A criação deste Blogue, ideia de António Melo, tem como objectivo divulgar, defender o Sport Lisboa e Benfica e a sua Gloriosa história. Qualquer opinião aqui expressa vinculará apenas o seu autor, Alberto Miguéns.

SEMANADA: ÚLTIMOS 7 ARTIGOS

14/01/2015

A Imprensa Capciosa Que Portugal Tem

14/01/2015 + 5 Comentários API
O RECORD TEM DE PERGUNTAR A JUPP HEYNCKES.


E é melhor ser mesmo Jupp (Josef) Heynckes e não Juup como escrevem no Record a esclarecer. Nem o nome de um treinador consagrado conseguem escrever.

Não sei mas gostava de saber.
E que tal o Record que foi lesto a divulgar fontes romenas (ainda temos de saber se não estamos em presença das habituais más e ambíguas traduções) ter sabido primeiro do treinador alemão o que ele tem a dizer disso? Não era má ideia! Em vez de o (tentar) ligar a um acontecimento que ainda foi no século passado e nada ter sabido dele. Do que ele tem para dizer! Não fica bem... Talvez tenham o registo do número telefónico mal indexado. Juup não! Josef ou Jupp!



O modo como se redigem notícias
Quem lê a notícia publicada no portal do Record até fica com a ideia que o Benfica foi muitas (várias...) vezes derrotado "em casa" na 1.ª mão de uma eliminatória das competições da UEFA. E que pela primeira vez conseguiu a proeza de ultrapassar essa dificuldade acrescida. Mentira. Foi a 48.ª vez que o Benfica iniciou uma eliminatória no seu estádio e apenas a terceira vez que foi derrotado. E das outras duas vezes foi por equipas que na época eram colossos do futebol europeu e mundial: Liverpool FC (por 1-2, em 1977/78) e AC Fiorentina (por 0-2, em 1996/97). O Benfica até esse 48.º jogo tinha 47 realizados e apenas duas derrotas. Lendo a notícia parece que era frequente ou habitual e que o "Glorioso" fez algo de estranho e espectacular. Não o dizem mas sugerem. Foi apenas a 3.ª vez (em 48) que o Clube teve essa hipótese! Por isso um leitor deste blogue questionou-me se era frequente e verdade. Verdade é... Mas é muito mais que essa verdade. Os tipos do Record são capciosos. Como se não soubéssemos!


A oportunidade não foi desperdiçada
A inédita passagem à eliminatória seguinte foi quando devia ter sido. Antes seria uma proeza digna de figurar nos maiores feitos do futebol português. Que tem poucos e quase todos do Benfica!

1.  Em 1977/78 o Liverpool FC era campeão europeu e o Benfica foi apenas mais um obstáculo, nos quartos-de-final, para o Bicampeonato Europeu do colosso inglês. Mesmo ao contrário (V 2-1) teria sido difícil quanto mais perder. Na 2.ª mão a derrota por 1-4 mostrava as diferenças. Normalidade!

2. Em 1996/97 na Taça dos Clubes Vencedores das Taças o Benfica cruzou-se com a AC Fiorentina nos quartos-de-final. Uma derrota na Saudosa Luz, por 0-2, depois "rectificada" com uma vitória, por 1-0, insuficiente em Florença. A AC Fiorentina tombou nas meias-finais (1-3 no acumulado) frente ao vencedor da competição, o FC Barcelona. Normalidade!

3. Em 1999/2000 na primeira eliminatória (mais ou menos 64-avos-de-final) da Taça UEFA o Benfica foi derrotado pela 3.ª vez em casa numa 1.ª mão de uma competição europeia. Mas a primeira vez frente a um clube claramente inferior. Como se provou na 2.ª mão! O "Glorioso" seguiu rumo à eliminatória seguinte frente ao clube grego FC PAOK de Salónica. Normalidade!

Eu até prefiro começar as eliminatórias na "Catedral"!
Actualmente o "Glorioso" regista 70 eliminatórias iniciadas "em casa" com apenas cinco derrotas. O resto são 12 empates e 53 vitórias. Os registos estatísticos indicam que o Benfica (e todos os grandes clubes europeus) quando jogam a primeira mão no seu terreno têm maior percentagem de sucesso. O Benfica nas 70 eliminatórias iniciadas "em casa" teve sucesso (seguiu para a eliminatória seguinte) em 52 delas (74 por cento) e insucesso (eliminado) por 18 vezes (26 por cento).  Nas 77 vezes que jogou a primeira mão em terreno alheio teve sucesso em 52 eliminatórias (68 por cento) e foi eliminado em 25 ocasiões (32 por cento). A maioria (enorme maioria) dos adeptos, por uma questão de poder resolver a eliminatória "em casa" prefere a 2.ª mão no seu estádio. Eu vejo de outra forma. O Benfica quando inicia as eliminatórias "em casa" joga muito concentrado para não desperdiçar o "factor casa"!  

Estando a trabalhar não posso publicar o quadro com todos esses 70 jogos...
Mas quando puder é aqui que o vou "plantar".

Quando? Imprevisível (ou melhor... quando conseguir resolver o problema técnico conseguindo publicar um quadro com 71 linhas e sete colunas) 

Um jogo em 1999?! Cheira-me a conversa de mau perdedor (do treinador romeno Dinu) que "deixa no ar". Foi um ar que lhe deu

Alberto Miguéns
5 comentários
comentários
  1. até metem nojo estes jornais... lá vou deixar de ir ao site porque o jornal já não compro há muito

    ResponderEliminar
  2. Não há fumo sem fogo!!! Afinal os meninos defensores da moral, também compram jogos.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Conversa. Para esconder alguma coisa!

      Se o Record não apurar o que se passou é porque lhe interessa criar fumo, até nevoeiro, sem haver fogo!

      Alberto Miguéns

      Eliminar
    2. Não há fumo sem fogo? Neste caso o fogo deve estar nos escritórios do record...

      E o teu clube? O fumo já escondeu o sol e o fogo já consumiu milhares de hectares...

      Eliminar
  3. Este pasquim verde osga não pára de meter nojo. Escarreta neles e nem um chavo meu. Todos os Benfiquistas deviam fazer o mesmo. TODOS! Talvez eles aprendessem.

    ResponderEliminar

Em Defesa do Benfica no seu E-mail