Hoje Não Há «Post» - Em Defesa do Benfica
A criação deste Blogue, ideia de António Melo, tem como objectivo divulgar, defender o Sport Lisboa e Benfica e a sua Gloriosa história. Qualquer opinião aqui expressa vinculará apenas o seu autor, Alberto Miguéns.

SEMANADA: ÚLTIMOS 7 ARTIGOS

10/06/2018

Hoje Não Há «Post»

10/06/2018 + 5 Comentários
MAS APENAS UM AGRADECIMENTO À FILHA MAIS VELHA DO CAPITÃO JOSÉ ÁGUAS.


Que completa dia 16 deste mês, 62 anos, pois nasceu em 16 de Junho de 1956. Ei-la com menos de dois anos:


Ao final de mais de 40 anos
Falei - telefonei - com «Lena d'Água» no final da semana passada para preparar um texto a editar neste blogue dia 13 de Junho, dia de Santo António. Falei com José Águas uma dúzia de vezes e com o filho/irmão Rui Águas meia dúzia. 


Curiosamente dos "Águas" o primeiro que vi foi a Helena
Pois nunca vi José Águas jogar e Rui Águas só muito mais tarde. A Helena Águas vi-a num espectáculo - ela pelo telefone ainda se recordava desse dia, não de mim (claro!) mas eu recordo-me dela. Foi num espectáculo do grupo musical a que então pertencia, os «Beatnicks" no Ginásio do Liceu Nacional de Queluz. Em finais de 1976, 1977 ou início de 1978. Eu ainda não era associado do "Glorioso". 


Helena Águas era muito diferente do que depois foi
Tinha uma postura "hippie" com o grupo «Beatnicks» do qual era líder Ramiro Martins (viola-baixo), aquele que seria o seu único marido e pai da sua filha Sara. A primeira vez que a vi estava muito diferente das "outras vezes", numa longa túnica 'florida'.


Uma das mais belas canções
Quando a oiço lembro-me sempre de Ramiro que morreu extremamente novo, talvez com 40 anos, em 1995.



Era de noite, lembro-me bem como se fosse agora e aqui
O frio cortava como navalha e a malta muda e sem se mexer
como as pedras da calçada
Tinhamos vindo ainda há pouco da casa do João na avenida
Tudo bem alto, ninguém sonhava então que ia entrar num beco sem saída

Ele era meu amigo desde os dias de escola
Gostava de brincar comigo aos índios e aos cowboys
E eu sonhava poder vir a ser a sua companheira
Mas o meu herói quis outra heroína 
O meu herói quis outra heroína

Estava deitado sobre o meu colo como Jesus ao colo de Maria
Fechou os olhos e eu tive medo de o perder naquela noite fria
A morte veio, e sem dizer nada ele partiu com ela na montada
E eu fiquei rouca de gritar por dentro mas já de nada serviu o lamento

Ele era tão bonito e tocava viola
No grupo lá do bairro que ensaiava na garagem do Zé
A gente costumava ir juntos ver o Sol nascer na praia
Mas o meu herói quis outra heroína 
O meu herói quis outra heroína


No grupo a "Salada de Frutas" ou em a "Banda Atlântida"
O guitarrista ou baixista chegou a equipar «à José Águas".



Vi depois muitos outros, com mais rigor...apenas alguns, espectáculos
Mas nunca falei com ela...até dia 1 de Junho de 2018 com início às 17:25.

Obrigado Lena d'Água pela preciosa - e fundamental - ajuda! Viva o Benfica!

Alberto Miguéns
5 comentários
comentários
  1. Caro Alberto, aproveito a sua boleia para também agradecer a Lena d'Água.

    Em primeiro lugar pelo enternecedor e informativo livro que ela escreveu: "José Águas, o Meu Pai Herói". O livro ilustra bem partes da vida de um homem excepcional e de um Benfiquista do mais alto quilate. É pena que mais, muitos mais Benfiquistas não o tenham comprado e lido. Vale bem a pena. Dos 5 jogadores Benfiquistas que coloco acima de todos os outros, apenas vi jogar Chalana. Os outros 4 são: José Águas, Coluna, Eusébio e Cosme Damião. Com eles o Sport Lisboa e Benfica voou sempre mais alto, mais nobre, mais leal e puro no seu Ideal.

    Em segundo lugar pela generosidade que teve em disponibilizar dezenas de fotografias de qualidade sobre o trajecto de vida do seu pai. São um encanto e uma inspiração.

    Em terceiro lugar pela frescura e qualidade da sua voz e personalidade, características que mantém como ainda recentemente podemos constatar aquando da sua participação no Festival da Canção de 2017.

    A família Águas tem - terá sempre - um lugar cativo, merecido e especial no coração dos Benfiquistas.

    ResponderEliminar
  2. Pois meu caro esqueceu-se de um dos maiores: José Maria Nicolau. Se o Benfica se consolidou e expandiu a nível nacional deve-o a ele.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Caro F. L..

      José Maria Nicolau jamais será esquecido. Pelo contrário. Será sempre lembrado.

      http://em-defesa-do-benfica.blogspot.com/2017/08/o-ciclismo-os-poetas-e-o-benfica.html

      Saudações

      Alberto Miguéns

      Eliminar
  3. Grande tema, Beco, da Lena D'Água.
    Vi dois ou três concertos dela, nos anos 80/90.
    Aguardo pelo artigo sobre o grande José Águas.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Caro J. P. Gonçalves

      Mas não vai ser acerca do grande Zé Águas. Embora este blogue esteja em dívida para com ele - um dia haverá uma evocação que realce a realeza dele como grande figura do Clube - já por aqui «andou», pelo menos, duas vezes:

      http://em-defesa-do-benfica.blogspot.com/2016/12/prefiro-ficar-com-o-meu-aguas.html

      http://em-defesa-do-benfica.blogspot.com/2017/09/senhor-jose-aguas-posso-informa-lo.html

      Dia 13 de Junho será acerca de um dos artistas portugueses mais importantes na história da música em Portugal mas que fui descobrindo desde os Anos 80 que ninguém sabe que ele era adepto Benfiquista. Mesmo entre dezenas de músicos simpatizantes do "Glorioso" que o conheceram e outras personalidades Benfiquistas que com ele conviveram.

      Gloriosas Saudações

      Alberto Miguéns

      Eliminar

Subscrever este blogue