A criação deste Blogue, ideia de António Melo, tem como objectivo divulgar, defender o Sport Lisboa e Benfica e a sua Gloriosa história. Qualquer opinião aqui expressa vinculará apenas o seu autor, Alberto Miguéns.

SEMANADA: ÚLTIMOS 7 ARTIGOS

26/02/2014

Glória Eterna Coluna (3)

26/02/2014 + 0 Comentários API
OPINIÃO

Inconfundível Coluna. Em cima, sexto a contar da esquerda. Um miúdo de 19 anos!


Mário Coluna estreou-se no "Glorioso" aos 19 anos (a idade com que o pai chegou a Moçambique) em 5 de Setembro de 1954 na "Festa de Despedida" de Rogério de Carvalho, realizada no Estádio Nacional, no Jamor, num empate a um golo com o FC Porto. Jogou a avançado-centro (camisola 9), lugar que passou a ser "seu", marcando sete golos nas quatro jornadas iniciais incluindo três golos na recepção ao Boavista FC na 4.ª jornada. Mas Otto Glória descontente com o rendimento da equipa, a partir da 9.ª jornada do campeonato nacional, colocou-o a interior-direito (camisola 8) por troca com José Águas, que regressou a avançado-centro. E na 16.ª jornada o treinador colocou-o no lugar onde ficaria famoso: interior-esquerdo (a camisola 10). Afirmou-se ainda na primeira temporada no Benfica - 1954/55 - revelando características que mostravam que era um grande, um enorme, futebolista.

Um grande campeão nacional
Nesta primeira temporada de "águia ao peito" sagrou-se campeão nacional, sendo um dos três totalistas (2340 minutos em 26 jornadas) com Artur Santos, Jacinto Marques e José Águas.
Inauguração da Saudosa Luz
Entretanto o Benfica que começara a temporada a utilizar o Estádio Nacional, em 1 de Dezembro de 1954, estreou o Estádio da Luz, com Coluna (ainda com a camisola 8) a brilhar. Estádio onde teria jogos admiráveis e inauditos.

E depois do campeonato veio a Taça
Seguiu-se a Taça de Portugal,  participando em todos os seis jogos (570 minutos) incluindo a final, frente ao Sporting CP, numa vitória por 2-1. Para primeira época "não estava mal". O Benfica regressava ao título de campeão nacional (após quatro temporadas de insucesso e conquistava a Taça de Portugal (após uma temporada de interregno) com uma "dobradinha", a segunda da história depois da inicial em 1942/43.

Esplendorosa digressão ao Brasil e Venezuela
Depois de terminada a época em Portugal o "Glorioso" rumou para a América do Sul onde teve jogos de encantar os sul-americanos e espantar os portugueses em Portugal, que seguiam a digressão através das (bem estruturadas) crónicas nos jornais de então.

1954/55
Competições
Jogos
Golos
Adversários
Golos
TOTAIS
48
21


Campeonato Nacional
26
14


Taça de Portugal
6
2


Torneio "Charles Miller"
5
1


Torneio de Caracas
5
-


Particulares internacionais
1
-


Particulares nacionais
5
4


NOTA: A vermelho troféus (e/ou) títulos conquistados

Alberto Miguéns

NOTA: Em Defesa do Benfica declara luto pelo falecimento de Coluna, com um fumo negro sobre o rosto do EDB. E em homenagem ao Eterno Capitão o EDB evocará de hora a hora durante as próximas 18 horas o percurso desportivo de um futebolista inigualável.


0 comentários
comentários

Enviar um comentário

Em Defesa do Benfica no seu E-mail