A criação deste Blogue, ideia de António Melo, tem como objectivo divulgar, defender o Sport Lisboa e Benfica e a sua Gloriosa história. Qualquer opinião aqui expressa vinculará apenas o seu autor, Alberto Miguéns.

SEMANADA: ÚLTIMOS 7 ARTIGOS

29/01/2016

Cosme? Ata? Serrado?

29/01/2016 + 16 Comentários
A MONTANHA PARIU UM RATO PARA COMER UM FARDO DE PALHA. EIS EM RESUMO OS ÚLTIMOS ESCRITOS DO HISTORIADOR SURREALISTA.


O autor do livro "Mitos do Futebol Português", Ricardo Serrado qual brigada ligeira volta à carga a propósito da fundação do Benfica e de Cosme Damião. São tantas teimosias, trapalhadas e trafulhices que fui obrigado a escolher apenas algumas. Entre vinte (e podiam ser mais) apenas seis. Mesmo assim demais! Vão ter de arranjar muita paciência para ler o texto de hoje. Mas salvo-vos de comerem com um fardo de palha. Vão por ordem do seu "aparecimento" no citado livro:

Trafulhice I


Página 56 do citado livro


Mário de Oliveira e Rebelo da Silva NUNCA falam em fusão entre a Associação do Bem e o Belém FC (Grupo dos Catataus). Escrevem aquilo que, entre outros, Cosme Damião, Daniel Santos Brito, Cândido Rosa Rodrigues, ou seja, o que alguns dos 24 fundadores ainda vivos em finais dos anos 40 lhes disseram e sempre disseram. Alguns sócios casapianos da Associação do Bem (com Sede na Baixa) aproveitavam certos domingos para treinarem o físico (e o futebol) junto à Cerca da Casa Pia (que conheciam bem pois eram ex-alunos da Instituição). Mas o propósito inicial - até poder organizar uma equipa que juntasse os casapianos experientes e afamados no futebol - foi-se esfumando. Depressa começaram a rarear os ex-alunos domingueiros. Pudera! Viviam longe! A instituição Casa Pia há muito que ficara para trás. Assim, continuaram dispersos a jogar em grupos organizados por outros - Jacob Eagleson, Charles Ettur, Grupo do Campo de Ourique, etc. Em vários grupos mas sem nunca conseguirem um "team" exclusivo de casapianos. Por vezes até eram adversários, pois jogavam por grupos diferentes. Ao juntarem-se aos miúdos de Belém do Grupo dos Catataus formando o Grupo Sport Lisboa conseguiram, finalmente, um clube com estabilidade e qualidade para jogarem juntos com regularidade. A Associação do Bem (AB) "perdia" importância como agregadora de futebolistas casapianos mas não se extinguiu. A AB era muito mais que uma dúzia de futebolistas. O Sport Lisboa no seu início apenas um grupo de futebol. Não era um grupo cultural e recreativo. Porque razão a Associação do Bem haveria de extinguir-se para fazer uma fusão com o Belém FC? Mário de Oliveira e Rebelo da Silva dizem que a Associação não teve o sucesso pretendido. É verdade. Durou seis anos! Extinguiu-se em 1909! Mas NUNCA dizem que se extinguiu para fazer uma fusão para formar o Grupo Sport Lisboa. Invenções serradianas sem suporte em qualquer escrito dos dois autores. 



Eis o que nos legaram os dois Benfiquistas:



Teimosia I

Página 58 do citado livro
E não é que ele insiste que Cosme Damião tem como nome próprio Júlio! Irra! Já chega! Não é, nem foi, nem nunca será Júlio. Serrado? Desiste desta! Ou apresenta um documento! Ou deixa de mentir! Não pode continuar a achincalhar a memória de Cosme Damião!

Trafulhice II

Página 85 do citado livro
Esta fez-me rebolar no sofá! Conhecendo Hélder Tavares há mais de uma década, sabendo que o casapiano conhece tão bem como eu (de cor) os nomes da lista em forma de acta escrita por Cosme Damião era impossível o que está descrito ser verdade, pois Jorge Augusto Sousa consta da referida acta! Como podia Hélder Tavares ter solicitado ao autor tamanha trafulhice? Telefonei a Hélder Tavares que desmentiu tudo. Riu-se. Nem entrevista houve. O resto não vale a pena contar. O Serrado que tenha mais respeito pelas pessoas e que não queira fazer delas tontas! Porque não são!

