A criação deste Blogue, ideia de António Melo, tem como objectivo divulgar, defender o Sport Lisboa e Benfica e a sua Gloriosa história. Qualquer opinião aqui expressa vinculará apenas o seu autor, Alberto Miguéns.

SEMANADA: ÚLTIMOS 7 ARTIGOS

01/01/2016

2016? Quero Ser Tricampeão

01/01/2016 + 3 Comentários
NÃO HÁ VOLTA A DAR! 



SER TRI! TRI! TRI!




Para lá de Gloriosas Efemérides Centenárias importantes (como se houvesse alguma data no Benfica que não seja importante!) o facto do "Glorioso" há cem anos já ter a bonita idade de 12 anos permite ter acontecimentos dignos de registo. Há pelo menos um para todos os meses de 1916. Em breve haverá para todos os dias de cada ano. 1916: Ano importante no Clube:



NOTA INICIAL: O ano de 1916 foi bissexto como tinha sido o da fundação (1904) e mais dois a seguir (1908 e 1912). Não tenho - ainda não tenho, mas quero acreditar que um dia terei... -acontecimentos para os 366 dias mas apenas para 173. Destes, destaco doze, os que considero mais importantes, um para cada mês do ano. O mais importante em cada mês mas não do ano de 1916. Ano em que até houve duas eleições para os Órgãos Sociais.

JANEIRO (mês 143 após a fundação)

04: Em Futebol, conquista do torneio internacional das "Quatro Cidades", no nosso campo de Sete Rios, após três vitórias em três jogos: por 9-0 (FC Porto), 5-0 (Racing Club Madrid, Espanha) e 3-1 (Montriond Sport Lausanne, Suíça).


De cima para baixo. Da esquerda para a direita. De cima para baixo. Cândido Oliveira, Henrique Costa, Carlos Homem de Figueiredo, Cosme Damião (capitão-geral), Adolfo Stock e Leopoldo Mocho; Artur Augusto, Manuel Veloso, Herculano Santos, Carlos Sobral e Alberto Rio. NOTA: Esta equipa é a que jogou, numa quinta-feira, em 6 de Janeiro de 1916 num jogo-desforra a pedido do Montriond Sport Lausana, num empate a um golo. A única alteração foi a entrada de Manuel Veloso para avançado centro substituindo Francisco Pereira, que nesse momento estava em melhor forma mas não pode estar presente nessa quinta-feira. Imagem digitalizada da página 320 da História do SL Benfica (1904-1954); volume I; Mário de Oliveira e Rebelo da Silva; edição dos autores; Lisboa; 1954/1955

FEVEREIRO (mês 144)


26: Cosme Damião abandona como futebolista depois de se ter iniciado na temporada de 1904/05 (2.ª categoria). Foram 12 temporadas consecutivas, entre 1.ª e 2.ª categoria, com 175 jogos, 27 golos e 164 jogos como capitão. Foram 15 170 minutos apenas na 1.ª categoria! Uma Glória Eterna. Um dos 24 fundadores em 28 de Fevereiro de 1904; O Pai do Benfiquismo.


Verbete interno com a última convocatória para um jogo de futebol de Cosme Damião. Um adeus eterno. Imagem digitalizada da página 323 da História do SL Benfica (1904-1954); volume I; Mário de Oliveira e Rebelo da Silva; edição dos autores; Lisboa; 1954/1955

MARÇO (mês 145)


23: Sem condições para a realização das competições em estrada devido às restrições de combustível (para delegações/carros de apoio), impostas pela Grande Guerra, além dea escassez de materiais importados para equipar as bicicletas, intensificam-se as competições de Ciclismo em pista nos Velódromos de Palhavã e do Stadium (inaugurado em 1914). Um dos grandes impulsionadores para "não se perder o hábito da velocipedia em Portugal" foi o "Águia de Ouro", um gigante do Benfiquismo: Alfredo Luís Piedade.


Corrida velocipédica na pista do Stadium de Lisboa (Lumiar). Imagem retirada do jornal "Sport de Lisboa"

ABRIL (mês 146)


09: A Direcção homenageia com um Banquete as quatro categorias de futebol campeãs regionais na AFL. Foi a segunda vez depois de 1913/14. Duas temporadas inéditas. Nunca antes, nem depois outro clube conseguiu uma, quanto mais duas proezas destas! Jogar com quatro plantéis para conquistar os quatro campeonatos.


