A criação deste Blogue, ideia de António Melo, tem como objectivo divulgar, defender o Sport Lisboa e Benfica e a sua Gloriosa história. Qualquer opinião aqui expressa vinculará apenas o seu autor, Alberto Miguéns.

SEMANADA: ÚLTIMOS 7 ARTIGOS

28/01/2015

Recordes e Tretas

28/01/2015 + 5 Comentários
A INVENÇÃO DA INTERNET TEM PELO MENOS UMA VIRTUDE. PODEM ENGANAR-NOS (E ENGANAM-NOS) MAS NÓS PODEMOS CHAMAR-LHES ALDRABÕES. E MOSTRAR QUE SÃO!


Não conseguindo dar informações competentes, dignas e verdadeiras há que inventar, criar diversões e fazer dos jornais a própria notícia. A "realidade" não aconteceu ou acontece. É criada!

Record; 19 de Janeiro de 2015; página 9

Nunca houve nenhum recorde de 755 minutos sem sofrer golos
Silvino tem duas marcas de excelência. Corrijo. O Benfica tem duas marcas de excelência em 1988/89. Por duas vezes, uma na primeira volta e outra na segunda, conseguiu estar sete jornadas consecutivas sem sofrer golos. O guarda-redes dessas equipas foi Silvino. Na primeira volta foi entre a 7.º e a 13.ª jornada. Na segunda volta os sete jogos estão compreendidos entre a 23.º e a 29.º jornada. Sete jogos sem sofrer golos correspondem a 630 minutos. Depois é encontrar a montante e jusante os minutos em que marcaram golos ao "Glorioso" e fazer as contas. Da primeira vez foram 713 minutos, mais quatro que os 709 minutos da segunda volta. Simples. É uma questão de saber aritmética. E, claro, para jogos no passado encontrar as fichas correctas desses jogos.

NO CAMPEONATO NACIONAL
11
9
8
7
7
7
7
7
1985/86
(6-16)
1977/78
(12-20)
1971/72
(11-18)
2014/15
(11-17)
1980/81
(1-7)
1988/89
(7-13)
1988/89
(23-29)
2005/06
(12-18)
Bento
1065'
Bento
829' + 10'
839'
J. Henrique
836'
J. César
808'
Bento
714'
Silvino
713'
Silvino
709'
Quim
638'
V 2-1  (66')
V 3-2 (01')
V 5-1 (64')
V 2-1 (89')
E 1-1 (80')
E 1-1 (02')
V 2-1 (39')
D 2-3 (00')
V 2-0
V 3-0
Bento  80'
Fidalgo 10'
V 6-0
V 2-0
V 1-0
V 3-0
V 3-0
E 0-0
V 5-0
E 0-0  FCP
V 3-0
V 3-0
V 3-0
V 1-0
V 1-0
V 1-0
V 2-0
V 1-0
V 3-0
V 2-0 FCP
V 6-0
V 2-0
V 2-0
V 1-0
V 4-0
V 3-0
V 3-0 SCP
V 1-0
V 2-0
E 0-0 FCP
V 2-0
V 1-0
V 1-0
V 1-0  SCP
V 2-0
V 3-0
V 2-0
V 2-0
V 1-0
V 1-0
V 1-0
E 0-0
V 1-0 FCP
V 3-0
V 1-0
E 0-0
V 4-0
V 2-0
V 1-0
V 2-0
V 2-0
V 4-0
V 4-0
E 0-0
E 0-0 FCP
V 3-0
V 1-0
E 0-0
E 0-0
D 0-1 (89')
D 1-2 (04')
V 2-1 (80')
V 2-1 (40')
V 3-1 (08')
E 0-0 SCP
V 2-0 BFC
V 3-1 (52')





V 1-0
V 5-1 (28')






E 0-0FCP*







V 2-1 (09')








NOTA: * O árbitro Raul Nazaré marcou uma grande penalidade, aos 73 minutos, para Fernando Gomes interromper o recorde de Bento, que ameaçava ser absoluto no campeonato nacional desde 1934/35. Bento defendeu. Seis épocas depois (1992/93) Vítor Baía, guarda-redes do FC Porto, bateu o recorde de Bento com pelo menos dois golos mal invalidados e praticamente sem fazer defesas que havia sempre uma falta qualquer a penalizar o adversário

Record: o vício de asneirar
Quando me questionaram acerca desse recorde (755 minutos) de memória não acreditei. Mas nada como verificar. Estatísticas publicadas em jornais portugueses nunca são de confiar. São aldrabões até dizer CHEGA!
Fui verificar os meus apontamentos - em tempos publiquei estes recordes no jornal "O Benfica" - e não batia certo. Como sou Benfiquista, tenho uma elevada dose de ingenuidade, por isso pensei: O Record nessa época deve ter publicado uma ficha de um jogo com um erro no minuto de um golo ao Benfica e depois deu asneira. Os erros tipográficos, de composição, troca - por exemplo 81 por 18 ou 31 a parecer 81 - acontecem. Por isso é que não se pode fazer a História do Futebol consultando apenas uma publicação. Quantas mais forem consultadas, melhor. Eu no mínimo consultei três. Se não houvesse unanimidade nestas avançava para outra. Dá trabalho, muito trabalho, mas é honesto. Isto não é assunto para ser despachado. É para se fazer com amor, não é para ser feito com interesse comercial. Nesse aspecto é impossível pagar o tempo de investigação. Pode-se é depois comercialmente conseguir ressarcir algum valor. Mas nunca poderá ser esse o objectivo principal. Quem pensa assim é parvo ou ignorante. Ou então atalha, desvirtua, embaraça, mente e atrapalha. Desrespeita o futebol e o passado. É preciso respeitar quem fez e construiu essa história.

