A criação deste Blogue, ideia de António Melo, tem como objectivo divulgar, defender o Sport Lisboa e Benfica e a sua Gloriosa história. Qualquer opinião aqui expressa vinculará apenas o seu autor, Alberto Miguéns.

SEMANADA: ÚLTIMOS 7 ARTIGOS

27/07/2013

Hoje Há Jogo! Depois Há Que Trabalhar

27/07/2013 + 2 Comentários
OPINIÃO
1-1 por Lima (Golo-rioso n.º 12 547)



2-1 por Lima (Golo-rioso n.º 12 548)



O "Glorioso" regressou às vitórias o que foi muito bom pois o que vai contar para o futuro - já amanhã - não é a forma como a vitória foi conseguida, mas "ser vitória"! Fundamental para os futebolistas, a nível individual e no colectivo, para a equipa ganhar a confiança que permite arriscar, ou seja, ficar mais perto da baliza contrária e, por isso, mais perto dos golos.

Sétimo jogo da pré-época 2013/14: primeira parte
Quando vi o onze inicial, denominado titular, vi um esquema próximo do que pode ser a equipa-tipo, tendo em conta as transferências iminentes veiculadas nos media (Luisão, Garay, Matic, Salvio, Gaitán e Cardozo). Não acredito que sejam todos transferidos, mas não sei quem vai ser. O Benfica - o onze inicial frente ao Levante UD - não conseguiu criar desequilíbrios, ou seja, a equipa necessita de muito trabalho para ser uma equipa ganhadora. Mais solidariedade, mais conhecimento do que fazem todos e cada um, mais intensidade, mais ânsia de vencer, marcar e dominar. Muito caminho a percorrer até 18 de Agosto!

Vitória é vitória
Depois com as substituições ao intervalo e o regresso de maior entrosamento e capacidade, com Perez, Lima e Gaitán, seguindo-se os restantes, o "Glorioso" assumiu o jogo podendo vencê-lo. Lima marcou um golaço de livre-directo e já perto do final, fez-se um pouco de justiça e expressão ao merecimento porque a haver um vencedor, tinha de ser o Benfica, pois o Levante UD limitou-se a jogar no erro e tentar empatar o jogo (mantendo-se compacto), nunca procurando criar desequilíbrios para não ficar (ele mesmo) desequilibrado!

Nesta fase da pré-época
Há evidentemente dois tipos de equipa: a dos grandes futebolistas (Maxi, Luisão, Garay, Matic, Salvio e Gaitán) e a dos que querem ser (e parecem estar a trabalhar para isso...) os próximos "grandes futebolistas"! Oxalá o consigam. Para bem deles, e dos Benfiquistas. E pode ser que nem todos os que se diz serem transferíveis, o sejam de facto!

Falta de Cardozo
É com a ausência de Cardozo que se percebe a importância de Cardozo. É de facto um avançado com "certificado". Nasceu para marcar golos. Com ele há mais remates e mais perigo junto às balizas contrárias. Porque ele faz algo que é difícil. Está lá, na zona da decisão e assume, o remate. Porque quem desaparece da grande-área ou das imediações centrais a ela, não é obrigado a arriscar porque... não está lá. Percebe-se que o Benfica (sem Cardozo) cria muito menos situações de golo, em termos de alvejar a baliza. O que não quer dizer que vá marcar menos golos. Vai é rematar menos. Quanto a isto parece não haver dúvidas.

A não reentrada de André Almeida
Na minha opinião o árbitro esteve bem em não deixar reentrar André Almeida (que saiu aos 45 minutos) e podia ter voltado ao jogo aos 66 minutos. A não entrada obrigou o SLB a jogar até aos 68 minutos (quando entrou André Gomes) reduzido a dez futebolistas.
Na história do futebol (e do Benfica) há jogos em que os jogadores reentram depois de previamente substituídos. É possível.
As substituições não constam das 17 Leis do Jogo, mas dos regulamentos das competições. Varia de competição para competição. Se bem que se tenha uniformizado, geralmente são três. Em jogos de futebol não oficiais dependem do acordo dos clubes que organizam os jogos ou da concordância com o regulamento da entidade que organizar um torneio, por exemplo.
Como o jogo não foi para uma competição oficial, se os clubes, previamente, com o árbitro acordaram no número (e no tempo) em que fariam as substituições - para não ser a "conta-gotas" e quebrar o ritmo do encontro - e não abordaram - por ser pouco usual - a questão das reentradas em campo, o árbitro fez bem em não permitir a substituição de Melgarejo (lesionado) por André Almeida.

