A criação deste Blogue, ideia de António Melo, tem como objectivo divulgar, defender o Sport Lisboa e Benfica e a sua Gloriosa história. Qualquer opinião aqui expressa vinculará apenas o seu autor, Alberto Miguéns.

SEMANADA: ÚLTIMOS 7 ARTIGOS

01/06/2017

Maior Fábrica de Campeões (FUT; TP 2017)

01/06/2017 + 2 Comentários
POR CIMA DA CATEDRAL BRILHAM 113 ESTRELAS NO CÉU.



Depois do 29.º título na Taça de Portugal conquistado em 2013/14 - em 94 edições da competição iniciada em 1921/22 - são 310 os futebolistas que por envergarem o "Manto Sagrado" conseguiram a imortalidade como Vencedores da Taça de Portugal num Clube Eterno como o "Glorioso". Entre todos recordo os 113 que brilham no Quarto Anel. (ver NOTA FINAL) 



310 FUTEBOLISTAS VENCEDORES DA TAÇA DE PORTUGAL COM O MANTO SAGRADO

TREINADORES  VENCEDORES DA TAÇA DE PORTUGAL
Otto Glória                  
4
54/55
56/57
58/59* (4)
68/69
Ribeiro dos Reis          
3
30/31
34/35  
52/53

Janos Biri                     
3
39/40
42/43  
43/44

Ted Smith                    
2
48/49
50/51


Mário Wilson               
2
79/80
95/96


John Mortimore         
2
85/86
86/87


Artur John                   
1
29/30



Cândido Tavares         
1
51/52



José Valdivielso          
1
58/59* (5F)



Béla Guttmann            
1
61/62* (8)



Fernando Caiado        
1
61/62* (4F)



Lajos Czeizler              
1
63/64



José Augusto               
1
69/70



Jimmy Hagan              
1
71/72



Lajos Baroti                 
1
80/81



Sven Eriksson              
1
82/83



Pal Csernai                   
1
84/85



Toni   
1
92/93



Jose Camacho             
1
03/04



Jorge Jesus                  
1
13/14



Rui Vitória                    
1
16/17



21
29





* Época com dois treinadores (n.º de jogos para cada um); F - Treinador na final

NOTA FINAL: Em Defesa do Benfica nunca permitirá que por estratégias, ignorâncias, espertezas, interesses e negligências de outros, se ignorem os que contribuíram para a grandeza incomparável do Glorioso. Mesmo que tenham passado muitos anos. Para o EDB é como se fosse ontem. Por isso considerará como vencedores da «Taça de Portugal» aqueles que a conquistaram ainda com o nome de «Campeonato de Portugal». Tal como foi definido, em 1938, pelo Congresso da Federação Portuguesa de Futebol (que é a entidade que organiza esta competição desde 1921/22). Não foi o EDB que decidiu em 2017! Foi a FPF, que o fez em 1938. Sabendo que foi decidido e amplamente noticiado na Imprensa da época o EDB não pode fazer de ignorante acobardando-se ou sendo cúmplice de mentiras ou negligência de quem devia ter a responsabilidade de implementar e fazer cumprir o que ficou decidido. Se não sabem, estudem para aprender. Não queiram, os acomodados e aldrabões encartados, mal-intencionados, malabaristas da desinformação e ignorantes fazer de quem conhece a história do futebol português, parvo. Repito o que já escrevi várias vezes neste blogue. É esta decisão que permite ao Benfica justificar que tem 36 campeonatos nacionais e não 33. Até esta decisão, em 1938, os quatro «Campeonatos da I Liga» não eram campeonatos nacionais. a competição não se designava por «Campeonato Nacional da I Liga», mas apenas «Campeonato da I Liga». O campeão de Portugal (nacional) era o vencedor da final do «Campeonato de Portugal». Foi a decisão no Congresso da FPF, no Verão de 1938, que reverteu as características das competições. Tal decisão foi colocada "preto no branco" no Relatório da FPF de 1938/39 como se prova:


Em Defesa do Benfica zelará sempre pela cultura Benfiquista, que por o ser - CULTURA BENFIQUISTA - é diferente de todas as outras. Os Benfiquistas querem que assim seja, ou então o Clube é igual a outros, apenas mudando as cores. Vale tanto um triunfo conquistado em 1908 como os que vão ser conquistados em 2018! E não é por nos últimos tempos a cultura portista e sportinguista ter contaminado o futebol português que o EDB abdicará de respeitar o Benfiquismo, que não é de agora, vem de 28 de Fevereiro de 1904 e está bem definido numa das estrofes (o refrão) do Hino do SLB, cuja letra foi escrita por Félix Bermudes aquando das "Bodas de Prata (25.º aniversário, em 28 de Fevereiro de 1929) do Glorioso, precisamente no ano em que se iniciou a época da primeira conquista (1929/30) na «Taça de Portugal», ainda com a designação de «Campeonato de Portugal»:




O resto é conversa fiada


Alberto Miguéns
2 comentários
comentários
  1. Sim. O resto é conversa fiada !!!

    ResponderEliminar
  2. Bom dia Alberto.

    Enviei um email

    Saudações TRi... TetraGloriosas

    ResponderEliminar

Em Defesa do Benfica no seu E-mail