E Agora? - Em Defesa do Benfica
A criação deste Blogue, ideia de António Melo, tem como objectivo divulgar, defender o Sport Lisboa e Benfica e a sua Gloriosa história. Qualquer opinião aqui expressa vinculará apenas o seu autor, Alberto Miguéns.

SEMANADA: ÚLTIMOS 7 ARTIGOS

12/06/2018

E Agora?

12/06/2018 + 9 Comentários
MAIORIA SILENCIOSA VERSUS MINORIA RUIDOSA ERA A RESPOSTA. SE EU ESCOLHESSE UM TÍTULO PARA ESTE BLOGUE DEPOIS DA 01:22 HORAS POIS FOI QUANDO TERMINOU A A.G.O. SERIA ESSE. MAIORIA SILENCIOSA VERSUS MINORIA RUIDOSA. 


São 02:09 da matina e amanhã (hoje) terei de me levantar cedo. No final indicarei a hora em que terminei.


Vamos começar pelos pormenores
Que até são grandes.


Falsa questão (I)
Tornou-se moda as AG's do Glorioso serem entendidas como uma espécie de reunião maçónica, secreta, escondida, proibida, até apareceu a fraseologia "lasveguiana": «O que é da assembleia fica na assembleia!» Deve ser o Benfica Moderno. Eu só comecei a "ouvêr" AG's desde que sou associado, desde Janeiro de 1979, mas li muitas - quase todas - nas páginas dos jornais desde praticamente a primeira. Em 1906 já se noticiava, na Imprensa da época, decisões das AG's do SLB. Até ao século XXI havia na sala das AG's quatro mesas: três para os respectivos Órgãos Sociais do Clube e uma para a "Comunicação Social" que no(s) dia(s) seguinte(s) fazia(m) chegar reportagem a todos, Benfiquistas ou não. O SLB sempre foi um clube transparente. Acredito que um dia ainda vou ver as AG's transmitidas integralmente nos canais de comunicação do Clube.


Falsa questão (II)
O dia da reunião! Nem percebi a justificação do presidente da mesa da assembleia geral de que tinha que ser numa segunda-feira pois havia um feriado na quarta-feira e mais isto e aquilo com pontes pelo meio. Mas em termos de bom senso respeitando a alínea b) do ponto n.º 2 do artigo 55.º dos Estatutos o dia indicado, em termos de bom senso para satisfazer o maior número possível de pessoas e para que pudessem sentir-se à vontade não tendo a pressão do tempo (como eu estou a ter agora) seria, simplesmente, o dia 8 de Junho, ou seja numa sexta-feira. A de 1 seria cedo a de 15 era tardia. OITO. O resto é conversa...


Boa decisão (I)
A mudança de pavilhão. Passar de 2 para o 1 com nova disposição e "regulamentação" dificilmente permitirá "convulsões" como na última, agora penúltima, assembleia geral do SL Benfica (Clube). Já não são permitidas pessoas de pé dentro do recinto com cadeiras que ocupam nem metade do piso, ou seja, fica praticamente tudo nas bancadas (topo norte e lateral virada para a "Catedral"), mais de 30 seguranças (Prossegur) por todo o recinto e os Órgãos Sociais protegidos no topo sul ao contrário do que se fazia anteriormente, no pavilhão 2, em que ficavam expostos numa lateral do campo de Andebol/Futsal.  


Boa decisão (II)
A apresentação, exposição e esclarecimento - sempre parcial como é seu timbre - esteve a cargo do habitual. O porta-voz da Direcção, vice-presidente Nuno Gaioso Ribeiro, mas o presidente da Direcção deixou o seu habitual lema de "fora", que era "entrar mudo e sair calado" e decidiu - muito bem - "falar" duas vezes: uma com um discurso escrito e outro com umas notas tiradas por alguém para depois explicar. Estas duas intervenções - a escrito a abrir e a "improvisada" a fechar - foram no período da "célebre meia-hora final" que demorou duas horas. 