Como poderia Hélder Tavares pedir para acrescentar o que já não há a acrescentar... Pois já lá está! Se não conhecesse o Serrado admirava-me. Assim dá para rir!

Teimosia II

Página 86 do citado livro
Mas NUNCA os Benfiquistas que conhecem a História do Clube, com destaque para Mário de Oliveira e Rebelo da Silva, alguma vez escreveram que Cosme Damião era o "principal fundador". Disserem, sim, que é a principal figura na História do Clube. Ricardo Serrado é que inventou esta teoria no livro que pretendeu ser uma biografia de Cosme Damião. Inventou uma mentira que depois passou a desmentir. Até lhe chamou "mentor, seu principal impulsionador, seu pai". Do Clube. Ele é que criou um mito que agora, supostamente, anda a desmistificar!

Cosme Damião - o Homem Que Sonhou o Benfica; 163 pp; Serrado, Ricardo; Lisboa; Zebra Publicações; 2010 (Outubro)

Eis o que nos legaram os dois Benfiquistas:

Como é evidente Mário de Oliveira e Rebelo da Silva conhecendo bem a História do Clube - era passada oralmente em tertúlias, comemorações e alocuções - e compilando-a em 24 fascículos reunidos em dois volumes não inventavam. Diziam a verdade. Cosme Damião e o Benfica: "clube que ele ajudara a fundar"! Não que foi o principal fundador. Isso é ideia de um criativo! Ou ideias serradianas acerca de assuntos que não domina mas de que fala e escreve. Inventa, imputa a outros a mentira para depois desmentir!


Se Cosme Damião fosse o principal fundador teria um cargo, provavelmente a presidência, logo em 28 de Fevereiro de 1904 (data da fundação), 22 de Novembro de 1906 (data de eleição da primeira Direcção), Verão de 1907 (aquando da resistência à deserção de mais de duas dezenas de associados, incluindo vários futebolistas, não só os "famosos oito" para o Sporting CP) ou em 13 de Setembro de 1908, na junção entre o Sport Lisboa e o Sport Benfica. Nada. Nem capitão do segundo "team" foi. Só foi capitão-geral (responsável por toda a actividade desportiva do SLB) em Maio de 1909 e eleito a primeira vez para a Direcção em 26 de Fevereiro de 1909! Mário de Oliveira e Rebelo da Silva conheciam bem a História do Clube (tanto que a registaram em papel) ora sabendo disto nunca poderiam escrever que Cosme Damião era o "principal fundador". Uma invenção serradiana, ridícula e risível como tantas outras.


Serrado várias vezes justifica ao longo do livro que Cosme Damião não é fundador porque não assina qualquer documento durante 1904, 1905, 1906, etecetra e tal. Mas porque é que haveria de assinar!? Ele e mais 20 nunca assinaram nenhum documento. Nem tinham nada que assinar. Só três assinam. Se não era dirigente porque haveria de assinar!? Estupidez!

Serrado várias vezes justifica ao longo do livro que Cosme Damião não é o principal fundador. Pois não! Na eleição da primeira Direcção, nas instalações da Associação do Bem, também foram eleitos os capitães das duas equipas. Cosme Damião jogava, a médio-centro, no 2.º grupo. Pois foi Félix Bermudes o escolhido para capitão. Note-se que aquando desta eleição - 22 de Novembro de 1906 - Cosme Damião até já jogara - 17 de Março de 1906 - pela 1.ª categoria, ao contrário do "seu" capitão Félix Bermudes! Só na cabeça de um teimoso é que Cosme Damião passou a ser "oficialmente" o principal fundador! Na dos Benfiquistas que conhecem a Gloriosa História nunca foi!


Em 1906/07. A 1.ª categoria (em cima) e a 2.ª categoria (em baixo). Fortunato Levy (o primeiro, em pé, a contar da direita), com Carlos França (atrás) e Félix Bermudes (o "dono da bola de jogo" à capitão) com Cosme Damião, em baixo, ao centro da linha de centrocampistas (ou meias-defesas, como se dizia na época)!



