A criação deste Blogue, ideia de António Melo, tem como objectivo divulgar, defender o Sport Lisboa e Benfica e a sua Gloriosa história. Qualquer opinião aqui expressa vinculará apenas o seu autor, Alberto Miguéns.

SEMANADA: ÚLTIMOS 7 ARTIGOS

06/03/2017

Bogalho do Nada para o Tudo

06/03/2017 + 1 Comentários
O «HOMO BENFICA». ENTRE O NADA (ESTÁDIO PROVISÓRIO DE TABUADO NO TOPO DO CAMPO GRANDE) E UM DESCAMPADO PARA O TUDO: O MONUMENTO À VONTADE BENFIQUISTA.


Se o Homem é a sua circunstância, este nosso Joaquim é tudo isso e muito mais (clicar)



Alberto Miguéns

NOTA FINAL1: Intervenções por ordem cronológica de Luís Gato (sócio n.º 1 entre 20 de Agosto de 1956 e 17 de Maio de 1979), Paulino Gomes Júnior (secretário-geral da Direcção e director de "O Benfica"), Justino Pinheiro Machado (vice-presidente da Direcção em 1954, 1955 e 1956) e Joaquim Ferreira Bogalho (presidente da Direcção em 1952, 1953, 1954, 1955 e 1956). Como se percebe Bogalho fez questão de ter como seu "braço direito" quem acreditava no "Sonho de Carnide/Luz" como ele! E Bogalho já era "Águia de Ouro" desde 31 de Julho de 1938! Por ter sido um tesoureiro exemplar e fora-de-série. Justino Pinheiro Machado seria "Águia de Ouro" em 12 de Outubro de 1976. Paulino Gomes Júnior foi eleito para a distinção suprema, entre os dois, em 14 de Março de 1973. Três Gigantes do Benfiquismo!

NOTAFINAL2: Com a "Catedral" (infra-estrutura) paga, Bogalho saiu e entrou Maurício Vieira de Brito. Uma passadeira vermelha para o nosso Maurício organizar um plantel (super-estrutura) que seria só...Bicampeã Europeia! E Bogalho contente. Criara os alicerces. Ele não foi Campeão Europeu? Então não foi. Foi como Benfiquista que era o que mais lhe interessava. E tinha criado as condições como presidente anterior. Mas isso para ele era acessório!
1 comentários
comentários
  1. A fotografia de Bogalho no ambiente campestre do local onde se veio a erguer o mítico Estádio da Luz, é uma imagem fascinante e de grande simbolismo Benfiquista. Ali, naquele momento, esse homem sorria já imaginando o que ele iria liderar. A aventura do Estádio subsiste ainda hoje como a mais bela página do Benfiquismo, movimento associativo, popular, solidário e fraterno. Um exemplo para as gerações vindouras e uma homenagem aos que já tinham partido.

    Homo Benfica? Bogalho pois então!

    ResponderEliminar

Em Defesa do Benfica no seu E-mail