Agora os porMaiores
Que até podem parecer pequenos.


O Orçamento foi aprovado por larga maioria
Aproximadamente 80 por cento dos cerca de mil associados presentes. Há muitos - algumas dezenas - que estavam presentes e não votaram. Nem sim, nem não, nem abstenção.


O Debate foi feito por uma larga minoria
Em cerca de duas dezenas de intervenções contei dois associados a justificar o insucesso desportivo mantendo total confiança no rumo que o Clube tem e uns 17 ou 18 a tecerem entre brandas a duras críticas ao que se passou no último ano. Críticas de preocupação e alerta, versando na sua diversidade dois aspectos essenciais (se é que consigo resumir quase duas horas de intervenções tão palavrosas e veementes só para a tal meia-hora final).


Arrogância e sobranceria
A maior parte dos presentes votou a favor do Orçamento (80/20) mas a maior parte dos que tiveram intervenções (18/2) salientaram que o insucesso desportivo ficou a dever-se à arrogância (considerar que se estava dez anos à frente) e à sobranceria (com o FC Porto "intervencionado pela UEFA" e o Sporting CP quase falido são "favas contadas"). Pagou-se bem. Vamos ver/sentir, em 2018/19, se não foi com juros. Aqui o comentário é meu! Em exclusivo para o blogue!


Houve um conhecido associado que propôs
A eleição de um Provedor para o Sócio. Mas já há, digo eu! É o presidente da mesa da assembleia geral. Tem é de efectivamente exercer em plenitude as funções que lhe conferem os Estatutos. E ser mesmo o presidente de todos os associados. É que às vezes até parece ser mais o presidente da mesa da Direcção que da Assembleia Geral. E isso fica-lhe MUITO mal! Por isso foi devidamente criticado. Na última reunião magna preferiu estar presente num jantar de final da campanha autárquica do Partido Socialista em vez de presidir à malfadada assembleia geral, a que correu mal! Ou seja foi um Benfiquista que preteriu o SLB em detrimento do PS! Vá-se lá saber porquê!

O presidente da Direcção terminou com uma ideia que não vou seguir
Primeiro porque nunca endeusei ninguém. Só o Clube como um todo. Depois porque parece conversa que já ouvi noutro lado. Eis o que disse o presidente da Direcção quase a terminar a sua última intervenção. Foi uma qualquer frase, mais ou menos assim, pois cito de memória: Devem apoiar os futebolistas enquanto estão a jogar, com toda a força que tiverem. Depois eles vão à vida deles e é deixá-los ir até novo jogo. Não os devem endeusar tanto. É de mais. Eles ao serem tão endeusados até pensam que mandam no Clube. 


Pois eu continuarei a fazer o que sempre fiz
Considero os futebolistas (e restantes atletas) o principal que tem o Clube. Mas de longe. É por eles que se é deste ou daquele clube. Nunca vi cromos de dirigentes embora haja alguns "cromos". Enquanto Gloriosos Futebolistas são o expoente máximo do Benfica. Se isso é endeusar então "endeuso-os". São eles que ganham, podem empatar e até perder. Enquanto estiverem a representar e honrar o "Manto Sagrado" seja a jogar, a treinar, a passear ou lá o que for são eles os cromos. O alter-ego do Benfica e dos Benfiquistas. Depois de saírem do Benfica desinteresso-me deles. Enquanto funcionários do Benfica conto com os dirigentes para os porem no lugar. Os adeptos "elevam-nos". Os dirigentes "aterram-nos"! Já com os dirigentes faço precisamente o contrário. Sempre "rédea curta" enquanto tomam as decisões e fazem "andar" o Clube. Depois de terminarem a sua nobre função de dirigirem o "Glorioso" faz-se o "balanço". Figuram entre os melhores ou entre os piores? Atenção que no Benfica a "fasquia" é muito alta! Vinte e quatro fundadores, Félix Bermudes, Januário Barreto, Alberto Lima, Ribeiro dos Reis, Mascarenhas de Melo, Manuel da Conceição Afonso, Júlio Ribeiro da Costa, Ferreira Bogalho, Maurício Vieira de Brito, Borges Coutinho e mais uma vintena de enormes dirigentes. A fasquia é altíssima! 

