A criação deste Blogue, ideia de António Melo, tem como objectivo divulgar, defender o Sport Lisboa e Benfica e a sua Gloriosa história. Qualquer opinião aqui expressa vinculará apenas o seu autor, Alberto Miguéns.

SEMANADA: ÚLTIMOS 7 ARTIGOS

16/06/2013

Treinador do FC Porto? Qualquer Zé Ninguém Serve! (parte III)

16/06/2013 + 6 Comentários API
OPINIÃO

Estúpidos nos Média! Não é a "Estrutura" é a "Estrutura estruturada" (vulgo Sistema, para nós mortais)
Que os treinadores do FC Porto são fracos, até a imprensa (agora admite) mas curiosamente ao admitir "informa" que ganham por que têm "uma estrutura forte e ganhadora atrás"! Ou seja, chegámos a uma nova dimensão do futebol, em que não interessa ter um treinador com qualidade. Basta ter uma estrutura, arranjar um Zé Ninguém, para passear a braçadeira de treinador e preencher os pré-requisitos da competição e eis que  a equipa a jogar... ganha porque tem a "Estrutura": atrás, ao lado e à frente. Poupem-me. "Senhores" dos media. Não é "Estrutura". É o "Sistema"... estúpidos! Ou então, quais cobardes, os Idiotas Úteis nos media arranjaram um eufemismo para "Sistema" chamando-lhe "Estrutura"! E é, afinal um "Sistema" é uma "estrutura estruturada"!

Uma "coisa" eu sei!
Pinto da Costa (PdC) nunca quis ter bons treinadores no FCP. Sempre quis ter treinadores que lhe servissem os propósitos: ou seja fazer o que ele manda e não serem inteligentes, para perceberem que não são eles os principais obreiros dos triunfos, mas quem joga por fora. Por isso quer treinadores medíocres em início de carreira que não percebam que o mérito das conquistas é muito mais de quem joga por fora do que quem joga por dentro!

Parte I (5 em 18): José Maria Pedroto, Artur Jorge, Tomislav Ivic, Quinito e Carlos Alberto Silva
Quando PdC (assim evito escrever um nome sujo) assumiu a presidência do FCP tratou de resgatar Pedroto, pois os dois tinham sido "expulsos" pelo presidente da Direcção (actual penultimo na história do FCP) Américo de Sá, do clube portista após findar a temporada de 1979/80 com o FCP a perder o campeonato nacional para o Sporting CP e a final da Taça de Portugal (no Jamor) para o Benfica. Nas 13 épocas iniciais - mais concretamente "doze e meia" PdC contratou cinco treinadores, com dois deles (Artur Jorge e Ivic) a regressarem para um segundo período e um (Quinito) que "nem aqueceu" o lugar.

TREINADORES DO FC PORTO NA ERA (que nunca mais é) PINTO DA COSTA

Pedroto: O Mestre  com "boa imprensa"
José Maria Pedroto conseguiu alcandorar-se a Mestre, mas nunca obteve melhores resultados que os seus antecessores nos clubes por onde passou, com destaque para o Vitória FC Setúbal, onde Fernando Vaz fez melhor e por causa de Pedroto e da "boa imprensa" deste, caiu no esquecimento, até para os vitorianos sadinos. Incrível. Pedroto no FCP foi bicampeão por causa do "Sistema" (ainda que incipiente, entre eles os árbitros António Garrido, Porém Luís e Manuel Vicente). Em jogos internacionais é dos piores treinadores (piores registos) portugueses, quer na selecção nacional, quer no FC Porto!

Artur Jorge: O treinador-poeta com prosa de cordel
Muita parra, pouca uva! Um treinador intelectual que foi endeusado, mas que fora do clube com "apoios-extra" nunca passou da mediania. Bem... até passou. Mas para ser ainda pior, para ser medíocre! Muita sorte teve este ser em ser campeão europeu e conquistar três (2 + 1) títulos de campeão nacional. Mais um campeonato de França, na época em que decorreu o processo ao Olímpico de Marselha que desgastou este clube, levando à sua despromoção à Segunda Divisão apesar do segundo lugar no final da temporada.

