A criação deste Blogue, ideia de António Melo, tem como objectivo divulgar, defender o Sport Lisboa e Benfica e a sua Gloriosa história. Qualquer opinião aqui expressa vinculará apenas o seu autor, Alberto Miguéns.

SEMANADA: ÚLTIMOS 7 ARTIGOS

12/10/2014

Mais Um Dia de Tédio Que Vai Custar a Passar (Parte 4)

12/10/2014 + 4 Comentários API
EM MAIS UM FIM-DE-SEMANA SEM INTERESSE FUTEBOLÍSTICO CONTINUAMOS A HONRAR A CATEDRAL A POUCOS DIAS DO 11.º ANIVERSÁRIO.



Hoje o tema está mais vocacionado para os doidos das estatísticas e números mas também poderá haver motivos de interesse para todos, incluindo os "outros". Dependerá do modo como correr a escrita do escriba de serviço ao blogue...

BENFICA: Um Clube Mítico até na sequência do tempo em que marca golos
É sabido - pelos estudos que há acerca deste "assunto" (tempo de marcação dos golos) - que as melhores equipas marcam mais golos quanto maior for a aproximação ao final dos jogos. Ou seja quanto maior for o clube, melhores equipas consegue formar e mais golos obterá na parte final dos jogos. Os melhores clubes marcam mais golos próximo dos 90 minutos que nos minutos iniciais. (Para saber o critério de arredondamento do minuto dos golos ver NOTA FINAL)

Uma Catedral perfeita em grandeza em termos de minutos da marcação de golos
Com 601 golos marcados em onze anos já dá para fazer uma pequena estatística do ritmo dos golos. A Catedral é perfeita, tal como o estádio anterior, a Saudosa Catedral. Se dividirmos o jogo em dois (e é assim que as Leis "ordenam") dos 596 golos obtidos no tempo regulamentar, até aos 90 minutos, 262 foram marcados na primeira parte e 334 no segundo tempo, respectivamente, 44 por cento e 56 por cento! Série estatística perfeita!
Por quarto-de-hora (e são seis durante um jogo de futebol) a perfeição é dourada: 74 + 92 + 96 + 98 + 102 + 134. Sempre em progressão. Fantástico Benfica. Grande clube. A estatística não engana.

TEMPO DE MARCAÇÃO
DOS GOLOS NA CATEDRAL
Minutos
N.º Golos
Parte
15'
01-15

262
74
16-30
92
31-45
96
46-60

334
98
61-75
102
76-90
134
91-105
5
2
106-120
3
Totais
601

Justificação para marcar mais
As melhores equipas dos grandes clubes marcam mais quanto mais perto se estiver do final do tempo de jogo por três motivos:
1. Porque fazem valer a melhor capacidade física (treino, compleição física dos futebolistas e capacidade táctica em ocupar espaços permitindo resistir mais tempo);
2. Competitividade da equipa que nunca desiste e quer sempre mais, nunca desistindo até ao "apito final";
3. (Desde que as substituições são permitidas)Mais soluções no plantel que permitem renovar física-e-tacticamente o onze na segunda parte dos jogos.
Tudo isto é que explica o porquê das equipas marcarem mais golos na baliza para onde costumam "atacar" na segunda parte. No caso do Benfica para a baliza sul (Sagres). O porquê da escolha de jogar na primeira parte no meio-campo sul não é por acaso ou por superstição. Pelo menos não era quando o Benfica começou a jogar na primeira/ segunda década do século XX.  Foi por necessidade e sabedoria. Mas este assunto será tema de conversa no último texto desta série, lá para dia 16.

GOLOS AO MINUTO
Um golo no primeiro minuto, quatro no segundo minuto, sete no terceiro, e assim sucessivamente...

