A criação deste Blogue, ideia de António Melo, tem como objectivo divulgar, defender o Sport Lisboa e Benfica e a sua Gloriosa história. Qualquer opinião aqui expressa vinculará apenas o seu autor, Alberto Miguéns.

SEMANADA: ÚLTIMOS 7 ARTIGOS

13/10/2017

Tenho Meia-inveja do Sporting CP!

13/10/2017 + 4 Comentários API
CONSEGUEM TER TRÊS EQUIPAMENTOS POR TEMPORADA MAS DEPOIS USAM FREQUENTEMENTE OS MAIS SPORTING.

Nunca mais voltou a haver uma época com a qualidade desta em equipamentos: 1997/98. Em 60 jogos, cinquenta e um a vermelho (quatro com calções também vermelhos), cinco encontros todos de branco e quatro com a camisola preta - dois com calções brancos e dois com calções vermelhos

Ser "Mais Sporting" quer dizer ter pouco respeito pela tradição. Aí vence - também - o Benfica. E só ficámos a ganhar com um passado exemplar de respeito pelos valores e pelo Ideal criado pelos Fundadores e Pioneiros. O mais tradicional e bonito conjunto (embora equipamento verde em relvado verde seja pouco aconselhável, daí em Inglaterra praticamente não existirem) é o que usam menos. Resta-lhes os jogos na Taça de Portugal. 


Eu percebo (entendo) que aquando da ida ao Brasil - que nem foi "bem" o Sporting CP (ver NOTA FINAL) - tenham optado por levar as camisolas da equipa de râguebi que eram mais finas por isso melhores para jogarem num clima mais quente. Antes disso já tinham jogado "à metralha" como se comprova e prova (clicar):


Bonito e agradável? Esta mania de meter cegos a fazer crónicas de jogos de futebol - que vêem outro jogo diferente dos espectadores - já vem de longe!
Mas o doutor Salazar Carreira tinha assim tanto poder que obrigou a fazer desse o equipamento do Futebol. Um coxo a futebolar que andava entretido a jogar râguebi, fazer umas corridas e "mandar umas postas de pescada" na revista Stadium e no jornal "Os Sports"?



É que eu até tenho mais amigos sportinguistas que Benfiquistas e não conheço UM que diga que o "equipamento metralha" é melhor que o "bipartido". Então porque não mudam? Em vez de andarem a inventar quatro campeonatos nacionais da I Divisão deviam era alterar as prioridades do uso de que equipamento principal. Querem ver que ainda tenho de me inscrever como sócio do grande clube dos irmãos Rosa Rodrigues, António Couto, Queiroz dos Santos, José Cruz Viegas, Francisco Santos e Januário Barreto? Para levar a proposta a uma assembleia geral! É melhor não, que um dia ainda chego a presidente da Direcção do Benfica!



Há quem diga - já houve aqui um comentário acerca deste assunto - que o Benfica não tem quota de mercado para poder exigir três equipamentos à poderosa ADIDAS. Como não domino o assunto e nada me pode levar a acreditar que quem o disse neste blogue não saiba mais do que eu - aceito! Mas...para mim o grande problema é que quem dirige o Benfica, não é a Direcção eleita pelos associados, mas sim uma Comissão Executiva presidida por um sportinguista (Domingos Soares de Oliveira) e logo dois - o engenheiro José Simão e o eng.º Miguel Pereira - quadros importantes do marquetingue, "falidores da TBZ", são também sportinguistas. Por isso, para mim, o facto de não termos três equipamentos - O equipamento (vermelho) e dois alternativos (um branco) e outro inventado pelos criativos adidas, deve-se mais a isto:



O azar deles é se um dia os Benfiquistas se lembram de fazer umas FP - 28 de Fevereiro! Acabam a miar!

Alberto Miguéns

NOTA FINAL: Para a maior parte da Imprensa da época até devia ser considerado um Misto Português pois o SCP foi reforçado - e bem reforçado - com seis futebolistas melhores que os do Sporting CP, ou não tivessem estado nos Jogos Olímpicos de 1928: António Roquete e Gustavo Teixeira (dois do Casa Pia AC), Armando Martins e João dos Santos (ambos do Vitória FC Setúbal), Carlos Alves (do Carcavelinhos FC) e Liberto dos Santos (do União FC). No último encontro da digressão chegaram a jogar cinco em simultâneo. E não ficou por aqui. No início dos anos 50 voltaram a repetir a "gracinha"! Três anos consecutivos. O SLB foi sempre ao estrangeiro, mesmo ao Brasil, de peito aberto. Sem medo! Só com os nossos Gloriosos e chegou! Um dia este blogue voltará a este tema.

4 comentários
comentários
  1. O equipamento "Stromp" é razoável embora o verde não ajude muito... Mas pelo menos é o tradicional (embora em termos históricos o primeiro tenha sido integralmente branco). O equipamento "irmãos Metralha" é horrível.

    Salazar Carreira era mesmo um homem com muitas influências no poder desse tempo.

    O SCP levou reforços de outros clubes nessa digressão de 1928 como na década de 50. Que eu saiba apenas o SLB nunca levou esse tipo de reforços exclusivos para as suas digressões. Talvez o FCP tenha feito o mesmo, não sei.

    Ou melhor na digressão a África o Benfica reforçou-se com... José Águas que era Lusitano do Lobito. Não sei ao certo se foi logo contratado depois do jogo no Lobito ou se foi emprestado até ao final da digressão. Como regressou connosco presumo que foi contratado logo ali.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Caro Victor Carocha

      Depois de defrontar o Benfica (19/08/1950) integrou o plantel, fez três jogos consecutivos em Sá da Bandeira (25/08), Nova Lisboa (27/08), Silva Porto (29/08) e mandado regressar ao Lobito para «arrumar a mala», despedir-se e rumar a Lisboa. Estava contratado.

      O "Glorioso" aterra em Lisboa a 4 de Setembro, perde (1-3) com o Sporting CP na 1.ª jornada do campeonato nacional da I Divisão (17 de Setembro) e o Glorioso Zé Águas chega a Lisboa, na segunda-feira, 18 de Setembro.

      Saudações Gloriosíssimas

      Alberto Miguéns

      Eliminar
  2. São sempre camisolas da cor do ranho.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Caro General

      O Benfica fez-se grande e Glorioso a derrotar adversários valorosos. O Sporting CP foi dos clubes mais valorosos que o Benfica enfrentou. Foi a grandeza do SCP que tornou o SLB o maior clube português.

      Gloriosas Saudações

      Alberto Miguéns

      Eliminar

Em Defesa do Benfica no seu E-mail