A criação deste Blogue, ideia de António Melo, tem como objectivo divulgar, defender o Sport Lisboa e Benfica e a sua Gloriosa história. Qualquer opinião aqui expressa vinculará apenas o seu autor, Alberto Miguéns.

SEMANADA: ÚLTIMOS 7 ARTIGOS

06/08/2013

Firma "Usar Eusébio Limitada"

06/08/2013 + 1 Comentários
OPINIÃO

É preciso preservar os futebolistas do Benfica face às investidas dos "jornalistas". A memória de quem tem 70, 80 ou 90 anos não é compatível com perguntas de acontecimentos específicos.

Eusébio está completamente enganado!
Ao contrário do que afirmou ao "Record", o Benfica não venceu o São Paulo FC em 25 de Janeiro de 1968. O "Glorioso" esteve a perder por 0-1 (ao intervalo), empatado a dois golos mas acabou por perder por 2-3, com José Augusto expulso aos 78 minutos.

A invenção

Record; página 6; 4 de Agosto de 2013

A realidade

Folha de São Paulo; 26 de Janeiro de1968


Eusébio já se enganou uma vez (pelo menos...)
A Glória do Benfica e "melhor futebolista português de todos os tempos" já em tempos se "desmemorizou" ao inventar que enquanto futebolista do SC Beira-Mar não quis marcar/ rematar à baliza do Benfica! Assunto já abordado no EDB em 3 de Fevereiro de 2012.


A invenção

Jornal de Notícias; 25 de Janeiro de 2012

A realidade

Diário de Lisboa; 6 de Janeiro de 1977
Diário Popular; 6 de Janeiro de 1977
Mundo Desportivo; 6 de Janeiro de 1977
E ainda se pode enganar mais (tal como outros rapazes do seu tempo!)
É preciso ter cuidado, muito cuidado, com a memória de futebolistas que têm já uma idade que aconselha a recolhimento e medição das palavras. Ter 20, 30, 40 ou 50 anos é uma coisa! Ter 5, 10, 60 ou 100 anos é outra! Neste caso é quase o mesmo!

Alegoria dos 100 anos
Ainda hei-de ver ou ler (se por cá andar...) no aniversário de uma Glória do Benfica a comemorar os 100 anos, alguém fazer uma pergunta do tipo: Como eram os árbitros no seu tempo? E essa Glória responder: «Nem queira saber. Iam a casa dos presidentes do Benfica pedir envelopes com dinheiro e conselhos matrimoniais nas vésperas dos nossos jogos. Depois tinham medo de nós no jogo. Deixavam-nos fazer tudo e mais alguma coisa. Marcar golos duvidosos. Não assinalar grandes penalidades descaradas que fazíamos com facilidade. Inventar penálties a nosso favor. Então os foras-de-jogo era o que mais me surpreendia. Corriamos atrás dos adversários a dar-lhes pontapés, uma, duas, três e quatro vezes, sempre a bater e nada! Fazíamos o que queríamos. Até havia conversas que podiam ser vistas nos computadores ingleses ou americanos, com o nome iutubitu, ou qualquer nome assim! Até se ouvia a voz, mesmo a voz, do presidente, até o da federação a meter bilhetes em facturas de galdérias e flausinas. Uma pouca vergonha. Éramos grandes jogadores, mas eles (os árbitros, nota do EDB) só não metiam a bola dentro da baliza porque havia muita luz. Se houvesse nevoeiro, até os apanha-bolas estavam à espreita. Iam a casa do presidente na rua da Madalena e tudo! Uma pouca vergonha. Assim era fácil ser jogador do Benfica! Mas nós também éramos muito bons».

O Benfica (dirigentes) têm de ter cuidado
Devem preservar os seus futebolistas mais antigos, para não ficarem registadas para a posteridade mentiras que podem ser usadas contra o Benfica. Depois não digam que não foram avisados.

Deixem as Glórias do Benfica - com 70, 80 ou 90 anos - em paz.

Alberto Miguéns
1 comentários
comentários
  1. Bruno Paiva6/8/13 11:27

    Estou totalmente de acordo.
    Obrigado por mais uma vez repor a verdade!

    Cumprimentos

    ResponderEliminar

Em Defesa do Benfica no seu E-mail