A criação deste Blogue, ideia de António Melo, tem como objectivo divulgar, defender o Sport Lisboa e Benfica e a sua Gloriosa história. Qualquer opinião aqui expressa vinculará apenas o seu autor, Alberto Miguéns.

SEMANADA: ÚLTIMOS 7 ARTIGOS

27/08/2015

Crónica do (re)conforto

27/08/2015 + 7 Comentários
           Costuma dizer-se que um campeão ganha aqueles jogos em que, sobretudo, não joga bem. Mas o que dizer quando um clube, que aspira a ser campeão, joga relativamente bem e não vence? Pior. Até perde o jogo. Foi o que aconteceu durante este fim-de-semana com o nosso querido Benfica.
            Deixei passar alguns dias para escrever de maneira mais serena sobre a primeira derrota do Glorioso, no Campeonato. Ei-la que aconteceu logo à segunda jornada. Domingo, a ver o jogo em casa de amigos, um bom ambiente para o Sport Lisboa e Benfica tomar as rédeas do primeiro lugar. A liderança. A nossa posição por estatuto de maior vencedor do Campeonato Nacional. Golo adversário logo aos 2 minutos. “Bom, melhor sofrer logo a abrir do que a fechar. Ainda temos 88 minutos para virar isto tranquilamente”. Mas nem o tento empate conseguimos. Ou o guarda-redes inspirado negava-nos o momento de alegria, ou algo de sobrenatural acontecia. Parecia daqueles dias em que podíamos ficar horas e horas e a bola não entrava. Para além de um penalti sobre Mitroglou (claríssimo), há ainda um golo anulado a Jonas, que só o juiz saberá por que o fez. Mas não vale a pena lamentarmo-nos com erros de arbitragem. Porque desta vez nem foi escandaloso. É preciso denunciá-los, sim. Mas primeiro temos de assumir os nossos erros. Temos de fazer mais. Tal como J.F. Kennedy disse um dia: “Não perguntes o que o Benfica pode fazer por ti, mas sim o que podes fazer pelo Benfica.” Ele tratar-se-á de nos dar alegrias. Agora, resta apoiar a equipa. É o único caminho.



 Legenda: É assim que queremos terminar: campeões!
Fotografia retirada de www.publico.pt


Se tivéssemos feito um jogo como o da primeira jornada – esse sim, à raia do miserável – eu ficaria preocupado. Mas já vi evolução na equipa. Vi qualidade. Pelo menos ofensiva. Não há nada a apontar. Há jogos assim. Não podemos ficar chateados. Com o devido enquadramento, e não sei se vós, caros leitores, concordais, mas esta partida fez-me lembrar aquela que para mim foi o ponto de viragem de há duas épocas atrás: o massacre com o Olympiakos. Nesse jogo cometemos exatamente um erro e pagamos caro por isso, para depois passarmos a cerca de uma hora de uma enxurrada de futebol; parada, quiçá, por um ressentido Roberto pronto a mostrar o seu orgulho. Mas foi a partir daí que, para mim, o Benfica venceu aquele tão saboroso e importante título de 2013/2014. Pode ser que isso aconteça este ano, mais cedo. Esperemos que sim. Só temos de melhorar as nossas transições defensivas, que neste momento são quase nulas. Mas acredito que a seu tempo lá chegaremos.
Não querendo entrar por pormenores táticos, encerro este pequeno artigo com uma velha máxima do futebol, que é ele também uma fação de uma grande miríade, que é a vida: “Nem quando se ganha está tudo bem, nem quando se perde está tudo mal”.

P.S. – Acabo de escrever este texto mais ou menos no exato momento em que já se sabe quais os grupos da Liga dos Campeões. Quero o Benfica europeu de volta. As grandes noites europeias no inferno da Luz. E já agora, para quem não sabe, a não entrada do Sporting – que é um adversário, que, como todos os outros, merece respeito – é diretamente bom para o Benfica; na medida em que Portugal coloca duas equipas, logo esses 14 milhões de euros - não amealhados pelos leões - são bipartidos pelos dois clubes.


