A criação deste Blogue, ideia de António Melo, tem como objectivo divulgar, defender o Sport Lisboa e Benfica e a sua Gloriosa história. Qualquer opinião aqui expressa vinculará apenas o seu autor, Alberto Miguéns.

SEMANADA: ÚLTIMOS 7 ARTIGOS

12/11/2015

Dia de Estreia (I)

12/11/2015 + 1 Comentários
HÁ 78 ANOS, EM 1933, O FUTEBOL ESTREOU-SE A JOGAR NO DIA 12 DE NOVEMBRO.


NOTA: O facto de ter de me ausentar durante três dias – 12, 13, 14 - para longe do blogue (o local para onde vou nem telemóvel “aceita” com regularidade) e não querer perder o hábito de fazer um texto diário, abrindo uma excepção que depois – por preguiça – poderá começar a ser regra, “obrigou-me” a inventar o que poderia programar para não estar a fazer uma “posta” diária que afinal tivesse letra(s) e fotografia(s) mas que, mesmo assim, não tivesse mais significado que “vazio”. Ou seja, estar lá ou não estar, seria o mesmo. Com a agravante de me ter ocupado tempo.

Olhei para o Glorioso Diário e optei pelas estreias do Futebol
Aproveitando, assim, para evocar uma efeméride com significado e honrar os ases que nos honraram o passado. Vai ser assim, em 12, 13 e 14 de Novembro. “Novidades” apenas pela meia-noite de 15 de Novembro.

Para um Clube fundado em 1904 e a estrear o Futebol em 1905
Foi necessário esperar 29 anos para que a equipa de futebol se estreasse em 12 de Novembro de 1933, há 78 anos. Num jogo com história, como na Gloriosa História todos têm. E este foi o n.º 685.


Jornal "Diário de Lisboa"; página 5; Domingo; 12 de Novembro de 1933

A crónica diz (quase tudo...) mas disse o que podia ser dito nesse dia
Uma grande diferença de qualidade, com três golos de diferença ao intervalo (3-0). Tal como no final (4-1). Dois golos de cabeça, o primeiro e o último. Luís Xavier não era especialista a cabecear ao contrário de Vítor Silva que foi considerado, enquanto, jogou o maior especialista de sempre desde que havia memória de jogos de futebol em Portugal. E dito (e escrito) por quem tinha começado a ver futebol na última década do século XIX. Duas assistências de Augusto Dinis (uma de pontapé de canto para a cabeça de Luís Xavier e outra num centro para a cabeça de Vítor Silva). Os outros golos mostram muito do que era o futebol Benfiquista (e de Portugal). A genialidade de Vítor Silva, em triangulações com Rogério de Sousa para o segundo golo de Luís Xavier e uma jogada de Vítor Silva a "fabricar" para gáudio dos espectadores e satisfação dos colegas. Com Vítor Silva nas equipas (do "Glorioso" ou de Portugal) as vitórias ficavam sempre mais próximas.   

Estes jogos seriam depois transformados em "Torneio de Outono"
Devido ao protesto aceite, de dois clubes do Barreiro - Luso FC e FC Barreirense - em considerarem que mesmo havendo campeonato regional de Setúbal (desde 1927) como estavam filiados na AFL tinham direito a participar no campeonato regional de Lisboa. Por isso, a partir de Janeiro de 1934, reorganizou-se o campeonato, integrando os dois clubes. Aquela que foi considerada a primeira volta do regional, até Dezembro de 1933, passou à história como "Torneio de Outono", para não cair no ridículo de anular jogos organizados (pelos dirigentes), feitos (pelos futebolistas) e pagos (pelos espectadores).

NOTAS FINAIS (apesar de todos os onze merecerem destaque. E não o escrevo por deferência, mas sim por serem todos eles Glórias, talvez a excepção seja Pedro Silva, irmão de Vítor Silva)
1. Pedro da Conceição foi o guarda-redes. Faleceria em 10 de Abril de 1960 nas bancadas da "Catedral", de paragem cardíaca, incapaz de resistir num "Dérbi de Lisboa" a uma recuperação do Sporting CP de 1-4 para 3-4, aos 84 minutos!;
2. Carlos Torres foi o médio-centro. Excelente futebolista, seria mais tarde o principal responsável pelo ingresso no "Glorioso" do seu sobrinho...José Torres;
3. Salvador é Eugénio. O popular "compére" das revistas do Parque Mayer. Um dia destes merecerá destaque neste blogue. Um Benfiquista de sempre. Desde os pelados, primeiro futebolista a marcar no jogo de inauguração do estádio das Amoreiras, aos palcos do Mundo e às luzes da ribalta.

Quando se foi grande e se continuou grande, o destino será sempre ser grande!


Alberto Miguéns
1 comentários
comentários
  1. ....SR DR ALBERTO....desejo que esta sua ausência seja por uma boa causa para o SR DR....bem haja por mais este trabalho que nos apresenta,,,,,abraço

    ResponderEliminar

Em Defesa do Benfica no seu E-mail