TOMISLAV IVIC
Épocas
Clube
Classificações
Observações
1973/74

NK Hajduk Split
CN (7 derrotas)

1974/75
CN (6 derrotas)
1975/76
2.º/ 18 I L
1976/77
AFC Ajax
CN (5 derrotas)

1977/78
2.º/ 18 I L
1978/79
NK Hajduk Split
CN (4 derrotas)

1979/80
5.º/ 18 I L
1980/81

RSC Anderlecht
CN (3 derrotas)

1981/82
2.º/ 18 I L
1982/83
2.º/ 18 I L
1983/84
Galatasaray SK
3.º/ 18 I L

1984/85
FK Dinamo Zagreb
6.º/ 18 I L

1985/86
AS Avelino 1912
11.º/ 18 I L

1986/87
NK Hajduk Split
8.º/ 18 I L

1987/88
FC Porto
CN (1 derrota)

1988/89
Paris Saint-Germain
2.º/ 20 I L

1989/90
5.º/ 20 I L
1990/91
C. Atlético Madrid
2.º/ 20 I L

1991/92
Olímpico Marselha
CN (3 derrotas)
Título sob suspeita
1992/93
SL BENFICA
Saiu na 9.ª jornada
1993/94
FC Porto
Saiu na 17.ª jor.

1994/95
Fenerbahçe SK
4.º/ 18 I L

1995/96
Sel. E.A.U.
------------------

1996/97
Al Wasl
Não foi campeão
E.A.U.
1997/98
NK Hajduk Split
2.º/ 16 I L

1998/99
R. Standard Liége
6.º/ 18 I L

1999/00
5.º/ 18 I L
2000/01
Olímpico Marselha
15.º/ 18 I L

2001/02
9.º/ 18 I L
2002/03


Sem clube
2003/04
Al Ittihad FC
Arábia Saudita


Evoluir no Leste
Num tempo em que havia um país chamado Jugoslávia, Tomislav Ivic cedo despontou no emblema mais carismático de Split numa das regiões da Jugoslávia, a Croácia pondo "em sentido" os dois clubes mais populares do país, amos da capital Belgrado: FK Estrela Estrela Vermelha e FK Partizan. Bicampeão pelo NK Hajduk Split, rumou para a Europa Ocidental, deixando o Socialismo e abraçando os valores do capitalismo, com passagens pelos clubes mais populares da Bélgica e Holanda, onde foi campeão: AFC Ajax (1976/77) e RSC Anderlecht (1980/81).

Futebol simples mas muito previsível
Cedo entrou em declínio. O sucesso rapidamente se transformou em insucesso, pois o futebol que implantava nos clubes que o contratavam era facilmente estudado e anulado pelos técnicos de emblemas da mesma ordem de grandeza, na Turquia ou Jugoslávia. Considerado um técnico vulgar, por isso acessível foi treinar um modesto emblema debutante na Série A de Itália, o AS Avelino 1912. Arriscou-se a ser despromovido! Sem mercado regressou ao "seu" clube de Split, mas já um técnico em decadência foi, inesperadamente, recuperado pelo FC Porto depois deste sagrar-se campeão europeu e Artur Jorge abandonar Portugal para ir "versejar" para Paris.


