A criação deste Blogue, ideia de António Melo, tem como objectivo divulgar, defender o Sport Lisboa e Benfica e a sua Gloriosa história. Qualquer opinião aqui expressa vinculará apenas o seu autor, Alberto Miguéns.

SEMANADA: ÚLTIMOS 7 ARTIGOS

04/05/2016

A Mulher de César Sabe Nadar?

04/05/2016 + 6 Comentários API
NÃO CHEGA SER HONRADA TEM DE PARECER HONESTA.


A temporada passada – 2014/15 - terminou com a espectacular, mas justa, conquista da Taça de Portugal na única derrota nessa época do campeão nacional Clube Fluvial Portuense. Na presente temporada – 2015/16 – já ocorreu um facto insólito e prepara-se uma situação dúbia quando deveria estar clarificada!

Desde já uma espécie de nota de interesse ou mesmo notas de interesses acerca do Polo Aquático.

     1.     Pouco conheço da modalidade, apesar de gostar de a ver enquanto adolescente nos Jogos Olímpicos. Por isso nunca me atreveria a tecer considerações acerca de pormenores. Já quanto aos PorMAIORES o caso é diferente;

    2.   Assim que soube que o Benfica regressava à modalidade, fazendo reviver os anos dez, pois o "Glorioso" estreou-se a competir no Pólo Aquático, em 2 de Julho de 1916, dispus-me a acompanhar o plantel vendo os jogos “em casa” na Abóboda/Cascais (2014/15) e Algés ou Reboleira/Amadora (2015/16) pois tratava-se de uma equipa sénior do “Glorioso” merecendo ficarem registados para a posteridade os seus resultados. Temendo que houvesse diminuta visualização – já sei o que a casa gasta – fiz eu mesmo esses registos com o apoio impecável (sempre disponíveis) de todo o Pólo Aquático do Clube;

    3.   Fiquei muito agradado com o que vi (já dei conta disso há um ano neste blogue). É uma Secção (Pólo Aquático) que honra o Clube porque tem os valores e a Cultura do Benfica. Postura irrepreensível, desempenho responsável, sempre à procura do melhor resultado, aprumo imaculado, comportamento digno que é o orgulho de quem as vê jogar e lutar pelo engrandecimento do Clube. Como amadoras fazem-me, até recordar, que seria assim – embora com características de jogo e épocas distintas como é evidente – os primeiros tempos do Futebol no Clube;

     4.   Também, mesmo para um leigo (nem me atrevo a criticar decisões em concreto dos árbitros, pois não domino as Leis do Jogo) é fácil perceber conhecendo várias modalidades que as arbitragens são fundamentais para “dar verdade ao jogo” quando estes são entre equipas equilibradas. Imaginem um jogo de Andebol mas jogado dentro de água, onde as condições de visibilidade são diminutas, onde não podem existir linhas (apenas marcas nas laterais das piscinas) a delimitar marcas de grande penalidade ou nem sequer linha de golo nas balizas (e já vi – porque estava colocado no enfiamento da baliza - dois golos que o Benfica marcou “de certeza” e não foram validados, por exemplo).

No primeiro jogo do “Glorioso”, quase centenário (2 de Julho de 1916), um empate a três golos frente à equipa do Sport Algés e Dafundo. De cima para baixo. Da esquerda para a direita. Francisco Lima, Rosendo da Silva, Carlos Sobral e Aníbal de Almeida; Vinhais, Gilberto Monteiro (guarda-redes) e Idelino Lima . Imagem digitalizada da página 346 da História do SL Benfica (1904-1954); volume I; Mário de Oliveira e Rebelo da Silva; edição dos autores; Lisboa; fascículos editados entre 1954 e 1955

