Dia da Saudade 133 - Em Defesa do Benfica
A criação deste Blogue, ideia de António Melo, tem como objectivo divulgar, defender o Sport Lisboa e Benfica e a sua Gloriosa história. Qualquer opinião aqui expressa vinculará apenas o seu autor, Alberto Miguéns.

SEMANADA: ÚLTIMOS 7 ARTIGOS

02/11/2018

Dia da Saudade 133

02/11/2018 + 3 Comentários
NUNCA É DEMAIS ASSINALAR A DATA E HORA - QUATRO DA TARDE - DE NASCIMENTO DAQUELE QUE NÃO SENDO O PRINCIPAL FUNDADOR - FORAM 24 PARES ENTRE IGUAIS - SE TORNOU A MAIOR FIGURA DO CLUBE ENTRE 1904 E 1926. O PAI DO BENFIQUISMO.



Os nascimentos no Portugal do século XIX e aldeias longe das grandes cidades durante a primeira metade do século XX, nas famílias que «comiam o pão que o Diabo amassava»: Em casa, com o marido, a parteira (mãe experimentada com vasta prole), a sogra e a mãe da parturiente.


Aos vinte e sete dias do mês de Dezembro do ano de mil oitocentos e oitenta e cinco, nesta Igreja paroquial de São João Baptista do Lumiar, concelho dos Olivais, diocese de Lisboa, baptizei solenemente um indivíduo do sexo masculino, a quem dei o nome de Cosme e que nasceu nesta freguesia às quatro horas da tarde do dia dois de Novembro do corrente ano, filho legítimo de Cosme Damião, carroceiro, natural desta freguesia e de Rosa Marques, natural de São Martinho do Salreu, concelho de Estarreja, diocese do Porto, recebido na freguesia dos Anjos da cidade de Lisboa e paroquianos desta, moradores na Travessa do Alqueidão deste lugar, neto paterno de Cosme Damião e Rosário Maria e materno de Francisco Marques e Maria Rosa. Foi padrinho António Pereira e madrinha Rosa Marques, aquele casado e esta solteira, trabalhadores os quais todos sei serem os próprios. E para constar se lavrou um duplicado deste assento que depois de ser lido e conferido perante os padrinhos comigo não assinaram por não saberem escrever. Era ut retro

O pároco Francisco de Paula da Fonseca Neves.






Obrigado Cosme Damião. E a todos os que fizeram tão grande o Benfica que nasceu tão pequeno do tamanho de todos os clubes. E cresceu bem mais do que todos os outros.


Alberto Miguéns
3 comentários
comentários facebook
  1. Parabéns para todos nós, "netos" de carroceiros, mas que, com a perseverança que um Ideal transformou em Glória, nos transportou numa épica jornada, desde a Travessa do Alqueidão até às sete partidas do Mundo.

    Viva, para sempre, Cosme Damião!

    ResponderEliminar
  2. Caro Miguéns.
    Peço muita desculpa, mas tenho que pedir ao Serrado se essa informação está correcta. Julgo saber que esse insigne e ilustre historiador tem outra versão e...como ele é que é o historiador...

    ResponderEliminar
  3. Então, segundo a nova cartilha, quem fundou o Benfica não foi o (ex)andrade ventoínha? Em 31 de Outubro de 2003?
    Perdemos em casa com o Moreirense de forma categórica (levámos um banho de bola!) e vemos apenas meia dúzia de contestatários? Este "novo" Benfica transformou-se num clube de mansos?!

    ResponderEliminar

Subscrever este blogue