Alegoria das Árvores e dos Clubes - Em Defesa do Benfica
A criação deste Blogue, ideia de António Melo, tem como objectivo divulgar, defender o Sport Lisboa e Benfica e a sua Gloriosa história. Qualquer opinião aqui expressa vinculará apenas o seu autor, Alberto Miguéns.

SEMANADA: ÚLTIMOS 7 ARTIGOS

18/01/2018

Alegoria das Árvores e dos Clubes

18/01/2018 + 2 Comentários API
TODOS OS CLUBES SÃO ÚTEIS TAL COMO TODAS AS ESPÉCIES DE ÁRVORES.

Mas todas têm utilidades diferentes e o Povo sabe reconhecê-lo e ama mais umas do que outras. Um dia destes Portugal vai saber o que é ter confiança em clubes como as Oliveiras e desconfiar de clubes como os Pinheiros.

De facto todas as espécies tal como os clubes nascem iguais, de uma pequena semente (ideia), crescem e desenvolvem-se mais umas que outras e todas morrem de pé. E dão à espécie humana capacidades de as utilizar de diferentes formas.

O Benfica é como as Oliveiras: generosas, resistentes, pacientes mas fazem progredir.

Os rivais são como os Pinheiros, que logo após nascerem se revelam sectários, entre mansos e bravos, entre serem sangrados ou aproveitados para outros fins.

Se o Futebol português quiser desenvolver-se harmoniosamente tem de aprender com o Mundo Rural. Dar mais importância às Oliveiras (cultivando-as junto de si num anel de amor em torno das vilas e aldeias) e menos aos Pinheiros (afastando-os para lá do perímetro das povoações).

O Benfica é como as Oliveiras e permite desenvolver o Futebol português. Os Pinheiros também são úteis mas há que perceber a quão limitados são.



A Oliveira coabita com as pessoas. Tudo nela se aproveita. O fruto (azeitona) pode ser consumido de variadas formas. É ecléctico. E ainda produz uma gordura vegetal saudável e agradável, o azeite. Que tanto serve para alimento como é utilizado na iluminação. O eclectismo elevado ao limite. A copa dá sombra/frescura e a madeira dá calor. É o Benfica! Quantas mais Oliveiras melhor! Nunca são de mais! E têm "sabedoria" milenar. Há ainda Oliveiras na actualidade que foram úteis a Jesus Cristo. Há dois mil anos! Uma árvore resistente, resiliente e que se regenera, qual Fénix, a cada intempérie ou descuido negligente. Renasce em rebentos tornando-se, com paciência, novamente imponente, generosa e produtiva. Como o Benfica! Arrastando para o lado útil o que deve ter utilidade. 



O Pinheiro é problemático. Em grandes quantidades é exagero. Se queremos boa madeira convém não sangrar a árvore para obter resina. Esta é uma forma agressiva da árvore proteger-se de um corte. Se queremos a resina não teremos boa madeira. Se for bravo não dá fruto comestível. O Pinheiro manso dá bons frutos (pinhões) mas não dá resina nem boa madeira. É uma espécie útil - não há árvores inúteis, tal como os clubes - mas tem utilidade restrita. Se queremos um aproveitamento útil de uma vantagem teremos que abdicar da qualidade das outras. Por isso são plantados e aproveitados longe das povoações. Existem mas são para os ver ao longe. Em catástrofes naturais potenciam o perigo. Podem ser devastadores. Não renascem. Um novo substituirá o que foi consumido.

Eu prefiro a sabedoria ancestral da espécie humana. Tem junto de ti o que te faz bem, afasta-te do que faz pouca diferença.  

Alberto Miguéns
2 comentários
comentários
  1. mais um texto patético entre muitos. Não se fala da desgraça que é o clube atualmente. Assobia-se para o ar e atira-se pedras aos outros. Compram-se jogadores às resmas sem qualquer utilidade a não ser para emprestar de tal modo que nem sequer se guarda o nome... outros não jogam na equipa principal quando tinham caminho aberto. Tudo ao contrário do que em variadas entrevistas prometeram. Uma vergonha sem igual.

    Os emails não existem, são cartas privadas apesar de lá existirem crimes de vária ordem.

    Já agora dizem que judas se enforcou numa oliveira e não num pinheiro... Sendo assim, se já temos oliveira, não deve faltar muito para encontrar o judas. Os mentirosos dizem que tem orelhas grandes.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Caro Ze de Fare

      Quando se fazem textos também servem para quem não gosta poder dizer que não gosta e até criticar dizendo que é patético. Não gosto de unanimismos. Tem todo o direito de não gostar.

      Judas enforcou-se numa Figueira que é uma árvore que dá fruto sem ter flor. Aliás eu teria cuidado pois em Fare, algures no Algarve não faltam figueiras, por isso não faltarão Judas para lhes dar uso.

      http://www.lendarium.org/narrative/a-arvore-de-judas/?category=64

      Saudações (e volte sempre mesmo para adjectivar o que merece ser adjectivado)

      Alberto Miguéns

      Eliminar

Subscrever este blogue