A criação deste Blogue, ideia de António Melo, tem como objectivo divulgar, defender o Sport Lisboa e Benfica e a sua Gloriosa história. Qualquer opinião aqui expressa vinculará apenas o seu autor, Alberto Miguéns.

SEMANADA: ÚLTIMOS 7 ARTIGOS

15/06/2013

Treinador do FC Porto? Qualquer Zé Ninguém Serve! (parte II)

15/06/2013 + 6 Comentários API
OPINIÃO

NOTA: O facto da assembleia geral do "Glorioso" ter terminado tarde, inviabiliza que os textos sejam colocados neste momento. Mas ficarão disponíveis dentro das próximas horas. Artur Jorge primeiro, Ivic depois e o "Silvinha" a seguir. Mentira. Pelas razões apontadas no final do texto acerca de Artur Jorge apenas este texto ficou concluído.

Estúpidos nos Média! Não é a "Estrutura" é a "Estrutura estruturada" (vulgo Sistema, para nós mortais)
Que os treinadores do FC Porto são fracos, até a imprensa (agora admite) mas curiosamente ao admitir "informa" que ganham por que têm "uma estrutura forte e ganhadora atrás"! Ou seja, chegámos a uma nova dimensão do futebol, em que não interessa ter um treinador com qualidade. Basta ter uma estrutura, arranjar um Zé Ninguém, para passear a braçadeira de treinador e preencher os pré-requisitos da competição e eis que  a equipa a jogar... ganha porque tem a "Estrutura": atrás, ao lado e à frente. Poupem-me. "Senhores" dos media. Não é "Estrutura". É o "Sistema"... estúpidos! Ou então, quais cobardes, os Idiotas Úteis nos media arranjaram um eufemismo para "Sistema" chamando-lhe "Estrutura"! E é, afinal um "Sistema" é uma "estrutura estruturada"!

Uma "coisa" eu sei!
Pinto da Costa (PdC) nunca quis ter bons treinadores no FCP. Sempre quis ter treinadores que lhe servissem os propósitos: ou seja fazer o que ele manda e não serem inteligentes, para perceberem que não são eles os principais obreiros dos triunfos, mas quem joga por fora. Por isso quer treinadores medíocres em início de carreira que não percebam que o mérito das conquistas é muito mais de quem joga por fora do que quem joga por dentro!

Parte I (5 em 18): José Maria Pedroto, Artur Jorge, Tomislav Ivic, Quinito e Carlos Alberto Silva
Quando PdC (assim evito escrever um nome sujo) assumiu a presidência do FCP tratou de resgatar Pedroto, pois os dois tinham sido "expulsos" pelo presidente da Direcção (actual penultimo na história do FCP) Américo de Sá, do clube portista após findar a temporada de 1979/80 com o FCP a perder o campeonato nacional para o Sporting CP e a final da Taça de Portugal (no Jamor) para o Benfica. Nas 13 épocas iniciais - mais concretamente "doze e meia" PdC contratou cinco treinadores, com dois deles (Artur Jorge e Ivic) a regressarem para um segundo período e um (Quinito) que "nem aqueceu" o lugar.

TREINADORES DO FC PORTO NA ERA (que nunca mais é) PINTO DA COSTA

Pedroto: O Mestre  com "boa imprensa"
José Maria Pedroto conseguiu alcandorar-se a Mestre, mas nunca obteve melhores resultados que os seus antecessores nos clubes por onde passou, com destaque para o Vitória FC Setúbal, onde Fernando Vaz fez melhor e por causa de Pedroto e da "boa imprensa" deste, caiu no esquecimento, até para os vitorianos sadinos. Incrível. Pedroto no FCP foi bicampeão por causa do "Sistema" (ainda que incipiente, entre eles os árbitros António Garrido, Porém Luís e Manuel Vicente). Em jogos internacionais é dos piores treinadores (piores registos) portugueses, quer na selecção nacional, quer no FC Porto!