Pela primeira vez ocupa um cargo no Clube, a par de Félix Bermudes, como vogais da Direcção, tendo como vice-presidente (Alfredo Alexandre Luís da Silva) um associado proveniente do Sport Benfica, que enquanto dirigente, nas reuniões de Setembro de 1908, para a junção dos dois clubes, foi o maior "aliado" dos representantes do Sport Lisboa para dar autonomia ao futebol. Só assim o Sport Lisboa aceitou a junção. Assegurar a orientação em exclusivo do futebol. Por isso Cosme Damião nunca quis ser presidente. Foi dirigente, com eleições anuais, até 1926, sempre em cargos que permitissem coordenar o Futebol. Por isso quando foi eleito Presidente (teria de deixar a orientação do futebol para o vice-presidente) não aceitou, afastando-se...
Cosme Damião nunca foi considerado (até aparecer Ricardo Serrado) o principal fundador do Clube. Foi sim (e é!) a principal figura do Clube, o pai do Benfiquismo, não do Benfica. Foi ele que conduziu o Clube até 1926 tomando decisões que o tempo revelou acertadas, tornando o "Glorioso" a maior referência do futebol e do desporto em Portugal, tendo nesse percurso a cumplicidade de muitos outros associados. Mas ele foi sempre o timoneiro ou, pelo menos, o que revelou mais consistência e dedicação num tempo mais alargado e contínuo durante os primeiros anos. O tempo decisivo para um clube se afirmar entre os outros clubes! 

Trapalhada I

Página 168 do citado livro

Como diz o adágio popular é estar a "comparar alhos com bugalhos". Estar a comparar a escrita de uma carta com a anotação cuidada de nomes por ordem alfabética? Não cabe na cabeça de ninguém, a não ser dele!
Devia era de comparar a acta (listagem de nomes em forma de acta, mas acta para simplificar, de 1904) com listas de nomes de inscrição de futebolistas nos campeonatos regionais como estas de 1908/09:


Há três futebolistas - Eduardo Corga, Henrique Teixeira e Carlos França - de 1908/09 entre os fundadores de 1904. Entre outros nomes próprios que coincidem. A mesma caligrafia! Quatro anos de diferença! Esta é a letra de Cosme Damião feita de acordo com o mesmo princípio. Uma listagem! Uma pessoa que escreva muito - e Cosme Damião com uma vida profissional como Secretário da Casa Palmela - deve ter escrito dezenas de milhares de folhas, mudaria, como qualquer mortal, a sua escrita. Entre 1904 e 1908 tantas semelhanças.

Trapalhada II

Página 169 do citado livro
Mas quem diz que a Associação do Bem se extinguiu em 1904 é Ricardo Serrado. Cria mentiras para depois desmenti-las. Ele não saiu da Associação do Bem para fundar o Grupo Sport Lisboa? Pois não! Olha que novidade! Ele fundou, com mais 23 futebolistas, o Sport Lisboa para ter um clube com condições para jogar, algo que não era possível, por escassez de futebolistas, na Associação do Bem (clicar para ler entrevista em 1945). Mas continou na Associação do Bem pois esta não era uma equipa de futebol, era muito mais do que isso, como se mostrou ontem neste blogue. O Sport Lisboa é que era apenas um grupo para jogar futebol. Em baixo, a primeira fotografia conhecida de Cosme Damião (terceiro, em pé, a contar da direita), na estreia pela primeira categoria. Foi em 17 de Março de 1906 (época de 1905/06) jogando a defesa-direito (por ausência do "titular" José Cruz Viegas) ele que era médio-centro na 2.ª categoria. Mas há registos escritos de Cosme Damião em jogos da 2.ª categoria em 1904/05. Aliás para ser "O" escolhido em onze - adaptado a defesa - é porque era já uma referência na 2.ª categoria, por isso experiente. Em 17 de Março de 1906 o "Glorioso" contava dois anos e 18 dias de existência. Em dias? 749 dias! Cosme Damião estava desde início no Clube. Não jogava na 1.ª categoria mas era um dos pilares da 2.ª categoria! Com experiência e confiável para Manuel Gourlade o ter escolhido para ocupar o lugar, adaptando-o de médio-centro (2.ª categoria) para defesa-direito, a posição do "insubstituível" José da Cruz Viegas. O resto é conversa de Serrado! Conversa da treta! 









