A criação deste Blogue, ideia de António Melo, tem como objectivo divulgar, defender o Sport Lisboa e Benfica e a sua Gloriosa história. Qualquer opinião aqui expressa vinculará apenas o seu autor, Alberto Miguéns.

SEMANADA: ÚLTIMOS 7 ARTIGOS

01/04/2014

O Último dos Grandes: Gastão Silva

01/04/2014 + 3 Comentários API
O Melhor de Todos Nós

OPINIÃO

NOTA: O facto de ontem ter estado junto de Gastão Silva nas Caldas da Rainha onde vive, impossibilita que este texto esteja completo. Conto fazê-lo na próxima hora! Está completo!


O Enorme Gastão Silva (31 de Março de 1923)

Gastão Silva completou ontem, 31 de Março de 2014, a bonita idade de 91 anos, nascido em 1923. É actualmente o único dirigente que se mantém entre nós, firme e hirto, dos 28 que conseguiram, com dedicação, trabalho e inteligência, organizar o Clube de modo a triunfar nos dois títulos da Taça dos Clubes Campeões Europeus conquistados entre 1960/61 e 1961/62.


Tantas e tão boas recordações

Campeão Regional de Lisboa (1939/40)
Foi um jovem caldense com 16 anos que, em 19 de Novembro de 1939, estreou-se como avançado (interior-direito) na principal equipa do "Glorioso". Estudante não teve vida desportiva prolongada. Mas sagrou-se campeão regional.


Até pró ano. Até aos 92. Agora é andar ano-a-ano!

Entrada para associado (1948)
Completados os estudos e iniciada a sua vida profissional, em 2 de Fevereiro de 1948, com 24 anos, inscreveu-se como associado. Já lá vão 66 anos, tendo actualmente o n.º 1065.


O presidente Bogalho, de lágrima fácil, confortado 
por Gastão Silva em 1 de Dezembro de 1954

Construção do Estádio da Luz (1953/54)
Num tempo em que o Benfica tinha uma vida associativa dinâmica e intensa, com importantes conhecimentos em finanças e economia foi convidado pelo presidente Joaquim Ferreira Bogalho para integrar a lista da Direcção que propunha aos associados a recandidatura. Foi eleito em 31 de Janeiro de 1953 como suplente da Direcção no executivo que lançou e empreendeu a construção do Estádio da Luz, que seria inaugurado em 1 de Dezembro de 1954. 


Obreiro do Estádio da Luz (1954/55)

Organização e Concretização (1955/57)

Seria reeleito sucessivamente - para mandatos anuais - até... 1965, ou seja, durante onze mandatos consecutivos! Em 30 de Janeiro de 1954 e 15 de Março de 1955 como vogal da Direcção e em 18 de Fevereiro de 1956 como secretário-adjunto. De Carlos Vieira de Carvalho, em 1956, e de António Alves Ávila de Melo, em 1957, substituindo este dirigente quando o eng.º Ávila de Melo foi mobilizado para prestar serviço militar em África. Em 11 de Março de 1955 foi agraciado, em assembleia geral, com a "Águia de Prata".


Águia de Prata (1955) e
Obreiro do Bicampeonato Europeu (1962)

Contratação de Béla Guttmann (1959)
No primeiro mandato do presidente Maurício Vieira de Brito, foi um dos dirigentes mais votados - num tempo em que os associados do Clube votavam nominalmente - no acto eleitoral em 5 de Abril de 1958, para secretário da Direcção. Continuou no cargo na eleição seguinte, em 23 de Maio de 1959. Quando se debateu numa reunião de Direcção o perfil do treinador que substituiria Otto Glória, ao chegar a sua vez, Gastão Silva não definiu um perfil, antes indicou um nome: Béla Guttmann, perante a estupefacção de todos. Quando questionado que seria difícil pois esse treinador sagrara-se campeão nacional pelo FC Porto e decerto ficaria nesse clube, Gastão foi peremptório. Há que falar com ele. Se não quiser ser treinador do Benfica é porque não interessa ao Clube. Não tem categoria para ser o nosso técnico para o futebol! O presidente Maurício enviou-o ao Porto, onde foi de comboio. O sucesso da contratação do treinador húngaro guindou-o a novo cargo na Direcção seguinte, eleita em 30 de Abril de 1960: Vogal do Departamento de Futebol, ou seja, o principal responsável pelo futebol do "Glorioso", tradição que vinha da junção do Sport Lisboa ao Sport Benfica, em 13 de Setembro de 1908: não ser o presidente do Clube o principal responsável pelo futebol mas sim um seu vice-presidente com esse pelouro.