ARTUR JORGE
Épocas
Clube
Classificações
Observações
1981/82
CF "Os Belenenses"
Despedido

Portimonense SC
6.º/16 I D

1982/83
Portimonense SC
9.º/16 I D

1983/84


Sem clube
1984/85

FC Porto
CN (1 derrota)

1985/86
CN (3 derrotas)
1986/87
2.º/16 I D
1987/88
Matra Racing Paris
7.º/20 I L

1988/89
Matra Racing Paris
17.º/20 I L


FC Porto
2.º/20 I D

1989/90
CN (2 derrotas)
1990/91
2.º/ 20 I D
1991/92

Paris Saint-Germain
3.º/20 I L

1992/93
2.º/20 I L
1993/94
CN (3 derrotas)
1994/95
SL BENFICA

3.º/17 I D


1995/96
Saiu 3.ª Jorn.
Selecção Suíça


Selecção Portugal


1996/97
Selecção Portugal

1997/98
CD Tenerife
16.º/20 I L

1998/99
SBV Vitesse
Despedido

PSG
9.º/18 I L

1999/00
Al Nassr
Arábia Saudita
Não foi CN
2000/01
Al Hilal
Arábia Saudita
Não foi CN
2001/02
CN (1 derrota)
2002/03
Ass. Ac. Coimbra
15.º/18 I D

2003/04
CSKA Moscovo
3.º / 16 I L

Ass. Ac. Coimbra
13.º/18 I D

2004/05
Selecção Camarões


2005/06

2006/07
US Créteil-Lusitanos
18.º/ 20 II Liga
Despromovido

A mediocridade transformada em pessoa
Artur Jorge ganhou protagonismo nos media portugueses quando foi escolhido por José Maria Pedroto para seu adjunto na segunda temporada (1981/82) no Vitória SC Guimarães. E disse - como só Pedroto sabia dizer - que Artur Jorge seria um grande treinador no... FC Porto. Entretanto Pedroto regressou ao FC Porto, mas o seu adjunto no FCP foi António Morais. Artur Jorge lá foi tarimbar para outros clubes sempre com fracos resultados (despedido do CF "Os Belenenses" e meio-da-tabela com o Portimonense SC. Após o falecimento de Pedroto cumpria-se a promessa: Artur Jorge no FC Porto.

 
O Mestre e o Discípulo. Pedroto e Artur Jorge. Na direita um dirigente vimaranense no Estádio da Luz
Portugal teve um "treinador-poeta"
Com o FC Porto a rolar já em "módulo-directo" depois de dois anos de presidência de PdC, Artur Jorge encaixou que nem "uma luva" no Sistema. Pedroto podia ser vulgar como treinador, mas sabia o que devia ser feito para ter sucesso no futebol português, agora que começava a ser domesticado como "Futeluso"!
Se Pedroto tinha "boa imprensa" porque soube ter "os amigos certos no tempo certo", Artur Jorge tinha "boa imprensa" porque os responsáveis pelos media têm nível cultural inadequado para as funções num país ocidental. Artur Jorge era conceituado porque... escrevera um livro de "poesia" editado pelas edições de "O Jornal", em 1983, cujo nome "Vértice da água" é o melhor "verso" que o livro contém! E "contém 96 "poemas" semelhantes aos dois que o EDB divulga "mais abaixo"! Um futebolista doutor deu um treinador poeta. Portugal é lindo! Ainda que fosse o único livro e que de "poesia a sério" tenha pouco! Mas era poeta. Portugal pode não ter muita coisa, mas tinha um treinador-poeta. Nunca vi tanto elogio e lambe-botismo como o que recebeu o "treinador-poeta". Um livro que foi um passaporte, tudo se justificando a um "treinador-poeta"!


Um exemplo da sua "poesia"

Como se subitamente dos amantes
fere-se nos lábios
a manhã

as folhas cortam o poema
sobre os pássaros
despenhados

(Não é de alegria o seu silêncio)



Para Vítor Serpa (que delirava em "A Bola" enquanto simples jornalista) "isto é" digno do Nobel! Tal como isto:

(corrida no estádio nacional)
O cão ladra
De joelhos
A coleccionadores de velhas imagens
A contrabandistas de atletas cegos
A elefantes iconoclastas nas margens
(obstinado corpo
alugado
de poderoso animal)



