A criação deste Blogue, ideia de António Melo, tem como objectivo divulgar, defender o Sport Lisboa e Benfica e a sua Gloriosa história. Qualquer opinião aqui expressa vinculará apenas o seu autor, Alberto Miguéns.

SEMANADA: ÚLTIMOS 7 ARTIGOS

28/01/2017

O que pode fazer que o Benfica não seja campeão (Se se verificarem os pontos abaixo)

28/01/2017 + 5 Comentários
           Não pretendo entrar no coro da emoção. De que tudo está mal. Só porque se perde. Não podemos ser assim no nosso Benfica. Porém, tenho notado, principalmente desde o final do ano para cá, que o Benfica tem ganho alguns tiques de snobismo. Atenção, parece-me, mas posso estar enganado. E como este é um espaço de discussão, seria bom refletir em vários aspetos.
Vamos por partes.
O Benfica é, de longe e atualmente, o clube mais organizado em Portugal? Sem dúvida. Não só no futebol, mas também nas modalidades, o clube vence, convence, e se não ganhar, está nas decisões mais importantes. A formação é um caminho que o nosso presidente escolheu muito bem, tendo em conta o contexto da nossa nação. Mesmo os melhores jogadores já não nos são tirados; a maioria deles (o Glorioso não pode ficar como todos, como é óbvio!) vem parar às nossas fileiras. Confio plenamente no trabalho de Rui Vitória e seus adjuntos e dou-lhes todo o mérito do que fizeram até agora. O clube está bem. Não vou negar. Até aqui tudo bem.
Mas se o Sport Lisboa e Benfica tem ganho muito bem e trabalhado para isso, não nos podemos aburguesar, porém. E pensar que isto vai ser um passeio. Porque não vai! Temos de respeitar todos os adversários e não dar chances. A melhor demonstração de respeito é precisamente comer a relva diante de todos os nossos oponentes. Já tivemos alguns avisos: Boavista e agora Moreirense. E com o número de jogos a ser cada vez menos, a margem de erro diminui. Para todos.
Claro que eu não acredito que alguém perca porque quer. Isso não existe. A não ser que tenham sido corrompidos, o que, obviamente é outra história e não nos interessa ir por aí. Porém, no subconsciente dos adeptos, dirigentes e quiçá jogadores, pode estar uma ideia de facilitismo burguês.
Sabemos que os nossos adversários vêm com tudo. Não só em campo, mas fora dele: vai ser arbitragens, falatório, enfim. Nós temos que ter sangue na guelra. Todos nós. Desde a bancada até ao relvado. Todos a puxar para o mesmo lado. Mas sobretudo, penso que o Benfica tem que lutar mais!
Na minha opinião – e ela até pode estar errada – não é concebível que um clube como o Benfica, nos últimos quatro encontros, jogue três jogos em casa e um em campo neutro, e sofra 8 golos! De equipes da segunda metade da tabela classificativa e de um time de segunda divisão, como o caso do Leixões. Claro que o adversário também joga. Também tem mérito. Mas, neste momento, está fácil fazer golos ao Benfica. E como não temos tido a eficácia de alguns meses… a coisa pode complicar-se.
Legenda: Façamos do manto sagrado um instrumento de trabalho e não um instrumento de enfeite!
Fotografia retirada de A Minha Chama

Outro ponto importante de sublinhar é a constante conversa do Tetra! Esqueçam isso. Este é um campeonato como qualquer outro. Quem ganhar, só vence um título. Ser Tetra, ou Tri, ou Bi campeão, não é um título, mas uma proeza. Essa questão de nunca se ter conseguido o Tetra é dúbia: mesmo sem tê-lo feito, o Benfica continua com mais títulos de campeão que todos os outros. Deixem essa contagem de proezas para o fim do campeonato. Vamos ao 36, sim. E se vencermos? Claro, é o Tetra. Mas só se vencermos. E não se esqueçam do seguinte: os outros três campeonatos que, virtualmente, compõem este (espero) Tetra já cá cantam. Não os vamos perder se não ganharmos esta contenda de 2016/2017. Certo?
O snobismo e aburguesamento são características que não se coadunam nem com a história do Glorioso, nem tampouco com as nossas equipas. Nem, ainda mais, com os adeptos. Julgo que o Benfica deve tirar o salto alto, vestir o fato de macaco e encarrilar rapidamente nos eixos.
Se isto não acontecer, penso que, mais dia menos dia, perdemos a liderança.

Deixemos de ser burgueses e passemos a operários; pois são estes últimos, e não os primeiros, quem faz a revolução.


Assinado: Palmerston
5 comentários
comentários
  1. O treinador.

    Daniel

    ResponderEliminar
  2. Subscrevo a globalidade do texto, apenas realçando, PARA TODO O FUTEBOL DO N/ BENFICA (Rui Vitória, plantel, staff técnico e Rui Costa), DO 1º AO ÚLTIMO SEGUNDO DE CADA JOGO, futebol com inteligência e objectividade, SEMPRE com uma atitude plena de GARRA, QUERER E AMBIÇÃO, seja, à BENFICA!

    Abraço de 1 sócio Benfiquista,
    RSG

    ResponderEliminar
  3. se os árbitros deixarem de roubar

    ResponderEliminar
  4. Tem razão. Há demasiados encómios. Primeiro trabalha-se, depois comemora-se. Respeitar o adversário, sim, mas sempre lutando..."comendo a relva", como diz.

    ResponderEliminar
  5. Clap, clap! Subscrevo na totalidade. Destaque à questão do tetra, algo que Rui Vitória e bem tem fugido. Agora algo que Rui Vitória não pode fugir é à fragilidade do nosso meio campo. Agora que não jogou Luisão, percebem onde está o problema? Os centrais não têm cobertura e não têm margem para cometer erros porque o nosso meio campo é pura e simplesmente incapaz de compensar. Pizzi devería estar a jogar como no ano passado, a interior direito e não a médio. Foi a chegada de Renato que motivou isso e que deu mais segurança ao nosso jogo. Não podemos ter um meio campo de manteiga!

    ResponderEliminar

Em Defesa do Benfica no seu E-mail