A criação deste Blogue, ideia de António Melo, tem como objectivo divulgar, defender o Sport Lisboa e Benfica e a sua Gloriosa história. Qualquer opinião aqui expressa vinculará apenas o seu autor, Alberto Miguéns.

SEMANADA: ÚLTIMOS 7 ARTIGOS

26/02/2014

Glória Eterna Coluna (6)

26/02/2014 + 0 Comentários API
OPINIÃO

O Benfica em Sevilha na estreia do Clube na Taça dos Clubes Campeões Europeus, em 19 de Setembro de 1957. Coluna com 22 anos feitos há mês e meio "ocupa" o seu lugar habitual: interior-direito (camisola 8), entre o extremo-direito Francisco Palmeiro (autor do primeiro golo "Made in SLB" nas competições da UEFA e de José Águas (avançado-centro)


Mário Coluna continuou a mostrar nesta sua quarta época - 1957/58 - com o "Manto Sagrado" que era um dos melhores futebolistas portugueses. Pilar do Benfica e fundamental na Selecção Nacional. E só tinha 22 anos!

Mais uma impossibilidade de ser bicampeão nacional
O campeonato seguiu azarado. De campeão o "Glorioso" passou a 3.º classificado, com menos sete pontos que os dois primeiros classificados que terminaram as 26 jornadas com os mesmos 43 pontos. Coluna foi o esteio e suporte da equipa vermelha-e-branca com 24 jornadas, 2160 minutos e seis golos. E foi o 3.º melhor marcador, depois de José Águas (22 golos) e Cavém (12 remates certeiros). Melhores dias, e campeonatos, viriam!

Estreia na Taça dos Clubes Campeões Europeus
O Benfica estreou-se na Taça dos Clubes Campeões Europeus na temporada de 1957/58, quando o deveria ter feito em 1955/56, numa "estorieta rocambolesca" - que um dia há-de ser contada - em que o campeão nacional português (SL Benfica) foi substituído pelo... Sporting CP (3.º classificado atrás do CF"Os Belenenses"). Nestes dois jogos da eliminatória frente ao Sevilha FC, Coluna jogou os 90 minutos em cada um, primeiro em Sevilha e depois na Saudosa Catedral. Insucesso passageiro. Três temporadas depois, em 1960/61 as contas seriam outras.

Uma final da Taça de Portugal perdida
O percurso até ao derradeiro encontro na Taça de Portugal faziam sonhar, dirigentes, adeptos e jogadores, mas a final seria perdida frente ao 2.º classificado no campeonato nacional. Coluna foi um dos totalistas, com Bastos, Mário João e Pegado: 810 minutos nos nove jogos da caminhada até ser finalista vencido. Com três golos apenas José Águas (9 golos) e Azevedo (4 Azevedo) fizeram melhor.

Numa temporada sem títulos cedo terminou
O Benfica fechou a época, na Saudosa Luz, com dois jogos frente a duas equipas de clubes sul-americanos: CA Nacional Montevideu (D 1-2) e Bangu FC (V 2-1).

1957/58
Competições
Jogos
Golos
Adversários
Golos
TOTAIS
42
10


Campeonato Nacional
24
6


Taça de Portugal
9
3


Taça Clubes Campeões Europeus
2
-


Particulares internacionais
6
1


Particulares nacionais
1
1


NOTA: A vermelho troféus (e/ou) títulos conquistados

Alberto Miguéns

NOTA: Em Defesa do Benfica declara luto pelo falecimento de Coluna, com um fumo negro sobre o rosto do EDB. E em homenagem ao Eterno Capitão o EDB evocará de hora a hora durante as próximas 18 horas o percurso desportivo de um futebolista inigualável.
0 comentários
comentários

Enviar um comentário

Em Defesa do Benfica no seu E-mail