Começam os "apoios-extra"
Artur Jorge não teve dificuldade em "sacar" o bicampeonato nacional, ainda para mais sendo "poeta", o discípulo de Pedroto e por este referenciado como o "futuro grande treinador português"!
Em 1984/85 contou com muito "apoio-extra": Azevedo Duarte (de Braga, pai de Augusto Duarte), Raul Ribeiro (Aveiro), Francisco Silva (Faro, depois irradiado pelo presidente dos árbitros Lourenço Pinto (actual presidente da AFP) numa cilada depois de ter ameaçado em "A Bola" (quando esta era um Jornal) que iria "contar tudo"...), Raul Nazaré (Setúbal), Rosa Santos (Beja) e Fernando Alberto (Porto), entre outros árbitros.
Em 1985/86, além de Azevedo Duarte, Francisco Silva, Raul Nazaré, Fernando Alberto e Rosa Santos, entrou em cena um do "piorio" - Fortunato Azevedo, de Braga.

Com os ingleses banidos, abriu-se uma "janela de oportunidade"
Em 1986/87  com Fernando Martins como presidente da Direcção do "Glorioso" "abriu-se uma janela de oportunidade" para o FCP conseguir um feito inédito: ser tricampeão, algo que falhara em 1940/41 e 1979/80. O campeonato discute-se "taço-a-taco" com o Benfica treinado por John Mortimore. Mas na 2.ª volta, PdC decide: a prioridade é a Taça dos Clubes Campeões, competição que estava mais debilitada desde que a UEFA proibira os clubes ingleses de participarem nas competições europeias, depois da tragédia de Heysel, na final da TCCE, em 1984/85, quando adeptos do Liverpool FC matam 38 adeptos da Juventus FC nas bancadas do estádio da capital belga. Numa final arbitrada pelo suíço Daina que inventa uma grande penalidade, aos 55 minutos, para Platini poder fazer o 1-0 com que os transalpinos derrotaram o campeão europeu. Os clubes ingleses, que dominavam o futebol europeu, são banidos permitindo uma maior dispersão de vencedores das competições da UEFA.

VENCEDORES DAS COMPETIÇÕES DA UEFA (1984/85)
Época
TCCE
TUEFA
TVT
1976/77
Liverpool FC
(Inglaterra)
Juventus FC
(Itália)
Hamburgo SV
(RFA)
1977/78
Liverpool FC
(Inglaterra)
PSV Eindhoven
(Holanda)
RSC Anderlecht
(Bélgica)
1978/79
Nottingham Forest FC
(Inglaterra)
Borússia Monch.
(RFA)
FC Barcelona
(Espanha)
1979/80
Nottingham Forest FC
(Inglaterra)
Eintracht Franq.
(RFA)
Valência CF
(Espanha)
1980/81
Liverpool FC
(Inglaterra)
Ipswich Town FC
(Inglaterra)
FK Dinamo Tbilisi
(URSS)
1981/82
Aston Villa FC
(Inglaterra)
IFK Gotemburgo
(Suécia)
FC Barcelona
(Espanha)
1982/83
Hamburgo SV
(RFA)
RSC Anderlecht
(Bélgica)
Aberdeen FC
(Escócia)
1983/84
Liverpool FC
(Inglaterra)
Tottenham HFC
(Inglaterra)
Juventus FC
(Itália)
1984/85
Juventus FC
(Itália)
Real Madrid CF
(Espanha)
Everton FC
(Inglaterra)
1985/86
FC Steaua Bucareste
(Roménia)
Real Madrid CF
(Espanha)
FK Dínamo Kiev
(URSS)
NOTA (a negro): Título "roubado" pelo árbitro ao Liverpool FC, numa das maiores vergonhas do futebol da UEFA