Os jornais portugueses exaltaram-se. Pinto da Costa contratava um estrangeiro!
Em 1987/88, a chegada de Ivic foi vista como a "Quinta Maravilha". Um técnico campeão em três países estava em Portugal. Só que o último título datava de 1980/81, ou seja, haviam passado sete épocas "em branco". Que interessa isso! Eis PdC a mandar recados. Estejam calados, s'ta bem!
Cá estavam os "apoios-extra" para o FCP recuperar, ao Benfica o título de campeão nacional: Pinto Correia (Lisboa), Fortunato Azevedo (Braga), Miranda de Sousa (Coimbra), José Pratas (Évora), Francisco Silva ("ia contar tudo", Faro), Mário Leal (Leiria), José Silvano (Vila Real) e Jorge Coroado ("tinha dias", Lisboa).
 Uma época de "sonho" que até deu para conquistar uma Taça Intercontinental, em Tóquio, onde "um monte de neve" desviou para dentro da baliza uruguaia uma bola chutada para fora por Madjer, já no tempo de prolongamento. Alucinante. O futebol "rasca" sustentado num artificialismo que mais tarde se percebeu de onde provinha, fez com que Ivic, apesar de vencedor da Supertaça Europeia, Taça Intercontinental, Taça de Portugal e Campeonato Nacional fosse "chutado" para o "habitual caixote do FCP": PSG.

Ter uma "sorte do caraças"
Depois de duas épocas frustrantes, de mal (2.º lugar) a pior (5.º lugar) o treinador do "futebol básico, porque previsível" foi a Espanha, após Gil y Gil gastar "mundos e fundos" no "Patético" (2.º lugar). Nova chamada a França, para treinar o tricampeão Olímpico de Marselha de Bernard Tapie. De PdC para Gil y Gil e deste para Tapie. Estava bem entregue! Tão bem que o tetracampeonato conquistado em 1991/92 levanta muitas suspeitas depois do que se passou no pentacampeonato, depois retirado do palmarés, por corrupção de Tapie.


A pressão dos media resultou: o Benfica precisa é dos "durões" Ivic's não é dos "molengões" Eriksson's e Toni's
E não é que os dirigentes do Benfica cumpriram a "cartilha que lhe impingiram" em A Bola. Venha de lá, do "conhecido" Marselha, o Ivic do FCP! Os que "exigiam" Ivic´s logo começaram a fazer-lhe "a folha"! Com uma mentira, que se sabia ser mentira, mas como "era engraçada" era melhor contar a mentira que esclarecer ou dizer a verdade.


A rábula do campo encurtado
No final da temporada anterior (1991/92) jogara-se na Saudosa Catedral, em 6 de Maio de 1992, a final da Taça dos Vencedores das Taças. Por sugestão dos dois finalistas, SV Werder Bremen e AS Mónaco, que consideraram o relvado da Luz muito longo em largura, pediram para as linhas laterais recuarem (penso que dois ou três metros, estou a citar de memória, mas penso que não chegou a quatro metros). Assim foi. Terminado o jogo e a época, o campo ficou assim no "defeso". Quando a temporada seguinte se iniciou, já com Ivic, este foi questionado acerca das mudanças na dimensão "largura" ao que terá dito. Não alterem. Fica assim! Em breve, os que tanto o elogiavam começaram a dizer que "Ivic pedira para encurtar o campo!"


Afinal ter "boa imprensa" rima (à poeta Artur Jorge) com andróide
O futebol previsível de Ivic estava condenado ao insucesso. Até porque os "apoios-extra" não existiam no "Glorioso" mas sim do outro lado onde estava um treinador "ainda mais vulgar" que Ivic, de seu nome: Carlos Alberto Silva. Mas que conquistou um bicampeonato a Eriksson (1991/92) e a Ivic (1992/93). Bem... a Ivic e Toni, pois Ivic foi de "patins" logo na 9.ª das 34 jornadas.


Para a segunda passagem de Ivic pelo FCP utilizo o texto já publicado em 11 de Junho de 2013

Ivic regressou ao FC Porto porque Pinto da Costa queria provar que Ivic não triunfara no SLB, em 1992/93, porque "o Benfica era um Circo" expressão que Artur Jorge voltou a utilizar em 1994/95. Dirigiu a equipa de futebol durante seis meses, entre 15 de Julho de 1993 e 30 de Janeiro de 1994 Foi despedido do FCP depois de uma vitória, por 2-0, em Aveiro com o SC Beira-Mar, em 23/01; e vitória por, 2-0, em casa do SC Salgueiros, na I Divisão, em 30/01. Mas... na véspera de se deslocar ao estádio da Luz (6 de Fevereiro de 1994) com menos quatro pontos. Primeira jornada da segunda volta, com 3-3 na 1.ª jornada. O jogo dessa 18.ª jornada era decisivo para o FCP. E foi!Já com Bobby Robson, entretanto despedido do Sporting CP!

