A criação deste Blogue, ideia de António Melo, tem como objectivo divulgar, defender o Sport Lisboa e Benfica e a sua Gloriosa história. Qualquer opinião aqui expressa vinculará apenas o seu autor, Alberto Miguéns.

SEMANADA: ÚLTIMOS 7 ARTIGOS

30/06/2013

Em Vez de Treinarem… Comentam

30/06/2013 + 1 Comentários


OPINIÃO

As declarações de Sá Pinto acerca dos futebolistas sérvios do “Glorioso” podem estar certas ou não. O tempo, ou melhor, a temporada de 2013/14 encarregar-se-á de mostrar que valor tem a sua opinião. Mas eu fico sempre de “pé atrás” quando vejo treinadores que não conseguem treinar com resultados mínimos aceitáveis, passarem grande parte da sua vida nos media a comentar. Um treinador é um cidadão. Pode comentar o que quiser e quando quiser. Tem esse direito! Mas se é treinador, ao intitular-se técnico de futebol, o comentário deve ser feito esporadicamente. O seu dever? Deve é passar mais tempo a treinar! Dediquem-se ao treino. Não são treinadores?

Retirado de www.maisfutebol.iol.pt


Dizer que os treinadores portugueses são dos melhores…
… é criar uma ilusão que só desfavorece a sua actividade. Por que não é essa a ideia que há nos países onde exercem a sua actividade. Como não acredito naquilo que se diz e escreve em Portugal (ver NOTA FINAL), publico um quadro com a última época (2011 ou 2011/12) em que tenho estatísticas fidedignas retiradas de duas publicações:  
The European Football Yearbook 2012/13 publicado em Setembro de 2012; 
Oliver's Almanack of World Football 2012: TheYearbook of World Soccer. In Associationwith FIFA.Com publicado em Maio de 2012.




Apenas em finais de Setembro ou início de Outubro de 2013 terei acesso às edições destas duas publicações com as classificações e actividade das temporadas de 2012 e 2012/13.

ACTIVIDADE DOS TREINADORES PORTUGUESES NO ESTRANGEIRO EM 2011/12
País
Posição FIFA (1)
Treinador
Clube
Class. CN (2)
Espanha
1.º
José Mourinho
Real Madrid CF
1.º/20
Inglaterra
6.º
André Villas-Boas
Chelsea FC
D27/38
Portugal (10.º)
Rússia
13.º
José Couceiro
FK Lokomotiv
7.º/16
Grécia
15.º
Fernando Santos
Selecção Nacional
Jesualdo Ferreira
Panathinaikos FC
2.º/16
Suíça
21.º
João Alves
Servette FC
4.º/10
Hungria
31.º
Paulo Sousa
Videoton FC
2.º/16
Turquia
33.º
Carlos Carvalhal
Besiktas JK
4.º/18
Escócia
41.º
Paulo Sérgio
Heartof H. FC
5.º/12
Irão
45.º
Carlos Queiroz
Selecção Nacional
Egipto
48.º
Manuel José
Al Ahly
(3)
Roménia
52.º
Jorge Costa
CFR Cluj
D25/34

China

73.º
Jaime Pacheco
Beijing Guoan FC
   2.º/16
Manuel Barbosa
Shandong LT FC
   5.º/16
Nelo Vingada
DalianShide FC
12.º/16