Treinos
Serrado "preocupa-se" muito - resmas de páginas - pelo facto dos casapianos não participarem nos treinos registados por Manuel Gourlade. Todos realizados nos terreiros e logradouros públicos em Belém. Eu do que conheço do futebol no início do século XX "achava estranho" era se eles participassem! Então ex-alunos da Casa Pia (ou seja já com profissões e muitos com vida particular/família) a viver afastados de Belém, em 1904, longe em tempo e dispendioso em dinheiro, sem transporte próprio gastariam um domingo para ir dar uns pontapés numa bola!? Eles que tinham a cartilha toda do futebol! Uma cartilha iniciada na Real Casa Pia em 1893! Com fama de serem dos melhores futebolistas portugueses! Que tinham derrotado, num misto com ingleses (em 1897) e só com casapianos (em 1898) os ingleses do Cabo Submarino?! Num domingo, a viver longe, deixariam as suas obrigações religiosas, familiares, particulares e privadas, para ir a Belém treinar!? Quem treinava eram os que moravam em Belém e tinham de treinar para aprender a jogar futebol! Para mostrar quando houvesse jogos que sabiam "futebolar"! Para mostrar a Manuel Gourlade que tinham qualidade. Eram miúdos que até podiam equipar-se e desequipar-se em casa. Tomarem banho nas respectivas residências. A escassos minutos dos locais públicos de Belém onde treinavam. Por exemplo, António Rosa Rodrigues tinha 16 anos, Raul Empis com 17 e Cândido Rosa Rodrigues tinha 19 anos. Os casapianos que há muito haviam passado a adolescência treinarem futebol? Deslocarem-se a Belém - só ida e volta, para alguns, devia demorar mais que o tempo do treino - para fazer aquilo que todos já conheciam há mais de uma década? Despirem-se em terrenos públicos, equiparem-se, suarem, desequiparem-se, vestirem-se para regressarem a casa, a "quilómetros e horas" de distância? Estamos a falar de homens como o arquitecto António Couto (30 anos, prémio Valmor em 1907), o pintor Pedro Guedes (29 anos) ou Januário Barreto (27 anos, médico desde 1902), por exemplo. Até jogar em terrenos públicos foi problemático como o tempo mostrou! Mas aí sempre era um JOGO! A razão de ser! Os casapianos a treinar nestas condições? Só na cabeça de Serrado! O mais frequente no final do século XIX e primeira década do século XX era numa tertúlia entre experientes futebolistas alguém ter uma ideia de desafiar algum grupo para jogar. No(s) dia(s) seguinte(s) publicavam o repto num jornal a desafiar! Sem treinos. Era ir para o campo e jogar! O futebol era assim! Os casapianos mesmo "parados" sabiam bem o que fazer com uma bola. Mas só não percebendo a "lógica casapiana" pode fazer alguém duvidar da não comparência a treinos para "preparar o físico"! Basta atentar no que me disse Rogério Jonet a propósito dos conselhos de Cosme Damião aos futebolistas e que já publiquei neste blogue (clicar). Retiro de lá o seguinte: «Durante todo o ano eram aconselhados a fazerem 30/45 minutos de ginástica depois e antes de se deitarem, respectivamente, de manhã e à noite». Os casapianos que "futebolavam" sabiam cuidar do físico. Sabiam o que fazer com uma bola. Sabiam o que era o jogo colectivo, o "combinado". Porquê ir a Belém, a um domingo, vivendo longe!  Mesmo Cosme Damião (que era dos casapianos mais novos) estava com um pé na Casa Pia e outro fora. A partir de 26 de Agosto de 1902 deve ter passado a viver com a mãe, poucas vezes indo à Casa Pia, de onde se desligou definitivamente em 1 de Setembro de 1904. 




