A criação deste Blogue, ideia de António Melo, tem como objectivo divulgar, defender o Sport Lisboa e Benfica e a sua Gloriosa história. Qualquer opinião aqui expressa vinculará apenas o seu autor, Alberto Miguéns.

SEMANADA: ÚLTIMOS 7 ARTIGOS

16/12/2017

Sete e Meio 0.5: "O Benfica" Com Presente e Futuro

16/12/2017 + 0 Comentários API
CHEGA AO SEU FINAL ESTA EVOCAÇÃO DE UM JORNAL QUE TEM SIDO MUITO MAIS DO QUE APENAS UM NACO DE PAPEL. MEIO (0.5) POR SER MEIA DEPOIS DE SETE EVOCAÇÕES CORRESPONDENDO A SETE E MEIO: SETE DÉCADAS E MEIA.


A última fase de um Semanário que há muito devia ser Bissemanário, com uma edição à segunda-feira e uma outra, em forma de Revista, à sexta-feira ou sábado, funcionando como programa da actividade do Clube durante os fins-de-semana sempre bem preenchidos e exigentes.

Luís Lemos
Com 33 edições publicadas a que se podem juntar mais três, entre Adriano Cerqueira e Fernando Seara, Luís Lemos é o director interino com mais números editados (36), aproximando-se mesmo alguns directores, como Afonso Botelho (40), Afonso Coelho Pinto (46) ou Lourenço Gago (54). Interino entre 2 de Novembro de 2007 (ao n.º 3314) e 13 de Junho de 2008 (ao n.º 3346) que "O Benfica" resgatou a última página à publicidade (em 28 de Maio de 2008, ao n.º 3343). Finalmente "uma luta" de tantos anos estava "ganha"!



Já nem me lembrava. Encontrei quando procurava a notícia da demissão do director. Nesta mesma edição foi-me pedido para pôr os "pontos nos is" numa espécie de assinalar os 65 anos do Semanário. Já passaram dez anos! E parece que foi ontem! Como não hei-de estar velho!



Finalmente "O Benfica" deixa de ter uma página exclusiva para publicidade como esta:

   
em 23 de Maio de 2008, ao n.º 3343, a última página passa a ter a segunda mais importante página do Semanário..."nossa"!



José Nuno Martins
O último director contabiliza já 495 edições que passaram a 496 na sexta-feira (ontem). Apenas Paulino Gomes Júnior contabiliza mais edições (819) e mais consecutivas (531) na sua segunda passagem das cinco que teve como director. Com José Nuno Martins e a saída do chefe de redacção Carlos Calado (substituído pelo ausente na ficha técnica mas omnipresente Pedro Guerra) houve uma mudança na "estratégia" do Jornal com a primeira página a ter várias notícias numa espécie de índice, promoções de imagens e justificações de decisões, com mudança do "cabeçalho" em 1 de Janeiro de 2016 (ao n.º 3740). Também a registar mais uma inovação "técnica" em 7 de Fevereiro de 2014 (ao n.º 3641) com a aplicação digital, isto para um jornal que começou ainda no tempo do chumbo, em "Anos de Chumbo" (1926/1974) e teve um primeiro director Anti-Regime, contra o Estado Novo, pelo "Reviralho"!   



Que venham mais 75 de um lado! E 36 do outro!

Alberto Miguéns

NOTA: Pedro Guerra nunca teve o nome na ficha técnica do Jornal, por sua exigência (conflituava com a sua assessoria no grupo parlamentar do CDS-PP, pois dizia-se que tinha regime de exclusividade embora passasse os dia no SLB - um "boy" do e de PP) mas jamais poderá ficar "de fora" num dos ciclos mais tristes da História de "O Benfica". Com censura e "bufaria" com testemunhas disso. Não se vai safar como ele pensa.

0 comentários
comentários

Enviar um comentário

Em Defesa do Benfica no seu E-mail
Colaboração

ranking