Trocar o tri pelo título de campeão europeu
Com o Benfica "ombro-a-ombro" com o FC Porto no campeonato nacional, Artur Jorge opta por utilizar os atletas em melhores condições físicas para os jogos da Taça dos Clubes Campeões Europeus nos jogos dos quartos-de-final até à final. Mesmo assim, para quem assistiu aos jogos ficaram sempre alguns "aspectos" por perceber, como a arbitragem do húngaro Lajos Nemeth em Brondby. Depois da 1.ª mão, nas Antas, com 1-0, o FCP aos 36 minutos estava a perder por 0-1 com a eliminatória empatada. A partir daí os dinamarqueses deixaram de poder atacar. Havia sempre interrupções. E nas meias-finais, frente à "melhor equipa europeia depois do Liverpool FC, o FK Dínamo de Kiev. Estes fizeram um bom resultado nas Antas (1-2), mas em Kiev surge um árbitro galês - Ronald Bridges que asfixiou o campeão soviético, com 1-2 a favor do FC Porto. Incrível. As explicações viriam mais tarde... Na década de 90 do século XX e depois no século XXI. Mas isso são "cenas dos próximos capítulos". E o FC Porto foi campeão Europeu! Isso é que interessa! Mas, não foi tricampeão nacional, com o Benfica a conseguir a última "dobradinha". Dois anos depois de PdC, em 1984, ser presidente o último bicampeonato nacional para o "Glorioso"! Cinco anos depois.... a última dobradinha! O "Futeluso" crescia! Os "jornalistas" levavam no lombo! O FCP tornava-se um "perigo público!


A Imprensa tuga rejubila: O treinador que "também é poeta" na cidade dos poetas, Paris
O verão de 1987 foi uma festa! Parafraseando o escritor Ernest Hemingway "Paris é uma festa"! E foi para Paris que caminhou o "treinador-poeta"! Grandes expectativas ver (e saborear) o sucesso de um "emigrante diferente porque intelectual" ao contrário das hordas de emigrantes portugueses dos anos 60 e primeira metade da década de 70. Na primeira época 1987/88 conseguiu um... 7.º lugar, isto quando se apostava num Matra Racing com grandes investimentos para ser campeão, pois o campeão europeu Artur Jorge não aceitava menos que o 1.º. Ficou em 7.º! As "responsabilidades" aumentaram para a segunda temporada. Se não o Matra Racing ficava arrumado perante os milhões investidos. Pouco depois do início da temporada foi despedido. Em Portugal gritou-se com palavras de ordem. Franceses chauvinistas. Inveja de Portugal ter um treinador intelectual com livros (é verdade falavam no plural) de poesia! Como Artur Jorge foi campeão europeu no FCP em França boicotaram-lhe o trabalho! O Matra Racing foi-se! Para sempre! Devem gostar de Artur Jorge. Este em 20 de Novembro de 1988 já estava junto do "Querido Líder". No FCP!





No aconchego andróide... é mais fácil
Em 1988/89 já não foi a tempo de corrigir os disparates de Quinito, com o FCP a classificar-se em 2.º lugar. Mas PdC tinha, ainda, muito para "dar" e, claro, queria "receber"!
Em 1989/90 (em já fazia estatísticas comparadas entre SLB e FCP) foi uma vergonha colossal. Foi um "ver se te avias ou havias". Um festival de árbitros, que ficaram na história. José Silvano (Vila Real), Francisco Silva (Faro), Mário Leal (Leiria), Rosa Santos (Beja), Donato Ramos (Viseu), Pinto Correia (Lisboa), José Pratas (Évora), Bento Marques (Évora), José Guímaro (Coimbra), Jorge Coroado (Lisboa, se bem que este era conforme acordava no dia do jogo) e José Mesquita (Porto). Tudo gente fina!
Em 1990/91 só um "Super-plantel" treinado por Eriksson, tendo o Benfica orçamentado para o futebol "pelo menos o triplo do FCPorto - 3 milhões de contos versus 800 mil contos - permitiu conquistar o título, com os adeptos (e os media) descontentes: O Benfica gasta muito dinheiro para o futebol que joga!

O treinador-poeta de regresso a Paris
Eis que os franceses não aprendem. Artur Jorge volta a Paris para acabar com o "reinado" do Olímpico de Marselha do presidente Bernard Tapie. Com um orçamento colossal, colecciona insucessos atrás de insucessos. Em 1992/93 os marselheses conquistam o pentacampeonato francês e sagram-se campeões europeus, conquistando a Liga dos Campeões. E o PSG do "poeta" a "penar"! A época de 1993/94 ia pelo mesmo caminho quando "rebenta" o escândalo da jornada "comprada" na temporada anterior ao Valenciennes FC - para facilitar na jornada de 20 de Maio de 1993, na véspera da final da Liga dos Campeões de 1992/93. Em 22 de Abril de 1994, quase um ano depois, o Olímpico de Marselha é considerado culpado (devido ao comportamento do seu presidente) e relegado para a II Divisão. Artur Jorge e o PSG beneficiaram com o desgaste do processo de corrupção que desgastou a imagem e competitividade dos marselheses, conquistando o título.