PRIMEIRA PARTE
PRIMEIRO QUARTO-DE-HORA
1
4
7
7
5
3
6
2
7
3
6
8
6
6
3
01
02
03
04
05
06
07
08
09
10
11
12
13
14
15

SEGUNDO QUARTO-DE-HORA
13
5
5
6
10
4
8
7
8
6
4
6
6
2
2
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30

TERCEIRO QUARTO-DE-HORA
8
6
6
5
6
4
5
2
10
6
11
4
4
9
10
31
32
33
34
35
36
37
38
39
40
41
42
43
44
45


SEGUNDA PARTE
QUARTO QUARTO-DE-HORA
5
3
10
10
5
7
8
4
4
6
6
4
11
9
6
46
47
48
49
50
51
52
53
54
55
56
57
58
59
60

QUINTO QUARTO-DE-HORA
9
5
6
5
7
9
7
9
7
6
6
10
5
8
3
61
62
63
64
65
66
67
68
69
70
71
72
73
74
75

SEXTO QUARTO-DE-HORA
8
6
7
8
6
8
4
8
6
9
10
7
13
6
28
76
77
78
79
80
81
82
83
84
85
86
87
88
89
90


PROLONGAMENTO
PRIMEIRA PARTE
-
-
-
-
-
1
1
-
-
-
-
-
-
-
-
91
92
93
94
95
96
97
98
99
100
101
102
103
104
105

SEGUNDA PARTE
-
-
-
-
-
-
1
-
1
-
1
-
-
-
-
106
107
108
109
110
111
112
113
114
115
116
117
118
119
120

Há uma grande diferença entre o estádio actual e a Saudosa Luz
Apesar de na Saudosa Luz também se marcar mais há medida que o tempo avançava havia mais concentração de golos no início dos jogos. Por isso ninguém queria chegar "tarde". Num tempo em que não havia gravação e emissão dos golos nas televisões de um modo universal (todos os jogos) quem chegasse cinco ou seis minutos após o início dos jogos, arriscava-se a nunca mais ver os golos. Perdidos no tempo.

COMPARATIVO
DOS DOIS ESTÁDIOS
AOS 292 JOGOS
Minutos
SLB
Luz
01
1
12
02
4
14
03
7
5
04
7
14
05
5
11
01-05'
24
56

Entrar a "matar"
Na Saudosa Luz o Benfica entrava a tentar ganhar o jogo logo no início. Por isso foram 12 os golos dentro do primeiro minuto (na Catedral há um golo aos 23 segundos). Ao minuto 2 (14/4). Ao minuto 3 (5/7). Ao minuto 4 (14/7). Ao minuto 5 (11/5). Chega! Mesmo tendo em conta que se marcavam mais golos, a diferença é colossal. Ao jogo n.º 292, com 1045 golos na Saudosa Luz e 601 na Nova Catedral, registavam-se 56 golos dentro dos cinco minutos iniciais para 24 no actual estádio.

Golo mais rápido
Na 9.ª jornada do campeonato de 2011/12 o FC Porto vencera, por 3-0, na véspera (28 de Outubro) o FC Paços de Ferreira contabilizando 23 pontos. O Benfica que seguia ex-aequo no 1.º lugar tinha de vencer - 20 pontos após oito jornadas - para manter-se na liderança em igualdade pontual. E assim foi. Frente ao SC Olhanense, Rodrigo marcou aos 24 segundos e voltou a marcar aos 12 minutos. O adversário reduziu aos 46 minutos. E assim ficou até final do jogo. Com 2-1 o Benfica continuou na liderança repartida.




Golo mais tardio (tempo regulamentar)
Após a 29.ª jornada do campeonato de 2005/06 - com 34 jornadas - o FC Porto liderava o campeonato nacional com 66 pontos, seguia-se o Sporting CP com 64 e o SLB com 59. Na 30.ª jornada o Benfica jogava no domingo (9 de Abril de 2006) e o FC Porto no sábado frente ao Sporting CP no campo deste. Após uma vitória por 1-0 o FCP aumentou para 69 pontos a liderança com o SCP a manter os 64 pontos. O Benfica tinha de vencer o seu jogo frente ao CS Marítimo, no domingo, para somar 62 pontos. Mas tal não ocorreu. O CS Marítimo chegou aos 2-0 (37 e 62 minutos) tudo parecendo perdido. Petit fez o 1-2 (aos 79 minutos) e depois surgiu a hipótese de fazer o empate já em tempo de compensação. E assim foi. Simão numa grande penalidade, aos 90' + 05' 21'', repôs a justiça com o Benfica a conseguir um ponto. Passando a somar 60 que valeram de pouco...

