A criação deste Blogue, ideia de António Melo, tem como objectivo divulgar, defender o Sport Lisboa e Benfica e a sua Gloriosa história. Qualquer opinião aqui expressa vinculará apenas o seu autor, Alberto Miguéns.

SEMANADA: ÚLTIMOS 7 ARTIGOS

13/01/2016

O Estranho Caso do Goleador Jonas

13/01/2016 + 7 Comentários

CONFESSO QUE NÃO PERCEBO. É QUE NÃO PERCEBO MESMO. NEM QUERIA PERCEBER. PREFERIA NEM ABORDAR ESTE ASSUNTO PORQUE ERA SINAL QUE NÃO ERA ASSUNTO. SE É QUE É!


Nem sequer consigo encontrar uma explicação. Talvez algum leitor tenha. Em breve, quando o “Glorioso” defrontar equipas de clubes com estatuto de poderosos: FC Zenit, FC Porto e Sporting CP, por exemplo, espero voltar ao assunto. É que faz-me confusão Jonas marcar tantos golos e depois frente a esses clubes…zero!

Porque é que um dos melhores goleadores da Gloriosa História
Não consegue marcar golos a equipas de clubes considerados defensivamente mais fortes e poderosos?

GOLOS DE JONAS
Épocas
2014/15
(31)
2015/16
(20)
Competições
CN
TP
TL
LC
CN
TP
TL
ST
Tor
T
P
TOTAIS
51
20
6
5
1
18
0
-
0
1
0
-
FC Arouca
3
1

1








1
SC Covilhã
3

3









CD Nacional
7
1

1

3






2
Moreirense FC
5
1
2
1

1






SC Braga
2
1
1









FC Penafiel
2
1










1
Vitória SC Guimarães
1
1










Boavista FC
1
1










Vitória FC Setúbal
2


1

1






GD Estoril Praia
4
2



2






Assoc. Acad. Coimbra
4
2



2






CF “Os Belenenses”
4
2



2






Gil Vicente FC
1
1










CS Marítimo
5
2

1

2






PSG FC
1








1


FC Paços Ferreira
2




2






CD Tondela
1




1






Galatasaray AS
1



1







Rio Ave FC
2




2






NOTAS: Golos em casa (33); Golos fora (16); Golos em terreno neutro (02)

Jonas é do melhor que tenho visto (desde meados dos anos 70)! Jonas é do melhor que conheço (lido (de ler) e comparando) desde sempre! Desde 1 de Janeiro de 1905.
Mas é o primeiro a atingir a meia centena de golos sem ter marcado a clubes de nomeada (nomeada em função do futebol de cada “tempo” pois o poderio dos clubes tem mudado em 112 épocas de Glorioso Futebol), embora conseguisse marcar um golo na Liga dos Campeões.

Marca o dobro em casa do que em terreno alheio. Os grandes goleadores do Glorioso têm o casa/fora mais equilibrado
Mas Jonas compensa pois os dois “hat-tricks” até são em terreno alheio: Covilhã e Choupana. E já fez um bis no estádio do Restelo.

A época passada (2014/15) atribuí parte do fracasso na fase de grupos ao facto de Jonas não poder jogar por não estar inscrito
Mas esta época só lhe vi marcar um golo. Muito pouco para um futebolista com a sua qualidade. Estou à espera dos oitavos-de-final (FC Zenit Sampetersburgo) e quartos-de-final, pelo menos, para ver se consigo com mais dois ou quatro jogos entender a apatia dele pelo golo quando defronta grandes equipas! Até porque nalguns destes jogos até tem feito boas exibições embora não marque!

Que me faz “confusão”… Faz! E da grande!

Alberto Miguéns
7 comentários
comentários
  1. Talvez porque aquilo que vemos em relação à sua qualidade, também é confirmada e acautelada pelos adversários. Afinal, falamos de um jogador endeusado no país do futebol, que o trata carinhosamente como “O Cara”.

    Jogos houve em que nem era preciso ele ter a bola nos pés, bastava ela ir na sua direcção que já estava a apanhar. Nas Antas, se não se desviasse do Maicon, punha-se a jeito para sair decapitado.

    Mesmo que Jonas só marcasse (que não é bem o caso) contra os pequenos, tê-lo-ia sempre em campo. Sempre. Pelo que joga e faz jogar. As desestabilizações que cria nos adversários. Porque os “pequenos” são o grosso da competição. Porque também é preciso quem marque a esses. E porque, sem essas vitórias, ninguém é campeão seja onde for.

    Não vejo drama em SÓ se marcarem golos a… 15 dos 18 clubes da Liga Portuguesa. Que assim continue por muitos anos.

    ReDMist

    ResponderEliminar
  2. Caro Alberto,

    Acho que a explicação é dada por si mesmo no final do post. Contra equipas de maior valia Jonas é obrigado a recuar mais no terreno devido à forma como joga o Benfica, para equilibrar o meio-campo, e assumir a construção de jogo. Um bom exemplo disso foi o jogo em MAdrid com o Atlético, em que Jonas fez um jogo muito bom, embora não marcando. E para mim, mesmo não marcando é sistematicamente dos melhores em campo, e tem de jogar... sempre!