Esta temporada aconteceu um facto insólito e está outro para acontecer

O facto insólito
O Clube Fluvial Portuense (CFP) campeão nacional, em título, e recente vencedor da Taça de Portugal, na Mealhada, decidiu apresentar uma equipa constituída pelas jogadoras menos experientes e categorizadas (não internacionais) frente ao emblema ADDCE Gondomar que compete (a par do “Glorioso”) pelo segundo lugar que dará acesso a discutir com o campeão nacional da temporada passada... o desta época. Resultado ou resultados: a única derrota do CFP na época (D 6-11) e a distorção da posição de que clube ficará em segundo lugar. O SLB que apresentava melhores resultados, está agora na contingência de ter uma missão de grau de dificuldade acrescido pois os resultados entre o “Glorioso” e as valorosas jogadoras gondomarenses têm primado pelo equilíbrio. O CFP é “maior e vacinado” para definir a sua vida, ou seja, utiliza quem bem entender. É uma atitude que apenas lhes diz respeito, embora no desporto, humilhar seja muito mais desrespeitar os adversários desprezando-os que golear, como que a dizer “nem dão luta, estas chegam” ou "não lhes vamos marcar mais golos que nem merecem". O Benfica prefere sempre defrontar as melhores dos melhores. O “Glorioso” fez-se grande porque teve adversários valentes para competir e vencer. Preferimos assim! 



O factor “casa” tem sido decisivo nos jogos entre os dois emblemas. O jogo de sábado é importantíssimo para definir o 2.º classificado

O que se prepara
O encontro do próximo sábado tornou-se vital devido à «inesperada» derrota do CFP, a melhor equipa até esta fase da competição, mas esta época ainda não terminou. O Benfica como é da sua Cultura quer ter as melhores condições para poder discutir o título frente ao actual campeão nacional. Ora, por tudo o que já foi dito, exigia-se que os responsáveis federativos pela modalidade fizessem deste jogo… “o jogo”. Porque será dele – o Benfica em Gondomar – que sairá o adversário para tentar retirar (no bom sentido desportivo) o título ao excelso clube portuense, um dos baluartes dos desportos náuticos em Portugal. Era previsível que fossem nomeados, entre os dois árbitros, um do Porto e outro de Lisboa. Nada disso. Contra o bom senso foram nomeados dois do Porto.

Os responsáveis pelo Pólo Aquático
Têm feito o possível (e o impossível) para sensibilizar os responsáveis, mesmo o presidente da Federação Portuguesa de Natação (FPN), por que sentem-se injustiçados, numa modalidade que é amadora e se “combate por ela” como por uma causa. Não por dinheiro, regalias ou mordomias, mas para que não se deixe extinguir ou tornar regional, em vez de nacional, uma modalidade antiga e olímpica. Preocupação que devia ser o “ponto de ordem” da FPN. Criar condições para que haja justiça. Para que se minimizem os erros ou que não haja suspeição.


Não está em causa a competência dos dois árbitros nomeados
O que há é tentar perceber e entender a atitude displicente dos responsáveis da FPN. Não podem ser evocadas razões economicistas para não fazer deslocar um árbitro de Lisboa, no sábado, à piscina de S. Cosme, em Gondomar. Isto quando os clubes pagam as verbas exigidas pela FPN para terem as melhores condições para competir e a FPN (muito bem) procura organizar eventos internacionais dispendiosos para dar visibilidade à sua actividade.

Parece que quase 2200 anos depois ainda há quem não tenha aprendido uma lição básica, que deixo aqui explícita (retirada da wikipédia.pt):

«A estória é bastante conhecida. Decorria, em casa de Júlio César, no dia 1 de Maio do ano 62 a.C., a festa da Bona Dea  “Boa deusa”, uma orgia báquica, reservada exclusivamente às mulheres. A celebração fora organizada por Pompeia Sula, segunda mulher de Júlio César, ao que consta, uma mulher jovem e muito bela.
Acontece que Publius Clodius, jovem rico e atrevido, estava apaixonado por Pompeia, não resistiu: disfarçou-se de tocadora de lira e, clandestinamente, entrou na festa, na esperança de chegar junto de Pompeia. Porém, foi descoberto por Aurélia, mãe de César, sem que tivesse conseguido os seus intentos.
Nesse mesmo dia, todos os romanos conheciam a peripécia e César decretou o divórcio de Pompeia. Mas César não ficou contra Publius Clodius, chamado a depor como testemunha em tribunal, disse que nada tinha, nem nada sabia contra o suposto sacrílego. Foi o espanto geral entre os senadores: “Então porque se divorciou da sua mulher?”. A resposta tornou-se famosa: “A mulher de César deve estar acima de qualquer suspeita”.»