Assinado: Palmerston
7 comentários
comentários
  1. Caro "Em Defesa do Benfica"' É com prazer (alívio) que por esta blogosfera benfiquista consigo encontrar uma opinião positiva sobre a prestação da nossa equipa de futebol na jornada anterior frente ao Arouca. Bem sei que a maioria dos blogues benfiquistas está cheio de infiltrados que apenas pretendem lançar achas à fogueira e desestabilizar os adeptos d'O MAIOR. Porém, nem todos podem ser "Infiltrados". E isso, é o que mais me preocupa: 90% dos adeptos que se exprimem em blogues e fóruns benfiquistas não acreditam no nosso treinador, ao ponto de eu próprio começar a duvidar da minha lucidez: Será que sou só eu que vislumbro evolução na nossa equipa? Estarei a ver mal, certamente! Felizmente, não estou sozinho. Bem hajam os crentes!!! Saudações Gloriosas. José Nogueira - 96642

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá, caro José. Obrigado por ter tido a paciência de ler o artigo. É bom partilharmos a mesma opinião. Se esta evolução é para "ficar", só o tempo o dirá. Mas uma coisa é certa: o mais importante é o Benfica. Só nos interessa vencer.
      Saudações gloriosas!

      Eliminar
    2. eu também duvidei da minha lucidez, eu vi um benfica melhor do que no jogo com o estoril, ofensivamente, dfensivamente tem que melhorar, CARREGGGGGGGGGGGGGAAAAAAAAAAAA BENFICAAAAAAAAAAAA

      Eliminar
  2. Perante este texto, apenas digo: como seria bom, replicar o discernimento intelectual, a serenidade e a sabedoria desportiva do seu autor, por toda a massa adepta do Benfica...

    Nesse dia, teríamos apoiantes e adeptos de verdade. Uma espécie em vias de extinção, pois actualmente os adeptos Benfiquistas ( ou aqueles que se querem passar por eles ), desconhecem a sua essência primeira. Nada sabem sobre, apoio, protecção, defesa ou união, paixão ou amor incondicional...

    O seu sentir, restringe-se ao do usufruto das vitórias e conquistas do clube, e o seu agir, ao de:

    Destruidores da confiança; de lastro; de opressão; de difamação e insulto de quem os serve, servindo o clube; de critica a tudo, desde a relva aos penteados; desde o património, até às Glórias do passado e do presente.

    O seu apoio é obra final. Nasce depois da obra já feita, do adversário já tosquiado, ferido e inanimado. Já o seu des(apoio), o seu desvincular dos que diz amar, nasce prematuramente e nem de 7 meses, só precisa de um sopro e de um minuto.

    Tudo é mau. Mau é o treinador. Horríveis são os Bicampeões. Incapazes são os que ainda ontem levantaram uma nação. Enfim, quem chega é péssimo. Quem já está é pior. Os outros fazem sempre bem e nós sempre mal...

    Apenas, o novo adepto Benfica sabe tudo, sabe de si próprio dos outros, de agricultura e de repolhos. Pontes edifica-as de manhã e à tarde já estruturas de sonho. Em medicina desportiva, é general e a almirante nas tácticas. Quem o pode parar?

    Ele é o adepto das obras feitas. Tudo sabe e tudo vê. E como não se pode negar à partida uma ciência que se desconhece... hoje, mais do que dizer olá adepto, deve-se dizer: deixem passar o Noddy, no seu carrinho de apoiante imaginário.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Caro Mathayus, obrigado pelas palavras. Penso que ainda há uma grande franja da torcida benfiquista que pensa como nós. Temos de espalhar a palavra. E o mais importante chama-se Benfica. Ninguém está acima disso.
      Saudações gloriosas!

      Eliminar
  3. Crio que as receitas de Tv a repartir entre SL Benfica e FC Porto não são 14 milhões, são 2 milhões.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigado pela informação, caro Paulo Jorge. Vou ler sobre isso. Mesmo assim, ainda é um dinheirinho bom!
      Saudações gloriosas!

      Eliminar

Em Defesa do Benfica no seu E-mail