RESULTADOS DE IVIC EM 1993/94
Competições
J
V
E
D
GM/GS
Observações
Campeonato Nacional
17
9
6
2
27/10
Perdeu dez pontos na primeira volta. O SLB perdeu... seis. Estava a quatro!
Supertaça
2
1
0
1
1/1
Resolvida na época seguinte numa finalíssima
Taça Portugal
3
3
0
0
9/3
-----------
Liga
Campeões
6
3
2
1
6/5
Derrota por 0-3 com o AC Milan


Após "segunda passagem pelo FCP": atroz ao quadrado!
Se o seu futebol era previsível nos anos 80, na década de 90 e início do século XXI, incapaz de evoluir, tornou-se um treinador sem qualidade. Impressiona o modo como conquistou o que conquistou no FCP em 1987/88. Ou talvez não... Basta ver os "apoios-extra" que nunca mais voltou a ter. 


Para Quinito utilizo o texto já publicado em 11 de Junho de 2013

Quinito dirigiu o FCP durante cerca de quatro meses, entre o início da temporada  (20 de Julho de 1988 e 1 de Novembro de 1988). Saiu do FCP depois de ter obtido um empate, 0-0, em Fafe, com o CD Fafe (11.ª jornada em 30 de Outubro de 1988) e ser eliminado pelo PSV Eindhoven, nos oitavos-de-final da Taça dos Clubes Campeões Europeus, após 0-5 em Eindhoven e 2-0 no estádio das Antas.

RESULTADOS DE IVIC EM 1988/89
Competições
J
V
E
D
GM/GS
Observações
Campeonato Nacional
11
5
6
0
10/4
Em 11 jornadas, 5 vitórias em casa e 6 empates... fora! O futebol mais previsível que eu alguma vez assisti!
Supertaça
2
0
1
1
0/2
O Vitória SC Guimarães conquistou a Supertaça
Taça Portugal
1
1
0
0
2/0
Eliminou o UD Vilafranquense (III D)
Taça Campeões
4
2
0
2
5/7
Depois de conseguir perder, por 0-2, com o HJK Helsínquia, foi goleado (5-0) pelo PSV Eindhoven



Falta completar com um treinador que vai ser fácil fazer, tão vulgar e fraco ele foi!

CARLOS ALBERTO SILVA
Épocas
Clube
Classificações
Observações
1978
Guarani
CN (numa final)
A duas mãos
1979
Não foi campeão

1980
São Paulo FC
Não foi campeão

1981
Não foi campeão

1982
C. Atlético Mineiro
Não foi campeão

1983
Não foi campeão

1984
Santa Cruz (Recife)
Não foi campeão

1985
Não foi campeão

1986
Sport Recife
Não foi campeão

1987
Cruzeiro EC
Não foi campeão

1987/88
Sel. Brasil
--------------
Med. Prata
1988/89
--------------

1989
São Paulo FC
Não foi campeão

1990
Não foi campeão

1990/91
Yomiuri Kawasaki
CN do Japão

1991/92
FC Porto
CN (2 derrotas)

