A criação deste Blogue, ideia de António Melo, tem como objectivo divulgar, defender o Sport Lisboa e Benfica e a sua Gloriosa história. Qualquer opinião aqui expressa vinculará apenas o seu autor, Alberto Miguéns.

SEMANADA: ÚLTIMOS 7 ARTIGOS

28/11/2012

Em Luto

28/11/2012 + 0 Comentários API
HOMENAGEM


Continuamos a evocar, o Benfiquista e Glória do Clube, Guilherme Espírito Santo falecido no domingo, 25 de Novembro. Que notícia triste.

Com Lipo Hertzka a titularidade
Depois da estreia em Setúbal, a 20 de Setembro de 1936, o futebol do Benfica sofreu uma mudança profunda com a contratação – em 19 de Outubro - do primeiro “treinador vindo do estrangeiro”, o húngaro vindo de Espanha Lipo Hertzka, que procedeu a alterações na estrutura da equipa. Quis observar vários futebolistas, com Espírito Santo a brilhar em vários jogos, distinguindo-se em dois encontros particulares com o FC Porto, em 20 e 25 de Dezembro, marcando respectivamente, três e um golo, na vitória por 5-1 (casa) e empate a três golos (fora). A estreia oficial ocorreu no campeonato regional, em 11 de Outubro (ainda com Vítor Gonçalves como treinador) quando no campo do Casa Pia AC, denominado Restelo, empatámos sem golos com os casapianos. Espírito Santo estava a 19 dias de completar 17 anos!

Estreia, a jogar e marcar, no campeonato nacional (17 anos, 3 meses e 11 dias)
Depois de terminado o 31.º campeonato regional de Lisboa (I Divisão) que apurava os quatro primeiros da classificação para o campeonato nacional da I Liga (3.ª edição) iniciou-se em 10 de Janeiro de 1937, com o “Glorioso” a deslocar-se a Setúbal, na 1.ª jornada, onde vencemos o Vitória FC, por 2-1, com o nosso goleador a marcar os dois golos (aos 44’ e 75 minutos). Foi totalista no campeonato com 14 jornadas (1 260 minutos) marcando 16 golos, média superior a um golo por jogo!

Bicampeonato em três campeonatos nacionais
O “Glorioso” conquistou o título – Bicampeonato em três edições da competição – brilhando da 1.ª à última jornada. Foram 14 jogos, com 12 vitórias e duas derrotas, 57/13 em golos. A segunda volta foi arrasadora, com 31/5 em golos. Mas mais do que estes valores globais avultam as duas goleadas ao Sporting CP (V 5-1) e FC Porto (V 6-0). Com Guilherme Espírito Santo a marcar, respectivamente, dois e um golo. Mas a jogar esplendorosamente.

O primeiro grande jogo
Na 11.ª jornada, com o Benfica na liderança, com mais 3 pontos que o CF "Os Belenenses" (2.º lugar) e 4 pontos que o Sporting CP (3.º lugar) recebemos o… Sporting CP no Estádio das Amoreiras. Espírito Santo esteve resplandecente marcando dois golos (1-0 aos 48’ e 4-0 aos 73’) e “fabricando” o 5-1, para Luís Xavier marcar, aos 86 minutos. Dois golos e uma assistência. Brilhou e nunca mais esqueceu. Segundo Espírito Santo, este foi o primeiro grande teste como avançado-centro do Benfica. Ultrapassado com mérito e distinção.





Lá no 4.º anel continuará orgulhoso pelo “seu/ nosso” Benfica

Alberto Miguéns

NOTA: Estes apontamentos são possíveis por que resultam de muitas horas de conversa franca e amiga, durante mais de década e meia, entre um adepto do Benfica e esta Glória do Clube. Um enorme futebolista e personalidade fantástica, que era o paradigma do Jogador e do Benfiquista: simples, virtuoso, trabalhador, dedicado e generoso. Só posso estar agradecido, por ter aprendido tanto com Espírito Santo.
0 comentários
comentários

Enviar um comentário

Em Defesa do Benfica no seu E-mail