2019
A criação deste Blogue, ideia de António Melo, tem como objectivo divulgar, defender o SL Benfica e a sua Gloriosa História. Qualquer opinião aqui expressa vinculará apenas o seu autor, Alberto Miguéns.

SEMANADA: ÚLTIMOS 7 ARTIGOS

31/12/2019

Em Defesa de Biri e Ângelo

31/12/2019 + 2 Comentários
JÁ ALDRABOU A HISTÓRIA DO FUTEBOL DO BENFICA AO VICIAR INFORMAÇÃO DE INÚMEROS JOGOS E IGNORAR OUTROS MESMO "OFICIAIS".


Agora numa editora com ligação à actualmente poderosa Federação Portuguesa de Futebol (FPF) Rui Miguel Tovar consegue editar um livro ignorando uma figura como o treinador Biri declarando não haver informação quando ela é pública e está publicada. E Ângelo também é ignorado. Enquanto este blogue existir e souber de situações destas nunca deixará - seja quem for - que ignorem «Os Ases que nos Honraram o Passado» e achincalhem a Gloriosa História.



Ao contrário do clube dele (Sporting CP) onde há informação inexistente
No Benfica isso não existe. Pode é ocupar algum tempo a encontrar mas não há dados inexistentes. Para Rui Miguel Tovar (nada tenho contra a pessoa) mas sim contra os métodos trapalhões de obter e vender informação. Que ele teima em fazer há mais de uma década. Sem alterar procedimentos. É o que faz neste livro editado em Novembro de 2019 e que foi agora para as livrarias em época natalícia.




Como é evidente sabe-se desde sempre quem foi e foram todos os treinadores do Benfica que orientaram os juniores sejam ou não Campeões Nacionais. Sempre. Com Biri sabe-se desde 1944!
Quem faz a história do que quer que seja não pode entender as pesquisas como estar a gastar tempo. Se o faz com rigor e quer errar o menos possível tem de entender que fazer pesquisa é ocupar o tempo não é gastá-lo. O treinador dos juniores do Benfica, campeões nacionais, em 21 de Maio de 1944 (e não em 7 de Julho de 1940, mais um erro mas este já se dá como gralha) foi Janos Biri. Qual "informação inexistente"! É inexistente para quem é preguiçoso, negligente e despreocupado em ser rigoroso. Provavelmente o livro não estaria pronto neste Natal. Paciência! Estaria no de 2020! Para quem procura o rigor... encontra sempre o que é referente ao Benfica. E ter o desplante de se considerar habilitado a escrever "Informação inexistente". Arrogância intelectual. Se prefere a preguiça e desleixo ao rigor ao menos escreva "Informação desconhecida pelo autor". Chama-se a isto honestidade! Rui Miguel Tovar sabe lá o que é que isso quer dizer! Seja ele ou um qualquer Tovar Miguel Rui não tem nenhum estatuto acima da crítica!



Sabe-se bem quem foi o treinador campeão
E a data do jogo também. Está nas páginas do jornal "Diário de Lisboa" (clicar). E a fotografia da equipa campeã nacional com o treinador também (clicar para a revista "Stadium"). Qualquer pessoa que conheça um mínimo da História do Futebol em Portugal reconhece de imediato quem é o treinador. Qual é o seu nome tantos títulos conquistou e muitos clubes treinou. Mas mesmo que não o reconhecesse por ser ignorante teria sempre alguém por perto que sabia que era Biri. Além disso a História do Benfica 1904-1954, de Mário de Oliveira e Rebelo da Silva, está publicada desde o ano das Bodas de Ouro, em 1954. É só consultar e acreditar nela pois foi feita por quem entendia que fazer pesquisa era ocupar o tempo, não era gastar, por isso despachar com "o que vier à rede é peixe"!

Não há naquele quadro - em relação ao Benfica - nenhuma «informação inexistente»
Há é informação cujo autor tem mais que fazer do que saber qual é a informação certa. E despacha o tempo que iria gastar como se fosse impossível saber. Engana os leitores dando a entender que não existe! Mentira! Rui Miguel Tovar é que é preguiçoso ou apressado e tem mais que fazer do que ocupar tempo a saber informação para respeitar os compradores/leitores do livro. 