Angola

84.º
António Caldas
GD Interclube
  4.º/16
Carlos Manuel
CD 1.º de Agosto
   5.º/16
Luís Aires
CR Caála
  6.º/16
José Dinis
AS Aviação
10.º/16
Amado Ferreira
S. Luanda e Benfica
12.º/16
Burkina Faso
86.º
Paulo Duarte
Selecção Nacional
A. Saudita
92.º
Eurico Gomes
Al Raed
D15/26
E.A.U.
119.º
Carlos Azenha
Al Sharjah
D 4/22
Tailândia
136.º
Henrique Calisto
Muangthong UFC
3.º/18
NOTA: (1) –Coeficiente FIFA em 6 de Junho de 2012; (2) – Campeonatos nacionais em 2011 ou 2011/12; (3) – Interrompido em 1 de Fevereiro de 2012 devido à tragédia em PortSaid
Designações: 3.º/18 3.º classificado em 18 clubes; D 4/22 – Despedido na 4.ª jornada em 22 jornadas
O Coeficiente FIFA é referente ao final da época de 2011/12 para tornar a comparação mais fidedigna. Havia 209 selecções. Actualmente são 210 com Gibraltar a ser admitida em 2013 como 54.ª federação da UEFA.

Os resultados obtidos pelos treinadores portugueses são banais
A maior parte dos treinadores portugueses exercem a profissão em países com nível futebolístico inferior ao português, se bem que indexar o coeficiente das selecções à qualidade do futebol de cada país é apenas uma aproximação à realidade, mas não há outro meio para estabelecer comparações. Há José Mourinho e os outros. Quanto aos "outros". Em 2011/12 não existia qualquer treinador português num país do continente americano. E em 2012/13 penso só existir um no México, Pedro Caixinha do Club Santos Laguna, com resultados a "meio-da-tabela", mas isso é uma época mais à frente tendo em conta esta análise.. Regressando a 2011/12, na Europa apenas em campeonatos inferiores ao português, a excepção de Vilas-Boas despedido do Chelsea FC quando este perdeu as posições de acesso à Liga dos Campeões (ainda não se sabia que seria campeão europeu). Muitos treinadores com resultados "sofríveis".  

China, Tailândia e Egipto (casos à parte) 
Mesmo aqueles que estavam nos principais clubes dos respectivos países, revelaram muitas dificuldades: Jaime Pacheco e Henrique Calisto, respectivamente no Beijing Guoan FC (China) e no Muangthong UFC (Tailândia). O clube chinês foi campeão nacional em 2009 e nos últimas dez temporadas classificou-se em sete num dos três primeiros lugares. O clube tailandês em quatro temporadas, entre 2009 e 2012, só não foi campeão em... 2011, classificando-se em 3.º lugar com um treinador português. Resta Manuel José que no principal clube do Egipto e do continente africano conseguiu manter o Al Ahly sempre a um nível elevado. Nada de mais para o Al Ahly. Este está para África como o Real Madrid CF para a Europa. Aliás ainda é mais dominador!

Não confundir dignidade profissional com brilhantismo
Não está em causa a dignidade profissional. Isso é outro tipo de valorização que não se pode fazer através das classificações. Em termos de rendimento, tendo em consideração, o potencial histórico dos clubes que treinam acrescentam muito pouco ou mesmo nada. O treinador português é muito táctico. Joga muito na defensiva (com muitos futebolistas a defender) arriscando pouco. Muito pouco, daí não conseguir brilhar com plantéis de nível médio ou baixo. Em equipas de topo cumpre, mas não consegue exibições de grande nível, que empolguem os adeptos e os telespectadores dos respectivos países. É essa a informação que me dão - em países de continentes tão variados como a Europa, Ásia ou África - alguns dos "meus parceiros" especializados nas estatísticas de futebol dos respectivos países, mas sempre atentos a algo mais do que apenas os números. Tal como eu quando lhes dou outro tipo de informações quando solicitado.

Os treinadores portugueses podem não ser dos melhores, mas são certamente melhores do que têm demonstrado nos últimos anos

Alberto Miguéns

NOTA FINAL: Há tanto rigor na informação que é feita em Portugal que andam há anos a escrever que Henrique Calisto treina um clube do Vietname, quando o Muangthong United FC é da cidade tailandesa de Pak Kret.

Portal Maisfutebol

1 comentários
comentários
  1. Se o Al-Ahly é ainda mais dominador em África que o Real Madrid na Europa, muito o deve a Manuel José.

    ResponderEliminar

Em Defesa do Benfica no seu E-mail