Banquete ao almoço de homenagem aos desportistas que se distinguiram durante a temporada. Imagem retirada do jornal "Sport de Lisboa"

MAIO (mês 147)

14: O Benfica é convidado para Inaugurar um novo campo de jogos na Amadora, onde também havia por perto uma pista de aviação, com derrota, por 1-2, frente ao Sporting CP.


Inauguração do campo do "Recreios Desportivos da Amadora" para disputa da taça "Amadora". Foi o primeiro jogo de futebol realizado na Amadora logo com um Dérbi de Lisboa. Foto gentilmente cedida por Victor João Carocha

JUNHO (mês 148)

24: Pela quarta vez na cidade do Porto (sétimo jogo no total frente ao mesmo adversário) o Benfica derrota, por 3-0, o FC Porto. Nas outras três idas à cidade do Porto, nessas Digressões: V 8-2 (1912), V 3-1 (1913) e V 5-0 (1915); a primeira no campo da rua da Rainha e os restantes três jogos no Campo da Constituição. Nos outros três jogos em Lisboa: V 5-1 (Laranjeiras, campo do CIF), V 1-0 (Sítio das Mouras, campo do SCP) e V 9-0 (Sete Rios, campo do SLB). Sete jogos, sete vitórias com 34/4 em golos. À Benfica!


De cima para baixo. Da esquerda para a direita. De cima para baixo. José Maria Bastos, João Morais, José Pimenta, Manuel Arsénio, Fausto Peres e Jesus Muñoz Crespo; Alberto Augusto, Joaquim Belford, Artur Augusto, Vítor Gonçalves (capitão), e Fernando Jesus. Imagem digitalizada da página 79 da História do FC Porto (1906-1956); volume I; António Rodrigues Teles; edição do autor; Porto; 1957/1959

JULHO (mês 149)


02: Primeiro jogo para uma competição oficial de Pólo Aquático, na 1.ª jornada do campeonato regional de Lisboa, com empate a três golos frente à equipa do Sport Algés e Dafundo.


De cima para baixo. Da esquerda para a direita. De cima para baixo. Francisco Lima, Rosendo da Silva, Carlos Sobral e Aníbal de Almeida; Vinhais, Gilberto Monteiro (guarda-redes) e Idelino Lima . Imagem digitalizada da página 345 da História do SL Benfica (1904-1954); volume I; Mário de Oliveira e Rebelo da Silva; edição dos autores; Lisboa; 1954/1955

AGOSTO (mês 150)


06: O extraordinário atleta Cabeça Ramos vence cinco provas num torneio de Atletismo - na época denominado "sports atléticos" - organizado pelo Benfica para «não deixar morrer a modalidade devido à falta de atletas mobilizados para a Flandres»: vara (3,05 metros), peso (9,64 metros), disco (28,55 metros), 3x100 metros e salto em altura sem corrida (1,30 metros). Um pentatlo na época. E no Salto Com Vara onde foi recordista nacional, com duas melhores marcas: 5 de Maio de 1915 (com 3,05) e 12 de Julho de 1914, com 3,27 metros.


Salto do Benfiquista eborense Cabeça Ramos nos "Jogos Desportivos Nacionais" com 3,10 metros. O seu recorde nacional de 3,27 metros durou de 12 de Julho de 1914 até 9 de Junho de 1929 (melhorado em mais três centímetros, com 3,20 metros). Imagem retirada do jornal "Sport de Lisboa"

SETEMBRO (mês 151)


17: Absorção do clube "Desportos de Benfica" integrando associados e bens (incluindo o edifício da Sede) deste clube no Sport Lisboa e Benfica.


Desenho que me foi oferecido pelo médico João Alfredo Lobo Antunes (pai) antigo atleta de patinagem e de hóquei do SLB. O seu avô foi dirigente do "Desportos Benfica". Durante muitos anos pertenci ao grupo "Rapazes de Benfica" (todos eles já com mais de 80 anos e eu com menos de 40, depois abaixo dos 50) que almoçavam num dos restaurantes de Benfica todas as segundas quintas-feiras de Maio e Novembro de cada ano

OUTUBRO (mês 152)


12: Posse para um mandato anual dos Órgãos Sociais eleitos em 7 de Outubro, cujo presidente da Direcção foi Nuno Themudo.