Ângelo... Sempre!
Em 1976, o treinador era o Bicampeão Europeu Ângelo como muita imprensa da época indica com vastidão mais que suficiente para encontrar com facilidade. E não era numa "fainál fór", ou seja, meias-finais e final concentradas numa localidade ou estádio. Foi uma fase final com quatro clubes (dois da zona Norte e dois da Zona Sul (o Vitória FC ficou em segundo lugar atrás do SLB na primeira fase e não venceu nenhuma série como inventou no tal livro o autor), em seis jornadas - mês e meio - com cada volta constituída por três jornadas: 
Vitória FC Setúbal.. V 5-1 (1.ª jornada; 21 de Abril; Luz)*
Leixões SC.............. V 3-2 (2.ª jornada; 24 de Abril; Luz)
SC Braga................. D 1-2 (3.ª jornada; 1 de Maio; 1.º Maio/Braga)
Vitória FC Setúbal.. V 10-2 (4.ª jornada; 10 de Maio; Bonfim/campo 2)
Leixões SC.............. V 1-0 (5.ª jornada; 16 de Maio; Mar/Matosinhos)
SC Braga................. V 1-0 (6.ª jornada; 23 de Maio; Luz) (clicar para notícia no jornal "Diário de Lisboa")
* Jogo adiado devido à participação do Benfica no Torneio Internacional de Roubaix (França)



Como é evidente este blogue não é errata da publicação
Por isso não vai dar toda a informação, pelo menos referente a 1945 e 1949, além de quem foi o treinador dos Campeões Nacionais na categoria de Juvenis, em 1975 (que para ele também é «Informação inexistente»). Ele que a procure (já tem estas duas de "borla") para não voltar a enganar os leitores aquando de uma segunda edição do livro. E já agora respeite o nome do treinador do Benfica. É José Valdivielso e não José Valdivieso. Deixe de ser padrinho e procure ser mais rigoroso que não lhe fica nada mal. Antes pelo contrário.



Vender informação assim? Não, obrigado!

Alberto Miguéns


NOTA: Agradecimento ao dedicado leitor deste blogue Victor João Carocha que enviou mais um documento acerca do nome da Glória do Benfica, um dos seus mais dedicados e competentes treinadores da "Formação":



Ler Mais ►
30/12/2019

Nem Calado Tem Razão

30/12/2019 + 4 Comentários
QUANTO MAIS JUSTIFICAR A INCOMPETÊNCIA COM A CATEGORIA DE BRUNO LAGE.


E a classe do Benfica e os Benfiquistas indomáveis que fizeram do campeonato nacional um estrondoso sucesso depois de estar perdido.

O treinador do FC Porto
Que foi também futebolista no clube sabe melhor que ninguém como se conquistavam campeonatos em Portugal e conseguiam avanços pontuais para poder ter o plantel em condições de competir, fisicamente, na Europa. Mesmo sabendo isso ainda faz declarações a esconder a sua sobranceria (clicar para notícia no portal do jornal «Record»).

(clicar em cima da imagem para obter melhor visualização)


É bom nunca esquecer
O que foi a epopeia de Reconquista.

     CAMPEONATO NACIONAL 2018/19
J
RES
S
Adversário
FCP
SCP
01
V 3-2
C
Vitória SC Guimarães
=
=
02
V 2-0
F
Boavista FC
=
=
03
E 1-1
C
Sporting CP
+ 1
=
04
V 4-0
F
CD Nacional
+ 1
=
05
V 2-0
C
CD Aves
+ 1
+ 3
06
E 2-2
F
GD Chaves
- 1
+ 1
07
V 1-0
C
FC Porto
+ 2
+ 4
08
D 0-2
F
B - SAD
- 1
+ 1
09
D 1-3
C
Moreirense FC
- 4
- 2
10
V 3-1
F
CD Tondela
- 4
- 2
11
V 4-0
C
CD Feirense
- 4
- 2
12
V 1-0
F
Vitória FC Setúbal
- 4
- 2
13
V 1-0
F
CS Marítimo
- 4
- 2
14
V 6-2
C
SC Braga
- 4
+ 1
15
D 0-2
F
Portimonense SC
- 7
- 2
16
V 4-2
C
Rio Ave FC
- 7
+ 1
17
V 2-0
F
CD Santa Clara
- 5
+ 3
18
V 1-0
F
Vitória SC Guimarães
- 5
+ 3
19
V 5-1
C
Boavista FC
- 5
+ 5
20
V 4-2
F
Sporting CP
- 3
+ 8
21
V 10-0
C
CD Nacional
- 1
+ 8
22
V 3-0
F
CD Aves
- 1
+ 8
23
V 4-0
C
GD Chaves
- 1
+ 10
24
V 2-1
F
FC Porto
+ 2
+ 10
25
E 2-2
C
B - SAD
=
+ 8
26
V 4-0
F
Moreirense FC
=
+ 8
27
V 1-0
C
CD Tondela
=
+ 8
28
V 4-1
F
CD Feirense
=
+ 8
29
V 4-2
C
Vitória FC Setúbal
=
+ 8
30
V 6-0
C
CS Marítimo
=
+ 8
31
V 4-1
F
SC Braga
+ 2
+ 8
32
V 5-1
C
Portimonense SC
+ 2
+ 8
33
V 3-2
F
Rio Ave FC
+ 2
+ 10
34
V 4-1
C
CD Santa Clara
+ 2
+ 13
NOTA: As diferenças não são em tempo real, pois não contemplam adiamentos ou antecipações de jogos e muito menos diferenças do dia da semana, entre sexta-feira e segunda-feira, em que os clubes jogam

