A criação deste Blogue, ideia de António Melo, tem como objectivo divulgar, defender o Sport Lisboa e Benfica e a sua Gloriosa história. Qualquer opinião aqui expressa vinculará apenas o seu autor, Alberto Miguéns.

SEMANADA: ÚLTIMOS 7 ARTIGOS

09/09/2016

Arouca Capital do Benfiquismo

09/09/2016 + 13 Comentários
É COM ESTES QUE O "GLORIOSO" ESTÁ EM AROUCA PARA VENCER E CONQUISTAR TRÊS PONTOS!



Esta temporada de 2016/17 está a ser atípica. Primeiro eram os defesas-centrais (Luisão e Jardel) que estavam lesionados. Depois quase que ficámos sem guarda-redes! Agora são logo os quatro avançados que se lesionaram na semana entre a dupla deslocação consecutiva – 3.ª e 4.ª jornada - em terreno alheio. Fomos à Choupana (CD Nacional) e agora a Arouca.


Também há boas notícias
Eis a lista dos indisponíveis aquando do jogo na Choupana:


Temos de regresso aos convocados o capitão Luisão, Jardel e André Almeida (os três primeiros capitães na hierarquia) e mais Zivkovic, que deixou de estar na lista mais indesejada que um Benfiquista pode ver na véspera de qualquer jogo!

A classificação do adversário é enganadora
Como são muitas vezes as classificações no início das competições. O FC Arouca em três jogos realizou um no seu terreno e venceu. Foi na 2.ª jornada, por 2-0, frente ao CD Nacional.

Equipa desfalcada?
Não há dúvida que está. Não é um, nem são dois futebolistas do mesmo sector que estão afastados do jogo. Neste caso os avançados. São todos. Um ou dois num "onze" com classe é mais fácil de resolver. Todos será mais difícil. Por isso a vitória ainda será mais saborosa. Eu como adepto quero vencer. Neste jogo o Benfica não precisa de convencer. Que resulte em mais três pontos, para não deixar descolar nem o Sporting CP (mais dois pontos) nem o FC Porto (menos um ponto). Vai ser mais difícil? É evidente que vai. Mas os onze que entrarem em campo e os sete que poderão ser utilizados como suplentes têm a marca do Tricampeão. Neste jogo as três estrelas têm de significar três títulos, três pontos. As três dezenas (35) de campeonatos nada contam para hoje. Contarão no final da temporada (36) com a ajuda dos três pontos obtidos em Arouca. É o Benfica que joga, seja quem for que envergue o “Manto Sagrado” tem categoria para ir a Arouca arrecadar a vitória. Só ela conta!

Rui Vitória tem a minha confiança em absoluto
Pode valer de pouco (são palavras num blogue, mas ditas com convicção, sem ser só porque fica bem). Bem fica ele! Pois sabe que os Benfiquistas confiam nele. E ele sabe melhor que ninguém quem está mais apto para formar uma equipa mais compacta e também desequilibradora o suficiente para conseguir marcar golos e não os sofrer. 

     VINTE E NOVE FUTEBOLISTAS 2016/2017
   Previsão pessoal: Titulares; Suplentes; Convocados não utilizados

Oito jogos: seis vitórias, um empate e aquela derrota
Entre a estreia na Taça de Portugal (V 5-1) e o último encontro no Campeonato Nacional ( V 3-1) mais quatro vitórias. Um empate e uma derrota terão de ser sempre excepções num Benfica frente ao FC Arouca. Apesar da qualidade sustentada que este clube revela desde que chegou ao topo do futebol português: 2013/14 (12.º), 2014/15 (16.º) e 2015/16 (5.º).