Continuarei nesta senda!

Alberto Miguéns


NOTA: Finalizado às 03:14 horas

9 comentários
comentários
  1. Pelos vistos nem uma palavra sobre as constantes visitas policiais, judiciais e as constantes acusações de corrupção que a mim me afligem mais que não ser campeão! Meter a cabeça e achar que basta ganhar para tudo se esconder não fica bem!

    ResponderEliminar
  2. EU NAO ME REVEJO NESTE BENFICA MOLE DEPRESSIVO SEM CHAMA O SLB DEIXOU DE SER UM CLUBE COM O QUAL ME IDENTIFICO A AGUIA DOMESTICADA DE TAL MANEIRA ACORRENTADA SO VOA QUANDO ESTA CORJA QUE NOS DIRIGE DECIDE PARA MIM ACABOU O MEU BENFICA FICA SEMPRE NO MEU CORACAO E A CORJA QUE SE APODEROU DO GLORIOSO NAO RECEBERA NEM MAIS UM TOSTAO DO MEU BOLSO E VERDADE QUE ELES NAO PRECISAM POIS O NEGOCIO LHES PERMITE PASSAR-SE DOS MEUS DINHEIROS VOU VIVER O RETOS DA MINHA VIDA COM ESTES PALHACOS, CORJA,LAPAS, A CHUPAR O BENFICA ATE AO TUTANO COM DERROTAS OU VITORIAS O PROBLEMA PARA ELES E A INDUSTRIA,A PAIXAO DO BENFICA ESSA E PARA OS PAGANTES O SOFRIMENTO DAS DERROTAS COMO ESTE MISERAVEL ANO E PARA OS SOCIOS E SIMPATISANTES O RESTO E TRETA VENHA DE LA MAIS UM HOTEL DE CHAME DA MARCA BENFICA NA RUA JARDIM DO REGEDOR VOU CHORAR DE VERGONHA.......................

    ResponderEliminar
  3. Obrigado Alberto, pela partilha.

    Abraço Benfiquista

    ResponderEliminar
  4. Discordo de Alberto Miguéns, somos um grande clube, com grandes atletas, grandes dirigentes, uma mola humana de associados impressionante. O que queremos mais? desgraças? já chegam as que tivemos.Carrega Benfica.

    ResponderEliminar
  5. Estou a 3 mil kms mas a maneira como o Miguéns nos conta é como se lá estivesse.

    ResponderEliminar
  6. 'Há muitos - algumas dezenas - que estavam presentes e não votaram. Nem sim, nem não, nem abstenção". Com a votação por voto electrónico, cheira-me que o Alberto, apesar de participar na AG, não votou. Estou certo? Porque será? Como podemos aceitar um sistema de voto electrónico, que não é objecto de auditoria? Pq razão as casas têm dto a 50 votos? Os estatutos têm de ser alterados. Mas como?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Caro Benfiquista

      Correcto. E sei de quem me veio dizer - pois sabem o que penso - que também não votaram. Eu nas AG's nem me dirijo ao sistema de votação. Nunca o fiz por isso nem sei como é o processo. Nas Eleições - em que o sistema é anterior ao das AG's - voto nulo. Levanto o cartão "chipado" e entrego-o sem votar. Com cartões "chipados" o voto nunca é secreto. É só ver a cronologia de quem carregou e depois descarregou. O que não quer dizer que essa "investigação" seja feita. Certamente não é, mas pode ser. É possível saber.