1992/93
CN (4 derrotas)
1993
Cruzeiro EC
Não foi campeão

1994
Corinthians
Não foi campeão

1995
Palmeiras
Não foi campeão

1996
Vasco Gama
Não foi campeão

1997/98
RCD Corunha
12.º/ 20 I L

1998
C. Atlético Mineiro
Não foi campeão

1999
Goiás
Não foi campeão

2000
Santos FC
Não foi campeão

2001


Sem clube
2002/03
CD Santa Clara
13.º/ 18 I D

2003


Sem clube
2004
América (Minas Gerais)
Não foi campeão

2005
C. Atlético Mineiro
Não foi campeão


Incrivelmente fraco
Quando se pensava - eu no início da década de 90, pensava - que o Benfica com capacidade para gastar o triplo do FC Porto, "obrigaria" este a investir dinheiro que não tinha PdC consegue ainda descer mais a qualidade dos treinadores e ganhar um campeonato, aliás dois campeonatos com uma aberração como técnico de futebol: Carlos Alberto Silva.

Campeão do Brasil quando o campeonato era... Taça
Carlos Alberto Silva surpreende ao conquistar o título de campeão brasileiro, se bem que nesse tempo o campeonato do Brasil não fosse a pontuar, mas a eliminar como se de uma Taça se tratasse. Depois passada esta "sorte de principiante" foi treinando emblemas brasileiros conceituados, até a selecção brasileira, sem resultados, pelo contrário. A "aura de sorte" desvaneceu-se e  "Silvinha" teve de sair do Brasil para "tentar enganar".

Campeão no Japão
Em 1990/91 conseguiu o "golpe de sorte", igual ao da primeira temporada, quando foi contratado pelo clube de Kawasaki (para onde se mudara quando "deixou" Tóquio, bem como o nome Verdy FC, que dominara o futebol nipónico na década de 80 mas perdera fulgor para os rivais da capital Tóquio. Investindo "forte e feio", o Yomiuri SC foi campeão com Carlos Alberto Silva e depois... tetracampeão.



Bicampeão no FCP
O que se passou no FCP, em 1991/92 e 1992/93, é uma fotocópia do que se passara com Pedroto, Artur Jorge (3 títulos) e Ivic (2 títulos). Mais do mesmo. Muito "apoio-extra". Muita vergonha. Mas entre todas escolho uma! Jamais esquecerei a tarde do dia 22 de Março de 1992 quando após dar por finalizado o jogo da 27.ª jornada, com uma arbitragem vergonhosa a favor do FC Porto, que lhes entregava o título, após vitória por 3-2 na Saudosa Catedral, o árbitro Fortunato Azevedo corre para o centro do relvado, abraça o fiscal-de-linha que estivera do lado dos associados do Benfica (Antigo Terceiro Anel) e levanta os braços fazendo o sinal de vitória em direcção à bancada, perante a indignação dos sócios do "Benfica". Incrível. Mas a resposta que deu no programa da RTP, Domingo Desportivo nessa noite de domingo ainda é mais hilariante, pois foram mostradas imagens esclarecedores de um "Glorioso" gravemente prejudicado: «Por que estava tão efusivo a comemorar no centro do relvado?» «Porque tinha a consciência, que num jogo desta importância, fiz uma óptimo trabalho, honrando a causa da arbitragem». De pasmar!

A seguir, entre 1993 e 2005,  ganhou...
... Nada. Tipicamente um treinador "À Porto"!

Eles só ganham no FCP de PdC. Mas já não é - se alguma vez foi! - estranho. Afinal há um clube no Mundo que nem precisa de ter um "bom" treinador para... treinar (entre jogos) e orientar a equipa (nos jogos). Chega a "Estrutura"!



QUADRO DOS TREINADORES DA ERA
 (nunca mais é) PINTO DA COSTA
Épocas
Treinador
1982/83
1983/84
Pedroto
1984/85
1985/86
1986/87
Artur Jorge
1987/88
Ivic
1988/89
Quinito
1988/89
1989/90
1990/91
Artur Jorge
1991/92
1992/93
Carlos Alberto Silva
1993/94
Ivic
1993/94
1994/95
1995/96
Bobby Robson
1996/97
1997/98
Oliveira
1998/99
1999/00
2000/01
Fernando Santos
2001/02
Octávio
2002/03
2003/04
José Mourinho
2004/05
Del Neri
2004/05
Victor Fernandez
2004/05
José Couceiro
2005/06
Co Adriaanse
2006/07
2007/08
2008/09
2009/10
Jesualdo Ferreira
2010/11
André Villas-Boas
2011/12
2012/13
Vítor Pereira
2013/14
Paulo Fonseca
NOTA: A azul treinadores "biografados"

Alberto Miguéns

NOTA: Plano dos próximos textos no EDB (também faço esta lista para não me esquecer e "obrigar-me" a comprometer para cumprir!)