Simão (clicar aqui)



Golo mais tardio (tempo prolongamento)
Nos oitavos-de-final da Taça de Portugal em 2004/05, em 26 de Janeiro de 2005, no Dérbi de Lisboa o Benfica esteve a vencer (Geovanni, aos 4 minutos, fez o 1-0), a perder (1-1 e 1-2, respectivamente, aos 14 e 16 minutos), empatado (Geovanni, aos 23 minutos, fez o 2-2) chegando-se ao final do tempo regulamentar com este resultado. Depois o "Glorioso" esteve a perder (2-3 aos 109 minutos) até que o redentor Simão fez o empate, a três golos, aos 116 minutos, a quatro do final! Depois no desempate por pontapés da marca de grande penalidade o Benfica foi mais forte (V 7-6) e seguiu para os quartos-de-final. Nunca mais se voltou a marcar um golo tão "tarde". Também já há poucas alternativas: 117, 118, 119 e 120 minutos! Quatro hipóteses em 120!





Em 25 de Outubro de 2014 haverá a evocação do 11.º aniversário. Até lá uma série de sete temas relacionados com a Nova Catedral

PLANO PARA OS PRÓXIMOS DIAS
(SEMPRE PELA MEIA-NOITE)
De 12 para 13: Os futebolistas
De 13 para 14: As aldrabices
De 14 para 15: Os goleadores
De 15 para 16: As balizas
De 16 para 17: O Benfica frente ao SC Covilhã
De 17 para 18: Um Centenário Importante

Ainda faltam seis dias - SEIS - para acabar o tédio desta paragem para jogar a equipa da FPF!

Alberto Miguéns

NOTA FINAL1: Com a transmissão dos jogos com cronómetro - e como a estatística não é um amontoado de números, mas uma selecção criteriosa deles - a recolha - de minutos dos golos, cartões e substituições é simples: arredondamento por defeito até ao segundo 29 e por excesso a partir do 30. Por exemplo um golo aos 25' 29'' conta aos 25'. Aos 25' 30''(e até aos 26' 29'') conta aos 26'. É um critério. O que não pode acontecer é contabilizar o minuto do golo quando se quer. Ou haver um golo aos 35' 54'' e colocá-lo aos 37' como já vi fazer...

Como um jogo de futebol apenas tem 90 minutos, qualquer golo nos tempos de compensação será sempre aos 90 minutos, daí a concentração de golos neste minuto. Mas foi sempre assim. Mesmo no tempo em que os árbitros não indicavam o tempo de compensação. Sempre houve golos obtidos "depois da hora"... como se dizia no antigamente!


NOTA FINAL2: Como se "provou" ontem... mais uma vez: Um jogo de futebol entre as duas principais selecções de futebolistas franceses e portugueses tem 90 minutos. Como qualquer outro. Mas no final vencem os futebolistas de nacionalidade francesa!
Ao jogo 554.º da selecção (estreia em 18 de Dezembro de 1921) Eliseu foi o 138.º futebolista do "Glorioso" a jogar na selecção portuguesa!
4 comentários
comentários
  1. Tiago Dias12/10/14 12:45

    Não é exactamente um dia de tédio, mas sim duas semanas... Vamos nos entretendo com as estatísticas, enquanto não chega o monaco vs benfica!

    ResponderEliminar
  2. Antigamente havia o famoso "quarto de hora à Benfica", razão pelo que a estatística da Nova Catedral é ligeiramente diferente da da Antiga.

    Como saudosista inveterado tenho saudades desses tempos. Em que o vermelho era mais vermelho, em que me revia mais facilmente nos nossos jogadores por serem quase todos portugueses. Só a paixão pelo Benfica é a mesma, ou melhor, cada vez maior.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Caro pcssousa

      Mas a história do quarto de hora à Benfica era o último. No início do Clube era o sexto quarto de hora.

      Daniel dos Santos Brito que como sabe foi um dos 24 fundadores, futebolista da 2.ª categoria em 1904/05 e o primeiro secretário secretário do Clube escreveu o seguinte numa evocação a propósito da importância de Manuel Gourlade no início do Glorioso (na página 2, em 28 de Outubro de 1950, no "Ecos de Belém"):
      «Lembro-me até de que havia uma combinação no grupo de reservar todas as energias para o último quarto de hora do jogo».

      Gloriosas Saudações Benfiquistas

      Alberto Miguéns

      Eliminar
  3. Verdade. Creio até que o caro Alberto já tinha contado essa história por cá.


    Abraço.

    ResponderEliminar

Em Defesa do Benfica no seu E-mail