Fazer o que ainda não tinha sido feito
O Benfica nunca tinha recuperado sete pontos de desvantagem face ao FC Porto.  Recuperou por três vezes frente ao Sporting CP: 1970/71 (a seis pontos, na 13.ª jornada, em 26); 1976/77 (a seis pontos, na 5.ª jornada, em 30); e 2015/16 (a sete pontos, na 13.ª jornada, em 34). Em 2018/19, quase a meio da competição, na 16.ª jornada, o Benfica encontrava-se a sete pontos do FC Porto. Há sempre uma primeira vez! Foi histórico pois o FC Porto nunca perdeu sete pontos de vantagem frente ao «Glorioso»!

Como é possível alguém do FC Porto ter moral
Quando a falta de ética é pública? Viciaram muitos jogos durante mais de 20 anos. Este foi viciado em Aveiro, a um domingo, para o FC Porto descansar dez futebolistas pois o campeonato nacional estava praticamente conquistado - ainda mais ficou no sábado quando o Sporting CP foi "roubado" no estádio do Boavista FC, mas quando o árbitro Augusto Duarte foi a casa de Pinto da Costa, na sexta-feira (16 de Abril de 2004) não se sabia - e havia a primeira mão das meias-finais da Liga dos Campeões para serem jogadas na terça-feira.




Assegurar os três pontos com os suplentes em Aveiro
Com o resultado (derrota depois de um "roubo monumental") do Sporting CP no estádio do Bessa o jogo em Aveiro tornou-se irrelevante para ter os futebolistas cansados depois da viagem à Choupana em melhores condições físicas para o jogo com o RC Deportivo Corunha. 


Jogo em 14 de Abril
Com o encontro da 27.ª jornada adiado, desde 20 de Março, para descansar os futebolistas para o encontro da primeira mão (23 de Março) frente ao Olympique Lyonnais, tornou-se obrigatório jogá-lo pois não haveria mais possibilidades face ao aproximar do final do campeonato nacional. O FC Porto jogou a 27.ª jornada entre a 31.ª e a 32.ª jornada.

Jogo em 18 de Abril
Com o treinadfor José Mourinho e os futebolistas a legar cansaço (a Imprensa divulgou essa informação até à exaustão) havia que poupar os principais futebolistas. Pinto da Costa quando soube que o árbitro para a 31.ª jornada, em Aveiro, era Augusto Duarte pagou-lhe para que o jogo corresse de feição mesmo jogando com os suplentes. Do onze inicial que empatara frente ao CD Nacional só jogaram Pedro Emanuel, Pedro Mendes e Maciel.




Jogo em 21 de Abril
Entre Aveiro e o jogo para a primeira mão das meias-finais da Liga dos Campeões, o treinador José Mourinho só manteve Ricardo Carvalho (mas não tinha jogado na Choupana) e Maniche (mas este tinha saído, ao intervalo, em Aveiro). Pedro Emanuel, Pedro Mendes e Maciel eram "tapa-buracos" (lesões e castigos) que foram utilizados como titulares na Choupana e Aveiro mas  "descartados" para este importante jogo. Com jogos comprados conquistar competições é mais fácil. Sérgio Conceição teve isso quando foi futebolista do FC Porto e quer tê-lo como treinador. Só que, em 2019/20, está mais difícil. Mas que tenta... tenta. que não consiga é o que os Benfiquistas desejam!




Deu muito jeito viciar os jogos em Portugal para conquistar a Liga dos Campeões

Que nesta temporada (2019/20) o «Glorioso»
Volte a desbaratar o FC Porto e Sérgio Conceição.

Que se volte a queixar para o ano para esconder novamente a incompetência!

Alberto Miguéns

"FC Porto deveria ter menos 10 pontos em relação ao Benfica"
Ler Mais ►

Subscrever este blogue