      O sistema de votação devia ter ido a discussão numa AG e não foi. Foi simplesmente decidido pelos dirigentes. Além dos Estatutos o Benfica devia ter um Regulamento Geral (e tem mas não é cumprido e está desactualizado pois foi votado pelos associados em AG's em 1968) pois o presidente Borges Coutinho assim o exigiu.

      Alterar os Estatutos é muito difícil. A não ser por vontade da Mesa da assembleia geral. Conseguir um total de dez mil votos de sócios efectivos (maiores de 18 anos) é uma «barbaridade».

      Gloriosas Saudações

      Alberto Miguéns

      NOTA: Um dia destes hei-de voltar a esse assunto: Voto Electrónico (VE) e alternativas melhores (mais abrangentes) e tão rápidas quanto o VE.

      Eliminar
  7. Envergonha-me o sistema de votação do Benfica. Não é aceitável os sócios terem os mesmos deveres, entre eles, pagar as quotas (cujo valor é igual para todos), e, no que respeita aos direitos, uns terem direito a 50 votos e outros a 1 voto!.. Isto é que é a igualdade e democracia??!!..

    Quanto ao sistema de votação electrónica, a mim, que fui um dos que votou nim, é um atentado à privacidade a que qualquer votante tem direito: como é que se pode respeitar a ideia de voto secreto quando fica associado electronicamente o nosso número de sócio com a nossa opção de voto? E mais, como podemos votar livremente tendo o olhar de censura dos "funcionários" metido nos ecrãs de votação? Nem nos tempos da outra senhora havia tanto condicionamento nos actos eleitorais

    ResponderEliminar
  8. A alteração dos estatutos foi aprovada em 2010, numa Assembleia Geral extraordinária, com a votação de pouco mais de 100 sócios, num ano em que fomos campeões nacionais, após 5 anos de jejum. Para bom entendedor meia palavra basta.

    Pergunto:

    1. Será democrático que os candidatos a presidente do SLB tenham de ter, no mínimo, 43 anos?

    2. Serão justas as alterações que estipulam a atribuição de 50 votos aos sócios com mais de 25 anos de filiação, comparativamente a outros sócios com menos anos de filiação?

    3. Será democrático o betão (casas do Benfica) ter também direito a 50 votos?

    4. Será que Luís Filipe Vieira tinha legitimidade para ser candidato à presidência do Benfica em 2012?

    Na lista publicada pelo jorna "O Benfica", os sócios com os n.º 11055 e 11057, receberam as águias de prata em 1991 e o nome de Luís Filipe Vieira não aparece nesta lista. Só passados uns anos, depois da recontagem, é que aparece entre estes 2 sócios, com o n.º 5199.

    Pelo n.º 2 do Artigo 61.º dos estatutos do SLB, "o Presidente da Direcção terá obrigatoriamente pelo menos vinte e cinco anos ininterruptos como sócio efectivo, concomitantes com a data da eleição", pelo que o presidente não se poderia ter candidatado às eleições de 26-10-2012.

    Podemos concluir que em 1991 não recebeu a águia de prata pelos 25 anos (Podemos assumir que não recebeu a águia de prata em 1991 por ter quotas em atraso) e em 26-10-2012 (ano de eleições) não tinha no mínimo 25 anos de sócio ininterruptos. Isto porque, se se assumir que esteve vários anos sem pagar as quotas, e que, por exemplo, na melhor das hipóteses, em 1991, pagou as quotas que tinha em atraso, então, à data das eleições de 2012, teria no máximo 21 anos ininterruptos como sócio, não sendo por isso elegível para se candidatar à presidência (21<25).

    Se alguém conseguir arranjar uma justificação para isto, agradecia que me informassem, porque por mais que tente puxar pela cabeça não consigo. Pedia ao meu amigo Alberto, que certamente tem acesso a todas as publicações do jornal “O Benfica”, nos clarifique o ano em que o presidente recebeu a águia de prata, ou se nunca a chegou a receber.

    Saudações gloriosas.

    ResponderEliminar

Subscrever este blogue