Para quê treinar! Se trabalhava de segunda a sábado e aos domingos podia ficar com a mãe viúva. Por exemplo. Que devia continuar a viver no Lumiar. A horas de distância de Belém! Digo eu! Que ainda não consigo viajar no tempo. Apenas escrevo por uma questão de lógica. De bom senso. Já ir à reunião para fundar quem melhor do que ele para redigir uma lista em forma de acta?


Acta
Aquela letra certinha, numa folha em branco (sem linhas ou quadriculado) era só para quem podia e sabia. Para quem tinha o Curso Comercial. Quem tinha boa caligrafia. Cosme Damião tinha. Por isso aquela frase, desconexa, feita com material que escrevia mais fino (que um lápis), desarticulada, em cunha, enviesada, utilizando um reduzido espaço disponível pode nem ser dele. E se foi feita depois de 1911... Pharmacia já era Farmácia! (clicar)



Agora os Ses...

Se eu escrevesse uma carta seria feita de improviso rápido para expor as ideias que surgissem. Se fosse no início do século XX seria a caneta de tinta permanente. Como não a tenho foi a esferográfica à século XXI. Do tipo:


Se eu escrevesse uma lista de nomes colocados em forma de acta por ordem alfabética do nome próprio teria que pensar em todos os que estavam presentes e seria feita ritmada, um a um. A lápis como era feita pelos contabilistas e escriturários, para evitarem riscar a tinta permanente do qual resultavam borrões. Ainda me lembro, em criança, que nos anos 60 era assim que se fazia! A lápis para poder apagar erros, sem esborratar. Do tipo:



Se mais tarde - anos ou décadas depois me lembrasse (eu ou outra pessoa) de localizar a dita reunião - pois o Clube há muito que saíra do local, faria uma espécie de adenda. Com a falta de espaço teria de fazer letra fina (usando caneta ou esferográfica se já existisse) mas seria obrigado a fazer uma composição desordenada. Do tipo:






Se decidisse forjar um documento, anos ou décadas depois, teria todo o tempo do Mundo para fazer uma composição "certinha" de alto-a-baixo. Do tipo:



«Para bom entendedor meia palavra basta!»

Serrado? Que se dedique à agricultura. De palha já percebe!


Alberto Miguéns


NOTA: E que deixe de escrever Félix Bermudez (pelo menos 17 vezes). Já não chega Cosme Damião ser Júlio. Depois de se armar em padrinho a inventar nomes próprios, agora também lhe deu a "pancada" de alterar os apelidos: Félix Bermudes. Com esse no final! Com zê é o outro!





16 comentários
comentários
  1. Mais um artigo excelente.
    Argumentos certeiros e esclarecedores para estraçalhar um fardo de palha.
    Elegante, assertivo, lúcido, conhecedor, com fina ironia e grande paciência para desmontar tanta trapalhice.
    Merece o agradecimento de todos os Benfiquistas.

    Alguns comentários. Peço desculpa ao Alberto por me estender um pouco.


    Trafulhice I - a "fusão"
    Como se percebe, considerar que existiu uma fusão entre dois grupos é simplista e errado. Em termos efectivos foram 24 a serem listados no documento mas o conjunto dos que contribuíram para os primeiros meses do nosso Clube foi com certeza bem maior. Basta olhar para o caso de José da Cruz Viegas, o homem decisivo para definir as nossas cores. Onde está ele no documento fundador? Desconhecia a data de extinção efectiva da Associação do Bem. Sendo 1909 isso demonstra que nunca existiu uma fusão.

    Teimosia I - o "júlio"
    Acho que isto é o limite.
    Se o Sport Lisboa e Benfica emite comunicados a desmentir um qualquer jogadorzeco indicado por um pasquim então está na hora de tomar posição relativamente a um antigo funcionário que foi dispensado certamente por justa causa.
    Já chega. O sr. serrado refere o registo paroquial de baptismo? Desminta-o se conseguir. Diga-nos se existe um documento com mais importância que o registo de baptismo. E já agora também existe um bilhete de Identidade se não estou em erro de 1913 em que também se lê Cosme Damião. Não há lá nenhum "júlio"
    Apresente provas para o que diz!