Depois seguiu-se o Benfica e o despedimento
Nem vale a pena falar disto, pelo menos no âmbito destes textos relacionados com o FC Porto. Apenas uma nota. Um medíocre 3.º lugar (1994/95) e um despedimento anunciado logo no início da temporada seguinte (1995/96). Depois de destruir um plantel campeão nacional. Afinal duas notas em vez de uma!


Até final da carreira "mais do mesmo"
Classificações degradantes, despedimentos, conflitos (nos clubes e selecções). Mas ainda hoje se diz: Foi o primeiro treinador português campeão europeu (único até 2004) e publicou "poesias"! Que bem!



Está visto! Ainda não é desta que dou por concluída esta "primeira parte"! E já vai em duas! Ao falar com o António Melo, até às 4 da manhã - para comentar os treinadores de Bancada, em A Bola TV - tal facto, inviabilizou a conclusão desta que devia ser a primeira parte e já vai em duas. Vão ser três! Será! Fica para amanhã!

Amanhã começa AQUI.


TOMISLAV IVIC
Épocas
Clube
Classificações
Observações
1973/74

NK Hajduk Split
CN (7 derrotas)

1974/75
CN (6 derrotas)
1975/76
2.º/ 18 I L
1976/77
AFC Ajax
CN (5 derrotas)

1977/78
2.º/ 18 I L
1978/79
NK Hajduk Split
CN (4 derrotas)

1979/80
5.º/ 18 I L
1980/81

RSC Anderlecht
CN (3 derrotas)

1981/82
2.º/ 18 I L
1982/83
2.º/ 18 I L
1983/84
Galatasaray SK
3.º/ 18 I L

1984/85
FK Dinamo Zagreb
6.º/ 18 I L

1985/86
AS Avelino 1912
11.º/ 18 I L

1986/87
NK Hajduk Split
8.º/ 18 I L

1987/88
FC Porto
CN (1 derrota)

1988/89
Paris Saint-Germain
2.º/ 20 I L

1989/90
5.º/ 20 I L
1990/91
C. Atlético Madrid
2.º/ 20 I L

1991/92
Olímpico Marselha
CN (3 derrotas)
Título sob suspeita
1992/93
SL BENFICA
Saiu na 9.ª jornada
1993/94
FC Porto
Saiu na 17.ª jor.

1994/95
Fenerbahçe SK
4.º/ 18 I L

1995/96
Sel. E.A.U.
------------------

1996/97
Al Wasl
Não foi campeão
E.A.U.
1997/98
NK Hajduk Split
2.º/ 16 I L

1998/99
R. Standard Liége
6.º/ 18 I L

1999/00
5.º/ 18 I L
2000/01
Olímpico Marselha
15.º/ 18 I L

2001/02
9.º/ 18 I L
2002/03


Sem clube
2003/04
Al Ittihad FC
Arábia Saudita


Fica uma resenha
A

Para a segunda passagem de Ivic pelo FCP utilizo o texto já publicado em 11 de Junho de 2013

Ivic regressou ao FC Porto porque Pinto da Costa queria provar que Ivic não triunfara no SLB, em 1992/93, porque "o Benfica era um Circo" expressão que Artur Jorge voltou a utilizar em 1994/95. Dirigiu a equipa de futebol durante seis meses, entre 15 de Julho de 1993 e 30 de Janeiro de 1994 Foi despedido do FCP depois de uma vitória, por 2-0, em Aveiro com o SC Beira-Mar, em 23/01; e vitória por, 2-0, em casa do SC Salgueiros, na I Divisão, em 30/01. Mas... na véspera de se deslocar ao estádio da Luz (6 de Fevereiro de 1994) com menos quatro pontos. Primeira jornada da segunda volta, com 3-3 na 1.ª jornada. O jogo dessa 18.ª jornada era decisivo para o FCP. E foi!Já com Bobby Roson, entretanto despedido do Sporting CP!

