Antes Foto Que Me Registe Que Camartelo Que Me Derrube - Em Defesa do Benfica
A criação deste Blogue, ideia de António Melo, tem como objectivo divulgar, defender o Sport Lisboa e Benfica e a sua Gloriosa história. Qualquer opinião aqui expressa vinculará apenas o seu autor, Alberto Miguéns.

SEMANADA: ÚLTIMOS 7 ARTIGOS

09/03/2018

Antes Foto Que Me Registe Que Camartelo Que Me Derrube

09/03/2018 + 0 Comentários
O QUE É QUE TÊM "CONTRA" AS NOSSAS SEDES HISTÓRICAS?


Ao passar pela rua Garrett estarreci ao ver uma placa a anunciar modificações na segunda Sede que o "Glorioso" teve na Baixa, oitava no total contando com a Farmácia Franco.


À esquerda: Há muitos anos (talvez em finais da década de 40 ou início dos Anos 50) uma fotografia da autoria de Mário Rodrigues de Almeida, quando foi escrita a História do Sport Lisboa e Benfica 1904/1954, por Mário de Oliveira e Rebelo da Silva; À direita: Em 8 de Março de 2018, o lado direito do terceiro andar do n.º 61 da rua Garrett

Quando estou algum/muito tempo sem passar por locais por onde o Benfica já andou
É normal ter mais atenção a esses locais - de antigos Campos/Estádios, Sedes ou Secretarias - até para ver em que estado estão. Quando por motivos profissionais ou pessoais passo com frequência esqueço-me de olhar como é normal. Há muito tempo que não descia a rua Garrett do Chiado para a rua do Carmo por isso olhei para as janelas do lado direito do terceiro andar mais "famoso, importante e formoso" da rua Garrett e leio uma das placas o que temo ver sempre nesses edifícios "famosos, importantes e formosos":   

Dois anos, entre 1 de Janeiro de 1913 e 31 de Dezembro de 1914
O "Glorioso" ocupou o lado direito do terceiro andar do n.º 61 da rua Garrett onde instalou a Sede do Clube. foi um progresso notável. Já tinha deixado o bairro de Benfica mas indo para umas instalações exíguas, semelhantes às de Benfica embora no Rossio. O que teve valor não foi o espaço (praticamente o mesmo) mas a localização no centro da cidade. Mas a passagem para a rua Garrett foi um "pulo olímpico" pois mantinha-se no centro da cidade e o espaço era oito vezes superior. Pelo menos assim me pareceu quando os visitei em meados dos Anos 80. E a rua Garrett nos Anos 10 tinha tanto "movimento e importância como o Rossio, o Chiado, a Praça dos Restauradores ou a rua Augusta. Eram os eixos de maior acessibilidade e utilização diária no interior da malha urbana nas horas de trabalho, nos dias de semana que nesses tempos englobavam o sábado. Só no domingo poderia haver mais sossego mas também não visto haver três grandes igrejas e outros tantos teatros e não menos cafés. Dizia-se que rua Garrett era a rua com mais acidentes automóveis em Lisboa - no tempo em que ainda não estava regulamentado porque lado eles deviam circular, ou seja, existiam vias mas não estavam divididas em faixas. Uma rua com tanta "confusão rodoviária" quando os automóveis em Lisboa se contavam pelos dedos mas existiam dias que deviam de circular por lá todos eles! e mais alguns que vinham do resto do País!


A porta de entrada para uns seis quartos e uma sala enorme (pelo menos era assim em meados dos anos 80)

Regressando ao "Glorioso" (Parte I)
Fica para outro dia uma maior peregrinação pelas três Sedes da Baixa - Rossio, rua Garrett e largo do Carmo - visto neste blogue já se ter assinalado a saída do largo do Carmo no regresso a Benfica (inauguração oficial em 1 de Dezembro de 1916). Para uma Sede que foi a melhor que o Benfica já teve e que ainda hoje é um edifício notável, agora a sede da Junta de Freguesia de Benfica. A estadia do "Glorioso" na Baixa, em três locais míticos na própria História de Lisboa devia impressionar. A bandeira rubra com o emblema da águia desfraldada às janelas devia ser algo que agora só podemos imaginar mas os Benfiquistas dos Anos 10 viveram-no durante  cinco anos! Meia-década na Baixa. E depois por lá ficaram as secretarias, exactamente, a substituir (desdobrar administrativamente) a Sede pois esta apesar de esplendorosa na avenida Gomes Pereira era de difícil acesso para quem queria fazer inscrições, pagar quotas  ou contactar dirigentes do SLB.  

A porta frontal de entrada para um enorme Salão (pelo menos era assim em meados dos anos 80)

Regressando ao "Glorioso" (Parte I)
As instalações na rua Garrett correspondem a um tempo de crescimento notável. Não fazendo uma história exaustiva daqueles anos de 1913 e 1914 é impossível não referir que foram nestas instalações que se iniciou a prática da Ginástica (certamente no enorme salão frontal que ocupa três janelas) em 6 de Janeiro de 1913, que se lançou para as bancas o primeiro jornal de um clube desportivo em Portugal, "O Sport Lisboa" (em 24 de Agosto de 1913)  e se comemoraram títulos, com destaque para os campeonatos regionais de Futebol, tal como se prepararam as deslocações a Espanha cuja estação ferroviária de partida e chegada (Rossio) ficava "mesmo ali ao lado"!



Com tanto prédio para martelar e destruir em Lisboa (milhares deles) larguem os «nossos» prédios!

Alberto Miguéns

0 comentários
comentários

Enviar um comentário

Subscrever este blogue