Obreiro do Campeonato Europeu (1961)

Taça dos Clubes Campeões Europeus: A Primeira (1960/61)
Foi Gastão Silva que alicerçou, com o treinador que ajudara a contratar, a equipa que se sagraria Bicampeã Europeia. Reeleito em 29 de Abril de 1961, com o mesmo pelouro - Vogal do Departamento de Futebol, esteve em Berna, na gloriosa final frente ao FC Barcelona.


Entre Cavém, o treinador, o capitão e o seu seguidor, Manuel da Luz Afonso

Taça dos Clubes Campeões Europeus: A Segunda (1961/62)
Na eleição seguinte - 31 de Março de 1962 - continuou na lista da Direcção, como suplente, tendo como presidente António Fezas Vital. Mas continuou a acompanhar a equipa, pois esta aquando do acto eleitoral estava a meio das meias-finais (em 21 de Março de 1962, derrotara por 3-1 o campeão inglês, Tottenham HFC). Em 25 de Maio de 1963, tendo como presidente Fezas Vital, foi reeleito para o 11.º mandato consecutivo, com novas funções: Director da Actividade Desportiva. Em 26 de Março de 1964 numas eleições muito disputadas - com duas perspectivas no modo como se conseguiria conquistar o 3.º título de campeão europeu - a lista onde concorreu foi derrotada, tendo Joaquim Ferreira Queimado indigitado para presidente da Direcção e Gastão Silva para o Departamento de Futebol. Mas quem venceu foi Adolfo Vieira de Brito com Germano Campos como responsável pelo "Glorioso" Futebol.


Vamos Campeões. Para ganhar. À Benfica!

Gastão Silva em explicações na PIDE (1965)
Em 8 de Maio de 1965 foi eleito Vogal do Departamento de Futebol numa lista presidida por António Catarino Duarte. Com votos nominais, ou seja, os associados do Benfica votavam e riscavam nome a nome, Gastão Silva foi o mais votado (com 17 954 votos) até mais que o presidente (com 17 817 votos). Era sempre dos mais votados, neste acto foi o mais votado. Numa gerência que tinha como "bandeira" fazer regressar Guttmann para conquistar a "Terceira", o fracasso desta solução fez Gastão Silva abandonar o dirigismo. Não sem antes ser chamado à Sede da polícia política do Regime (PIDE - Polícia Internacional de Defesa do Estado), na rua António Maria Cardoso, em Lisboa, para ser intimidado - como responsável pelo futebol do SLB - a que não pudesse jogar, em Lisboa e Moscovo, com o FC Spartak, campeão da URSS e o clube soviético mais popular, o "Benfica da Rússia". Apesar de apenas haver conversações com intermediários do negócio, perante a recusa de Gastão Silva admitir que entidades exteriores ao clube pudessem interferir na sua gestão, em 7 de Setembro de 1965, o Ministério dos Negócios Estrangeiros - ministro Franco Nogueira - proibiu a digressão e informou a Direcção do Benfica. Como seria de esperar, nessa noite reuniu de imediato a Direcção do Clube e, no dia seguinte, fez publicar nos jornais um comunicado esclarecedor. Que orgulho no Benfica, na genica e coragem dos "nossos", em tempos de ditadura e cobardia. Agora é fácil ser-se herói. Em 1965 era para quem não tinha medo!

Sublinho com orgulho: «O Benfica continua interessado em manter intercâmbio desportivo com clubes de todo o Mundo e não tem quaisquer razões para pensar que seja considerada impossível, pelas competentes autoridades portuguesas, a realização de um encontro de futebol entre a sua equipa e a de um clube russo» (soviético)

O último dos 28 notáveis
Este sim! Estes sim! São sócios notabilíssimos! Chegaram ao Benfica, quando o “Glorioso” era campeão latino (em 1950), tinha nove campeonatos nacionais (em 1956/57) e 13 Taças de Portugal (em 1958/59). Quando saíram (de dirigentes), além de muito mais campeonatos nacionais e Taças de Portugal, transformaram o Benfica em Bicampeão Europeu e legaram-nos um Benfica maior, muito maior, e prestigiado do que aquele que encontraram!


Uma "rica" prenda que ofereci "em nome dos Benfiquistas de Hoje"!
Apesar da vida profissional e familiar, eram dirigentes que entre uma e outra, ou seja entre o final da tarde e o início da noite, reuniam no Estádio da Luz, na Sede da avenida Gomes Pereira ou na Secretaria da rua Jardim do Regedor, junto ao Rossio (geralmente era aqui por questões de acessibilidade) para debater democraticamente entre eles e tomar as melhores decisões de modo a engrandecer o "Glorioso"! De graça! A pagar!