Nuno Themudo associado do "Desportos de Benfica" foi o segundo presidente eleito em 1916 (7 de Outubro) depois de Félix Bermudes, eleito em 15 de Julho de 1916 para preparar a junção entre o Sport Lisboa e Benfica e o Desportos de Benfica. Foto-composição de Roland Oliveira

NOVEMBRO (mês 153)

26: Rogério Futscher como capitão da equipa de Hóquei em Patins acorda em passar a Secção de Hóquei em Patins dos "Desportos Benfica" para o Sport Lisboa e Benfica em vez de abandonar para formar um novo clube. Mais tarde fundou o Hockey Club de Portugal.


Duas categorias de Hóquei em Patins do clube "Desportos Benfica" constituídas por: José Carlos da Silva, Isidoro de Almeida, Henrique Guerin, Júlio Montalvão, Rogério Futscher, Jorge Evaristo, José de Melo e Sousa, Vítor Maldonado, Rafael Peixinho e Nolasco Lobo Antunes. Fotografia cedida pelo médico João Alfredo Lobo Antunes. Os nomes na legenda podem estar trocados

DEZEMBRO (mês 154)


01: Nova Sede do Clube, transferida da Baixa de Lisboa (Largo do Carmo n.º 20, 1.º andar) para a avenida Gomes Pereira, em Benfica. O "Glorioso" mudava-se de um primeiro andar (ainda que no centro da cidade) para um palacete. Com rinque (Patinagem e Hóquei em Patins), salão (adaptado a cinema), sala para Ginástica, salas para Bilhar e Ténis de Mesa e um campo de Ténis. À Benfica.


Esquisso frontal do edifício construído pela E.M.B. (Empresa de Melhoramentos de Benfica) para futura Sede do clube "Desportos de Benfica". Mais tarde (1 de Dezembro) Sede do Sport Lisboa e Benfica até 31 de Julho de 1981. Retirado do jornal "Sport de Lisboa"

Alberto Miguéns

NOTA FINAL: Infelizmente o enorme conflito bélico da Grande Guerra concentrava praticamente a totalidade da Imprensa, quer nos assuntos escritos, quer nas imagens. Restou pouco para o desporto e ainda muito menos para o futebol. Ao longo do ano assim que se assinalarem os centenários de cada efeméride hei-de tentar conseguir imagens dos acontecimentos que se realizaram há cem anos. Prometo procurar, não prometo encontrar. As imagens que estão publicadas para Março, Abril, Junho, Agosto e Outubro são de acontecimentos semelhantes não correspondendo à efeméride citada.

O que domina graficamente jornais e revistas durante 1916 são imagens como estas:


3 comentários
comentários
  1. Caro Alberto Miguéns, desejo-lhe um óptimo (escrito como deve ser) ano de 2016 e que todos os seus desejos para este ano se cumpram (julgo que temos alguns em comum,nomeadamente os que dizem respeito ao SLB). Já agora pergunto-lhe se deixou de lado a série de posts sobre os métodos de treino das diferentes épocas que me agradavam muito.

    Saudações benfiquistas

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Caro Pedro

      Não deixei. O problema é que estes artigos só funcionam em bloco, em série. a não ser para leitores dedicados e habituais como o amigo. Tive dificuldade (por estar em Tabriz) em falar com o Toni.

      Tenho publicados os métodos de treino de Cosme Damião atá à chegada de Otto Glória.

      Já tenho (em entrevistas não publicadas no blogue) de Otto Glória (anos 50) até aos treinadores de Bela Guttmann a Otto Glória (anos 60) pois falei com Artur Santos (anos 50) e José Augusto que "apanhou todos os anos 60 e até acabou a substituir Otto Glória antes da chegada de Jimmy Hagan. Conto falar com Toni que é fundamental para nos dar a visão desde Jimmy Hagan até ao início desde século.

      Como Toni já está em Portugal (e procurando Pietra) vou acelerar o processo. Depois terei de fazer uma espécie de compacto Cosme Damião - Jorge Jesus.

      Gloriosas Saudações

      Alberto Miguéns

      Eliminar
  2. Espetacular. Obrigado.
    E sim, realmente o Viriato de Viseu tem razão. É um luxo não termos de pagar por este pedaços maravilhosos da História do Benfica.
    O Alberto junta duas raridades, a primeira é ter material que mais ninguém tem e a segunda é que sabe interpretar e dar significado a esse material. Isso dá muito trabalho e organização. E depois tem algo essencial: Ser Benfiquista. O sentimento que felizmente é partilhado por milhões de pessoas por esse mundo fora.
    Viva o Benfica. Venha o tri!

    ResponderEliminar

Em Defesa do Benfica no seu E-mail