Em 82 edições do campeonato nacional
Em 71 clubes - todos  os que já jogaram no primeiro escalão do futebol português - apenas 28 conseguiram, pelo menos uma vez, ficar em quinto lugar! É uma proeza notável que não vi ter o destaque que o FC Arouca merecia! Apenas quatro clubes - embora o Carcavelinhos FC tenha dado origem ao Atlético CP -  nunca foram 5.ºs classificados embora tenham conseguido melhores classificações, ou seja, em Portugal apenas 32 emblemas (em 71) conseguiram ser 5.ºs ou ainda melhor: FC Paços de Ferreira (3.º em 2012/13, entre 16 emblemas),  Carcavelinhos FC (4.º em 1937/38, entre oito clubes), Unidos FC Lisboa (4.º em 1942/43, entre dez clubes) e o "Glorioso" com primeiros (35), segundos (27), terceiros (15), quartos (4) e um inacreditável sexto lugar, em  2000/01. Ou seja, 39 nunca se classificaram acima do sexto lugar. Estes números ilustram bem o que é o Futebol em Portugal.

Em grande, o FC Arouca na temporada passada
Ao nível do que poucos clubes conseguiram em tão poucas temporadas. Semelhante a proezas como as de quatro emblemas: GD Estoril Praia (1946/47, na 2.ª participação, entre 14 emblemas) embora algumas épocas depois tenha conseguido dois quartos lugares, em 1947/48 e 2013/14; Oriental/COL, em 1950/51 (época de estreia, entre 14 clubes); Rio Ave FC, em 1981/82 (2.ª época, entre 16 clubes); e GD Chaves, em 1986/87 (2.ª época, entre 16 clubes). O FC Arouca conseguiu ser o 28.º clube a conseguir o 5.º lugar, logo na 3.ª participação entre os 18 melhores clubes portugueses. A singela homenagem (merecida) ao adversário de hoje deste blogue Benfiquista!