Obrigado Gastão! Vocês são, serão sempre, o orgulho de todos nós!

Os melhores de todos nós! De todos os Benfiquistas!

Alberto Miguéns

O Homem, o Benfica e as suas Circunstâncias Benfiquistas (e foram tantas!)
NOTA: Em três Direcções (1960, 1961 e 1962) que dirigiram as duas temporadas de 1960/61 e 1961/62 constituídas por 18 directores cada uma, tiveram no total 28 associados assim repartidos pelos três anos:

28 DIRECTORES DO SL BENFICA EM 1960, 1961 e 1962
Benfiquista
1960
1961
1962
Maurício Vieira de Brito
Presidente
P
P
António Carlos Cabral Fezas Vital
Secretário-geral (1960);
Vice-presidente (1961);
Presidente (1962)
SG
VP
P
Justino Pinheiro Machado
Vice-presidente
VP
Hélder Ferreira Baptista Viegas
Director da Actividade Desportiva
DAD
Osvaldo João da Silva Branco
Director dos Assuntos Administrativos e das Instalações Sociais (1960 e 1962);
Secretário-geral (1961)
AAIS
SG
AAIS
Vítor Manuel Ferreira da Silva
Tesoureiro (1960 e 1962);
Director dos Assuntos Administrativos e das Instalações Sociais (1961)
T
AAIS
T
Fernando de Jesus Alves Caseiro
Vogal dos Assuntos Administrativos (1960);
Tesoureiro (1961);
Suplente (1962)
VAA
T
S
Francisco Fagulha Saraiva
Vogal das Instalações Sociais
VIS
Gastão Henriques Silva
Vogal do Departamento de Futebol (1960/61);
Suplente (1962)
VDF
VDF
S
Joaquim Eduardo Pereira Queimado
Vogal da Actividade Desportiva
VAD
José BlackCroft de Moura
Vogal da Actividade Desportiva(1960);
Director da Actividade Desportiva (1961/62)
VAD
DAD
DAD
Rui Jorge de Sousa Guedes
Vogal da Actividade Desportiva (1960/61/62)
Alfredo Jaime Pelouro de Almeida Valverde
Suplente (1960);
Vogal das Instalações Sociais (1961 e 1962)
S
VIS
VIS
Armando José de Barros Teixeira
Suplente (1960);
Vogal da Actividade Desportiva (1961);
Secretário-geral (1962)
S
VAD
SG
Germano Mário Dias Ferreira
Suplente
S
Manuel da Luz Afonso
Suplente (1960);
Vogal da Actividade Desportiva (1961);
Vogal do Departamento de Futebol (1962)
S
VAD
VDF
Mário de Almeida
Suplente (1960 e 1962);
Director dos Assuntos Administrativos (1961)
S
DAA
S
Rui da Cunha Ledo Perdigão
Suplente
S
Álvaro César Freitas Correia
Suplente
S
Armando Augusto Soares
Suplente
S
Francisco José Barreiros Campas
Suplente (1961);
Director dos Assuntos Administrativos (1962)
S
DAA
Gilberto Inocêncio Miranda Cardoso
Suplente (1961);
Vogal da Actividade Desportiva (1962)
S
VAD
José Henriques Fernandes Lopes
Suplente
S
José Jorge Azevedo Coelho Virgílio
Suplente (1961 e 1962)
S
António da Silva Pita
Vice-presidente
S
Armando Henrique Alves da Silva
Vogal da Actividade Desportiva
S
Olindo Casimiro de Figueiredo
Suplente
S
Luís Martins Lacerda
Suplente
S
NOTA: Datas das assembleias gerais eleitorais: 1960 - 30 de Abril, 1961 - 29 de Abril; e 1962 - 31 de Março 


3 comentários
comentários
  1. Mário Ferrira1/4/14 14:34

    Pessoas como o Srº Alberto Miguéns é que fazem falta ao nosso Benfica, através dele passamos a conhecer e bem a história do glorioso, foi uma das boas coisas da minha vida foi ter tê-lo conhecido, viva o Benfica( Mário Ferreira).

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Caro Mário Ferreira

      Eu também tenho muita estima por si e pelos seus. Como Benfiquista e como cidadão de elevado quilate. Como poucos!

      Gloriosas Saudações Benfiquistas

      Alberto Miguéns

      Eliminar
  2. Bruno Paiva5/4/14 23:09

    Infelizmente só hoje tive tempo de visitar o blogue do Sr Alberto Miguéns.

    Deixo pois uma mensagem de Parabéns atrasados ao Glorioso sr Gastão Silva. Muito Obrigado por tudo o que fez pelo maior clube do mundo.

    ResponderEliminar

Em Defesa do Benfica no seu E-mail