A criação deste Blogue, ideia de António Melo, tem como objectivo divulgar, defender o Sport Lisboa e Benfica e a sua Gloriosa história. Qualquer opinião aqui expressa vinculará apenas o seu autor, Alberto Miguéns.

SEMANADA: ÚLTIMOS 7 ARTIGOS

26/05/2017

As Três Primeiras (em 28) Taças de Portugal Existiram! Mesmo!

26/05/2017 + 2 Comentários
TRÊS TEMPORADAS DE GRANDE CLASSE - 1929/30, 1930/31 e 1934/35. TRÊS CONQUISTAS NO CAMPEONATO DE PORTUGAL QUE POR DECISÃO DA FPF, EM 1938, PASSOU A DESIGNAR-SE TAÇA DE PORTUGAL.



Podem não merecer destaque nas paredes das actuais instalações do "Glorioso" mas estão imortalizadas na Gloriosa História e na História do Futebol em Portugal. Sem mácula. À Benfica!






1929/30

Campeonato de Portugal (1929/30). Equipa da final, orientada pelo checo Artur John, frente ao FC Barreirense, com vitória por 3-1, em 1 de Junho de 1930, no estádio do Campo Grande, propriedade do Sporting CP: Artur Dyson; António Pinho e Jorge Teixeira; Aníbal José (1 golo no total), João Oliveira e Vítor Hugo; Augusto Dinis (1 golo na final, 4 no total), Mário Carvalho (1 no total), Jorge Tavares (capitão, 4 golos no total), Guedes Gonçalves (1 golo na final, 5 no total) e Manuel Oliveira (1 golo na final, 3 no total)

Jogaram ainda: Artur Travaços, Pedro Silva (5 golos), Ralf Bailão, Vítor Silva (4 golos), Francisco Sousa (1 golo), António Coelho, António Belo, Luís Costa, António Nunes e Mário Rodrigues. 28 golos no total dos nove jogos

1930/31

Campeonato de Portugal (1930/31). Equipa da final, em 28 de Junho de 1931, em Coimbra, no estádio do Arnado, propriedade do SC Conimbricense, numa vitória por 3-0, com a equipa treinada por António Ribeiro dos Reis, frente ao FC Porto: Artur Dyson; Ralf Bailão (1 golo no total) e Luís Costa; João Correia, Aníbal José (1 golo no total) e Pedro Ferreira; Augusto Dinis (1 golo na final, 2 no total), Emiliano Sampaio (3 golos no total), Vítor Silva (capitão, 2 golos na final, 9 no total), João Oliveira (4 golos no total) e Manuel Oliveira (6 golos no total)

Jogaram ainda: Pedro Silva (1 golo), Francisco Gatinho, Alberto Cardoso (3 golos), António Belo (1 golo) Eugénio Salvador (3 golos), Jorge Tavares e Artur Travaços. 34 golos no total de nove jogos

1934/35
Campeonato de Portugal (1934/35). Equipa da final, em 30 de Junho de 1935, em Lisboa, no estádio do Lumiar, alugado ao FC Barreirense, numa vitória por 2-1, com a equipa treinada por António Ribeiro dos Reis, frente ao Sporting CP: Augusto Amaro; Francisco Gatinho e Gustavo Teixeira (capitão, 1 golo no total); Albino, Lucas (1 golo na final, 1 no total) e Gaspar Pinto; Fernando Cardoso (4 golos no total), Luís Xavier (4 golos no total), Carlos Torres (2 golos no total), Rogério de Sousa (2 golos no total) e Valadas (1 golo na final, 5 no total)

Jogaram ainda: Vítor Silva (6 golos no total), João Correia e Francisco Costa. 25 golos no total de sete jogos

Aqui ficam para "Honrar os ases que nos honraram o passado" os três plantéis que conquistaram para o "Glorioso" os três Campeonatos de Portugal (e que deveriam constar da actual lista dos vencedores da Taça de Portugal)

Alberto Miguéns

NOTA: Paredes mal pintadas? Sem os considerar por não estarem representados junto dos outros! Um pequeno pormenor! Eles são o nosso GRANDE porMAIOR


2 comentários
comentários
  1. Obrigado, caro Alberto, por ajudar a lembrar que o Benfica tem 28 Taças de Portugal no seu palmarés e não 25 como é contabilizado pelo nosso clube, mesmo depois da FPF já ter confirmado que CP e TP se tratavam da mesma competição.

    ResponderEliminar
  2. Caro

    É tão, mas tão, reconfortante ver como os Benfiquistas nunca se esquecem dos nossos Heróis que nunca vimos jogar mas sabemos que ganharam por nós. Pelos do passado antes deles, por eles, pelo Futuro (agora somos nós) e pelos que virão nos tempos que ainda só sabemos existirem no número do ano do calendário. 2018 ou 3018.

    O Benfica é tão grande, vivido a cada dia intensamente, mas NUNCA nos esquecemos, nem deixamos que sejam ignorados, os que nos tornaram maiores, mesmo que há mais de 80 anos.

    Não os deixámos para trás. A cada conquista recordamos que existimos agora pelo que fizemos antes. Temos grandeza real e alicerçada porque tivemos e vamos tendo quem a vai construindo.

    E respeitamos estes Futebolistas de Ontem como os de Hoje. Como se nos deliciassem como os de 2016/17. É sempre uma honra ver tantos Benfiquistas a fazer Benfiquismo.

    A Honrar os Ases que nos Honraram o Passado. Por isso merecemos vencer. Sabemos vencer. Somos gratos a quem nos tornou e vai fazendo maiores.

    Viva o Sport Lisboa e Benfica!

    Alberto Miguéns

    ResponderEliminar

Em Defesa do Benfica no seu E-mail