O melhor estava para acontecer 
Fui verificar as fichas dos jogos nos quatro jornais Record. Pasmem-se! As fichas estavam (estão) correctas. Então como criaram uma ilusão do tamanho de 755 minutos? Estupidez. Negligência. Incompetência. Acrescentem mais uns quantos adjectivos. Os que quiserem! Eles merecem-no!


Não tem nada de extraordinário. É aritmética simples. Até dá para contar pelos dedos. Sete jogos - 7.ª à 13.ª jornada - sem sofrer golos são 630 minutos (7 x 90). Se a montante (6.ª jornada) o golo sofrido foi aos 88 minutos, são 2 minutos. Depois a jusante (14.ª jornada) como o golo foi aos 81 minutos, são 80 minutos. Somatório: 630 + 80 + 2 = 712 minutos. Custa muito?! Pelos vistos... sim!

Mais uma vez, não tem nada de extraordinário. É aritmética simples. Até dá para contar pelos dedos. Sete jogos - 23.ª à 29.ª jornada - sem sofrer golos são 630 minutos (7 x 90). Se a montante (22.ª jornada) o golo sofrido foi aos 51 minutos, são 39 minutos. Depois a jusante (30.ª jornada) como o golo foi aos 41 minutos, são 40 minutos. Somatório: 630 + 39 + 40 = 709 minutos. Custa muito?! Pelos vistos... sim!

Zerozero: o vício de copiar
Estes são logo uns pimpolhos de nível elevado. Predadores abocanham tudo. Por isso têm milhares e milhares de erros. E quando não têm tratam logo de amealhar mais uns quantos. O Record publicou e eles copiaram. Nem verificaram que isso dá muito trabalho. Porque os dados até estão certos. E percebe-se que copiaram a informação, para as suas fichas dos jogos, dos jornais Record da época. Vamos ver primeiro as fichas do zerozero.





O zerozero tem os valores correctos, correctos À Record (digo eu e depois vou explicar porquê) mas erra nas contas. Ou foi o mesmo totó que trabalha nos dois sítios ou o zerozero copiou a notícia do Record e nem verificou. Para quem gosta (parece gostar) de «estatísticas da bola»...

Porque é que eu digo que a recolha do zerozero foi feita através de jornais Record? Por que este jornal foi o único a escrever que o golo de Luís Saura (GD Chaves) foi aos 81 minutos. Nenhum outro jornal dá essa informação. Só vou colocar aqui mais duas fichas, para não ser aborrecido para com os prezados leitores que já têm paciência para aturar as minhas "minhoquices". Para mim, que exijo ser rigoroso e assumo sempre a posição da maioria (neste caso de A Bola, O Benfica e Gazeta dos Desportos), o golo foi aos 82 minutos. Por isso considero que o Benfica (com o guarda-redes Silvino) esteve 713 minutos sem sofrer golos.



Por isso é que eu "gramo sacar" do zerozero. Penso sempre no adágio popular: «Ladrão que rouba ladrão tem cem anos de perdão».

Até amanhã! Com o nosso consócio Pedro Proença!

Alberto Miguéns


Previsão para a semana de 29 de Janeiro a 1 de Fevereiro
De 28 para 29 de Janeiro: Porque não te calas;
De 29 para 30 de Janeiro: Ovo do Réptil;
De 30 para 31 de Janeiro: Resposta à Campeão!;
De 31 de Janeiro a 1 de Fevereiro: A caminho de Alvalade
5 comentários
comentários
  1. É cada bordoada na imbecilidade que até dá dó! Força companheiro!

    ResponderEliminar
  2. Albertini28/1/15 09:38

    Ficou-me uma pequena duvida: e os descontos de tempo no final do jogo? Nao entram nas contas?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não! Um jogo de futebol no campeonato nacional (ou outra qualquer competição) tem 90 minutos, divididas em duas partes de 45. É a Lei 7. Os descontos são o tempo de compensação para o tempo em que durante os 90 minutos "não houve jogo". Por estar "parado".

      Então quando falta a luz, por exemplo, se o árbitro interromper 28 minutos o jogo passa a ter 118 minutos?!

      Um jogo tem 90'. Sempre. Ou 120. Os tempos de compensação são isso mesmo compensar o tempo em que não se esteve a jogar.

      Saudações

      Alberto Miguéns

      Eliminar
    2. Albertini28/1/15 13:02

      Obrigado pelo seu esclarecimento, que faz todo o sentido! Agora fica a duvida: sera que quando se fala em recordes de minutos os pasquins, que tanta asneirada vao publicando e que o Alberto tem o enorme trabalho de denunciar, nao contam indevidamente os tais minutos de compensaçao?

      Eliminar
  3. Não. Em 1988/89 havia tempo de compensação, sempre houve, mas não era publicitado. E como pode ver comparando quadro e notícias os outros" batem certo"! Veja o recorde de Júlio César que ia em 719'. Não contabilizam os tempos de compensação. Na notícia do "Record" eram 719 minutos: 89 (o Moreirense FC fez o 1-0 no 1.º minuto) e depois mais 7 jogos sem sofrer golos: 89 + 630 = 719.

    ResponderEliminar

Em Defesa do Benfica no seu E-mail