Segunda-feira/17: Vejam lá se acertam mais!

Terça-feira/18: Em que é que ficamos?

Quarta-feira/19: Os títulos "À Sporting"!

Quinta-feira/20: Vejam lá se acertam mais! (parte II)

Sexta-feira/21: O jogo-chave da época

Sábado/22: O jogo-parafuso da época

Domingo/23: Obrigado, Aimar

Segunda-feira/24: Obrigado, Cardozo

Depois desta data completarei estes textos acerca dos "Zés Ninguém" do FCP

6 comentários
comentários
  1. Tenho estado a acompanhar...

    1 abraço

    ResponderEliminar
  2. Este ano é um fartote de MELÕES.
    Mais dois:
    Futsal (Sporting) e Hóquei (Valongo)

    ResponderEliminar
  3. Bruno Paiva16/6/13 14:05

    Também tenho andado a seguir e devo dizer que até agora tem visto um excelente trabalho pautado pelo rigor, exactidão e qualidade!

    Já todos sabemos que a maioria dos jornalistas portugueses não chegam aos calcanhares do sr. Miguéns

    Muitos Parabéns e fico ansiosamente à espera dos capítulos finais sobre esta pérola dos Zé Ninguém do fcp!!

    ResponderEliminar
  4. Alexandre16/6/13 18:21

    Esse Ivic foi mais uma aberração que nos impingiram.Dos piores treinadores que passaram pelo Benfica estando ao nível do Csernai.Quanto ao brasileiro das ventas tortas,nessas 2 épocas que foi campeão no porto,a equipa não jogava nada.Estavamos então no auge da roubalheira,com peões como o Fortunato Azevedo digno sucessor do Rosa Santos nas arbitragens dos jogos contra a agremiação corrupta,Marques da Silva(quem não se lembra daquela arbitragem em Chaves na época 92-93),Calheiros(nessa mesma jornada roubou o Benfica em Aveiro),Lourenço Ferreira,Silvano,Francisco"bufo"Silva,José Pratas,Bento Marques,"Aziado"Cororado(na memória aquela arbitragem com o Torreense na Luz em 91-92),João Mesquita, Donato Ramos e o carniceiro Soares Dias(o jogo em Setubal na época 90-91,com Paneira,Schwarz e o foleiro Mendes no estaleiro antes da meia hora,com o lenhador do Figueiredo a ver o cartão amarelo perto do fim).Se acham que o sistema está vivo,então haviam de ver estas pérolas do apito nesta altura,comandados pelo Al Capone e os seus súbditos Lourenço Pinto,Pinto de Sousa,Laureano da jarra,Fernando Marques e o lendário esganiçado do Adriano Pinto. Sr. Alberto Miguéns como sempre um trabalho 5 estrelas.

    ResponderEliminar
  5. quando a estrutura falha o culpado acaba sempre por ser o treinador mesmo quando quase não fazem nada... aliás o melhor é não inventarem muito e colocarem o 4-3-3 mais simples de implementar

    ResponderEliminar
  6. Fico pasmado com a azia e tentativa de explicação pra os sucessos do porto....sou Benfiquista e sócia à mais de 20 anos ....e vi como fcp ganhou....nos benfuiquistas não vencemos mais vezes porque temos sido incompetentes..principalmente as direções ....abraco

    ResponderEliminar

Em Defesa do Benfica no seu E-mail