    TRAFULHICE II - I-n-a-c-r-e-d-í-t-á-v-e-l
    usa-se o nome de um distinto Casapiano sem perceber para além da deselegância para não chamar outra coisa, também poderia ser facilmente desacreditado?!
    Então o Jorge Sousa indicado na lista não é Jorge Augusto Sousa?! A situação é surreal. É quase hilariante.
    E por falar nisso quem se julga o Sr. Serrado para ter o poder decisório para definir ele a lista dos fundadores?
    Então para alem da lista que está registada ainda pensa incluir mais um só porque foi uma "moeda de troca.
    O que é isto? Rigor histórico?!

    (continua)

    ResponderEliminar
  2. (continuação)

    Teimosia II "construções e desconstruções"
    há vários traços nas teorias do sr. Serrado mas um dos mais relevantes é a sua dificuldade com os documentos.
    E seria bom que o sr. Serrado se lembrasse que ao contrário dele os ilustres Mário de Oliveira e Rebelo da Silva conheceram Cosme Damião e contactaram directamente com alguns dos fundadores e principais pioneiros daqueles anos pós-fusão. Com quantos ele falou? E sim, no Benfica, os Benfiquistas, sabem que Cosme foi um dos 24 fundadores. Não foi o principal. foram todos principais. O reconhecimento especial a Cosme não deriva de outra coisa que não o ter-se tornado o principal dinamizador do Clube até 1926.

    Trapalhada I "especialista em caligrafia"
    pois. Até um leigo percebe que a caligrafia da listagem de nomes em forma de acta com as inscrição de futebolistas que o Alberto apresenta. Conclusivo. De uma vez por todas É a MESMA caligrafia. Foi do punho de Cosme.


    Trapalhada II "datas e assinaturas"
    esclarecedor. Cosme era jogador da 2ª categoria nos primeiros anos. Que investiga, deveria saber que só se ascendia à 1ª categoria por mérito. Cosme não era futebolista da Associação do Bem mas sim do nosso Clube e fez a ascensão para a 1ª categoria pelo seu mérito.

    Treinos
    os argumentos do Alberto parecem-me certeiros. Os veteranos conheciam o jogo e nesse tempo as exigências do jogo eram outras. Aliás basta ver que no primeiro jogo do nosso Clube, em 1 Janeiro 1905 jogou César de Mello, um desportista prestigiado em diversos desportos e que de certeza nunca fez qualquer treino e com toda a probabilidade outros jogo pelo nosso Clube. Não existiam treinos como hoje nem autocarros, nem metro...

    Acta
    Brilhantes "Ses". Fina ironia e argumentação certeira.


    Alberto Miguéns ao seu melhor nível. O Benfica teve aqui mais uma vez quem defendesse o seu bom nome e a verdade histórica. Com conhecimento, com bom senso e com elegância.

    Para finalizar, manifesto o meu desejo que o sr. serrado se dedique em exclusivo à história do scp e do fcp. Que deixe o Sport Lisboa e Benfica em paz.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. VictorJ, lá é que ele poderia voar para onde quisesse. Até era capaz de conseguir que muitos acreditassem que o porto teria sido fundado em 1109 e o sporting em 1140...

      Eliminar
  3. Um dia que escrevam uma biografia dele, chamem-no Júlio Ricardo Serrado.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. HAHAHAHA!!! Comentário TOP

      Eliminar
  4. Aguardo pelo texto sobre o porquê de este serrado estar bem "amparado" no SL Benfica...

    Saudações Gloriosas

    ResponderEliminar
  5. Boas
    É caso para dizer
    Oh Serrado...não sejas Júlio!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. De todas as trafulhices, é incrível a trafulhice II...

      Eliminar
  6. Obrigado Alberto Miguéns, por desmascarar esta personagem. Pena que a actual direcção do Benfica se preocupe tanto com minudências e tão pouco com a preservação da nossa história real.
    Um glorioso abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não conhecem a história real porque sempre foi uma história mentirosa. Por razões politicas o nome do verdadeiro fundador tem sido ocultado

      Eliminar
    2. Explique o que entende por "razões políticas". E qual é «o nome do verdadeiro fundador que tem sido ocultado»? Se não + disser é um mentiroso. Se o disser dá para discutir. Aposto que é um mentiroso. Eu tenho curiosidade em saber quem é esse verdadeiro nome ocultado por razões políticas. Faça o favor de me elucidar!