    ResponderEliminar
  3. Eu diria que tudo acaba por se resumir ao facto do Jonas não substituir a equipa. O problema é que nos jogos "grandes" a equipa joga de forma diferente (menos segura, eventualmente) e isso acaba por prejudicar a performance do Jonas. Ao contrário do Mitra e até do Jimenez, que pela força e velocidade se conseguem destacar, o Jonas pede mais jogo da equipa. Digo eu, que sou treinador de bancada. ;-)

    ResponderEliminar
  4. Caro Dr Alberto,

    Sem ter o suporte desses registos, já tinha observado esse fenómeno, a "seca de golos" de Jonas em Clássicos e derbys, e os registos na Champions são também penosos (em Valencia, na Champions e L Europa, apresentou melhores registos).

    Explicação para esse fenomeno? Quanto a mim, a abordagem tactica do Benfica nessas partidas, o Benfica surge mais resguardado, menos afoito, e como sabemos o Jonas é uma "raposa de area", faz muitos golos na 2ª bola, é mais eficaz em ataque continuado, e nesses jogos o menor caudal ofensivo não favorece Jonas (Jesus no Dragão no bis de Lima, deixou Jonas no banco). Ao observar o Jonas, há nele tantas afinidades com Nené (Jonas tem mais fibra, mas a maioria dos golos de ambos, são semelhantes), todavia Nené era habitualmente goleador em Derbys e Clássicos!

    Fazendo o "transfer" para Slimani, também ele um goleador e sobretudo cabeceador, mas com uma técnica rudimentar, o Argelino é eficaz em Classicos e Derbys, ao FC Porto marcou 3 golos na Liga, ao Benfica marcou 2 golos na Liga, e ainda mais 2 golos na T Portugal (em duas eliminatórias distintas), um acumulado de 7 golos em Derbys e Clássicos, um registo notável, marca em 80% dessas partidas!

    ResponderEliminar
  5. Trata-se de coincidência, apenas. Jonas é fabuloso contra qualquer equipa. Aliás, já fez grandes jogos contra equipas fortes - não marcar é um pormenor, não invalida a qualidade que dá à equipa nesses duelos.

    ResponderEliminar
  6. Por mim é simples: frente a equipas organizadas, a organização ofensiva do Benfica ainda não supera por completo a organização defensiva do adversário.

    Realçar que o Jonas aparece no Benfica numa altura de grande remodelação da equipa. Algo que começou na época passada e sobretudo no início desta.

    Por comparação com o Slimani, este acaba por beneficiar grandemente de um trabalho de continuidade daquele trio de meio-campo formado por William Carvalho, Adrien e João Mário. Algo que por exemplo, o Jonas não pode dar ao luxo, fruto de venda de jogadores importantes (Enzo na época passada), lesões de vários jogadores Fejsa (na época passada) e Salvio e Gaitán (mais recentemente), mas também de inúmeras adaptações e formações, como a de Samaris (na época passada), a de Pizzi, a de Talisca, a de Renato Sanches, a de Gonçalo Guedes, a de Carcela, para não falar de Ola John que entretanto saiu.

    Estou convicto que agora na 2ª volta vamos ver um Jonas ainda mais goleador, pois muita gente está a recuperar.

    ResponderEliminar
  7. Penso que estará tudo resumido nos comentários.

    Contra equipas grandes, Jonas é realmente marcado por dois a três adversários mesmo jogando a segundo ponta de lança! Mas se fosse o único ponta de lança, seria comido pelos centrais que estão mais avisados.

    Contra equipas grandes, Jonas tem de se esforçar mais quando joga e este início de época foi penoso para ele uma vez que teve de se tornar numa espécie de Lima e vaguear por toda a área de ataque do Benfica não tendo ainda equipa que o seguisse como antes.

    Parece-me que RV terá exigido muito a Jonas (fisicamente) e que Jonas, não sendo novo, teve dificuldades em andar tão distante da grande área. Ele demorou muito a habituar o seu corpo aos constantes vai-vem que a sua "nova posição" exige mas parece que as coisas estão a começar a fazer click.

    As coisas não só para o Jonas como para o resto da equipa. Aguarda-se, claro, o regresso de artistas mais prodigiosos como Gaitan e Sálvio. Aguarda-se que Mitroglou e Jiménez percebem mais e melhor o funcionamento do xadrez "Benfica de RV".

    Pessoalmente, gostava de ver o Gonçalo ao lado de Jonas. Podem lá ir ao blogue que escrevi há meses que o Gonçalo, de cabeça limpa, será uma espécie de novo Nené.

    Saudações Gloriosas

    ResponderEliminar

Em Defesa do Benfica no seu E-mail