Sete e Meio VI: O Triunfo da Vontade em Exterminar "O Benfica" - Em Defesa do Benfica
A criação deste Blogue, ideia de António Melo, tem como objectivo divulgar, defender o Sport Lisboa e Benfica e a sua Gloriosa história. Qualquer opinião aqui expressa vinculará apenas o seu autor, Alberto Miguéns.

SEMANADA: ÚLTIMOS 7 ARTIGOS

11/12/2017

Sete e Meio VI: O Triunfo da Vontade em Exterminar "O Benfica"

11/12/2017 + 2 Comentários API
EM CONTRACICLO DECIDIU-SE INTERROMPER O JORNAL AOS 56 ANOS.


Como é evidente não é por existir que "O Benfica" nunca poderá terminar, mas terá de haver razões objectivas e não houve. além disso optou-se por uma morte lenta". transformá-lo em Revista mensal e depois suspender essa revista ao fim de 16 meses e quinze números publicados.


José de Oliveira Santos
Co-autor dos livros que assinalaram os 85 e os 90 anos do Benfica foi um director sempre presente. dos primeiros a chegar e dos últimos a partir apoiado no facto de dizer que era remunerado, o que deve ter sido único na história do Jornal. Foi responsável pela edição de 68 números, embora muito apoiado no dedicado chefe de redacção Vieira de Carvalho, acabando por ser com ele que o Jornal terminou como Semanário. Pelo que me apercebi pouco fez para evitar que tal ocorresse quando Oliveira Santos sempre foi um interessado - nisso foi pioneiro - em publicar estatísticas rigorosas em "O Benfica". O semanário teve duas reformulações da primeira página, em 1 de Abril de 1998 (ao número 2894) e em 15 de Julho de 1998 (ao número 2909). Terminou, ingloriamente, ao número  2950 (28 de Abril de 1999) passando a revista mensal. 



Acácio Gomes
A revista mensal teve vida efémera. Felizmente o seu director Acácio Gomes, de grande confiança do presidente Vale Azevedo, aceitou continuar a numeração do Semanário por sugestão de um associado do Clube e colaborador episódico do Jornal que aceitou transitar para a revista mantendo a sua ligação de colaborador obsequioso ainda que regular. A revista foi publicada durante 14 meses consecutivos (Maio de 1999 a Junho de 2000), em Julho de 2000 não saiu e teve o último número em Agosto. Ao número 2965 interrompia-se o que se iniciara em 28 de Novembro de 1942. Ainda teve uma reformulação (para pior retirando o emblema) da capa, em Outubro de 1999 (ao n.º 2956).




E seguem-se 23 semanas "em branco". Felizmente já passaram...

Alberto Miguéns

NOTAS (particulares): Embora não me queira alongar pois apesar de um blogue ser um modo de pessoalizar a opinião há que guardar algumas situações para mais tarde contar.

1.Quando se afirma que o Jornal se publica ininterruptamente desde 28 de Novembro de 1942 tal não corresponde à verdade. Como jornal  semanal esteve suspenso entre 28 de Abril de 1999 e 28 de Fevereiro de 2001. Contabilizando os números da revista mensal não foi publicado em Julho de 2000 e depois houve um "vazio" entre Setembro de 2000 e o seu reinício em 28 de Fevereiro de 2001. Lembro-me de ter na reunião que se sabia ser de encerramento do jornal (em meados de Abril de 1999) - e em que nem devia estar presente pois não era remunerado, por isso não fazia parte dos quadros do Semanário - ter questionado por duas vezes o presidente que nem sequer queria ser contrariado quanto mais repreendido! Disse-lhe que era um erro histórico pois o Jornal em vez de ser suspenso devia era de ser revitalizado pois o Clube era frequentemente vítima da má Imprensa. Justificou que o Jornal não era credível a defender o Clube pois era do Clube! Foi-lhe dito que sempre assim foi e nunca isso foi obstáculo a que o Jornal servisse o Benfica pois a amplitude da acção do Jornal era imensa. O presidente Vale Azevedo já a gostar pouco de ser contrariado disse que era para fechar, reduzir custos, diminuindo o "quadro de pessoal" pois para editar uma revista mensal a exigência era menor. Percebi porque me tinham pedido para estar na reunião pois ninguém mais falou! Percebendo que não o ia demover limitei-me a dizer uma frase que sempre utilizei e utilizo. E de que não gostou...mesmo nada. No Benfica ninguém consegue acabar com nada. Só há poder para suspender. O tempo deu-me razão.

2.Como se pode ver nestas duas fichas técnicas em Dezembro de 1999 comuniquei ao director que gostaria de falar com o presidente contando com a presença do director. Acedeu e nesse encontro a três disse ao presidente Vale Azevedo que não estava a gostar do que se estava a passar no Clube, asseguraria a edição de final de ano, década, século e milénio mas a partir de Janeiro de 2000 deixariam de contar comigo. É a liberdade de se ser obsequioso! E assim foi! Mas pela ficha técnica houve quem ficasse e ficasse bem até ao fim! E depois passaram a criticar o presidente Vale Azevedo. Ao contrário, apesar das críticas que sempre lhe fiz, mas à sua frente (como se pode constatar no ponto 1 e neste) o certo é que nunca o presidente Vale Azevedo teve qualquer gesto de má educação e desrespeito para comigo. Pelo contrário. quando saiu a primeira vez da prisão convidou várias amigos e pessoas ligadas à sua vida profissional e ao Benfica para uma confraternização na sua casa em Almoçageme. Recebi com espanto o convite pois pelo que contei - e não contei tudo - pensava que nunca mais me quereria ver por perto quanto mais como um "seu amigo/conhecido estimado". Questionei-o acerca disso. Ele respondeu: «Claro que me lembro do que se passou. Só que agora ainda tenho mais apreço por si. Ao contrário dos outros que me davam palmadinhas e depois me apunhalaram pelas costas, você confrontou-me de frente e nunca se aproveitou do que se passou». Nem mais. É sempre assim que considero serem as boas relações entre Benfiquistas! E sempre continuei a falar - e falo - com Vale Azevedo como falei (e falo) com todos os presidentes do Benfica!





2 comentários
comentários
  1. Caro Alberto Miguéns
    Estive nesse almoço em Almoçageme. E, sabe, apesar de ir contra a corrente e fora da "verdade oficial" continuo a não acreditar em muito do que se diz sobre Vale e Azevedo. O maior "crime" dele foi ter rompido com a Olivedesportos, aí cavou a sua sepultura. Ainda sonho um dia poder-se fazer uma auditoria exaustiva, independente a todas as contas do Benfica pós Jorge de Brito. Quem sabe a "verdade oficial" mudaria...
    Saudações Tetragloriosas
    flm

    ResponderEliminar
  2. Como é possível defender o indefensável.Uma pessoa que roubou um milhão de contos ao Benfica!!!Deixou o Benfica a desaparecer!!!.

    ResponderEliminar

Em Defesa do Benfica no seu E-mail
Apoio de:

ranking