Vinte oito clubes com 5.ºs lugares
Dez edições - Vitória SC Guimarães (a primeira vez na 15.ª participação, entre 14 clubes, em 1958/59. Superou o 6.º lugar alcançado em 1948/49 também numa edição com 14 emblemas);
Nove edições - Vitória FC Setúbal (a primeira vez na 1.ª participação, entre oito clubes, em 1934/35, a primeira edição do campeonato nacional);
Oito edições – CF “Os Belenenses” (a primeira vez na 4.ª participação, entre oito clubes, em 1937/38. Mas na terceira edição, em 1936/37, também entre oito emblemas, conseguira um extraordinário segundo lugar atrás (menos um ponto) do "Glorioso", que conquistou o segundo campeonato nacional consecutivo;
Sete edições – Associação Académica de Coimbra (a primeira vez na 3.ª participação, entre oito clubes, em 1936/37, depois de dois oitavos e últimos lugares);
Seis edições – CS Marítimo (a melhor classificação do clube, a primeira vez na 13.ª participação, entre 18 clubes, em 1992/93);
Cinco edições – SC Braga (a primeira vez na 7.ª participação, entre 14 clubes, em 1953/54, melhorando o 7.º lugar obtido em 1950/51, também entre 14 emblemas);
Quatro edições – Boavista FC (a primeira vez na 8.ª participação, entre 14 clubes, em 1951/52, melhorando o 6.º lugar - entre oito clubes (por isso também se pode escrever que foi antepenúltimo (!) - obtido segunda na edição do campeonato nacional, em 1935/36);
Três edições – GD Estoril Praia (a primeira vez na 2.ª participação, entre 14 clubes, em 1946/47. Depois do 7.º lugar, entre dez clubes, na estreia no principal escalão, em 1944/45);
Três edições – FC Porto (a primeira vez na 14.ª participação, entre 14 clubes, em 1947/48);
Três edições – Sporting CP (a primeira vez na 31.ª participação, entre 14 clubes, em 1964/65);
Duas edições – GD CUF Barreiro/actual GD Fabril (a primeira vez na 7.ª participação, entre 14 clubes, em 1959/60. Melhorou o 7.º lugar, entre 14 clubes, obtido em 1954/55). Em 1942/43 por imposição legal – não poder utilizar o desporto de competição para fazer publicidade a uma marca: Companhia União Fabril – alterou o nome para UFC – Unidos Futebol Clube! Classificou-se em 9.º lugar entre dez emblemas);
Duas edições – SC Olhanense (a primeira vez na 2.ª participação, entre dez clubes, em 1942/43. Melhorando em três posições, o 8.º lugar, na temporada de estreia - 1941/42 - mas entre 12 emblemas. NOTA: Alargamento para permitir que o FC Porto não fosse disputar a II Divisão);
Duas edições – FC Barreirense (a primeira vez na 3.ª participação, entre dez clubes, em 1939/40. Sempre a melhorar: 7.º classificado em 1937/38 e 6.º lugar em 1938/39, ambos campeonatos com oito clubes);
Duas edições – GD Chaves (a melhor classificação do clube, na 2.ª participação, entre 16 clubes, em 1986/87);
Duas edições – UD Leiria (a melhor classificação do clube, na 10.ª participação, entre 18 clubes, em 2000/01);
Duas edições – CD Nacional (a primeira vez na 7.ª participação, entre 18 clubes, em 2005/06. Embora em 2003/04 tivesse obtido o 4.º lugar);
Uma edição – Atlético CP (na 2.ª participação, entre doze clubes, em 1945/46, embora os clubes do qual resultou – Carcavelinhos FC e União Futebol Lisboa - tenham, respectivamente, em participações: cinco (com um 4.º lugar, entre oito emblemas - em 1937/38) e uma (6.º lugar, entre oito clubes, em 1934/35, na estreia do campeonato nacional português. O Atlético CP conseguiu uma proeza extraordinária na estreia entre os melhores clubes do futebol português: em 1943/44 foi 3.º classificado, entre dez clubes);
Uma edição – Oriental/COL (a melhor classificação do clube, logo na estreia, entre 14 clubes, em 1950/51);
Uma edição – SC Covilhã (a melhor classificação do clube, na 8.ª participação, entre 14 clubes, em 1955/56);
Uma edição – Lusitano GC Évora (a melhor classificação do clube, na 5.ª participação, entre 14 clubes, em 1956/57);
Uma edição – Leixões SC (a melhor classificação do clube, na 7.ª participação, entre 14 clubes, em 1962/63);
Uma edição – Varzim SC (a melhor classificação do clube, na 11.ª participação, entre 16 clubes, em 1978/79);
Uma edição – Rio Ave FC (a melhor classificação do clube, na 2.ª participação, entre 16 clubes, em 1981/82);
Uma edição – Portimonense SC (a melhor classificação do clube, na 8.ª participação, entre 16 clubes, em 1984/85);
Uma edição – SC Salgueiros (a melhor classificação do clube, na 13.ª participação, entre 20 clubes, em 1990/91);
Uma edição – SC Farense (a melhor classificação do clube, na 16.ª participação, entre 18 clubes, em 1994/95);
Uma edição – Gil Vicente FC (a melhor classificação do clube, na 8.ª participação, entre 18 clubes, em 1999/2000);
Uma edição – FC Arouca (a melhor classificação do clube, na 3.ª participação, entre 18 clubes, em 2015/16).

                 JOGOS TOTAIS
POR COMPETIÇÃO com FC Arouca
Competição
J
V
E
D
GM
GS
TOTAIS
8
6
1
1
23
6
Campeonato Nacional
6
6
1
1
14
5
Taça de Portugal
   1
  1
-
-
5
  1
Taça da Liga
   1
  1
-
-
4
0

Qualquer resultado que não seja a vitória é impensável
Nesta “altura do campeonato” repor a normalidade depois do “escorreganço” na 2.ª jornada, na “Catedral” frente ao Vitória FC Setúbal.

    TODOS OS 8 SLBENFICA vs FC Arouca
Jogo
N.º
Época
Comp
Sit
V
E
D
Marcadores


01


10/11


TP


C


5-1


(23) Kardec
(31) Saviola
(44) Kardec
(65) Luisão
(85) Gaitán
02
13/14
CN
C
2-2

(39) Rodrigo
(83) Lima
03
CN
F
2-0


(45) Rodrigo
(54) Gaitán

04

14/15


CN


C

4-0


(74) Talisca
(80) Derley
(83) Salvio
(88) Jonas

05


TL


C

4-0


(30) Pizzi
(41) Cristante
(82) Salvio
(83) Jonas

06

CN

F
3-1


(50) Jonas
(55) Lima
(76) Lima
07
15/16
CN
F


0-1
--------------

08
CN
C
3-1


(02) Pizzi
(18) Mitroglou
(67) Jonas
09
16/17
CN
F




10
CN
C




TOTAIS
8 J – 6 V 1 E1 D (23/5)

Jonas (com quatro golos) lidera
Uma lista com Onze Gloriosos para 23 Golo-riosos: Jonas (4), Lima (3), Kardec (2), Rodrigo (2), Gaitán (2), Salvio (2), Pizzi (2), Saviola, Luisão, Talisca, Derley, Cristante e Mitroglou. Temos cinco futebolistas no plantel para elevarem a contagem. Embora com as lesões a apoquentarem apenas Salvio, Luisão e Pizzi possam fazer "estragos" na baliza dos arouquenses. Mas há muitos mais para se estrearem.

Carrega Benfica!

Alberto Miguéns

NOTA: Continuamos a fazer arquivo do preço dos bilhetes:


O FC Porto desloca-se a Arouca na 25.ª jornada, em 10 ou 11 de Março de 2017.

O Sporting CP jogará frente ao FC Arouca, na 27.ª jornada, também lá para 2017 (1 ou 2 de Abril).
13 comentários
comentários
  1. O Porto não está em igualdade pontual, caro Alberto Minguéns, mas com um ponto a menos que nós, depois de derrotados no Campo Grande. É exactamente a pontuação na tabela que apresenta!
    Parece que todos temos direito ao erro...
    Bem haja!!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Caro Pedro Pinheiro

      Obrigado.

      Já está corrigido.

      Não serve de desculpa mas tratar de assuntos diferentes ao mesmo tempo nunca dá bom resultado.

      Veja bem a resposta que tive de dar (e foi) com todo o gosto, praticamente ao mesmo tempo, acerca de Voleibol, enquanto terminava o texto para hoje!

      https://em-defesa-do-benfica.blogspot.com/2015/07/voleibol-74-melhor-de-sempre.html

      Mais uma vez agradeço a atenção para que o erro não se perpetuasse.

      Saudações

      Alberto Miguéns

      Eliminar
  2. Ao responder ao seu oportuno comentário lembrei-me de outro aspecto que queria abordar (e depois esqueci-me). O lado positivo de quatro futebolistas que deixaram de estar lesionados.

    Com isto tudo o que deveria estar finalizado pela meia-noite quando estava programado só ficou concluído às 02:43 da matina. Caminha que amanhã é dia de trabalho!

    Carrega Benfica

    AM

    ResponderEliminar
  3. Na analise dos goleadores, temos 5 jogadores que podem elevar a contagem, o Alberto esqueceu-se do O Mitroglou.

    Cumprimentos gloriosos
    Nuno

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Caro Nuno

      Obrigado.

      Tinha o texto preparado antes de saber da não convocatória. Até aproveitei para "dar a volta" a essa parte final pois dos cinco, também Jonas está impedido.

      Agradeço

      TRIgloriosas Saudações (Queremos o TETRA e seis)

      Alberto Miguéns

      Eliminar
  4. Caro Alberto,

    Uma curiosidade, que só em si confio que saiba responder com exactidão.

    Qual foi o jogador que mais novo envergou o manto sagrado na equipa principal de futebol pela primeira vez, desde sempre?

    Grato por tudo!
    Cumprimentos,
    A.do Isaías

    ResponderEliminar
  5. Caro A. do Isaías

    Agradeço a simpatia e principalmente a confiança que tempo mim e pelas informações que indico.

    Quanto à questão que colocou.

    Se estivermos a considerar desde sempre, ou seja desde o primeiro jogo conhecido (1 de Janeiro de 1905) confesso que não sei. Por um motivo. Não tenho as datas de nascimento de todos os Gloriosos Futebolistas. As que são mais complicadas são as referentes aos dos primeiros tempos. Mas vou sempre acrescentando datas. Todos os anos consigo uma boa meia-dúzia. Naco-a-naco vai enchendo a Águia o papo.

    Na época em que o campeonato regional de Lisboa era tão importante (entre 1934/35 a 1946/47) que apurava os quatro primeiros para o campeonato nacional da I liga (depois I Divisão) e os restantes para o 2.º escalão, os jornais (e os veteranos jornalistas) diziam que desde que viam futebol, dos clubes mais fortes (que apresentavam os melhores futebolistas e não miúdos para conseguir ter onze em campo) o jogador mais novo a estrear-se no Regional de Lisboa foi Guilherme Espírito Santo (nascido em 30 de Outubro de 1919), com 16 anos, 11 meses e 11 dias (a 19 dias de completar 17 anos) em 11 de Outubro de 1936 no Casa Pia AC - SLB (1.ª jornada num empate sem golos).

    Como o campeonato nacional só começava depois de terminarem os Regionais pelo motivo que já indiquei, Guilherme Espírito Santo estreou-se na 1.ª jornada, em 10 de Janeiro de 1937, no campo dos Arcos, em Setúbal, frente ao Vitória FC, marcando dois golos na vitória por 2-1 depois de 0-1 contra o Benfica!

    Tinha 17 anos, 2 meses e 11 dias ou com mais rigor, 17 anos e 72 dias. Será esta a referência para depois dele. Antes não há notícia de um futebolista tão novo numa equipa de um clube de topo!

    Quanto aos jogos para competições oficiais nacionais e internacionais nunca fiz a contabilidade, mas até chegar a hora do jogo conto colocar aqui os mais novos no campeonato nacional (desde 1934/35). Vou fazer as contas. Para já fica a referência dos 17 anos e 72 dias de Guilherme Espírito Santo.

    Até já!

    Alberto Miguéns

    ResponderEliminar
  6. Penso que será assim (hei-de fazer um texto acerca deste tema num dia destes para confirmar a informação. Há sempre a possibilidade de haver um futebolista jovem "escondido" (estreia e apagamento para a história mais visível):

    Hugo Leal (DN: 21.05.1980 - CN (suplente utilizado): 20.04.1997) - 16 anos e 334 dias (a 31 dias de completar 17 anos);

    Chalana (DN: 10.02.1959 - CN (suplente utilizado): 07.03.1976) - 17 anos e 26 dias;

    G Espírito Santo (DN: 30.10.1919 - CN (titular): 10.01.1937) - 17 anos e 72 dias;

    Simões (DN: 14.12.1943 - CN (titular):14.01.1962) - 18 anos e 31 dias; Taça Intercontinental(no Uruguai): 19.09.1961 - 17 anos e 280 dias; Taça de Portugal:26.11.1961 - 17 anos e 347 dias (a 18 dias de completar 18 anos); Taça dos Campeões: 01.02.1962 - 18 anos e 49 dias;

    Mawete júnior (DN: 25.11.1981 - CN: 12.09.1999) - 17 anos e 290 dias (a 75 de completar 18 anos);


    ResponderEliminar
  7. Caríssimo Alberto,

    Vejo agora a sua resposta, já aliviado com mais um difícil vitória (que podia e devia ter sido bem mais fácil...).

    Muito grato estou pelo seu precioso esclarecimento!

    Foi então Hugo Leal.

    Contudo, pessoalmente, colocaria a lenda versátil desportista Guilherme Espírito Santo no segundo posto. Isto porque o Campeonato de Lisboa da altura qualificava para o Nacional, correcto? Assim sendo, faz parte integrante (uma espécie de qualificação para a fase final) da competição nacional. Se o Benfica não atingisse uma posição de qualificação, não passaria para o nacional (excepto se fosse o Porto :-)).

    Acrescenta-se agora José Gomes à lista com 17 anos e 125 dias, para o quarto lugar.

    Assim seria, por ordem, Hugo Leal, Espírito Santo e Chalana nos três primeiros, sendo que Espírito Santo (até pelas regras do jogo na altura, não permitindo substituições), foi o mais jovem titular.

    Concorda?

    Grato!
    A.do Isaías

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Caro A.do Isaías,

      Concordo.

      O SLB e os clubes de Lisboa, até 1946/47 tinham de ficar num dos quatro primeiros lugares. E eram muitos e bons os clubes. Em 1936 ainda não havia Atlético CP (1942) e Oriental (1946), ou seja, estes dois clubes fizeram desaparecer cinco que em 1936 davam muita luta. Mais o Casa Pia AC. E depois o CF "Os Belenenses", SCP, GD Estoril Praia, Unidos FC ou GD CUF de Lisboa, além do Carcavelinhos FC e União FL, mais o GD "Os Fósforos", Marvilense FC e Chelas FC. Não era fácil. Até se dizia que o Regional de Lisboa em anos de FCP fraco era mais difícil que o campeonato nacional. Em anos de FCP bom, os cinco primeiros no campeonato nacional eram geralmente os 4 de Lisboa mais o FCP!

      Tenho ideia que José Gomes nasceu em 8 de Abril de 1999. Em 2016 fez 17 anos. Assim são mais 22 dias em Abril + 31 + 30 + 31 + 31 + 9 de Setembro. Deve ter 17 anos e 154 dias, mas com tantas contas feitas hoje em datas diferentes já estou baralhado!

      Depois começou o jogo e não completei.

      Gonçalo Guedes (DN: 29.11.1996 - TP (suplente utilizado): 18.10.2014 - 17 anos e 333 dias (a 42 dias de completar 18 anos); CN (suplente utilizado no tempo de compensação): 04.01.2015 - 18 anos e 36 dias;

      Manuel Fernandes (DN: 05.02.1986 - CN (suplente utilizado aos 90'): 08.02.2004 - 18 anos e 3 dias;

      Pepa (DN: 14.12.1980 - CN (suplente utilizado aos 89' e marcou um golo aos 90'): 23.01.1999 - 18 anos e 40 dias

      Mawete Júnior foi suplente utilizado a partir dos 70 minutos

      TRIgloriosas Saudações (com força para o TETRA e seis)

      Alberto Miguéns

      Eliminar
    2. Caro Alberto,

      Devo ter feito mal as contas quanto ao José Gomes. Pelos números que demonstra, devo ter saltado um mês inadvertidamente.

      Sumarizando, no top 5 do mais jovens de sempre na equipa principal, temos então:

      1) Hugo Leal a 20.04.1997 - 16 anos e 334 dias;

      2) G Espírito Santo a 10.01.1937 - 16 anos e 346 dias;

      3) Chalana a 07.03.1976 - 17 anos e 26 dias;

      4) José Gomes a 09.09.2016 - 17 e 154 dias;

      5) Simões a 19.09.1961 - 17 anos e 280 dias;

      Espero não me ter enganado em nada :-)

      Saudações, gratidão e cumprimentos!
      A.do Isaías

      Eliminar
  8. Sim.

    Embora fique sempre em aberto o facto de se comparar realidades distintas.

    G Espírito Santo entrou logo ao primeiro minuto para jogar 90 e não a um do final ou nos tempos de compensação. E concordo em equiparar o CR ao CN nesta questão pois era no CR que os clubes se apuravam para o CN.

    TRIsaudações Gloriosas

    Alberto Miguéns

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Caríssimo Alberto,

      Concordo que são realidades distintas e incomparáveis no seu âmago.

      Ainda assim, a minha opinião é que deve ser incluída conjuntamente por isto:

      Num minuto com o manto sagrado, um jogador pode logo fazer mais História que apenas a sua presença em campo. Ainda ontem, com um pouquito mais de sorte, o José Gomes podia ter feito um golo e uma assistência se o seu companheiro não estivesse em fora-de-jogo. Ou podia ter impedido um golo feito do adversário, imaginando um defesa nessas circunstâncias. Sendo determinante para o resultado, seria logo parte inapagável da História.

      Pela consideração acima, ainda que de facto incomparáveis as épocas e as próprias regras do jogo futebol, penso que devemos incluir e considerar participações em competições oficiais em conjunto, para daí extrair estes factos Históricos.

      Grato!
      A.do Isaías

      Eliminar

Em Defesa do Benfica no seu E-mail