O que é um jogo de futebol?
No EDB já por mais de uma vez se afirmou que só se pode falar em jogo de futebol se o jogo for dirigido por um árbitro (ou seja, alguém que saiba e faça cumprir, integralmente, as 17 Leis do Jogo). Só assim se joga futebol. E não há jogos particulares e jogos oficiais. Há jogos de futebol. Podem é ser para competições oficiais ou não oficiais (particulares). As competições, não os jogos. Estes ou são de futebol ou não são! Depende se as 17 Leis são ou não implementadas. Mesmo que o sejam bem ou mal. Conforme o emblema ou emblemas que estão a jogar. Como todos nós sabemos...



O próximo adversário vem de França
O "Glorioso" só por uma vez defrontou o OGC Nice Cote d´Azur (Costa Azul), em 4 de Julho de 1956, no estádio Arena, em Milão, para o jogo de consolação, entre o 3.º e o 4.º classificado da 7.ª Taça Latina.

TOTAL DE JOGOS DO BENFICA COM
OGC NICE
Época
Competição
Res.
Cidade
Estádio
S.
55/56
Taça Latina
V 2-1
Milão
Arena
N
13/14
Particular

Faro/Loulé
Algarve
N
TOTAIS ………….
1 J – 1 V    (2/1)

Depois de uma conquista da Taça Latina o sonho continuou
A expectativa era grande quando o Benfica partiu para Itália para disputar a 7.ª (e penúltima) edição da Taça Latina. O "Glorioso" conquistou a 2.ª edição, em 1949/50, regressando à competição, em 1955/56, depois de quatro presenças do Sporting CP (2.º, 4.º, 4.º e 3.º lugar) e do CF "Os Belenenses" (4.º lugar).
O sorteio não foi favorável, com o Benfica a defrontar o clube organizador, o AC Milan que conquistara uma edição da competição, em 1950/51, ou seja, depois da Taça Latina Benfiquista, numa competição disputada em Turim, Itália como homenagem póstuma ao "Grande Torino" tragicamente desaparecido em 1949. De regresso a Itália, em Milão, o AC Milan procurava a "segunda" para igualar a proeza do FC Barcelona (então CF Barcelona por imposição castelhana-franquista), vencedor em 1949 e 1952. Em seis edições, quatro vencedores, pois em 1955 (edição anterior) foi a vez do Real Madrid CF e em 1953, foram os gauleses do Stade Reims a sagraram-se vencedores. Que clube?! Stade Reims! Um dos melhores clubes europeus nos anos 50: finalista na Taça dos Clubes Campeões Europeus em 1956 e 1959, frente ao Real Madrid CF, perdendo respectivamente, por 3-4 (Paris/ França) e 0-2 (Estugarda/ RFA, actual Alemanha).
O AC Milan não deu hipóteses. Nem na meia-final ao SLB (V 4-2) nem ao finalista Athletic Club, Bilbau (V 2-1). E lá foi a "segunda". Na temporada seguinte, em 1956/57, realizou-se a 8.ª (e última edição) com a "segunda" do Real Madrid CF, igualando FC Barcelona e AC Milan. As outras duas: SL Benfica e Stade Reims. Uma galeria de ilustres.

Vamos ao que interessa... o SL Benfica
Foi um jogo inaudito, o primeiro - e até hoje - único jogo entre o OGC Nice e o SL Benfica. Para apurar o 3.º classificado o jogo terminou empatado sem golos. Seguiu-se um prolongamento de 30 minutos: primeiro avançaram os franceses (1-0 aos 102 minutos) mas Cavém refez a igualdade, 1-1, aos 116 minutos. Aos 120 minutos mantinha-se a igualdade. Seguiu-se um prolongamento com "golo dourado". Decorria o minuto 12 do 2.º prolongamento quando José Águas deu a vitória, por 2-1, aos 132 minutos para o Glorioso". Seguiram-se 57 anos e... 22 dias para o segundo encontro entre o SLB e o Olímpico Ginástica Clube de Nice. Hoje, pelas 19.45 horas, a  hora da pré-época 2013/14.

TOTAL DE JOGOS DO BENFICA COM
OGC NICE
Época
Res.
Marcadores
(minutos)
Treinador
Capitão
Guarda-redes
55/56
V 2-1
(116) Cavém
(132) Águas
Otto Glória
Caiado
Bastos
13/14


Jorge Jesus




Assim vai a pré-época
São 43 os futebolistas do "Glorioso" que já jogaram nesta temporada de 2013/14.

ESTATÍSTICAS EM 2013/14           
Nome
Ép
Minutos
(630)
Jogos
(7)
Cap.
(7)
Golos
(16)
(-10)
Ass.
(16)
12
Bruno Cortez
1.ª
324
5
-
-
1
11
Lima
2.ª
323
5
-
5
2
13
Paulo Lopes
5.ª
315
5
3
- 5
-
1
Artur
3.ª
315
5
-
- 5
-
28
Sílvio
1.ª
313
6
-
-
-
21
Matic
3.ª
290
5
-
-
-
18
Salvio
3.ª
287
5
-
3
1
4
Luisão
11.ª
263
4
4
-
-
50
Markovic
1.ª
254
5
-
3
-
34
André Almeida
3.ª
246
5
-
-
-
89
André Gomes
2.ª
244
6
-
-
-
20
Gaitán
4.ª
241
5
2
-
2
2
Lisandro López
1.ª
234
4
-
1
-
22
Mitrovic
1.ª
232
5
-
-
-
10
Djuricic
1.ª
224
5
-
-
2
45
Sulejmani
215
5
-
2
1
6
Ruben Amorim
5.ª
215
5
-
-
1
35
Enzo Perez
3.ª
207
4
1
-
-
19
Rodrigo
3.ª
157
3
1
-
-
88
Roderick
3.ª
148
2
-
-
-
33
Jardel
4.ª
148
2
-
-
-
80
Harramiz
1.ª
144
2
-
1
-
23
Urreta
5.ª
143
3
-
1
-
15
Ola John
2.ª
132
3
-
-
1
55
Uros Matic
1.ª
122
2
-
-
-
3
Steven Vitória
1.ª
112
4
-
-
-
76
Bruno Gaspar
1.ª
111
2
-
-
-
74
Sancidino
1.ª
109
2
-
-
-
25
Melgarejo
2.ª
102
3
-
-
-
24
Garay
3.ª
91
2
-
-
-
84
Nélson Semedo
1.ª
90
1
-
-
-
92
Lindelof
1.ª
90
1
-
-
-
96
Wei Huang
1.ª
90
1
-
-
-
51
FilipMarkovic
1.ª
75
1
-
-
-
77
Rúben Pinto
3.ª
69
1
-
-
-
14
Maxi Pereira
7.º
58
1
1
-
-
12
Djaló
3.ª
51
3
-
-
-
40
Michel
2.ª
36
2
-
-
-
66
Deyverson
1.ª
24
2
-
-
-
61
Clésio
1.ª
21
1
-
-
-
5
Luisinho
2.ª
19
1
-
-
-
62
Didi (José Silva)
1.ª
15
1
-
-
-
31
Fariña
1.ª
7
1
-
-
-

Mika
1
-
-
-
-
-
39
Vítor Rodrigues
0
-
-
-
-
-
87
Miguel Santos
0
-
-
-
-
-
Grandes penalidades
2
Livre directo
1
Nota: Inclui assistências indirectas (por exemplo, recargas)
Vermelho encarnado – Futebolistas titulares com Levante UD
Vermelho esverdeado – Suplentes utilizados com Levante UD
Vermelho azulado - Suplentes não utilizados com Levante UD
Preto - Futebolistas não convocados com Levante UD

Jogos disputados
V 6-1         Etoile Carouge FC (Carouge/ Suíça)
E 3-3         FC Girondinos Bordéus (Nyon/ Suíça)
V 3-2         FC Sion (Vevey/ Suíça)
D 1-2         Sporting CP (Estoril/ Portugal)
E 0-0        CF "Os Belenenses” (Estoril/ Portugal)
E 1-1          CA Penharol (Portimão/ Portugal)
V 2-1                  Levante UD (Algarve/ Portugal)

Jogos a disputar
27/JUL      OGC Nice (Algarve/ Portugal)
31/JUL      Elche CF (Elche/ Espanha)
03/AGO    São Paulo FC (Lisboa/ Portugal)
09/AGO    SSC Nápoles (Nápoles/ Itália)

"FALTA" AQUI UM JOGO (pelo menos…)

18/AGO (17.45)...........  LIGA ZON Sagres     
CS Marítimo (Barreiros/ Funchal; 1.ª jornada)

Logo à noite é para ganhar! À Benfica!



Alberto Miguéns


NOTA: Quando pensamos que já vimos (lemos) tudo eis que há sempre surpresas. Rui Tovar confunde Markovic com Mitrovic. Se fosse numa tasca, aceitava-se. Agora no "sapo.pt"! Ai, ai, Portugal.
24 de julho de 2013 23:13h

Benfica: muita parra e pouco golo

Por Rui Tovar

Apesar do domínio, encarnados empatam (1-1) com os uruguaios do Peñarol.

   Em mais um "particular" de rodagem com vista à nova época, cumprido em Portimão, o Benfica não foi além de uma igualdade, denunciando já a habitual propensão atacante, a que não correspondeu, contudo, a desejada eficácia. Foi, no entanto, evidente a grande disponibilidade e à vontade do conjunto, sobretudo das linhas mais adiantadas, onde - Markovic à parte - é tudo gente da pretérita temporada, que, por isso mesmo, se conhece bem.
   E se o sérvio foi o único "intruso" do sexteto, a verdade é que não se deu por isso, já que surgiu em grande estilo, jogando rápido e fazendo jogar, como ficou patente no golo que, aos 17', colocou o Benfica em vantagem. Arranque, tabela com Gaitán, recepção perfeita após passe deste e, finalmente, remate a não dar hipóteses a Castillo.
   Era a confirmação de um jogador de classe, que só não arrastou consigo o grupo para um triunfo concludente porque o Peñarol empatou a seguir (Rodriguez, 24'), explorando alguma hesitação de Sílvio, um lateral-direito a situar-se uns furos abaixo do seu congénere Cortez, no outro flanco, que, por várias vezes (e ao contrário daquele) apareceu no apoio ao ataque.
   Até ao intervalo, o Benfica continuou a mandar no terreno, por força da lucidez de jogo dos alas Salvio e Gaitán, que, desta forma, acolitavam a preceito a tal grande esperança sérvia. Isto enquanto Lima, no eixo, se apresentava como a gazua para os casos mais bicudos. Porém, as várias tentativas, em especial protagonizadas por Gaitán, esbarraram mo muro defensivo contrário.
   A 2ª parte foi outra história. E pouca teve pelas substituições (excessivas) levadas a cabo. O Peñarol mudou meia equipa, mas para pior, pelo menos no tocante à agressividade ofensiva. Os uruguaios praticamente abdicaram, neste período, de chegar à baliza de Artur, continuando, assim, o Benfica a usufruir de um maior domínio territorial, mesmo depois das também muitas alterações efectuadas.
   Jorge Jesus acabou por substituir toda a gente, começando a dança ao quarto de hora, com a entrada em força da falange sérvia. Mitrovic rendeu Garay, enquanto Sulejmani e Djuricic entraram para o meio, passando este último a coordenar o jogo nas costas de Rodrigo, enquanto Mitrovic passou a actuar mais descaído na esquerda. Já a dupla titular de médios mais recuados (Matic e Enzo) deu lugar a Amorim e, depois, a André Gomes.
   Como em geral acontece quando a mudança dos intérpretes atinge tais proporções, o fio de jogo baralha-se e a trama perde consistência. Foi isso que sucedeu, embora o Benfica tenha sido a equipa sempre mais virada para o ataque, merecendo destaque, nesta fase, um superior remate de Djuricic a que Castillo se opôs com uma grande defesa.
   Em jeito de síntese, dir-se-á que o Benfica, com um meio-campo e um  ataque que dão plenas garantias, tem apenas à retaguarda alguns aspectos que inspiram cuidados e que são, de resto, herdados da ápoca anterior. Mas no mais, tem reforços de grande qualidade, como são os casos sobretudo de Djuricic, Mitrovic e Sulejmani, a fazerem lembrar o melhor que a velha escola jugoslava lançou nos mais exigentes palcos, e, ao mesmo tempo, continua a poder contar com quase todo o plantel do ano passado. A questão é agora  conjugar essas duas vertentes, uma tarefa que, apesar da dificuldade da escolha,  não se afigura assim tão ingrata.

Conteúdo publicado por SportInforma 

NOTA: O sublinhado é meu


Próximos cinco dias no EDB (previsões)

Domingo (28 de Julho): Oitavo jogo na pré-época
Segunda-feira (29 de Julho): Futebol com formação campeã
Terça-feira (30 de Julho): Voleibol: Campeão
Quarta-feira (31 de Julho): O Benfica e o Elche CF
Quinta-feira (1 de Agosto): Primeiro balanço da pré-época
Sexta-feira (2 de Agosto): O Benfica em Agosto


2 comentários
comentários
  1. patriarca disse:


    Estamos a sofrer golos com QUALQUER Equipa e para um Benfica Ganhador isso tem que terminar. Sofrer golos é natural em qualquer Equipa, mas da forma com que isso acontece no Benfica é muito preocupante.
    E goste-se ou não, não podemos esconder a cabeça na areia, temos falta de um guarda-redes BOM, sem tirar algum pouco, mérito ao Artur Morais, mas a sua continuação na Baliza do Benfica é um grande problema e não a solução. Respeito todas as opiniões, a minha é esta e no final, tal como na época passada, veremos.
    Espero estar enganado, mas pelas "amostras" que o Artur Morais já deu é muito Preocupante.

    ResponderEliminar
  2. A minha opinião é que o título está entregue.

    ResponderEliminar

Em Defesa do Benfica no seu E-mail