RESULTADOS DE IVIC EM 1993/94
Competições
J
V
E
D
GM/GS
Observações
Campeonato Nacional
17
9
6
2
27/10
Perdeu dez pontos na primeira volta. O SLB perdeu... seis. Estava a quatro!
Supertaça
2
1
0
1
1/1
Resolvida na época seguinte numa finalíssima
Taça Portugal
3
3
0
0
9/3
-----------
Liga
Campeões
6
3
2
1
6/5
Derrota por 0-3 com o AC Milan

Para Quinito utilizo o texto já publicado em 11 de Junho de 2013

Quinito dirigiu o FCP durante cerca de quatro meses, entre o início da temporada  (20 de Julho de 1988 e 1 de Novembro de 1988). Saiu do FCP depois de ter obtido um empate, 0-0, em Fafe, com o CD Fafe (11.ª jornada em 30 de Outubro de 1988) e ser eliminado pelo PSV Eindhoven, nos oitavos-de-final da Taça dos Clubes Campeões Europeus, após 0-5 em Eindhoven e 2-0 no estádio das Antas.

RESULTADOS DE IVIC EM 1988/89
Competições
J
V
E
D
GM/GS
Observações
Campeonato Nacional
11
5
6
0
10/4
Em 11 jornadas, 5 vitórias em casa e 6 empates... fora! O futebol mais previsível que eu alguma vez assisti!
Supertaça
2
0
1
1
0/2
O Vitória SC Guimarães conquistou a Supertaça
Taça Portugal
1
1
0
0
2/0
Eliminou o UD Vilafranquense (III D)
Taça Campeões
4
2
0
2
5/7
Depois de conseguir perder, por 0-2, com o HJK Helsínquia, foi goleado (5-0) pelo PSV Eindhoven


CARLOS ALBERTO SILVA
Épocas
Clube
Classificações
Observações
1978
Guarani
CN (numa final)
A duas mãos
1979
Não foi campeão

1980
São Paulo FC
Não foi campeão

1981
Não foi campeão

1982
C. Atlético Mineiro
Não foi campeão

1983
Não foi campeão

1984
Santa Cruz
Não foi campeão

1985
Não foi campeão

1986
Sport Recife
Não foi campeão

1987
Cruzeiro EC
Não foi campeão

1987/88
Sel. Brasil
--------------

1988/89
--------------

1989
São Paulo FC
Não foi campeão

1990
Não foi campeão

1990/91
Yomiuri Kawasaki
CN do Japão

1991/92
FC Porto
CN (2 derrotas)

1992/93
CN (4 derrotas)
1993
Cruzeiro EC
Não foi campeão

1994
Corinthians
Não foi campeão

1995
Palmeiras
Não foi campeão

1996
Vasco Gama
Não foi campeão

1997/98
RCD Corunha
12.º/ 20 I L

1998
C. Atlético Mineiro
Não foi campeão

1999
Goiás
Não foi campeão

2000
Santos FC
Não foi campeão

2001


Sem clube
2002/03
CD Santa Clara
13.º/ 18 I D

2003


Sem clube
2004
América (Minas Gerais)
Não foi campeão

2005
Atlético (Minas Gerais)
Não foi campeão


Fica uma resenha
A


QUADRO DOS TREINADORES DA ERA
 (nunca mais é) PINTO DA COSTA
Épocas
Treinador
1982/83
1983/84
Pedroto
1984/85
1985/86
1986/87
Artur Jorge
1987/88
Ivic
1988/89
Quinito
1988/89
1989/90
1990/91
Artur Jorge
1991/92
1992/93
Carlos Alberto Silva
1993/94
Ivic
1993/94
1994/95
1995/96
Bobby Robson
1996/97
1997/98
Oliveira
1998/99
1999/00
2000/01
Fernando Santos
2001/02
Octávio
2002/03
2003/04
José Mourinho
2004/05
Del Neri
2004/05
Victor Fernandez
2004/05
José Couceiro
2005/06
Co Adriaanse
2006/07
2007/08
2008/09
2009/10
Jesualdo Ferreira
2010/11
André Villas-Boas
2011/12
2012/13
Vítor Pereira
2013/14
Paulo Fonseca
NOTA: A azul treinadores "biografados"

Alberto Miguéns

NOTA: Plano dos próximos textos no EDB (também faço esta lista para não me esquecer e "obrigar-me" a comprometer para cumprir!)

