Chalana 1959/1974: Adversário do «Glorioso»
A criação deste Blogue, ideia de António Melo, tem como objectivo divulgar, defender o SL Benfica e a sua Gloriosa História. Qualquer opinião aqui expressa vinculará apenas o seu autor, Alberto Miguéns.

SEMANADA: ÚLTIMOS 7 ARTIGOS

23/03/2020

Chalana 1959/1974: Adversário do «Glorioso»

23/03/2020 + 0 Comentários
DISPUTOU FRENTE A BENFIQUISTAS COMPETIÇÕES DE ATLETISMO E... FUTEBOL.


Eis Chalana, nascido como Fernando Albino Sousa Chalana, em 10 de Fevereiro de 1959, no Barreiro, fotografado pelo enorme Roland Oliveira (que tanto gostava dele, mas no Benfica) na «Saudosa Catedral», em 12 de Maio de 1974, aos 15 anos, quando defrontou o «Glorioso» na 29.ª jornada (penúltima) do campeonato nacional, numa derrota do FC Barreirense por 4-0. 

Mas Chalana até começou como adversário no Atletismo
Foi no corta-mato e com as cores esquisitas (verde com mangas brancas) do GD da CUF que concorreu aos Campeonatos Regionais de Corta-Mato e depois ao Nacional de Corta-Mato, em Coimbra. 

O que ele queria era Futebol, mas o futebol (ainda não o queria)
O magnífico jornalista Arons de Carvalho (porque oportuno e perspicaz) falou com ele acerca disso:



As duas competições mais importantes
Foram o Campeonato Regional de Corta-Mato (categoria de Infantis) em Lisboa com Chalana a classificar-se em segundo lugar e o Campeonato Nacional (ainda em Infantis), em Coimbra, com um 5.º lugar, sem hipóteses frente ao poderio do benfiquista, José Branco. É bom recordar que o GD da CUF tinha excelentes instalações no Barreiro onde os atletas podiam iniciar uma carreira promissora no Atletismo ou derivando depois para uma outra modalidade que o Grupo Desportivo da Companhia União Fabril era um clube ecléctico e bem sucedido. 

Primeiro o Corta-Mato
Regional em Lisboa (30 de Janeiro de 1972) com um segundo lugar e Nacional em Coimbra (27 de Fevereiro de 1972) com o 5.º lugar. Mas quando "descobri" estas classificações já me conseguiram irritar pois o Benfica bem podia ter vencido individualmente o Regional de Lisboa e colectivamente o Nacional em Coimbra. O "habitual": entregaram-se ao Sporting CP. José Branco devia ser homenageado. Fez o que tinha de ser feito, os outros é que devem ter ido "às pinhas"!






Como não viu possibilidades (e interesse no GD CUF) em termos de Futebol
No início de 1973/74 (ia completar 15 anos) rumou ao emblema rival, menos ecléctico (no Basquetebol sempre foram uma potência) onde integrou a categoria de Juniores mas as suas características físicas, tecnicista ambidextro e com excelente interpretação táctica do jogo fizeram com que um juvenil também jogasse nos seniores numa temporada (1973/74) em que o FC Barreirense disputou a I Divisão mas foi despromovido à II Divisão- Zona Sul.

E Fernando Cabrita estava de olho nele!

Alberto Miguéns

Enviar um comentário

Subscrever este blogue