Simões de Almeida era conhecido por tio (nascido em 1844) e o mais novo, que continuou a obra de Francisco dos Santos nascido em 1880). Não vá em mentiras publicadas.

      O Leão é utilizado em muita estatutária do século XIX e início do século XX, por toda a Europa e EUA, como símbolo de poder. Aliás Napoleão representa-se simbolicamente por Águias e quem o derrotou por Leões. Na memória descritiva do monumento Adães Bermudes refere que «junto ao Marquês está o poder absoluto que teve para resolver os problemas de um País atrasado com uma Capital em ruínas». Como aldrabam têm o cuidado de escrever "poderá estar relacionada".

      Mas mentem à descarada. O Grupo Sport Lisboa foi fundado em 28 de Fevereiro de 1904. Agora dizer que é um dos dois clubes que estão na génese do Benfica é uma trapalhada. O clube fundado em 26 de Julho de 1906 é o Grupo Sport Benfica. Estes dois é que se juntam, em 13 de Fevereiro de 1908, alterando o nome para Sport Lisboa e Benfica. Se a ignorância pagasse imposto...

      Talvez acreditando em jornalismo ignorante o melhor era colocar um papagaio.

      Quem pensou a estrutura e enquadramento do Monumento foram os arquitectos, principalmente Adães Bermudes. Depois quem executou as figuras foi o escultor, que como morreu antes de concluir a obra foi substituído. Pela ordem natural de como são executados os monumentos, Francisco Santos dava corpo e forma aos elementos escolhidos por Adães Bermudes e António Couto.

      Deixe-se de querer ser sério quando passa por ignorante.

      Saudações e cuide-se. Não leia jornais em 2021 quanto os tem a noticiar tudo o que se passou, bem como a polémica, entre o primeiro e o segundo classificado, em 1914.

      Esta mania de querer parecer o que não se é tira-me do sério.

      Tanta alarvidade em tão pouco tempo.

      Alberto Miguéns

      Eliminar
  3. Finalmente alguem que pensa como eu relativamente às festas do Marquês às quais nunca fui nem vou a nenhuma. O Marquès em termos de tradição de festas de titulo de campeão tem ZERO tradição, nunca o Benfica festejou lá titulos, nunca o Benfica foi recebido na Camara por causa de ganhar titulos. O Marquês os primeiros a irem para ali festajar foram os viscondes na virada do seculo e depois o pulha copiou e o mesmo se passa com serem recebidos nas camaras, copia dos murcões na Camara do Porto pelo Fernando Gomes, assim como o almoço com os deputados, o pulha copia tudo mas infelizmente copia tudo o que não interessa, normal para quem afirmou em tribunal ser homem de confiança do Pinto da Bosta, mas ele gosta muito de promiscuidades como ficou bem patente na vergonhosa passada 2ª feira.

    Relativamente à passada 2ª feira eu só pergunto é nós como socios como é que permitimos que aquele pulha continue presdidente subserviente dos bancos no Benfica mais um dia que fosse da passada 2ª, como é possivel?

    O Pulha confirmou todas as suspeitas ou não que existiam sobre varios assuntos, presidencia, numero de socio, socio do Porto, socio do Sporting, 'Yazalde como idolo, OPA, mistura da vida privada com a do clube, entreposto jogadores, promiscuidades postas a nu nos emails, objectivo não eram ganhar titulos e ser forte na Europa, na 2ª feira as suas palavras perante uma comissão de inquerito parlamentar não deixou duvidas, assim como quando afirmou em tribunal que era uma pessoa de confiança da organização criminosa mais à norte, mas nem mesmo perante estas afirmações em locais onde mentir é perjurio as pessoas fazem alguma coisa, se mexem para o destituir

    ResponderEliminar

Subscrever este blogue

Apoio de: