A criação deste Blogue, ideia de António Melo, tem como objectivo divulgar, defender o Sport Lisboa e Benfica e a sua Gloriosa história. Qualquer opinião aqui expressa vinculará apenas o seu autor, Alberto Miguéns.

SEMANADA: ÚLTIMOS 7 ARTIGOS

20/08/2016

Só Amanhã é Que é Domingo!

20/08/2016 + 0 Comentários
EM 2016/17 HÁ CAMPEONATO COM “SEGUNDA ESTREIA”.


É a 49.ª temporada em que ocorre tal situação. Em 83 edições do campeonato temos 49 “segundas estreias”. Em 34 temporadas tivemos "estreia dupla" (no campeonato nacional e "em casa"): a 1.ª jornada foi disputada numa das “Catedrais” que já tivemos (ou num estádio alternativo) por impossibilidade – inexistência ou castigo – de utilizar o “nosso”! Mas podiam ser 39 vezes (passando as “duplas estreias” para 44 edições). Tal não ocorreu por necessidade de adiar a 1.ª jornada cujo sorteio fez com que o Benfica iniciasse o campeonato nacional "em casa" para participar noutras competições (quatro temporadas: 1988/89, Torneio Marlboro/EUA; 1989/90, Torneio Cidade Vigo; 1990/91, Torneio Tereza Herrera/Corunha; e 1992/93, Torneio Colombino/Huelva) ou por impossibilidade (uma temporada: 2006/07, devido ao “caso” Mateus). E em 1995/96 o Benfica adiou a 1.ª jornada, para participar no Torneio Tereza Herrera/Corunha, mas disputou-a entre a 2.ª e a 3.ª jornada.

Ansiedade embora tudo tenha mudado
Há uns anos as “segundas estreias” provocavam mais ansiedade. Poucos eram os Benfiquistas que viam a estreia absoluta quando era em terreno alheio. Só os afortunados que iam ao estádio do adversário tinham essa sorte. E depois ainda menos eram os que tendo assistido a essa 1.ª jornada, viam o “Glorioso” estrear-se numa das “Catedrais”. A esmagadora maioria ouvia ou lia esse primeiro jogo no terreno do adversário. Nas últimas temporadas temos a possibilidade de ver pela televisão todos os jogos do Benfica, desde o primeiro encontro da pré-época até ao último. Afortunados!

Nona vez a estrear a “Catedral” frente ao Vitória FC
São 23 os adversários que estrearam o “Glorioso” em casa, com destaque para o…Vitória FC Setúbal que de oito passará para nove! Seguem-se: Vitória SC Guimarães e SC Braga (sete edições) e CF “Os Belenenses”, tal como o SC Salgueiros (cinco temporadas). Nas oito edições entretanto realizadas frente ao Vitória FC Setúbal, o Benfica regista seis vitórias, um empate (1-1) e uma derrota (0-1, no Estádio Nacional). Nas seis vitórias: uma por cinco golos (5-0), uma por quatro golos (5-1), duas por três golos (4-1 e 5-2) e duas por dois golos (3-1 e 5-3).

A caminho da 60.ª vitória
Em 82 edições registam-se 59 vitórias (72 por cento), 17 empates (21 por cento) e seis derrotas (sete por cento) com 227 golos marcados para 56 golos sofridos, ou seja, quatro vezes mais golos a favor. Só por nove vezes não marcámos golos: seis empates (0-0) e três derrotas (duas por 0-1 e uma por 0-2).

RESULTADOS GLOBAIS POR DECÉNIO
ÉPOCAS
GM
GS
Dif.
34/35 – 43/44
36
13
+ 23
44/45 – 53/54
27
11
+ 16
54/55 – 63/64
41
9
+ 32
64/65 – 73/74
36
5
+ 31
74/75 – 83/84
26
3
+ 23
84/85 – 93/94
21
3
+ 18
94/95 – 03/04
21
2
+ 19
04/05 – 13/14
13
10
+ 03
14/15 – 15/16
6
0
+ 06
82
227
56
+ 171

Inesperadas dificuldades
O Benfica foi sempre dominador na estreia “em casa” com esse domínio a corresponder à evolução do futebol português com o “Glorioso” geralmente na vanguarda das inovações que permitiram dominar as conquistas do campeonato nacional. No entanto no último decénio existe um período atípico, entre 2004/05 e 2013/14, com apenas mais três golos a favor (13/10). Mas as duas últimas temporadas parecem ter feito regressar o Clube à “normalidade” com um parcial de 6-0!

Há goleadas que ilustram a grandeza do Benfica
O melhor resultado são os «nove-a-zero» ao CS Marítimo, em 1985/86. Mas há mais sete jogos com seis ou mais golos marcados: 8-3 (1942/43), 6-1 (1947/48 e 1965/66), 7-0 (1958/59), 8-1 (1961/62) e 6-0 (1972/73 e 1980/81).

ESTREIA “EM CASA” NAS 82 EDIÇÕES DO CAMPEONATO NACIONAL
Época
Jor.
Res.
Adversário
Estádio
1934/35
1.ª
V 3-1
Vitória FC Setúbal
Amoreiras
1935/36
1.ª
V 5-3
Vitória FC Setúbal
Amoreiras
1936/37
2.ª
V 5-1
Carcavelinhos FC
Amoreiras
1937/38
2.ª
V 3-2
Sporting CP
Amoreiras
1938/39
1.ª
V 4-0
Ass. Acad. Coimbra
Amoreiras
1939/40
1.ª
V 1-0
Académico FC Porto
Amoreiras
1940/41
2.ª
V 2-1
CF “Os Belenenses”
Lumiar
1941/42
2.ª
V 4-1
Académico FC Porto
Campo Grande
1942/43
3.ª
V 8-3
Vitória SC Guimarães
Campo Grande
1943/44
3.ª
E 1-1
CF “Os Belenenses”
Campo Grande
1944/45
1.ª
V 2-0
GD Estoril Praia
Campo Grande
1945/46
1.ª
E 1-1
Vitória FC Setúbal
Campo Grande
1946/47
4.ª
V 4-1
SC Olhanense
Campo Grande
1947/48
1.ª
V 6-1
SC Braga
Campo Grande
1948/49
1.ª
V 1-0
SC Olhanense
Campo Grande
1949/50
2.ª
V 4-0
Atlético CP
Campo Grande
1950/51
1.ª
D 1-3
Sporting CP
Estádio Nacional
1951/52
1.ª
V 4-1
SC Covilhã
Campo Grande
1952/53
2.ª
D 2-3
Sporting CP
Estádio Nacional
1953/54
2.ª
V 2-1
SC Braga
Campo Grande
1954/55
1.ª
V 5-0
Vitória FC Setúbal
Estádio Nacional
1955/56
2.ª
E 2-2
SC Covilhã
Luz
1956/57
2.ª
E 1-1
Sporting CP
Luz
1957/58
2.ª
E 0-0
SC Braga
Luz
1958/59
1.ª
V 7-0
Vitória SC Guimarães
Luz
1959/60
1.ª
V 4-1
Vitória FC Setúbal
Luz
1960/61
2.ª
V 4-1
Ass. Acad. Coimbra
Luz
1961/62
2.ª
V 8-1
SC Salgueiros
Luz
1962/63
2.ª
V 5-1
Ass. Acad. Coimbra
Luz
1963/64
1.ª
V 5-2
Vitória FC Setúbal
Luz
1964/65
1.ª
V 5-0
Lusitano GC Évora
Luz
1965/66
2.ª
V 6-1
GD CUF
Luz
1966/67
2.ª
V 3-1
Leixões SC
Luz
1967/68
1.ª
V 2-1
Vitória SC Guimarães
Luz
1968/69
1.ª
V 4-1
CF “Os Belenenses”
Luz
1969/70
2.ª
V 5-0
Vitória SC Guimarães
Luz
1970/71
1.ª
V 1-0
GD CUF
Estádio Nacional
1971/72
2.ª
E 1-1
GD CUF
Luz
1972/73
1.ª
V 6-0
Leixões SC
Luz
1973/74
2.ª
V 3-0
Leixões SC
Luz
1974/75
1.ª
V 4-0
CF “Os Belenenses”
Luz
1975/76
1.ª
E 0-0
Boavista FC
Luz
1976/77
2.ª
E 2-2
SC Braga
Luz
1977/78
2.ª
V 2-0
CF “Os Belenenses”
Luz
1978/79
1.ª
V 1-0
FC Barreirense
Luz
1979/80
1.ª
V 5-1
Vitória FC Setúbal
Luz
1980/81
4.ª
V 6-0
FC Penafiel
Luz
1981/82
2.ª
V 2-0
Portimonense SC
Estádio Nacional
1982/83
2.ª
V 3-0
Boavista FC
Luz
1983/84
2.ª
V 1-0
Rio Ave FC
Luz
1984/85
2.ª
V 2-0
SC Braga
Luz
1985/86
2.ª
V 9-0
CS Marítimo
Luz
1986/87
2.ª
V 2-0
Varzim SC
Estádio Nacional
1987/88
2.ª
D 0-1
Vitória FC Setúbal
Estádio Nacional
1988/89
3.ª
E 0-0
Vitória SC Guimarães
Luz
1989/90
3.ª
V 5-0
SC Beira-Mar
Luz
1990/91
3.ª
V 2-0
FC Penafiel
Luz
1991/92
1.ª
D 0-1
Boavista FC
Luz
1992/93
3.ª
E 0-0
SC Salgueiros
Luz
1993/94
2.ª
E 1-1
GD Estoril Praia
Luz
1994/95
1.ª
V 2-0
SC Beira-Mar
Torres Novas
1995/96
1.ª
E 0-0
SC Salgueiros
Luz
1996/97
1.ª
E 1-1
SC Braga
Luz
1997/98
1.ª
V 4-0
SC Campomaiorense
Luz
1998/99
1.ª
V 2-0
CF Estrela Amadora
Luz
1999/00
2.ª
V 1-0
SC Salgueiros
Luz
2000/01
2.ª
V 4-1
SC Beira-Mar
Luz
2001/02
2.ª
V 2-0
SC Salgueiros
Luz
2002/03
1.ª
V 3-0
CS Marítimo
Luz
2003/04
2.ª
V 2-0
Vitória SC Guimarães
Estádio Nacional
2004/05
2.ª
V 2-0
Moreirense FC
SLB
2005/06
2.ª
D 0-2
Gil Vicente FC
SLB
2006/07
3.ª
V 1-0
CD Nacional
SLB
2007/08
2.ª
E 0-0
Vitória SC Guimarães
SLB
2008/09
2.ª
E 1-1
FC Porto
SLB
2009/10
1.ª
E 1-1
CS Marítimo
SLB
2010/11
1.ª
D 1-2
Ass. Acad. Coimbra
SLB
2011/12
2.ª
V 3-1
CD Feirense
SLB
2012/13
1.ª
E 2-2
SC Braga
SLB
2013/14
2.ª
V 2-1
Gil Vicente FC
SLB
2014/15
1.ª
V 2-0
FC Paços Ferreira
SLB
2015/16
1.ª
V 4-0
GD Estoril Praia
SLB
2016/17
2.ª
?
Vitória FC Setúbal
SLB
NOTA: Em 1995/96 a 1.ª jornada foi o 2.º jogo, pois devido ao seu adiamento disputou-se entre a 1.ª jornada (fora) e a 3.ª jornada (casa)

Golos: 227 para 98 marcadores
Há cinco marcadores no plantel. Dois com dois golos e três com um golo (Luisão, Mitroglou e Nélson Semedo). Salvio (em duas épocas) e Jonas (em 2015/16) são os dois marcadores com dois golos. Há 57 futebolistas com um golo. Não há autogolos em 82 jogos!