Esta frase deu origem a um provérbio, cujo texto é geralmente o seguinte: 

À mulher de César não basta ser honesta, tem de parecer honesta! Que assim seja com a Federação Portuguesa de Natação!

Alberto Miguéns


6 comentários
comentários
  1. Assunto bastante pertinente. Seria bom que a Federação Portuguesa de Natação revelasse um pouco de bom senso. Evitar-se-ia uma deterioração estéril apenas usando dessa virtude. Evitar-se-ia o trajecto destrutivo que outras Federações acabaram por percorrer.

    ResponderEliminar
  2. Anónimo4/5/16 16:37

    Esta federação é uma vergonha, o polo é o parente pobre a que só dá destaque (pouco) quando não há nenhuma competição de natação a decorrer, se lá for agora verificará que os resultados da 15ª jornada continuam incompletos e da 16ª não aparece um único resultado. E sobre a preferência que o seleccionador nacional dá às jogadoras do norte nem vale a pena falar.

    Não fossem os posts no Em Defesa do Benfica e o polo aquático do Benfica ainda hoje estava votado à "clandestinidade", tanto por parte do clube como da maioria dos bloguers e páginas do Facebook de adeptos do nosso clube. Obrigado Alberto Miguéns pela disponibilidade e pelo apoio que tem dado a esta equipa de guerreiras.

    Viva o Benfica!

    ResponderEliminar
  3. Anónimo5/5/16 08:48

    Quando Não se sabe realmente não se deve falar. 1º jogo fluvial-gondomar; realmente uma vitória inesperada do gondomar, mas se se informasse (visto que devia ser sempre principio de uma possível publicação), sabia que o próprio Gondomar estava desfalcado, Parece que foi um bom jogo de Juniores entre ambas as equipas.
    2º e relativamente aos árbitros, é uma luta infinita. E mais uma vez se se informasse iria reparar que o contrário também não acontece, quando uma equipa do norte vai a LIsboa, por mais decisivo que o jogo seja, também não vai um árbitro de LIsboa. No entanto, posso informar-lhe de um acontecimento insólito, numa jornada, da presente época, em que um dos jogos era CFP-SLB teve não 1 mas DOIS árbitros de LIsboa. "INSÓLITO" não?
    Sem mais de momento.

    Cumprimentos e boas pesquisas

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Caro Anónimo

      Obrigado pelo comentário e pelos esclarecimentos.

      Mas continuo a achar tudo muito estranho. Mas não sou um especialista como o caro leitor aparenta (e deve ser). Só que esse jogo em Gondomar é fundamental para poder haver uma final frente ao Clube Fluvial Portuense sem mácula. Temo que se for o ADDCE Gondomar voltem a jogar com "juniores" o que não prestigiará o campeonato! Se for o SLB tenho a certeza que jogarão as melhores. O que não quer dizer que no próximo jogo em S. Cosme o ADDCE Gondomar se vencer com justiça o SLB não seja um justo finalista.

      Saudações

      Alberto Miguéns

      Eliminar
  4. Anónimo5/5/16 14:21

    Parece ou foi realmente um bom jogo de júniores? O sr. anónimo não sabe, não estava lá? Sabe do que fala ou não?
    Qual a mais valia de um jogo do campeonato nacional sénior ser um bom jogo de júniores?!!

    ResponderEliminar
  5. Anónimo5/5/16 23:07

    Esta FPN, tem de apostar mais na modalidade e ter árbitros de ambas as zonas, pague o deslocamento do árbitro de Lisboa ou do Norte quando for o caso.
    A verdade desportiva será sempre a mais importante, custe o que custar!

    Já tive jogos com apenas um árbitro do Norte e sendo a minha equipa do centro...

    E o site do FPN, está sempre desatualizado e esquecido na secção do Polo Aquático. E sempre a escreverem mal os nomes dos jogadores, estando todos registados na FPN.

    ResponderEliminar

Em Defesa do Benfica no seu E-mail