Domingo/16: Chega um Zé Ninguém (III parte)

Segunda-feira/17: Vejam lá se acertam mais!

Terça-feira/18: Em que é que ficamos?

Quarta-feira/19: Os títulos "À Sporting"!

Quinta-feira/20: Vejam lá se acertam mais! (parte II)

Sexta-feira/21: O jogo-chave da época

Sábado/22: O jogo-parafuso da época

Domingo/23: Obrigado, Aimar

Segunda-feira/24: Obrigado, Cardozo

Depois desta data completarei estes textos acerca dos "Zés Ninguém" do FCP




6 comentários
comentários
  1. http://www.marca.com/2013/06/14/futbol/futbol_internacional/1371229516.html

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Caro Anónimo

      O que faz o dinheiro! Veja quando não há dinheiro:

      http://www.jn.pt/PaginaInicial/Policia/Interior.aspx?content_id=1879596

      Gloriosas Saudações Benfica

      Alberto Miguéns

      Eliminar
  2. É impressionante mas os próprios portistas alardeiam o facto de que "qualquer treinador" serve! Pois é, mas ao dizerem isto estão (ignorante e estupidamente) a admitir que não interessa um bom treinador, mas quem lhes "garante" os títulos (!!!). E para bom entendedor (benfiquistas) meia palavra basta! para os portistas. é preciso um desenho!

    ResponderEliminar
  3. Alexandre16/6/13 18:57

    Intelectual da treta.Nas 2 passagens pelos corruptos foi campeão em 84-85(ano em que a megalomania de Fernando Martins com o terceiro anel nos enfraqueceu e de que maneira com as saídas de Chalana,Stromberg e Eriksson),em 85-86 com o descarado proteccionismo dos bois de preto e em 89-90 naquele que terá sido dos campeonatos mais corrompidos de sempre(quem não se lembra dos 11 golos de penalti do Demol,ou as inúmeras faltas inventadas á entrada da área para os livres do geraldão ou do branco,quando estavam á rasca).É daquele tipo de treinadores que ou têm muito dinheiro para estoirar(caso P.S.G.)ou então tem todo o trabalho de bastidores extra 4 linhas a beneficia-lo(caso f.c.p.).Este marmelo é se não o principal responsável,um dos maiores culpados na merda em que o Benfica se enterrou desde meados da década de 90.Infiltrado de merda,nem o passado como jogador apaga a porcaria toda que fez como treinador a mando do AlCapone e com o beneplácito do tótó do Damásio.De cada vez que abre a boca devia desinfetá-la,para tão grandioso clube não andar na boca de intrujas e vendidos desta espécie.

    ResponderEliminar
  4. Alexandre17/6/13 21:22

    Para completar o meu comentário sobre este pseudo-doutor,vamos fazer um pequeno resumo.Em 90-91 engole 2 batatas no antro contra o Benfica,perdendo nessa época o campeonato.De regresso a Portugal 3 anos depois,vai para o Glorioso onde em dois defesos destrói a equipa campeã de 93-94.Vamos lá agora recordar só uma coisa:da equipa titular do Benfica mais os suplentes que o humilharam naquela gloriosa tarde de 28 de Abril de 1991,este palhaço quando veio para o benfica para se vingar,dispensou Neno,Paulo Madeira,William,Veloso,Paneira,Rui Aguas,Isaias,Cesar Brito e Silvino,ou seja 9 dos 16 convocados.Apenas se safaram Paulo Sousa e Pacheco que fugiram para o lagartedo,Thern que foi para Itália,Samuel e os brasileiros Ricardo e Valdo que tratou de levar para França mal foi corrido pelo seu grande amigo Pintinho dos fogões.

    ResponderEliminar
  5. Sois muito poucochinho, Senhor tende piedade e dê-lhes mais sabedoria pois o cérebro que transportam é desprovido de bom senso.

    ResponderEliminar

Em Defesa do Benfica no seu E-mail