O melhor marcador é o inevitável Eusébio com 19 golos em dez temporadas, com um jogo a quatro golos e outro a três golos.

Com doze golos: José Águas (oito temporadas, uma com três golos) e Nené (sete épocas, uma com três golos).

Com nove golos: Julinho (quatro temporadas, uma com cinco golos) e José Torres (cinco épocas, uma com três golos).

MARCADORES NA ESTREIA EM “CASA”
Golos
(227)
Marcadores
(98)
N.º edições
(82)
19
Eusébio
10: 4.1.3.2.1.2.1.3.1.1
12
José Águas
08: 1.1.1.1.1.2.2.3
12
Nené
07: 1.1.2.3.2.2.1
09
Julinho
04: 5.1.1.2
09
José Torres
05: 1.2.2.1.3
07
Cavém
04: 3.1.2.1
06
Arsénio
04: 1.3.1.1
05
Rogério Sousa
03: 2.2.1
05
Coluna
04: 2.1.1.1
05
Rui Águas
04: 1.1.2.1
04
Valadas
03: 2.1.1
04
Guilherme Espírito Santo
04: 1.1.1.1
04
José Augusto
04: 1.1.1.1
04
Carlos Manuel
03: 1.1.2
04
Manniche
02: 2.2
04
Magnusson
01
03
Manuel Costa
02: 1.2
03
Rogério Carvalho
02: 2.1
03
Vítor Baptista
02: 1.2
03
Santana
02: 1.2
03
Artur Jorge
02: 1.2
03
Zahovic
03: 1.1.1
03
Cardozo
03: 1.1.1
02
Guedes Gonçalves
01
02
Luís Xavier
02: 1.1
02
Alexandre Brito
01
02
Joaquim Teixeira
02: 1.1
02
Mário Rui
01
02
Mendes
01
02
Simões
02: 1.1
02
Iaúca
02: 1.1
02
Jacinto Santos
02: 1.1
02
Rui Jordão
01
02
Chalana
02: 1.1
02
João Alves
01
02
José Luís
01
02
Paulo Nunes
01
02
Poborsky
02: 1.1
02
Simão
02: 1.1
02
Salvio
02: 1.1
02
Jonas
01
01
Carlos Torres
01
01
Domingos Lopes
01
01
Vítor Silva
01
01
Francisco Rodrigues
01
01
Conceição Rodrigues
01
01
Albino
01
01
Manuel Teixeira
01
01
Manuel Barros (Nelo)
01
01
Francisco Ferreira
01
01
José da Luz
01
01
Melão
01
01
Rosário
01
01
António Teixeira
01
01
Mascarenhas
01
01
Du Fialho
01
01
Salvador
01
01
Serafim
01
01
Neto
01
01
Pedras
01
01
Diamantino Costa
01
01
Jaime Graça
01
01
Humberto Coelho
01
01
Vítor Martins
01
01
Victor Batista
01
01
Rui Lopes
01
01
Pietra
01
01
Sheu
01
01
César
01
01
Filipovic
01
01
Diamantino Miranda
01
01
Oliveira
01
01
Chiquinho
01
01
Vata
01
01
Vítor Paneira
01
01
Clóvis
01
01
Hélder
01
01
José Calado
01
01
João Pinto
01
01
Tahar
01
01
Nuno Gomes
01
01
Sabry
01
01
“Maniche”
01
01
Van Hooijdonk
01
01
Sokota
01
01
Tiago
01
01
Fehér
01
01
Petit
01
01
Luisão
01
01
Weldon
01
01
Jara
01
01
Nolito
01
01
Bruno César
01
01
Markovic
01
01
Lima
01
01
Maxi Pereira
01
01
Mitroglou
01
01
Nélson Semedo
01


Que amanhã estas cifras – número de marcadores e mais golos para os cinco que já marcaram – sejam ampliadas!

Não estou nada ansioso. Percebe-se.

Nunca mais é domingo!

Alberto Miguéns
0 comentários
comentários

Enviar um comentário

Em Defesa do Benfica no seu E-mail