      Alberto Miguéns

      Eliminar
  7. Amigo Alberto,

    Gostaria que me esclarecesse uma dúvida se puder... que penso que já foi dita por si mas não tomei muita atenção, confesso.

    Este sr. Serrado teve ou ainda têm alguma função no nosso clube?

    De resto, é o costume, as suas intervenções e esclarecimentos acerca do nosso clube são sempre de grande categoria, rigor e seriadade... pelo menos a mim convence-me.

    Só me interrogo é como é que o senhor Alberto (ou amigo Benfiquista) não está nos quadros do Benfica, mais própriamente no centro de documentação e informação...

    Abraços Benfiquistas
    Fernando Sousa

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Caro Fernando Sousa,

      Hoje pela meia-noite vou falar acerca desses temas.

      Gloriosas Saudações Benfiquistas

      Alberto Miguéns

      Eliminar
    2. Caro Fernando Sousa,
      O Miguéns recusa-se a ser lambebotas e tem um problema de espinha que não dobra e é por isso, que não está no lugar a QUE TEM DIREITO pela sua competencia, rigor e conhecimentos da história do nosso Gloriosíssimo clube, que mais ninguém tem, quer seja no centro de documentação e informação ou mesmo em outras funções, dado que o Dr. Alberto Miguéns é multifacetado.
      Mas lá está, tem aquele problemazito de espinha e de dizer o que sente, na defesa do Benfica, nem que seja ao Presidente!!!

      Caro Miguéns,
      O maior problema nem é o Sarrado, foi quem o chamou para fazer um trabalho que só a si....E APENAS A SI, competia fazer.

      O Sarrado como sportinguista que é, (por isso o Vieira o chamou) que vá fazer a história do clube dos biscondes.

      Olhe só o sarilho que o Miguens arranjou quando se impôs ante os lambebotas, que o local do Museu seria, como acabou por ser, no Stand da Toyota e não por cima da porta 18 em dois andares.

      Caro Fernando de Sousa,
      Enquanto tivermos o actual Presidente ao leme com a sua legião de aduladores, não há lugar no Benfica para o Miguens. Mas há tres anos, quando estavam à rasca, souberam bater-lhe à porta.
      Neste momento o Miguens continua no desemprego até ao próximo Setembro, porque o lambebotismo que grassa no nosso clube, assim o quiz.

      Eliminar
  8. Caro Alberto,

    Nao quero que as minhas postadelas sobre o "ph" sejam vistas como spam, porque nao é essa a intencao, mas de facto o "ph" é uma daquelas tábuas que os anti se agarram como prova irrefutável e na qual muitos Benfiquistas tropecam e encalham, eu incluido até me ter dado ao trabalho de procurar. Mesmo aceitando que a "adenda" á acta foi feita á posteriori é importante que este falso argumento seja refutado.

    E para ser refutado a prova tem de ser mostrada e feita acessivel.

    De facto em 1911 existe uma alteracao a lei que impoe a mudanca de vários grafismos onde se inclui o "ph". Estas alteracoes foram implementadas para parar o caos em que se tornava a escrita portuguesa. De facto o "ph" já caía em desuso há décadas sendo maioritariamente usado pela faixa intelectual da sociedade. Fernando Pessoa, famosamente, opos-se á mudanca.

    Neste link do "bases da ortografia Portuguesa" editado em 1885 ve-se claramente a indicacao sobre a substituicao do "ph" que se dá antes de ser aprovado como mudanca efectiva por decreto de lei em 1911.

    Um Glorioso abraco e um muito obrigado pelo servico que presta á História do Sport Lisboa e Benfica

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Caro,

      Esteja à vontade. Faça as intervenções que quiser. Eu já isolei um dos seus comentários (vou fazer o mesmo a este) para fazer um texto no blogue acerca do assunto).

      Eu é que tenho de agradecer.

      TRIsaudações Gloriosíssimas

      Alberto Miguéns

      Eliminar

Em Defesa do Benfica no seu E-mail